Candidatos a surpresa

O Arouca é por estes dias um dos líderes do campeonato e um clube em estado de graça, exacerbado pela vitória sobre o campeão nacional. Outrora crónicos candidatos a conseguir a manutenção nas últimas jornadas, o discurso do clube arouquense mudou e as ambições agora são outras. A manutenção será naturalmente a prioridade, mas os adeptos e a direcção quererão mais e para isso chegou Lito Vidigal ao clube situado no distrito de Aveiro. Conhecido pelos seus excelentes trabalhos no Estrela da Amadora, Leiria e no Belenenses, misturados com alguns problemas com a direcção de ambos os clubes, a verdade é que a competência do luso-angolano parece inquestionável e o Arouca tem tudo para realizar uma campanha muito superior ao que foi feito em anos anteriores. Para isso, Carlos Pinho aprontou-se a segurar elementos essenciais como Roberto, David Simão, Nuno Coelho, Nildo e Artur e a oferecer ao seu técnico verdadeiros reforços. Nomes como Bracalli, Velázquez, Borja López, Jaílson, Ivo Rodrigues (emprestado pelo FC Porto) e Maurides, irmão de Maicon do FC Porto, parecem acrescentar claramente mais qualidade ao grupo e possibilitar ao Arouca andar, pelo menos, pelos lugares do meio da tabela classificativa. Ainda assim, a actual liderança não deixará de motivar ainda mais os jogadores e os adeptos, que não desdenharão a possibilidade de conseguir mais brilharetes semelhantes ao do passado Domingo.

Arouca versão 2015/16:
Entradas: Bracalli (Panetolikos), Jaílson (Paços de Ferreira), Borja López (Mónaco), José Velázquez (Mineros), Idrissa Coulibaly (Raja Casablanca), Lucas Lima (ABC), Adilson (Bragantino), Nuno Valente (SC Braga), Karl (Caxias), Ivo Rodrigues (FC Porto), Leandro (Internacional), Maurides (Internacional), Caio Rangel (Cagliari), Zequinha (Vit. Setúbal) e Gegé (Marítimo)
Saídas: Mauro Goicoechea, Iván Balliu, Miguel Oliveira, Diego Galo, Ustaritz, Tinoco, Fokobo, Bruno Amaro, Rui Sampaio, Iuri Medeiros, Colitto, Kayembe, Serginho, Diallo
Objectivo: Manutenção
11 base: Bracalli, Jaílson, Velázquez, Hugo Basto, Lucas Lima, Nuno Coelho, Nuno Valente, David Simão, Artur, Ivo Rodrigues, Roberto
Ponto Forte: Treinador – O Arouca reuniu um bom plantel, mas o segredo do sucesso passará muito por Lito Vidigal. O técnico arouquense de 46 anos realizou bons trabalhos no Estrela da Amadora, em Leiria e no Belenenses, pelo que os adeptos estão esperançados que o luso-angolano consiga elevar o Arouca para outro patamar. Experiente, capaz de potenciar jogadores e com inegáveis qualidades no capítulo técnico-táctico, Lito Vidigal tem tudo para voltar a fazer uma boa campanha neste seu novo clube na carreira.
Ponto Fraco: Lateral Esquerdo – O grupo está coeso, mas a debilidade da equipa parece estar na lateral-esquerda, onde o reforço Lucas Lima ainda não convenceu. Relativamente rápido e com alguma técnica, a verdade é que o anterior defesa esquerdo do ABC, do Brasil, revela ainda bastante imaturidade ao mais alto nível, evidenciando lacunas no posicionamento e na abordagem aos lances, bem como um enorme risco na saída de bola. Por outro lado, Nelsinho ou o possível adaptado Tomás Dabó também não parecem oferecer as garantias necessárias.
Jogador Chave: Nuno Coelho – Com as chegadas de Borja López, proveniente do Mónaco, e de Velázquez, e com a afirmação de Hugo Basto, o médio que já passou por FC Porto e Benfica pode finalmente ser utilizado na posição de origem, onde consegue explanar todas as suas qualidades. O seu grande sentido posicional, rigor táctico, leitura de jogo e liderança permitem ao jogador natural da Covilhã ser uma espécie de treinador em campo para Lito Vidigal, que certamente não abdicará dele para a sua equipa realizar uma boa temporada.
Jogador a Seguir: José Velázquez – Proveniente do modesto Mineros, da Venezuela, e com passagens pouco conseguidas pelo Villarreal B e Panathinaikos, o central de 24 anos aterrou em Arouca para relançar a carreira e deixar outra imagem no futebol europeu. Não muito alto, mas com um bom posicionamento e poder de marcação, o internacional venezuelano (por 12 ocasiões) tem formado uma boa dupla com Hugo Basto, relegando Borja López, central emprestado pelo Mónaco, para o banco dos suplentes. A julgar por este arranque de época, parece evidente que Lito Vidigal encontrou aqui o seu esteio defensivo, sendo um jogador que ainda vai bem a tempo de deixar a sua marca em Portugal.
Previsão: 11º lugar – Numa temporada em que Carlos Pinho decidiu inverter a tendência nos últimos anos, é bastante provável que o Arouca consiga a salvação bastante mais cedo do que nas temporadas anteriores. Lito Vidigal é um treinador com uma competência inegável e o plantel recebeu jogadores com qualidade, além dos melhores da época passada se terem mantido no clube arouquense. Sendo assim, apesar do objectivo não estar perfeitamente definido, o grupo parece acima dos rivais na luta pela manutenção e inferior aos que lutam declaradamente pela Europa, pelo que a formação do distrito de Aveiro deverá acabar num lugar no meio da tabela classificativa.

Visão do Leitor: Rodrigo Ferreira

Etiquetas: