28 de fevereiro de 2013

Já em 2013 o Sporting transferiu Insúa e Pereirinha
Prejuízo de 21.9 milhões de euros. A SAD do Sporting fechou o primeiro semestre da temporada 2012-13 com um resultado líquido negativo de 21,9 milhões de euros, mais 2,8 milhões do que o registado em igual período do ano anterior. No relatório e contas enviado pelo clube leonino à CMVM, também é possível constatar que os leões encerraram este período com um activo avaliado em 145,9 milhões e um passivo de 243,5 milhões, o que resulta num capital próprio negativo de 97,5 milhões de euros. No que diz respeito aos elementos que compõem o plantel principal (só no próximo R/C podemos saber mais pormenores em relação a Insúa e Miguel Lopes), se a percentagem que os leões detém de Wolfswinkel (35%), Labyad (35%), Rojo (25%) e Carrillo (30%), já era conhecida, as situações de Patrício (65%) e Viola (32%), são uma novidade. Considerando que no mês de Janeiro, Pereirinha saiu e Pranjic foi emprestado, Boulahrouz é neste momento o único jogador do plantel principal detido na totalidade pelos leões.

Em 2013 o FC Porto adquiriu o resto do passe de Moutinho e mais 35% de James
A SAD do FC Porto apresentou um lucro de 6,3 milhões de euros no primeiro semestre da época actual, algo que contrasta com o resultado líquido negativo (8,9 milhões) no período homólogo anterior. Este valor é fruto das transferências de jogadores (Hulk, Álvaro Pereira), mas também dos ganhos com provas da UEFA (11,4 milhões, o dobro do ano passado). 

No documento portista é possível constatar que para ter 95% dos direitos económicos de Diego Reyes, o FC Porto pagou 9,09 milhões de euros, divididos pelo valor de aquisição do passe (7 milhões) e pelo valor dos encargos adicionais (2,09 milhões), no entanto já alienaram 47,5% dos direitos económicos do mexicano à Gol Football Luxembourg por 3.500.000 Euros. Héctor Quiñones, por sua vez, custou 2,08 milhões de euros, enquanto que Caballero foi contratado por 1,5 milhões. Já no que diz respeito a 2013, além dos azuis e brancos terem adquirido o resto do passe de Moutinho e mais 35% de James (veja os pormenores aqui!), o FC Porto informou que alienou 50% dos direitos económicos do jogador Souza ao Grêmio por 3.750.000 Euros (ficou com 25% do passe) e cedeu 50% dos direitos económicos do jogador Miguel Lopes por 1.000.000 Euros ao Sporting, adquirindo, à mesma Sociedade, os direitos de inscrição desportiva assim como 50% dos direitos económicos do jogador Marat Izmaylov por 1.000.000 Euros.

O Benfica registou 20.9 milhões de euros de lucros no primeiro semestre da temporada, um valor que é o melhor de sempre para a SAD encarnada. As vendas de Witsel e Javi Garcia pesaram muito para este número, que apresenta um aumento de 151% face ao registado no período homólogo anterior (o valor recebido pelas vendas de jogadores ascendeu a 45.2 milhões de euros, num saldo positivo de 24.4 milhões de euros). O activo consolidado da SAD do Benfica ascende a 399.4 milhões de euros (reduziu 3%), enquanto o passivo consolidado é de 393.7 milhões de euros (foi reduzido em 32.4 milhões de euros). Os capitais próprios consolidados da Benfica SAD a 31 de Dezembro de 2012 apresentam um valor positivo de 5,7 milhões de euros. Em relação à % dos passes que a Benfica SAD tem em sua posse, destaque apenas para as alterações nos passes de Ola John (o Benfica detêm apenas 50%) e de Salvio (o Benfica tem agora 100%). Os encarnados tiveram uma quebra nas receitas de bilheteira (-34%) e de quotização (-16%), enquanto que diminuíram os custos com pessoal em cerca de 2 milhões de euros (o valor é de 23.6 milhões de euros). 

Acabou a época para Éder. O avançado do Braga, 3º melhor marcador do campeonato com 13 golos, sofreu uma rotura de ligamentos no joelho direito frente ao Benfica e enfrenta um período mínimo de paragem de cinco meses. VM - Baixa enorme para os minhotos. Éder tem sido juntamente com Custódio o melhor jogador do Braga esta época, aos golos (melhor marcador da equipa) tem juntado excelentes exibições e uma enorme regularidade (3º elemento mais utilizado). Pela valia que já tinha demonstrado na Académica não se pode dizer que é uma revelação ou confirmação, mas a verdade é que não era expectável que tivesse este impacto nos minhotos e apresentasse esta evolução (não pára de evoluir). Esperemos que a lesão não afecte a sua carreira, ainda por cima acontece numa fase em que estava a ganhar o seu espaço na selecção (podia dar um contributo importante nesta fase decisiva). A curto prazo será curioso perceber se Zé Luís finalmente dá continuidade ao potencial que a espaços já evidenciou, ou se Peseiro irá apostar em Rabiola. 

O futebol faz-se de golos. São eles a alegria do povo e pelo qual todos desesperam. Nessa matéria, os nomes de Cristiano Ronaldo e Messi são (invariavelmente) os mais comuns, uma vez que são eles os "monstros do golo". Batem recordes atrás de recordes e não há ninguém capaz de lhes fazer frente. No entanto, existem mais goleadores para além destes dois "extraterrestres".

Em Espanha, os já referidos Messi e Cristiano Ronaldo estão no topo da tabela dos melhores marcadores, assim como Falcao. No entanto, Ruben Castro, actualmente ao serviço do Bétis de Sevilha, já leva 12 golos apontados em La Liga. Por sua vez, Espanha é a origem do "jogador sensação" da Premier League 2012-13. Contratado ao Rayo Vallecano, Michu chegou ao Swansea por uma verba a rondar os 2,5M€, e até ao momento tem sido um dos destaques, não só da equipa, mas também de toda a competição. No total, o atacante espanhol já leva 15 golos no campeonato, estando na luta pelo troféu de melhor marcador, juntamente com van Persie e Suàrez.

Na Serie A, Cavani e El Shaarawy têm sido os marcadores de serviço, mas o "eterno" Antonio Di Natale continua a dar mostras de que a qualidade não tem idade. O capitão da Udinese leva já 14 tiros certeiros, prometendo mais golos até ao fim do ano desportivo. Em França, "Ibra" tem não tem dado hipóteses a ninguém. Ainda assim, o internacional gabonês Aubameyang e Darío Cvitanich seguem o sueco com 14 e 12 golos cada. Por seu turno, em solo germânico, Kiessling tem estado em boa forma (15 golos), mas a principal surpresa tem sido o ponta de lança do Mainz (8º na competição), Adám Szalai. O húngaro leva, até ao momento, 12 golos, sendo a principal fonte de rendimento do conjunto alemão. Não obstante, os goleadores estão activos por essa Europa fora, não se concentrando apenas nas principais ligas do Velho Continente. Por exemplo, na Holanda, o costa-marfinense Bony, actualmente ao serviço do Vitesse, tem sido um dos principais artilheiros deste ano desportivo. Até agora, leva 22 golos, sendo seguido de perto por Graziano Pellè (Feyenoord) com 18 e o islandês Finnbogason (Heerenveen) com 17. Na Escócia, a liderança na tabela de melhores marcadores é dividida por 2 jogadores: McKay (Inverness) e Griffiths (Hibernian) ambos com 18 tentos, enquanto Djebbour (Olympiacos) e Kerzhakov (Zenit), são os melhores marcadores do campeonato grego e russo, com 17 e 10 golos, respectivamente. Em países com menor visibilidade, destaque para Henrikh Mkhitaryan (Shakhtar Donetsk - 17 golos), Carlos Bacca (Clube Brugge - 19 golos), Raul Rusescu (Steatua - 17 golos), Kalu Uche (Kasimpasa – 13 golos) e Burak Yilmaz (Galatasary) que, a juntar aos 7 tentos que leva na Liga dos Campeões pelo Galatasary, junta-lhes mais 12 no principal escalão do futebol turco. Por cá, Jackson Martínez perfila-se como o principal candidato a vencer a luta pelo troféu de melhor marcador. O "Cha Cha Cha" já leva 22 golos na liga portuguesa, sendo seguido por Cardozo (14) e Éder, com 13.

São estes os goleadores de serviço por toda a Europa. Alguns surpreendem, outros nem tanto. Ainda assim, todos têm algo em comum: golos. Alguém conseguirá dar luta a Messi e a Cristiano Ronaldo na corrida pela bota de ouro? Qual o nome mais surpreendente nesta "lista"? Alguém apostaria em Michu, Di Natale ou Kiessling? E a que se deve as ausências de jogadores como Rooney, Agüero, Milito, etc? E em Portugal? Era expectável que Jackson liderasse desta maneira?

André Mesquita

Os Jogos da Premier League vão ser Transmitidos em exclusivo pela Benfica TV a partir da próxima época até 2016! No dia em que os encarnados completam 109 anos, o clube da Luz anunciou que adquiriu para as próximas três épocas desportivas (2013-2016) os direitos televisivos da Barclays Premier League. O acordo abrange um total de 380 jogos por época, divididos em 38 jornadas. Em complemento à transmissão dos jogos da Liga inglesa, a Benfica TV transmitirá mais três programas semanais, cuja produção é da responsabilidade da Premier League. VM - Enorme "golpe" na Olivedesportos/Sport TV, ainda para mais com o regresso iminente de Mourinho ao campeonato inglês. A Premier League com o Special One deve voltar a ser o principal foco de atenção (e se tiver a companhia de Ronaldo, esse interesse fica ainda mais reforçado). Mérito para o Benfica por esta excelente operação e igualmente uma boa notícia para os adeptos de futebol (principalmente se o canal das águias continuar a ser gratuito): os espectadores só têm a ganhar se o futebol não ficar concentrado num só canal. Só fazemos votos é que o nível dos comentadores aumente (na generalidade o serviço que o comentador/analista português nos presta é manifestamente mau).

O clássico é frente ao Sporting mas Vítor Pereira não se esqueceu do Benfica. O treinador do FC Porto na antevisão da partida frente aos leões, considerou que JJ desrespeitou o plantel leonino (o técnico encarnado afirmou no final da partida frente ao Paços que o o F.C. Porto vai ter menos dificuldades em vencer o clássico porque «o Sporting agora joga com meia equipa B») e aproveitou este tema para lançar uma bicada à equipa da Luz. "Acho engraçado que este assunto tenha vindo à baila, porque a grande exibição do Benfica em Camp Nou, elogiada por toda a gente, foi contra uma equipa que tinha apenas um jogador que alinhou terça-feira contra o Real Madrid: o Puyol", recordou. "Esse jogo, que até os atirou para fora da Liga dos Campeões, foi jogado contra uma equipa B", salientou VP. 

O treinador dos dragões recordou também o derby em Alvalade. «Fui ver o Sporting-Benfica, vi o jogo lá, e recordo-me perfeitamente que o Benfica conseguiu o resultado já na segunda parte, quando o Sporting acusava um desgaste tremendo, de quem não teve tempo de se apresentar em boas condições para este jogo [os leões tinham jogado a uma sexta-feita para a LE]. Enquanto o Sporting foi Sporting, vi mais Sporting do que Benfica». Vítor Pereira sobre o Sporting-FC Porto salientou que. «Parece-me neste momento que a equipa [o Sporting] está mais solidária, com ideias mais definidas, mais compacta, e tem mais qualidade individual», do que quando jogou com o Benfica. Jesus desrespeitou o Sporting? Como se explica que o empate do Benfica em Camp Nou tenha sido tão valorizado quando até teve como consequência a saída precoce da LC? O clube leonino agora está mais forte, igual ou pior?


No que diz respeito ao prémio de MIP (Most Improved Player), existem muitos candidatos naturais: Faried (já aqui falado), Jrue Holiday (tem levado os Sixers às costas), James Harden (subiu de sexto jogador a franchise player), Brook Lopez (jogador mais regular dos Nets, após época em branco), ou Paul George (figura central dos excelentes Pacers, depois de Granger se lesionar). Mas nenhum jogador (até porque já era natural a evolução dos elementos citados) este ano terá surpreendido tanto os adeptos e os analistas como fez o jovem extremo/poste dos Milwaukee Bucks, Larry Sanders. Seleccionado em 2010, Sanders fez uma época de rookie aceitável (para uma 15ª escolha), mas viu os seus números diminuírem no ano seguinte. À entrada para esta temporada, era visto como um jogador de segunda ou terceira linha: os Bucks tinham Ilyasova a PF, o reforço Dalembert, um bom defensor com muita experiência, Drew Gooden (jogador com repertório ofensivo e provas dadas na Liga), Ekpe Udoh (seleccionado 9 lugares acima de Sanders no draft), e ainda o rookie John Henson. Porém, a sua tenacidade defensiva permitiu-lhe cair nas boas graças do treinador Scott Skiles, que lhe foi dando minutos em detrimento dos pesos-pesados Gooden e Dalembert, culminando com a obtenção de um lugar no cinco inicial. Sanders tem dado bom uso a essa confiança, melhorando em todos os indicadores estatísticas; pontos, ressaltos (13º melhor da Liga em ressaltos ofensivos, com 2.9, e 7º em total de ressaltos por 48 mins) e percentagens de lançamento. Mas o que salta à vista são mesmo os seus 154 desarmes de lançamento. Sanders é o único jogador com mais de 3 blocos por jogo, chegando mesmo a fazer 10 numa só partida (nesse jogo igualou um recorde de franchise de Kareem-Abdul Jabaar, a que juntou 10 pontos e 12 ressaltos). O seu incrível atleticismo, a que se juntam uns braços enormes (a lembrar o "aranha" John Salley) ajudaram a construir uma imagem de âncora defensiva (não só desarma, como incomoda os lançadores e obriga tiros com menor eficácia), e têm feito a sua cotação aumentar. Os "highlights" que os seus desarmes proporcionam ameaçam torná-lo numa das figuras mediáticas da nova NBA, e caso os seus números tenham continuidade, pode tornar-se um caso sério, em termos de atenção mediática, mas principalmente de relevância desportiva. Existe um enorme mercado para postes que saibam proteger o cesto, preferencialmente ágeis (o jogo está mais rápido), e mesmo numa liga de bases, com menos ameaças ofensivas interiores, um poste com qualidade defensiva é uma mais-valia apreciada. De qualquer modo, não existem dúvidas de que a titularidade dos Bucks será sua no futuro próximo, e de que em 2015 será um free agent a ser seguido com atenção pelas melhores equipas. A que carreira poderá aspirar Larry Sanders? Será um jogador indispensável a uma equipa que queira títulos (bom defensor, ainda marca alguns pontos, sem precisar de muita bola... seria um upgrade brutal para Oklahoma, Miami, por exemplo)? Caso este ano seja apenas uma amostra do que está para vir, podemos vir a ter um jogador na linha de Mark Eaton ou Dikembe Mutombo?

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar no VM aqui!): Nuno Ranito

27 de fevereiro de 2013

Maradona - De acordo com a imprensa italiana, o argentino tem agendada uma reunião com um dos candidatos às eleições do Sporting. Será El Pibe um trunfo importante nesta campanha leonina? Que candidato pretende contar com o ex-treinador  do Al-Wasl, dos Emirados Árabes Unidos? VM - Na nossa opinião, como já frisamos várias vezes, é o melhor jogador de todos os tempos, no entanto não acreditamos que seja uma garantia de votos. O português desvaloriza as suas aptidões como técnico (não fez um trabalho assim tão mau na Argentina), até ironiza sobre o seu passado e como tal, não é propriamente uma figura "atraente". Mas, e apesar de Maradona já ter referido que não quer voltar a treinar, não se pode ignorar o seu impacto mediático. E o Sporting precisa urgentemente de valorizar a sua imagem em termos internacionais e atrair atenções (a presença de El Pibe em Alvalade era sinónimo disso tudo).

"Bate-Boca" Bruno de Carvalho vs José Couceiro: VM - É estranho continuar a ser Bruno de Carvalho a alimentar este tipo de "bate-bocas", já o tinha feito no dia da sua apresentação, voltou a fazê-lo hoje, e nada o justifica, já que tem as eleições praticamente ganhas. Assim só demonstra receio e continua a privilegiar um debate com zero de ideias (o Sporting só tem a perder com isso). Por outro lado, já é demasiado evidente que as redes sociais (que claramente apoiam em 90% um candidato e até oprimem outras opiniões de uma maneira pouco vista) vão fazer de tudo para difamar X e Y, se os próprios candidatos alimentam essa tendência, parece evidente que o clube leonino pouco vai ficar a ganhar com este período eleitoral. Nesta fase era importante apresentar ideias e principalmente soluções, e nada disso foi feito.

Bruno de Carvalho - Emitiu, esta quarta-feira, um comunicado, onde pede para que seja esclarecida a composição das listas adversárias. "E, mais uma vez, verifico, com muita tristeza e indignação, que a minha frontalidade e a minha transparência não foram acompanhadas por outras candidaturas, que, com jogos e acordos de bastidores, apresentaram listas curtas e incompletas, com a intenção de poderem ardilosamente colocar à socapa no clube e na SAD, depois das eleições, pessoas não escrutinadas nem eleitas pelos sócios do Sporting."

Resposta de José Couceiro - "Outros candidatos conseguem reunir à sua volta políticos que estão em fim de mandatos autárquicos e que vêem nestas eleições a possibilidade de continuarem a ter palco mediático. O Sporting não precisa disto. O Sporting não precisa nem merece ser politizado. Para mais, quando nem todos são sócios do Sporting". Num comunicado, JC foi mais longe e acrescentou: "Compreendemos a crítica fácil do candidato da Lista B a este nosso anúncio. Aliás, não é a primeira vez que recorre a este expediente. Quem não tem pessoas deste calibre para apresentar, opta por criticar e relativizar as escolhas dos adversários". O candidato da Lista C, referiu ainda "que os últimos anos mostraram que o Conselho Leonino tem vindo a ser desvirtuado na sua essência. No último acto eleitoral no Sporting Clube de Portugal, em 2011, apresentaram-se nove listas a este orgão, sendo quatro independentes. Em 2013 serão apenas duas (a de BdC e Severino), nenhuma das quais independente. Revelador..."

Braga-Benfica - O autocarro das águias foi apedrejado numa ponte da via rápida de acesso à autoestrada, à saída de Braga, depois do jogo referente às meias-finais da Taça da Liga, que terminou com vitória arsenalista nos penáltis. Os brasileiros Luisão e Kardec mostraram, nas redes sociais (pode ver na página do Facebook do VM), o estado em que um alegado grupo de adeptos do Sp. Braga deixou o autocarro do Benfica. 

Chelsea - Venceu o Middlesbrough, por 2-0, e marcou encontro com o Manchester United nos quartos-de-final da Taça de Inglaterra. No final da partida Rafa Benitez confirmou que vai abandonar os Blues no final da época. Quem será o próximo treinador de Abramovich?

Resultados - Com um bis de Ibrahimovic, o PSG voltou a bater o Marselha (2-0), desta feita para a Taça de França e apurou os parisienses para os quartos-de-final da competição (Beckhm foi pela 1ª vez titular pelo clube de Paris); At. Madrid empata 2-2) com o Sevilha e junta-se ao Real na final da Taça do Rei; Bayern derrota Dortmund com um golo de Robben e está nas meias-finais da Taça da Alemanha.

Sp. Braga 0-0 Benfica (3-2 nas g.p.)

O Braga chegou pela 1ª vez à final da Taça da Liga depois de ter eliminado o Benfica, tetra vencedor do troféu, nas grandes penalidades. Os gverreiros foram superiores (principalmente na 1ª parte), desde o 1º minuto (até pelo 11 inicial) demonstraram que este encontro tinha uma importância extra e apesar de ter sido apenas nas g.p. (Quim foi o herói dos minhotos) justificaram o triunfo. Já as águias, com um misto de titulares e menos utilizados (Jesus deixou Matic, Salvio e Lima em Lisboa e apostou em elementos como Roderick e Urreta), raramente conseguiram impor o seu futebol, e apesar de Rodrigo ter desperdiçado as duas melhores oportunidades do encontro, nunca fizeram por alcançar outro resultado (algumas transições, mas zero domínio e não fosse a excelente exibição de Artur o encontro até podia ter ficado resolvido durante os 90m). Peseiro e Salvador tem assim a oportunidade de finalmente marcar o seu nome na história do futebol português com a conquista de um título (ambos há muito o desejam), já JJ perde pela 1ª vez para esta competição desde que é técnico dos encarnados e sofre igualmente o 1º desaire interno esta época (e por culpa própria, com o 11 inicial que apresentou, as substituições que fez e a decisão em relação aos marcadores das grandes penalidades, dificilmente podia ter ocorrido outro resultado).

No que diz respeito à partida, o Benfica entrou melhor, logo a abrir numa transição rápida Rodrigo atirou à barra, mas depois só deu Braga. Os minhotos passaram a dominar a partida, foram mais intensos, estiveram por cima dos encarnados, foram acumulando boas situações ofensivas (Mossoró por duas vezes e Custódio principalmente), e ao intervalo o nulo era injusto para os gverreiros. O início do 2º tempo foi uma fotocópia do da 1ª parte, com Rodrigo de cabeça a desperdiçar uma excelente oportunidade. O conjunto de Peseiro respondeu, mas nunca conseguiu superar Artur (a grande figura do encontro). Com o passar dos minutos, e apesar do maior brilho que Aimar deu ao futebol encarnado, o jogo foi perdendo qualidade (muitos passes errados). Já nas grandes penalidades, depois de Artur defender um remate de Alan quem brilhou foi Quim, com defesas aos penaltis de Luisão e Gaitán (Roderick nem acertou na baliza), colocando assim o Braga na final. Em suma, uma vitória justa da equipa que teve mais posse, mais remates (mais do triplo) e mais vontade.

Destaques

Jorge Jesus - Não se pode condenar a ideia de impor alguma rotatividade (esta sempre foi a prova menos importante), e até se aceita. Já não se compreende é a enorme passividade demonstrada pelos encarnados, a equipa foi pouco intensa, esteve sempre na expectativa e a presença de 3/4 elementos menos utilizados não pode ser desculpa. Por outro lado a aposta em Roderick (mau demais), as substituições que efectuou (Martins e Urreta deviam ter saído mais cedo, e desde o banco nunca houve uma demonstração de ambição...podia ter dado mais minutos a Ola John e até ter colocado Maxi, subindo André Almeida para o meio campo), e a decisão que teve em relação aos marcadores das grandes penalidades (foi estranho ver Luisão e Roderick em vez de Aimar por exemplo), foram erros evidentes e que resultaram (embora não tenha sido durante os 90m) no 1º desaire interno esta época.

José Peseiro - Criticado pelos próprios adeptos, sempre maltratado pelos seus sucessivos deslizes (até pelo próprio VM), a verdade é que, quando pouco o fazia prever (e apesar de não apagar as derrotas na Taça e LC), ainda pode fazer esta época um brilharete, conseguindo o 3º lugar e principalmente dando a Salvador o troféu interno que há muito deseja. Hoje, os minhotos foram superiores, anularam como poucas equipas tem feito o Benfica e justificaram em pleno a vitória, mérito de JC e da maneira como encarou o encontro (Mossoró na esquerda foi uma opção inteligente).

Artur/Quim - Foram as grandes figuras do encontro. O minhoto travou Rodrigo na melhor oportunidade oportunidade do Benfica e depois foi o herói do Braga nas grandes penalidades; já o brasileiro com várias defesas de bom nível foi adiando o golo dos gverreiros.

Melgarejo - O paraguaio parece querer contrariar a lógica. No princípio da época, menos adaptado a esta nova função, fez super-exibições e sempre a demonstrar uma enorme competência (não só ofensivamente mas, principalmente em termos defensivos). Agora, talvez fruto de algum excesso de confiança, tem somado erros e falhas de concentração. Hoje foram vários os lapsos, tanto de posicionamento como de abordagem.

Amorim/Mossoró - Boas exibições. O português emprestou sempre um grande critério às acções dos minhotos, já o brasileiro foi sempre o elemento mais perigoso do Braga enquanto esteve em campo.

Roderick/Urreta - Duas nulidades. O médio defensivo (já não é a 1ª vez este ano que JJ faz esta adaptação) esteve completamente perdido em campo. Falhou em termos tácticos, nada acrescentou na 1ª fase de construção e foi sempre facilmente ultrapassado (Jesus já fez alguns milagres, mas este português é um caso perdido); por sua vez, e ao contrário do que aconteceu nos últimos jogos, o uruguaio nada acrescentou no corredor direito.

Hugo Viana - Uma das melhores partidas nos últimos tempos. Sempre a dar uma linha de passe, deu-se ao jogo, teve alguns apontamentos técnicos interessantes e ajudou o Braga a dominar o meio campo.

Carlos Martins/Rodrigo - Estranhamos no princípio da época as razões que levaram o Benfica a renovar o contrato do médio até 2016. É que nada o justifica. Constantemente lesionado, não consegue dar um rendimento aceitável durante os 90m, e hoje (como tem acontecido ultimamente) com muitos passes errados (enganou bem os responsáveis encarnados com a pré-época que fez); por sua vez, o espanhol justificou porque tem jogado pouco. Continua a ser na nossa opinião o jogador do Benfica com mais valor de mercado (diferente de ser o melhor), mas está num mau momento. É menos intenso, e em termos de movimentações mais fraco que Lima, e hoje foi extremamente perdulário na finalização. Veremos como esta má fase o vai afectar (ele que depois daquele jogo contra o Zenit nunca mais foi o mesmo), é que o seu excesso de individualismo agora com esta necessidade de se mostrar para voltar a ganhar um lugar, tem tendência a prejudicá-lo.

Numa equipa habitualmente "envelhecida", com uma política de contratações onde sempre foram privilegiados jogadores com elevada maturidade, os tempos recentes transmitem uma nova mensagem. De chegadas ao clube de jogadores maioritariamente já na casa dos trinta anos, com rodagem, assistimos agora a uma aposta em jogadores jovens de elevado potencial.

Numa referência à frente de ataque rossonera, esta é talvez uma das mais entusiasmantes da Europa actualmente. Não esquecendo que existem Robinho, Pazzini e Bojan, os restantes elementos têm uma média de idades de apenas 20 anos. Balotelli tem 22, El Shaarawy 20, e M'Baye Niang apenas 18. Muita juventude, também muita "loucura", mas acima de tudo um enorme, enorme talento. Três atacantes que muito têm em comum. Com ascendência africana, mas internacionais por Itália (Balotelli e Shaarawy) e França (Niang, pelos sub-21 gauleses), são também conhecidos pelas suas vivências fora das quatro linhas, se bem que neste aspecto...ninguém bate Super Mário. O craque italiano, contratado ao Man. City no último mercado de Inverno, é o que se pode denominar de uma "estrela", conseguindo com isso devolver ao AC Milan o mediatismo que provocavam Kaká, Pirlo ou Ibrahimovic, nos tempos que envergavam a camisola do clube. Resta saber se o será pelo seu desempenho dentro...ou fora das quatro linhas. Já El Shaarawy, "O Faraó" é o segundo melhor marcador da Serie A até à data, tendo sido ele o autor do golo da equipa no último empate no derby de Milão, algo muito apreciado pelos adeptos. E se os dois prometem uma dupla diabólica na recta final da Serie A, convém também ter em conta M'Baye Niang, segundo marcador mais novo da história do clube, e dono de um elevado potencial.

Uma abordagem ao mercado que também é verificada nas outras áreas do terreno. Boateng ainda é relativamente novo, nasceu em 1987, e na defesa Constant e De Sciglio têm ainda muitos anos pela frente. Em suma, uma equipa com jovens de muita qualidade (tem ataque para mais do que uma década), completamente o oposto daquela que era a imagem do Milan nas últimas décadas, onde sempre privilegiaram uma maior experiência. Até onde pode chegar este trio? Tendo em conta que Niang e  Shaarawy podem jogar descaídos numa das alas, podem os três ser o ataque mais temido do mundo daqui a uns anos, ou os problemas fora das quatro linhas irão prevalecer? A diferente abordagem ao mercado por parte do AC Milan é reflexo da crise económica existente? 

A. Carvalho

A Benfica SAD vai realizar uma Assembleia Geral Extraordinária, a 19 de março, para os sócios votarem "a emissão de obrigações ou outros valores mobiliários até ao montante máximo global de 80 milhões de euros" com o objetivo de "reestruturar a dívida". Boa medida? VM - É algo cada vez mais normal, até a EDP, Jerónimo Martins, Mota-Engil o fazem. Resta saber os motivos desta medida. Por norma as empresas recorrem a este tipo de operação quando não conseguem obter financiamento junto da banca.

Com a vitória sem espinhas no jogo da 2ª mão da meia-final da Taça do Rei frente ao Barcelona, e que pecou unicamente pela escassez dos números perante a lição tática de José Mourinho, importa retirar alguns dados importantes: Varane não é deste planeta, não só porque voa sobre os centrais como se tivesse propulsores a jato e molha a sopa nos grandes jogos como se fosse trivial, mas principalmente pelo calculismo com que aborda cada lance, qual agente da ex KGB no período da guerra fria. Olhando para a sua cédula de nascimento é imperioso questionar: que trilhos irá este fenómeno ainda percorrer? Uma coisa é certa, o Real não precisa de se preocupar com a posição ocupada pelo ET durante os próximos 15 anos.

Não obstante o referido, na estratosfera habita um outro elemento mais antigo de seu nome CR7, Cristiano Ronaldo para os mais puristas ou simplesmente o melhor jogador português de sempre. Com a previsível conquista do troféu mais importante para a FIFA, falo naturalmente da Taça do Rei (veja-se caso Messi em 2012), a juntar aos números que fazem de Raúl parecer um jogador banal (falo em termos estatísticos), o jogador português pode mandar fazer a estante onde irá colocar o segundo troféu do género: A prestigiada Bola de Ouro. O que mais Ronaldo precisaria de fazer? Golos atrás de golos, bater de maneira sucessiva Messi, carregar aquela que foi considerada a melhor equipa do século XX "às costas", aparecer sempre nos momentos decisivos, inclusivamente fazendo de Camp Nou um terreno simpático e ótimo para quebrar raras séries negativas sem marcar, e com recordes e mais recordes a serem pulverizados como que dá aquela palha, só lhe fica a faltar a cereja no topo do bolo: a conquista da competição mais valorizada do mundo na opinião do organismo internacional que gere o futebol. A concretizar-se, resta-nos aguardar tranquilamente pela recolha dos louros.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar no VM aqui!): Sérgio Tomás

Domingos Paciência está bastante admirado pela intensidade de jogo demonstrada por Marat Izmailov desde que chegou ao FC Porto. O antigo treinador dos leões, que orientou o russo em Alvalade, põe mesmo em causa o profissionalismo do médio de 30 anos, que esteve indisponível durante muito tempo, devido a alegados problemas físicos.

"A questão do Izmailov é uma questão de honestidade ou se calhar eu não soube tirar tudo dele. Olhando à intensidade com que joga actualmente  alguém estava mal: ou o departamento médico ou o departamento técnico ou então o profissionalismo dele", atirou o técnico no programa 'Grande Área' da RTP, respondendo a uma pergunta de um telespectador. Izmailov não foi um profissional digno em Alvalade (curiosamente depois da saída de DP, com Sá Pinto até teve uma utilização bastante aceitável)? Ou o problema foi o departamento técnico, ou mesmo médico? Quem estava mal? Como se explica a intensidade que tem demonstrado no Dragão (foi titular nos últimos 5 jogos do FC Porto)?

26 de fevereiro de 2013

Barcelona 1-3 Real Madrid (Jordi Alba 89´; C. Ronaldo 13´g.p. e 57´ e Varane 68´)

Di Maria senta Puyol e CR7 faz o 2-0
O Real Madrid de Cristiano Ronaldo e José Mourinho foi à Catalunha derrotar o seu grande rival FC Barcelona, assegurando presença em mais uma final da Copa do Rei. Os merengues foram superiores (a posse de bola não é tudo no futebol) e, pela 1ª vez na "era Mou", dominaram o Barcelona do princípio ao fim. O treinador português somou a sua vitória mais expressiva frente aos catalães (ao serviço do Real), manchada apenas pelo golo tardio de Alba, enquanto o Real marcou 3 golos em Camp Nou pela 1ª vez desde 2006-07 (1961-62 a contar apenas com jogos da Copa do Rei). Quanto a Cristiano Ronaldo... marcou pela 6ª vez consecutiva em Camp Nou (2 bis consecutivo), tornou-se no 2º jogador da história do Real com mais golos marcados no terreno do Barcelona (8, contra 11 de Gento), o 4º jogador com mais golos marcados aos catalães (12, contra 18 de Di Stefano) e soma 39 golos em 2012-13 (6 na Copa do Rei). Sergio Ramos e Varane (especialmente o francês) também se apresentaram em bom nível, Ozil, Di Maria e Coentrão deixaram bons apontamentos, enquanto do lado catalão, Lionel Messi voltou a "desaparecer" em campo, tal como a dupla Xavi-Fàbregas. 

Quanto à partida, o Barcelona até entrou melhor e criou duas situações de relativo perigo antes dos 5 minutos. Contudo, o Real acertou as marcações, conseguiu pressionar forte e sair em transições rápidas para o ataque. Numa delas, Cristiano Ronaldo foi rasteirado por Piqué na grande área, o que motivou o árbitro a assinalar grande penalidade. O português não tremeu e colocou os merengues na frente do marcador. Ronaldo continuou bastante activo durante o 1º tempo, com vários remates para tentar surpreender Pinto, mas sem sucesso. Fàbregas ainda visou a baliza de Diego Lopez, antes de Messi ter excelente oportunidade para empatar. O argentino dispôs de um livre em posição frontal, mas a bola passou rente ao poste do Real. A 2ª parte começou com um excelente passe de Xabi Alonso para Coentrão, com o português a rematar à figura de Pinto. Do outro lado, os catalães estavam a pressionar cada vez mais, mas foi de pouca dura. Cristiano Ronaldo fez o 0-2 aos 57 minutos e "matou" a eliminatória (destaque para a arrancada de Di Maria e para o drible sobre Puyol). Varane ainda deu contornos de humilhação à partida, num cabeceamento bem colocado após pontapé de canto, Ronaldo não desistiu de chegar ao hat-trick (bem tentou) e Jordi Alba reduziu para os catalães (grande assistência de Iniesta).

Destaques:

Barcelona - Continua a ser a equipa mais temível do Mundo, mas andar a brincar ao futebol dá nisto. Encarar esta fase decisiva da época sem treinador só podia dar mau resultado. É certo que os catalães têm uma espécie de piloto automático que quase nem precisam de um líder...às vezes dá a ideia que qualquer um podia ser o técnico, até os adeptos como se verificou hoje (pediram para Villa entrar, e ele entrou). Mas em momentos complicados é necessária a presença de alguém que consiga motivar, incutir novas ideias e dar continuidade ao espírito competitivo (Guardiola o ano passado saiu porque deixou de conseguir isso). E a verdade, é que parece faltar algo a este Barça. A equipa denota algum cansaço mental, o futebol de posse tem cada vez menos objectividade, a pressão (que sempre foi a principal arma dos catalães) tem menos intensidade e o conjunto vai com mais facilidade abaixo quando aparecem as contrariedades. E depois com elementos como Xavi e Cesc sem nada acrescentarem (voltaram a ser uma nulidade), ainda mais complicado se torna.

José Mourinho - Perfeito. O Real foi uma equipa com uma intensidade brutal, psicologicamente esteve sempre por cima do encontro, e em termos de abordagem ao jogo roçou a perfeição (pela 1ª vez na era Mou foi claramente superior aos catalães). O conjunto merengue parece ter feito de Camp Nou um terreno simpático, é notório que os jogadores não acusam a pressão e os resultados estão à vista: 2 jogos decisivos (hoje e o do "título" na época passada), duas vitórias. Madrid vai sentir saudades do Special One na próxima época, pois conseguir anular (e bater de uma maneira algo regular) a melhor equipa de todos os tempos é histórico.

Cristiano Ronaldo - A grande figura do encontro. Começa a ser complicado encontrar adjectivos para o melhor jogador português de todos os tempos. Os recordes que tem alcançado (em menos de 4 anos já bateu históricos do Real como Raúl e Di Stefano) e logo contra a melhor equipa da história do futebol, a maneira como continua a "carregar a equipa às costas" e a qualidade que exibe deviam merecer um outro reconhecimento por parte da FIFA (e até de alguns portugueses...é impressionante a quantidade de pessoas que odeiam CR7). Hoje criou o 1º golo (fez o que quis de Pique e ganhou o penalti) e, com toda a calma, ainda fez o 2-0, além disso foi sempre uma dor de cabeça para a defensiva catalã (rematou, desgastou, correu...no último minuto ainda estava a fazer sprints como se fosse o 1º minuto da partida). Como disseram os espanhóis no final da partida: "Foi Rei na casa de Messi".

Messi - Dois remates, ambos perigosos (um logo na 1ª jogada do encontro e outro de livre), e pouco mais. O argentino, à semelhança do que tinha acontecido com o Milan, voltou a ser pouco influente, raramente apareceu e esteve completamente ao lado do jogo. Muito pouco para quem tem o estatuto de melhor do Mundo (e já não se pode falar de algo ocasional quando aconteceu pela 2ª vez no espaço de uma semana).

Iniesta/Pedro/Alba e pouco mais... - Os centrais denotaram muitas dificuldades, Xavi e Cesc foram uma nulidade, Dani Alves e Messi pouco acrescentaram, e no meio de um jogo tão pobre do Barça safaram-se Iniesta (excelente assistência e dos poucos a dar alguma qualidade ao jogo catalão), Pedro (o mais interventivo na 1ª parte) e Alba (pelo golo, e por ser o único a dar alguma intensidade ao jogo catalão).

Sérgio Ramos/Varane - Excelente exibição da dupla merengue. Estiveram impecáveis defensivamente. O francês voltou a demonstrar que é um fenómeno, e além da segurança defensiva (é incrível como apesar de só ter 19 anos neste momento parece já ser o melhor central merengue à frente de 2 dos 5 melhores do Mundo como são Ramos e Pepe), voltou a marcar (marcou nas duas mãos) e a apresentar uma maturidade notável.

Xabi Alonso/Coentrão - Finalmente calaram os críticos (VM incluído) e rubricaram uma boa exibição. O português foi extremamente competente nas suas acções, já o espanhol (que apesar de ser um dos melhores do Mundo costuma vacilar nestes "El Clasico") foi importante no equilíbrio da equipa.

Diego López/Khedira - Fazia falta ao Real um guardião seguro nestes clássicos (Casillas nunca o foi). Apesar de pouco exuberante, o ex-Sevilla deu uma segurança incrível à baliza merengue (hoje voltou a rubricar uma excelente exibição, dizendo presente sempre que foi chamado a intervir); o alemão por sua vez, foi novamente um poço de energia no meio campo. Equilibrou a equipa, recuperou bolas, deu linhas de passe, e esteve praticamente em todo o lado (estranhamente continua a ser um dos jogadores menos valorizados no futebol mundial).

Di Maria/Ozil - Boas exibições. O argentino teve alguns lapsos na fase inicial do encontro, mas aos poucos começou a soltar o seu futebol. Esticando o jogo merengue, imprimindo velocidade nas transições e ainda teve uma acção decisiva no 2-0 (poucos foram os jogadores na última década que vergaram assim Puyol); já o alemão fez um trabalho "invisível" notável (impediu quase sempre Busquets de iniciar a 1ª fase de construção), e deu-se sempre ao jogo (é o elemento merengue com mais capacidade em fazer posse e a espaços teve pormenores técnicos acima da média. Mantemos a ideia de que Ozil e Iniesta são os 2 jogadores com mais azar na história. Tivessem aparecido numa geração sem Messi e Ronaldo, e onde o peso dos golos era menor, e estariam a lutar pelo rótulo de melhor do Mundo).

Incidentes no Guimarães B-Braga B resultam em dois jogos de castigo para os anfitriões: um para a equipa principal e um para a equipa B. Desta forma, no próximo domingo, os vimaranenses vão receber a Académica sem qualquer público nas bancadas do Estádio D. Afonso Henriques, tal como acontecerá no próximo encontro em casa da equipa B, frente ao Benfica B, referente à 31.ª jornada da 2.ª Liga. Além desta decisão, o Vitória vai ter de pagar uma multa de 10.200 euros e caso o jogo não tenha sido considerado interrompido pelo árbitro, mas sim dado como findo, incorre noutras penas, estipuladas nos artigos 94.º e 174.º do RD da LPFP. Em causa, nestes pontos do regulamento, está a eventual aplicação de derrota ao clube visitado, uma “sanção de realização de jogos à porta fechada a fixar entre o mínimo de um e o máximo de três jogos” e outro tipo de multas. Aos bracarenses foi aplicada uma multa de 3 750 euros, devido a "comportamento incorrecto do público", ficando ainda a SAD arsenalista sujeita ao pagamento de uma indemnização ao Vitória por danos realizados pelos seus adeptos no estádio D. Afonso Henriques. VM - Decisão inédita no futebol português, que se compreende e justifica. No entanto, o Vit. Guimarães não pode ser usado como "bode expiatório", no passado já aconteceram casos igualmente graves e não foram sancionados com esta veemência. Por outro lado, veremos se perante situações idênticas o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) irá adoptar a mesma postura. Decisão justa? Ou um castigo demasiado "pesado" para o Vit. Guimarães? E, até que ponto os clubes devem ser penalizados pelas acções dos seus adeptos?

Pelo prestigio internacional, devido às significativas contrapartidas financeiras e por funcionar como uma  excelente montra para a valorização do clube e principalmente dos jogadores (as nossas equipas são essencialmente "vendedoras), os nossos emblemas todas as épocas demonstram a ambição, não só de participar nas competições europeias como de alcançar um lugar de destaque.

Porém ano após ano, os clubes que conseguem lá chegar, queixam-se constantemente do desgaste físico que estas provas provocam, sendo por isso muitas vezes a desculpa ideal para justificar alguns fracassos ou jogos menos conseguidos ao longo da época. Verificámos esta situação no presente campeonato, onde equipas como o Marítimo e Académica, que entraram na fase de grupos da liga europa, justificaram alguns resultados menos conseguidos ao longo do campeonato com o desgaste provocado por jogos internacionais muito desgastantes e viagens longas. Esta situação é compreensível devido aos planteis mais curtos que ambos os clubes têm, também devido ao facto de estas equipas não terem uma grande experiência europeia e pelo período de recuperação entre os jogos da liga europa e do campeonato ser muito curto.

Menos compreensível é o discurso de Jorge Jesus, onde refere que as equipas que estão na Europa têm menos possibilidades de serem campeãs. Todas as grandes equipas europeias têm que ter condições no seu plantel para lutarem em várias frentes. Isto para além de este facto não corresponder muitas vezes à realidade, pois grande parte das equipas que ganham a Liga dos Campeões, vencem também o seu campeonato, (2000/01 Bayern München, vence liga e Liga dos Campeões; 2003/04 FC Porto vence liga e Liga dos Campeões; 2005/06 Barcelona vence liga e Liga dos Campeões; 2007/08 Man. United, vence liga e Liga dos Campeões; 2008/09 Barcelona vence liga e Liga dos Campeões; 2009/10, Inter de Milão vence liga e Liga dos Campeões; 2010/11 Barcelona vence liga e Liga dos Campeões). Estes números mostram que desde 2000/01 sete dos vencedores da Liga dos Campeões venceram também as suas ligas, desmentindo assim a teoria de Jorge Jesus, de que quem sai primeiro das competições europeias tem mais possibilidades de ganhar o campeonato.

O Benfica de Jorge Jesus, costuma ter sempre uma quebra na fase final da temporada devido ao desgaste dos seus jogadores. Este ano o treinador tem referido muitas vezes que o campeonato é a sua principal prioridade, tendo vindo a desvalorizar por completo a prestação na Liga Europa, quase que se desculpando de um possível falhanço no campeonato, com o facto de ainda estar na LE. No entanto esta é uma falsa questão, pois esta época, JJ tem promovido uma maior rotatividade no plantel, (sendo verdade que muitas vezes essa rotatividade se deve a algumas lesões ou castigos) e analisando os minutos de jogo ao longo da temporada dos jogadores de Porto e de Benfica, verifica-se que muitos portistas têm mais minutos de jogo, que os jogadores do Benfica, (Nos dragões, Otamendi 2790 min, João Moutinho 2688 min, Jackson Martínez 2626; Nas águias, Garay 2610 min, Salvio 2536 min, Matic 2450 min). A esta realidade dos minutos, juntamos outra: Jesus, esta época, só para o campeonato já deu a titularidade a 23 jogadores diferentes (e curiosamente Aimar ainda foi titular), o que comprova a qualidade/profundidade do plantel encarnado (de longe aquele que tem mais individualidades acima da média). Logo se os jogadores do Benfica quebrarem na fase final do campeonato isso só pode ser explicado por uma má preparação física, mental (durante e depois dos jogos), deficiente recuperação ou cargas de treino exageradas ao longo da época. Nunca pelo excesso de competições. Aliás, considerando que tanto Porto como Benfica tem apresentado ao longo dos últimos anos os maiores orçamentos de sempre, não podem descurar qualquer competição e têm sempre a obrigação de lutar por todos os títulos (mesmo em termos internacionais, já que o fosso para as principais equipas europeias é cada vez menor), não podendo a vitória numa prova estar dependente do afastamento de outra. O desgaste físico vai ter um papel decisivo no desfecho do campeonato? Ou, já o era no passado, mas principalmente este ano (devido à qualidade/profundidade dos plantéis) é uma falsa questão (ainda para mais no caso do Benfica, como demonstram as estatísticas)?

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar no VM aqui!): Ricardo Prata

A free agency de 2013 da NBA tem tudo para ser animada. Desde a continuação da novela de Dwight Howard, as dúvidas em relação ao estado de A. Bynum, o interesse em volta de J. Smith e até uma possível surpresa na decisão de Chris Paul, há muito sobre o que falar. Assim sendo, o VM elaborou a lista dos melhores free agents de 2013 e a especulação sobre o futuro de cada um.

Dwight Howard (Unrestricted) - Promete voltar a animar o defeso na NBA. Irá assinar com os Lakers aproveitando o 5º ano de contrato? Voltará à cidade onde nasceu (Atlanta)? Ou irá concretizar uma paixão antiga, com os Nets, Dallas ou os Rockets? Com Howard nunca se sabe.
Chris Paul (Unrestricted) - CP3 tem sido um pouco esquecido em relação a este tema, talvez devido à sua situação estável com os Clippers mas a verda é que o base de 27 anos estará livre no fim da temporada. Será que vai protagonizar uma surpresa ou ficará com os LA Clippers?
Andrew Bynum (Unrestricted) - Considerado por muitos o 2º melhor poste da NBA, a verdade é que Bynum ainda não jogou esta temporada. Os seus problemas físicos são o seu grande problema, veremos se os 76ers acham que ele tem futuro com a franchise ou se Bynum assinará por outra equipa.
Josh Smith (Unrestricted) - Já disse que quer um max contract e esse pode ser o grande problema. O PF dos Hawks tem muitos pretendentes, mas a dúvida é se ele merece tanto dinheiro. Suns, Spurs, Rockets entre outros estão atentos a J Smoove.
Andre Iguodala (Early Termination Option) - Deve ficar em Denver. O, agora, SG de 29 anos parece gostar da cidade e da equipa e os Nuggets valorizam, principalmente, a sua capacidade defensiva.
Manu Ginobili (Unrestricted) - O veterano jogador dos Spurs, com quem conquistou 3 títulos da NBA é agora suplente em San Antonio. Com 35 anos parece estar à procura de um contrato de mais de um ano. Será com os Spurs? Veremos.
Al Jefferson (Unrestricted) - Se há uma equipa na NBA com demasiada qualidade no frontcourt são os Jazz. E Al Jefferson poderá ter de sair para abrir espaço para os jovens D. Favors e E. Kanter.
Paul Millsap (Unrestricted) - A outra "vítima" do "problema" dos Jazz, está na mesma situação de Al Jefferson e (pelo menos) um deles terá de sair. Os Pacers e os Hawks estão atentos à situação do PF dos Jazz.
Tyreke Evans (Restricted) - Depois de uma fantástica temporada de rookie na Nba, o versátil jogador dos Kings parece ter estagnado. Ainda assim, é juntamente com D. Cousins a grande esperança dos Kings e serão os novos donos da equipa a decidir o seu futuro.
Nikola Pekovic (Restricted) - Os bons postes da NBA são muito bem pagos e isso provavelmente acontecerá também com Pekovic. Se será em Minnesota que irá conseguir um contrato de mais de 10 milhões por ano é o que vamos ver.
Brandon Jennings (Restricted) - Parece que o PG dos Bucks irá testar a free agency. Diz-se que Jennings quer ir para uma equipa de um mercado maior, mas os Bucks estão muito interessados na continuidade do jovem base.
Monta Ellis (Early Termination Option) - A outra metade do backcourt dos Bucks, também parece estar interessada em sair de Milwaukee, neste caso na procura de um contrato (ainda) mais gordo. Tendo em conta que Ellis ganhará 11 milhões se ficar nos Bucks é muito pouco provável que esse grande contrato apareça.
Tiago Splitter (Restricted) - O poste dos Spurs, com 28 anos parece estar à procura de mais minutos e de um contrato melhor. Apesar de algumas broncas no início, Popovich tem vindo a confiar cada vez mais no brasileiro, falta saber se isso é suficiente para lhe dar o contrato que ele deseja.
David West (Unrestricted) - D. West começará a próxima temporada com 33 anos e apesar da boa temporada que está a fazer e da sua experiência , certamente não terá um contrat semelhante ao actual (20 milhões em 2 anos). Os Pacers parecem interessados em mantê-lo, falta saber se West aceita uma considerável redução de salário.
Kevin Martin (Unrestricted) - Na sua 1ª temporada em Oklahoma, Martin tem cumprido bem o seu papel e um novo contrato poderá depender da sua prestação nos playoffs. Mas seja qual for o seu destino, o SG de 30 anos deverá auferir menos que na actual temporada (12,4 M).
José Calderón (Unrestricted) - Recém-chegado a Detroit, Calderón pode voltar a ser trocado durante o Verão. A verdade é que o espanhol já provou que pode ser titular nesta liga e há algumas equipas que poderão precisar de um PG titular: Jazz, Bucks, Mavericks...
Tony Allen (Unrestricted) - Um dos melhores defensores de perímetro da NBA aínda não tem o seu futuro definido, mas as suas qualidades defensivas devem-lhe permitir encontrar facilmente uma eqipa para a próxima temporada.
OJ Mayo (Player Option) - OJ Mayo tem feito uma excelente temporada, principalmente substituindo D. Nowitzki no início da época como principal arma ofensiva de Dallas. As suas prestações devem-lhe permitir ganhar mais do que os actuais 4 milhões, na próxima temporada.

Outros: A. Kirilenko (PO), R.Allen (PO), D. Collison (R), C. Kaman (ETO), E. Okafor (ETO), M. Dunleavy (U), J. Teague (R), J. Jack(U), N. Young(U), M. World Peace (ETO).

Legenda:
Unrestricted - O jogador pode assinar por quem quiser.
Restricted - As outras equipas podem oferecer propostas ao jogador, mas a última decisão é da actual equipa que pode igualar as propostas. Se igualar (tem 3 dias) fica com o jogador.
Player Option - O jogador é que decide. Se decidir ficar joga mais uma época na actual equipa, se não fica livre de assinar por qualquer outra equipa.
Early Termination Option - Semelhante a "Player Option", mas se o jogador não fizer nada fica com a actual equipa. Se a exercerem tornam-se "Unrestricted Free Agent".

D. Howard permanecerá nos Lakers? O que irá acontecer com Bynum? Onde jogará Josh Smith? Quem são os jogadores que deviam receber mais e menos, em relação ao que é especulado?

Visão do leitor: Rafael R.

Jorge Rojas, assinou contrato com o Benfica válido para as próximas cinco temporadas. O rumor não é novo, mas agora é confirmado pelo empresário do jogador e pelo próprio Cerro Porteño. O jovem paraguaio de 20 anos é assim o 3º reforço das águias para 2013-14, depois de Miralem Sulejmani (ler aqui) e Filip Djuricic (ler aqui). VM - O principal destaque é mesmo o bom planeamento da próxima temporada por parte do Benfica. Esta capacidade de antecipação para garantir estes jovens é muito importante, essencialmente devido à visibilidade que depois ganham nas competições de selecções. Em relação a Rojas, foi o melhor elemento da selecção paraguaia no último Sudamericano sub-20. Como acreditamos que a maioria dos leitores não o conhece, podemos dizer que é uma espécie de Enzo Pérez. Um jogador muito rápido e explosivo, que pode actuar sobre o corredor ou em zonas mais centrais. Não é muito criativo e revela ainda lacunas em termos de decisão no último terço, mas é um daqueles de quem se diz "comer" metros em transição e, face às suas características e por não ser um desequilibrador nato, poderá destacar-se nesse papel de médio interior, dando largura a atacar e agressividade na recuperação e no preenchimento defensivo. Já fez todo o corredor no Cerro Porteño (em 3-5-2), por isso poderá igualmente ser alternativa para lateral. Boa contratação? Ao contrário de outros anos, estará finalmente o Benfica a planear uma temporada devidamente (ao nível das renovações e atenção a jovens e jogadores em final de contrato)? Qual será o papel que Rojas poderá desempenhar nos encarnados (evoluir na equipa B ou ter logo espaço na A)? 

25 de fevereiro de 2013

Bruno de Carvalho - Augusto Inácio, actual treinador do Moreirense, e Virgílio Lopes, antigo jogador do Sporting, são os dois nomes que BdC anunciou para a estrutura do futebol “leonino”, caso ganhe as próximas eleições do clube. A estes dois nomes, juntar-se-á um terceiro elemento, integrante da actual estrutura do clube, mas que Bruno de Carvalho preferiu não revelar ainda. VM - Há 2 anos foram nomes que hipotecaram a vitória de BdC, e agora, apesar de a vantagem ser significativa (Bruno de Carvalho já é praticamente o sucessor de GL), também não vão dar votos. É impossível saber o que Virgílio pode acrescentar, porque nada fez como dirigente, já Inácio, apesar de ter vencido o título como técnico dos leões em 99-2000, na última década tem demonstrado, quer como técnico, quer como manager (quanto teve igualmente responsabilidades de adquirir jogadores), alguma incompetência. Em suma, apesar de na prática até poderem resultar, a verdade é que na teoria não demonstram capacidade para colocar os leões no rumo certo (e o clube leonino precisa urgentemente de uma estrutura para o futebol competente). Curiosidade prende-se por saber quem será o treinador e a figura da continuidade (o dito 3º elemento que transita da direcção de Godinho).

