Mourinho comprou central sem o conhecer: "Não conheço todos os jogadores. O meu trabalho não me permite viajar e não me permite passar horas a observar"; Gougeard vence na Vuelta, Nélson Oliveira fez 2.º; Dumoulin ganhou tempo

Não tem mal que Mourinho não conheça Djilobodji (se bem que é um reforço para a equipa principal e não para os juniores ou para as reservas), mas admiti-lo publicamente pode criar desde logo alguma falta de motivação no senegalês. Não vai ser um elemento fundamental para o Chelsea, mas o Special One, que sempre foi mestre na relação com os jogadores, até nesse aspecto já parece ter sido mais inteligente. 

José Mourinho confessou que não conhece Papy Djilobodji, o central senegalês de 26 anos, que reforçou o Chelsea proveniente do Nantes no fecho do mercado depois dos falhanços com Stones e Marquinhos, mas que confia plenamente em quem o recomendou. «Não foi escolha minha, foi escolha de alguém em quem confio absolutamente, o que é o mesmo. Não conheço todos os jogadores, o meu trabalho não me permite viajar nem passar horas e horas a ver jogadores», afirmou o técnico na conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Everton. O português justificou a aposta com base numa contratação bem sucedida do passado. «A mesma pessoa que me disse que Djilobodji pode ser um bom jogador para a nossa equipa foi a mesma que me disse que Zouma podia ser fantástico para nós. É um dos nossos quatro defesas centrais, será útil para nós», acrescentou.

Portugueses novamente em destaque; Líder voltou a dar espectáculo - O jovem promissor Alexis Gougeard venceu a 19.ª etapa da Vuelta. O francês da Ag2r-La Mondiale integrou a fuga do dia, que tinha 24 ciclistas, 3 deles portugueses (Nélson Oliveira, Tiago Machado e Ricardo Vilela), e na última subida atacou e chegou isolado a Ávila. Gougeard na subida ainda teve a companhia de Tiago Machado mas o português não aguentou o ritmo e só conseguiu ser 5.º, quem voltou a dar nas vistas foi Nélson Oliveira, que vindo de trás ultrapassou um quarteto que tinha Machado, Monfort, Amador e Moinard, já no último km e ficou em 2.º. Na luta pela geral, Dumoulin, que chegou a mais de 16 minutos do vencedor, atacou na chegada a Ávila e só foi acompanhado por Daniel Moreno. Com esta iniciativa o holandês ganhou 3 segundos a Aru e vai iniciar a penúltima etapa com 6 segundos de vantagem em relação ao italiano. Nota ainda para Valverde, que nos últimos 15km tentou várias vezes fugir ao grupo de favoritos, demonstrando que ainda pretende chegar ao pódio, mas sem sucesso (vamos ver se amanhã não acusa este desgaste).

Etiquetas: ,