FC Porto não aproveita embalo do Clássico; Dragões permitiram o empate duas vezes frente ao penúltimo; Maicon marcou "à Geraldão", Corona esteve em destaque na 2.ª parte, mas defesa vacilou e faltou capacidade para aproveitar o domínio; Lopetegui apostou em Osvaldo, mas perdeu Brahimi; Iuri e Fontes marcaram pelo Moreirense; Ex-Dragão brilhou

Moreirense 2-2 FC Porto (Iuri 50' e Fontes 88'; Maicon 18' e Corona 79')

E o FC Porto não embalou. Os azuis e brancos, que estavam motivados com a vitória no Clássico, voltaram a deslizar fora de casa (já tinham empatado na Madeira) e correm o risco de deixarem fugir o Sporting e verem o Benfica aproximar-se. Um empate surpreendente, pela diferença de qualidade entre as duas equipas (o Moreirense só tinha 1 ponto) e por o que foi o encontro. O conjunto de Lopetegui dominou a primeira parte quase por completo, no 2.º tempo criou várias oportunidades para ampliar o marcador e caiu já no fim, num dos poucos lances dos Cónegos na área de Casillas durante os 90 minutos. Maicon, qual Geraldão, marcou um golaço de livre. Corona esteve em grande na 2.ª parte, mas o conjunto de Lopetegui pecou na finalização e principalmente demonstrou alguma inércia em aproveitar a fase em que dominou o jogo. Mérito para o Moreirense, que depois de uma 1.ª parte muito pobre, teve forças para empatar o duelo em duas ocasiões e com o ex-Dragão Stefanovic em destaque, foi "estando sempre em jogo".

Quanto à partida, até começou com um falhanço de Marcano que, logo no primeiro minuto, dentro da área, falha um passe e permite a intercepção de Iuri, no entanto Casillas evitou o 1-0. Mas esse foi o único lance ofensivo do Moreirense nos primeiros 45 minutos. O FC Porto desde cedo assumiu o controlo do jogo, e numa fase em que o ainda não tinha criado oportunidades Maicon, num livre directo, inaugura o marcador. O Central bate por fora da barreira, com a bola a fazer uma curva perfeita e a bater no poste antes de entrar. Mas o 1.º tempo não teve grandes notas. Osvaldo, que sentou Aboubakar, apareceu no jogo aos 25', a obrigar Stefanovic a uma boa defesa depois de, com uma recepção, ter ficado enquadrado com a baliza. Mas o único destaque foi a lesão de Brahimi, que teve de ser substituído por Varela antes do intervalo. Nos primeiros 45 minutos os azuis e brancos tiveram 73% de posse de bola, mas poucas oportunidades claras. A 2.ª parte, no entanto, foi diferente e começa praticamente com o empate. Logo aos 5 minutos Iuri progride na zona central tabela com Cardozo e bem enquadrado com a baliza remata ao canto de Casillas. O FC Porto sentiu o golo, e ia tendo algumas dificuldades em criar oportunidades. Algo que mudou com a passagem de Corona para o meio, quando Lopetegui fez entrar Tello no lugar de Herrera e mais tarde Aboubakar por Marcano. Corona ias conseguindo ganhar algumas vezes a linha de fundo mas esses lances não criaram perigo. Osvaldo apareceu num cabeceamento, mas na fase em que o FC Porto cresceu Stefanovic deu uma boa resposta. Primeiro tira um golo que parecia certo a Corona, depois a Osvaldo, que já na pequena área, assistido por Varela, proporcionou mais uma boa defesa ao guardião do Moreirense. Os azuis e brancos insistiam e numa jogada de Maxi pela zona central a bola sobra para Corona, que remata para o 2-1. Pouco depois, Osvaldo isolado por Aboubakar aproveita uma má saída de Stefanovic para se antecipar mas quando a bola rumava para a baliza aparece Micael para tirar um golo que parecia certo. O Moreirense respondeu. Luis Carlos numa bela jogada individual obriga Casillas a uma grande defesa. E pouco depois chega o empate. Grande cruzamento de Sagna na direita e André Fontes de cabeça fuzila Casillas, que ficou na linha quando se pedia uma saída. Faltava já pouco para jogar e o resultado não se alterou.

Moreirense - A formação de Miguel Leal até pode terminar em último esta jornada, mas voltou a marcar dois golos a um grande (já tinha feito o mesmo na Luz) e desta vez conseguiu pontuar. A equipa revelou uma boa organização, mas notam-se claramente fragilidades no sector defensivo. Ainda assim, destaque para Stefanovic, que, apesar de não demonstrar grande segurança, teve algumas defesas importantes, André Micael que evitou um golo certo e outro quase certo a fechar e para o duo de meio-campo Palhinha-Battaglia que, mais físicos do que técnicos, realizaram um bom jogo. Na frente Iuri fez uma partida discreta, mas praticamente no único lance em que apareceu, marcou, Luis Carlos agitou quando entrou e André Fontes foi decisivo ao aproveitar um belo cruzamento de Sagna (uma das suas especialidades) para oferecer o 2.º ponto aos Cónegos na Liga.

FC Porto - Após uma vitória importante frente ao grande rival dos últimos anos, esperava-se outra exibição dos dragões em Moreira de Cónegos, até pelas dificuldades que o adversário tem tido esta época. Os azuis e brancos tiveram muita posse, 75%, mas poucas oportunidades claras, principalmente na 1.ª parte, e o jogo devia ter sido melhor controlado na parte final. Lopetegui fez alterações em vésperas da recepção ao Chelsea, entre as quais a troca de Aboubakar por Osvaldo, mas, apesar da exibição satisfatória do italo-argentino, o ex- Roma ficou longe de fazer esquecer o habitual titular. O meio campo, esteve igualmente distante da última partida, André André pouco apareceu, Herrera continua a ter uma presença nula. Pela positiva, Corona, que foi o maior desequilibrador do jogo e por pouco não ofereceu a vitória (ganhou outra dimensão no corredor central). Maxi voltou a dar uma boa dinâmica na direita, e Maicon (grande golo) parece estar de volta ao nível que apresentou antes da dupla Otamendi-Mangala. No entanto, fica a certeza, pelo contexto e incidências do jogo, perdeu 2 pontos em Moreira de Cónegos, algo que numa liga como a nossa pode ter custos no futuro.

Etiquetas: ,