Melhorar com menores expectativas

A época passada contou com uma versão que não seguiu as pisadas do mesmo Estoril de Marco Silva. Os canarinhos só conseguiram um 12.º lugar no campeonato e falharam o objetivo Europa, que vinha sendo alcançado nos anos anteriores. Agora, sem Couceiro que abandonou o barco a meio e com Fabiano Soares a comandar a equipa, espera-se que 2015-16 exceda, ainda que ligeiramente, a prestação da temporada passada. As saídas de nomes fortes que faziam a diferença no ataque (Tozé, Sebá, Kléber) parecem ter pesado, mas a estabilidade da equipa, especialmente no 11 inicial, a juntar à adição de Bruno César, que tem tudo para (e)levar a equipa para outro patamar, fazem prever um campeonato tranquilo para a equipa da Linha. Nesse sentido, o Visão de Mercado traça o cenário do Estoril para a nova época.

Estoril versão 2015-16:
Entradas: Georgemy Gonçalves (Cruzeiro), Diakhité (Olhanense), Billal (Beira-Mar), Gladestony (Osasco Audax), Leandro Chaparro (Beira-Mar), Bruno César (Al Ahli Jeddah), Matheuzinho (Osasco Audax)
Saídas: Vágner, Bruno Nascimento, Rúben Fernandes, Emídio Rafael, Wanderson, Filipe Gonçalves, Matías Cabrera, Tozé, Balboa, Sebá, Fernandinho, Leandro Borges, Kléber, Arthuro
Objectivo: Manutenção
11 base: Kieszek, Anderson Luís, Yohan Tavares, Diego Carlos, Mano, Afonso Taira, Diogo Amado, Bruno César, Babanco, Gerso, Léo Bonatini
Ponto forte: Defesa - Apesar de na época passada, a turma de Fabiano Soares ter sido uma das equipas que mais golos concedeu, a verdade é que a defesa é o setor com mais e melhores nomes prontos a render no imediato. Anderson Luís e Mano oferecem qualidade na direita (o ex-Belenenses até tem jogado na esquerda), o centro da defesa ganhou em Diego Carlos um novo reforço e na esquerda, tanto Kakuba, como até o polivalente Babanco (apesar de se prever que vá jogar mais à frente) oferecem uma qualidade ofensiva importante.
Ponto fraco: Menor fulgor do ataque - O trio ofensivo promete, mas quando se olha aos nomes dos antecessores, como Sebá ou Kléber, percebe-se que será difícil esperar melhor do que na época passada. Contudo, um sistema de jogo com mais velocidade pode beneficiar o jogo de Gerso, sendo certo que Bonatini na frente tem tudo para servir de referência ao excelente pé esquerdo de Babanco, quando estiver na hora de tirar o cruzamento.
Jogador chave: Bruno César - Quando esteve na Luz há 4 anos, marcou 13 golos e fez 7 assistências, registos que, apesar do chuta-chuta ter desiludido nos anos seguintes, podem fazer dele uma espécie de reforço "bomba" para os canarinhos. A jogar como membro mais ofensivo do meio campo, tem a seu favor o facto de ter uma excelente meia distância e uma capacidade para acelerar o jogo que até não vai ao encontro do seu físico (algo "gordinho").
Jogador a seguir: Léo Bonatini - Concorrente de Kléber o ano passado, parece ser uma espécie de Aboubakar-do-Estoril. Avançado móvel, com técnica, bastante jovem ainda (apenas 21 anos, apesar de ser uma promessa adiada do futebol brasileiro) e com uma excelente capacidade de decisão no último terço.
Previsão: 10.º lugar - Fazer melhor do que em 2014-15 é imperativo, mas é difícil pensar em voltar a chegar à Europa como era apanágio na Era Marco Silva. Ainda assim, pese embora as saídas de relevo, o plantel, aliado a uma estabilidade que não houve na época transata, apresenta garantias para realizar um campeonato tranquilo, sendo que uma posição nos primeiros lugares da segunda metade da tabela é uma previsão ajustada, tendo em conta a qualidade dos intervenientes.

Fábio Teixeira

Etiquetas: