As 15 melhores transferências a nível internacional

No mercado mais inflacionado de que há memória, os clubes não pouparam esforços na tentativa de garantir as melhores armas para atacar a temporada. O Visão de Mercado faz o balanço do defeso, indicando as 15 melhores transferências a nível internacional, considerando a valia dos jogadores, dinheiro envolvido, desempenho na última época e impacto que podem ter nas equipas.

Petr Cech - Foi a única contratação relevante do Arsenal, mas não podia ter sido mais acertada. O checo é um dos melhores guarda-redes do mundo, um daqueles que dá pontos, vitórias e campeonatos. Pela sua experiência, pela sobriedade que revela entre os postes e até pelo que simboliza, transferindo-se de um dos maiores rivais dos gunners, foi um grande golpe de mercado da equipa de Wenger. 
De Bruyne - O melhor jogador da última Bundesliga vai voltar à Premier League para provar que José Mourinho estava errado quando o "dispensou" do Chelsea. Teve um ano absolutamente incrível ao serviço do Wolfsburgo, onde se destacou pela capacidade ao nível das assistências, e fez o City pagar 75 milhões de euros para o contratar. Pode questionar-se o valor, mas nunca o talento do belga, que encaixa na perfeição no estilo da equipa de Pellegrini. Vai formar um ataque letal com Sterling, Silva e Agüero. 
Dzeko - Era a referência ofensiva que vinha faltando à Roma de há alguns anos a esta parte, e que vai permitir que a equipa de Rudi Garcia possa assumir uma candidatura mais sólida ao título da Serie A. O bósnio estava sem espaço no City mas é indiscutivelmente um matador, um jogador com provas dadas e que é garantia de golos. 
Kurzawa - Uma contratação perfeita para o PSG, que não só garante um dos melhores laterais-esquerdos do mundo como enfraquece um dos maiores rivais (se é que assim se pode chamar) na luta pelo título. O francês tem ainda uma enorme margem de progressão e será o sucessor natural de Maxwell nos parisienses. 
André Ayew - Tem tudo para ser uma das sensações desta temporada na Premier League. O Swansea aproveitou o final do contrato do ganês com o Marselha, onde estava algo desgastado, para convencê-lo a mudar-se para o País de Gales. O médio ofensivo tem formado uma dupla bombástica com Gomis, juntando ao talento e à capacidade finalizadora que tem uma entrega notável ao jogo.
Nicolás Otamendi - Depois de ter sido provavelmente o melhor central da liga espanhola na última temporada, era uma questão de tempo até o argentino chegar a um dos clubes de topo do futebol mundial. Dono de uma classe tremenda, o jogador que passou pelo Porto está no auge das suas capacidades e a dupla com Kompany promete ser intransponível. 
Pedro - De actor secundário em Barcelona, onde nunca ia passar de suplente do trio MSN, a figura de proa em Londres. Mourinho sempre foi um admirador das qualidades do espanhol e aproveitou a oportunidade para trazer maior dinâmica e verticalidade para os blues. O extremo sempre primou pela inteligência e será certamente um reforço de peso, até porque tem um gostinho especial para marcar em momentos decisivos.
Konoplyanka - Demorou mais do que o que se esperava, mas o talento do ucraniano já era demasiado grande para a liga nacional. O Sevilha antecipou-se à concorrência (mais uma vez a demonstrarem grande visão de mercado) e garantiu o espectacular médio ofensivo de 25 anos, que tem nas diagonais para o centro, partindo do lado esquerdo, a sua grande arma.
Douglas Costa - Ninguém podia perspectivar que o brasileiro fosse ter tanto impacto no Bayern como está a ter. No Shakhtar tinha mostrado muita qualidade, mas até vivia um pouco na sombra de Alex Teixeira, mas este início de época está a ser bombástico e o extremo é, neste momento, um dos jogadores em melhor forma na Europa, sendo decisivo com golos e assistências na equipa de Guardiola.
Depay - O holandês é apontado por muitos como um dos candidatos a chegar ao nível (ou próximo disso) de Ronaldo e Messi. Depois de um ano perfeito ao serviço do PSV, onde foi o melhor jogador e o melhor marcador do campeonato, deu o salto merecido para o Man United, herdando a mítica 7. O extremo/avançado já tem grandes responsabilidades na equipa de Van Gaal e tem tudo para ser a referência do clube nos próximos anos.
Sterling - A outra grande contratação do City resume-se da mesma forma que a de De Bruyne: pode questionar-se o valor, nunca a qualidade do jogador. O extremo foi pouco profissional ao forçar a saída de Liverpool, mas os citizens cometeram uma loucura para o contratar (estavam "desesperados" por ingleses) e ganharam uma figura para os próximos anos. A velocidade e imprevisibilidade do jogador nascido na Jamaica promete ser mais uma arma letal do ataque da equipa de Pellegrini.
Payet - Um dos melhores exemplos da qualidade com que as equipas da segunda metade da tabela da Premier League se reforçaram. O médio foi um dos vários jogadores que deixaram o Marselha para rumar a outras paragens, depois de o West Ham desembolsar 15 milhões de euros para o contatar. Aos 28 anos, o francês, com a sua qualidade no último passe e nas bolas paradas, vai ser uma das figuras do conjunto de Bilic.
Kondogbia - Não tem o protagonismo de Pogba, mas também é um médio fantástico (capacidade física impressionante, qualidade no transporte e no passe) e com potencial para ser um dos melhores a nível mundial. O Inter conseguiu contratá-lo ao Mónaco e é este o caminho para que o clube italiano possa renascer das cinzas.
Draxler - É um dos jogadores alemães mais promissores, mas precisa de ganhar alguma intensidade competitiva (como Götze, por exemplo) para se tornar um craque a nível mundial. Talvez o Wolfsburgo, bem orientado por Dieter Hecking, lhe dê outro tipo de estímulo que não tinha no Schalke, de onde saiu para os "Lobos" a troco de 36 milhões de euros. O objectivo é ser o substituto de De Bruyne, o que não é tarefa fácil, mas o médio ofensivo tem qualidade de sobra (técnica incrível e uma capacidade de decisão extraordinária) para o conseguir.
Darmian - Era difícil o United garantir um lateral-direito tão competente como o italiano. Não tem um nome muito consagrado e nem sequer tem um estilo muito exuberante, mas o ex-jogador do Torino é seguramente um dos melhores valores na posição a nível mundial. Forte a defender e capaz de se integrar com confiança no ataque, tem selo de qualidade garantida. 

Etiquetas: