«Jogaram 3 jovens da formação, este é o caminho»; Vencedor da Liga Europa continua sem vencer; Surpresa em França; Melhor treinador da Bundesliga só soma derrotas; Uran conquista Québec; Djokovic verga detentor do US Open

Sendo ou não intencional - isto da aposta da formação é igualmente um processo, e não pode ser apenas algo ocasional (veja-se o caso de Rúben Neves no FC Porto, que começou a época passada a titular, aos poucos foi saindo da equipa e este ano nem tem sido convocado) - a verdade é que RV tem dado sequência à promessa de Vieira, e começa a deixar a sua marca nesta vertente.

Rui Vitória era um treinador satisfeito no final da goleada (6-0) frente ao Belenenses mas relembrou que o Benfica passa por um período de transição e que é preciso haver calma para que as coisas corram bem. O técnico das águias destacou ainda a aposta nos jogadores da casa. «Este é um processo normal e contínuo de adaptações. É preciso tranquilidade e estabilidade. O Benfica está a começar uma mudança do que era a sua filosofia e hoje jogaram três jovens da formação e isso deixa-nos satisfeitos. Este é o caminho, é assim que vamos continuar», continuou.

Vencedor da Liga Europa ainda não venceu esta época  - Sevilha e Levante empataram a um golo na abertura da terceira jornada do campeonato espanhol. O conjunto de Emery, com Beto de inicio, marcou primeiro através de um bom remate de fora de N'zonzi aos 11 minutos. A primeira parte foi equilibrada (Coke podia ter ampliado a vantagem) mas o marcador só foi alterado no segundo tempo, quando o Levante (com Ghilas e Deyverson sempre activos na frente de ataque, mas com o brasileiro algo trapalhão) empatou por intermédio de Víctor Camarasa aos 57 minutos. Até final, destaque para um penalti a favor do Sevilha que não foi assinalado, quando Ciro Immobile cabeceou mas um adversário cortou a bola com a mão.

Primeiros pontos perdidos pelos Parisienses, numa partida em que Trapp comprometeu - Surpresa no inicio da 5.ª jornada na Ligue 1, com PSG e Bordeus a empataram a 2 golos. Sem Ibra, mas com Di Maria  a titular pela primeira vez,  Cavani abriu o marcador aos 27 minutos, aproveitando um grave erro do guardião Carrasso, que largou a bola no coração da área e a deixou nos pés do avançado. 4 minutos depois, Saivet empatou, graças a novo erro de um  guarda-redes, desta vez de Trapp (não conseguiu agarrar a bola nem desviá-la da baliza). Mas logo depois Cavani fez o 2-1 num golaço de livre directo. Na segunda parte, e já com Kurzawa em campo e os visitantes reduzidos a 10 por expulsão de Saivet, novo erro de Trapp resultou no empate: atraso de Marquinhos, o guarda-redes demora muito tempo a tomar uma decisão e Khazri rouba- lhe o esférico e marca, fixando o resultado final.

Que pesadelo para o Gladbach: 4 derrotas em 4 jogos, isto para uma equipa que está na Champions e que viu Lucien Favre ser eleito o melhor treinador da passada Bundesliga - Nova derrota para o Borussia Monchengladbach, desta feita em casa, frente ao Hamburgo, e por claros 3-0. Lasogga bisou na primeira parte, aos 11 e aos 44 minutos, tendo Muller selado o resultado final aos 52'.

Rui Costa, apenas 24.º, esteve sempre bem colocado, tentou marcar Kwiatkowski na parte final, mas no último km não teve forças para acompanhar os da frente - Surpreendente vitória de Rigoberto Uran no 6.º Grand Prix Cycliste de Québec, a penúltima clássica antes dos Mundiais. O colombiano (na teoria a Etixx ia trabalhar para Kwia, Boonen e principalmente Alaphilippe, que atacou muito mas teve algo precipitado nas suas investidas) quase sem querer surpreendeu os rivais e chegou isolado à meta, depois de ter chegado na frente no último km forçou o ritmo, a BMC, que travalhava para Gilbert e van Avermaet, apesar de estar apenas a uns metros, não fechou o espaço e ninguém o apanhou. Os sprinters Michael Matthews e Kristoff completaram o pódio. Slagter foi 4.º, Ulissi 5.º e Mollema 6.º.

O n.º 1 do Mundo consegue o pleno esta época com a presença em todas as finais dos torneios de Grand Slam - Que tareia! Djokovic eliminou Marin Cilic nas meias-finais do US Open por uns contundentes 6-0, 6-1 e 6-2. Frente ao vencedor de 2014 o n.º 1 Mundial com a sua incrível resposta ao serviço começou logo a mandar e nunca permitiu ao croata, que parecia algo limitado fisicamente, entrar no jogo e quando o fez, no inicio do 3.º set, depois de ter permitido o empate quando liderava por 2-0, deu logo uma resposta à campeão, com uns 4-0. 

Etiquetas: , , ,