Labyad - Afirmou à imprensa holandesa que não está arrependido de ter assinado pelo Sporting mesmo tendo sido cobiçado por Schalke, Anzhi, Benfica e FC Porto (algo que não é propriamente uma novidade). O jovem médio frisou ainda que a competitividade do campeonato português foi igualmente decisiva para ter saído do PSV: «O campeonato holandês não é tão competitivo como o português. Em Portugal, o nível é muito maior. Aqui posso crescer e, eventualmente, dar o salto para um clube de topo. O Sporting é um grande clube e estou bem em Portugal.» VM - Duas notas. - Voltamos a referir que noutra estrutura (Benfica ou FC Porto), com menos pressão e 5/6 líderes com capacidade para segurar a equipa, Labyad (muitos ignoram que é mais novo que Ilori) teria tido mais sucesso. O exemplo de Ola John é excelente: fez uma má pré-época, começou a ser criticado e Jesus para o salvaguardar deixou-o de fora só apostando nele quando as águias estavam num ciclo positivo e a pressão era menor (não tinha a obrigação de ser ele a decidir). Com o marroquino dos leões foi tudo ao contrário: não fez pré-época devido aos JO, e quando entrou na equipa parecia que já tinha o peso todo em cima dele. Mas ainda vai a tempo de conseguir essa afirmação no Sporting, tem qualidade, é muito jovem e certamente na próxima época mais rotinado e noutro ciclo, irá explodir; - Este tipo de reconhecimento da competitividade da nossa Liga é extremamente positivo. Não só porque é a constatação da realidade, como incentiva os valores dos campeonatos belga e holandês a procurar cada vez mais passar por Portugal antes de tentarem chegar a um clube de Top. E são logo 2 mercados em que os nossos "grandes" devem apostar em força (estão recheados de talento).

Bale está imparável. É justo afirmar que já é um dos 10 melhores do Mundo? Ou ainda não está nesse patamar?

Tottenham - Mais uma vez foram Bale e mais 10. O conjunto de Villas-Boas foi ao terreno do West Ham vencer por 3-2, e subiu ao 3º lugar da Premier League. O fantástico galês voltou a estar em destaque e bisou, o 2º golo do esquerdino foi em cima do minuto 90, deu a vitória aos Spurs, e é candidato a melhor do Ano no campeonato inglês. AVB vai conseguir segurar esta posição e ficar à frente de equipas como o Chelsea e Arsenal?

Resultados - O Marítimo venceu a Académica por 3-2, em Coimbra, na partida que encerrou a 20.ª jornada da Liga; Nápoles empata a 0 em Udine e já está a 6 da Juventus; Lazio, com Pereirinha a entrar aos 6m, vence o Pescara por 2-0; Galatasary vence o Orduspor por 4-2, depois de ir para o intervalo a perder por 2-0.

Numa temporada longe de estar perdida (apesar dos empates, em casa, a uma bola, nas meias finais da Taça do Rei e nos oitavos de final da Champions, os merengues têm argumentos para garantir o acesso à fase seguinte nos jogos fora de portas), diversos factores têm abalado a estrutura do clube. Tanto a nível físico como psicológico, vários jogadores parecem bastante distantes do demonstrado ainda no ano transacto, onde consequentemente, o seu rendimento desportivo era substancialmente superior. Porque se o futebol se joga com os pés, este é primeiramente processado na cabeça, factor preponderante na definição de pequenos detalhes em alta competição. Casos como os de Marcelo e Di María (este último exceptuando o jogo de Madrid frente ao Man. Utd), que correm metade em relação à temporada passada, Higuaín e Benzema estão a anos luz daquilo que já produziram, Xabi Alonso denota a falta de intensidade habitual, Arbeloa prova jogo após jogo que não tem qualidade para fazer parte do plantel, são, entre outros, exemplos disso mesmo. E se no plano físico os problemas existem, no plano emocional temos verificado uma verdadeira sucessão de terramotos a afectar o clube desde o início da época. As expulsões são já em demasia, de Coentrão a Di María, passando por Kaká, Higuaín e Adán, culminando em Sergio Ramos, todos eles já receberam ordem de expulsão. Este último tem sido o maior exemplo do desnorte, sendo já o jogador da história com mais expulsões com a camisola blanca, somando já 16, isto em apenas 8 temporadas (Hierro, o anterior recordista tinha 14...mas em 14 anos). Comentários como os de Aitor Karanka, onde refere que "novidade será o dia que acabaremos com onze", expressam claramente o desagrado perante esta situação, que necessita urgentemente de ser revista, pois aproxima-se uma semana decisiva, com o jogo da segunda mão da Taça do rei, em Camp Nou. A que se deve esta falta de disciplina? Os tão falados problemas internos no clube são a principal explicação para a distância para o seu maior rival no campeonato?  Podemos afirmar que determinados jogadores, claramente, não estão do lado de José Mourinho? Pode ainda o clube conquistar a Taça do Rei, bem como "La Décima"?

A. Carvalho

O Sporting perdeu à 20.ª jornada a hipótese matemática de chegar ao título de campeão nacional, depois de somar o oitavo desaire frente ao Estoril-Praia. Nunca os leões tinham ficado tão cedo afastados matematicamente do título. Mas, se esta era uma realidade óbvia há muito, a curiosidade é outra:

Desde que Jesualdo assumiu o comando técnico do Sporting o clube leonino perdeu 11 pontos na Liga, fruto de 3 derrotas diante de Estoril, Rio Ave e Marítimo, e um empate frente ao Guimarães. Curiosamente, e apesar de os leões há muito estarem afastados do título, não deixa de ser caricato que os verde e brancos com outro sucesso neste período podiam estar em cima de Braga (4º classificado, a 12 pontos) e Paços (3º, com mais 13 pontos). 

Sendo certo que este cenário se deve, e muito, ao mau início de Sá Pinto e ao desastre que foi a dupla Vercauteren/Oceano, e que JF era dos poucos com capacidade para inverter o rumo dos leões nesta fase (só até final da época, para a próxima continuamos a afirmar que o clube leonino precisa de outro técnico, de preferência mantendo o veterano na estrutura). É estranho constatar que uma época que ainda há um mês parecia completamente perdida, podia ter sido significativamente atenuada com outro desempenho nesta era Jesualdo (e o Sporting precisa de como pão para a boca de chegar à LC). Resta ao clube leonino aproveitar as últimas jornadas para duas situações: 1ª - Permitir a afirmação de alguns jovens (assim na próxima época já não precisam de "queimar" etapas; 2ª - Evitar uma classificação final humilhante. Prova de que estamos perante uma liga nivelada por baixo: Benfica e Porto a cavarem um fosso enorme para as restantes, onde até um Sporting a viver um autêntico pesadelo bastava ter um pouco mais de critério para facilmente estar no 3º/4º lugar (aquela fase da saída de Sá Pinto até ao fim do reinado Vercauteren matou os leões). Quem deve ser o treinador dos leões em 2013-14?

Agora imaginem se durante este período tivesse sido sempre um titular indiscutível.

Lidera a lista à frente de nomes como Lampard, Silva, Gerrard, Drogba, Bale, Rooney e van Persie.

Ao todo foram 32 passes para golo desde Agosto de 2009, só para o campeonato. Mais que qualquer jogador na Premier League. Um feito que até podia ter outros números (às 32 assistências junta 22 golos) não fosse a sua irregular utilização, e que dificilmente irá durar se continuar a ser alvo desta política de Ferguson. Os seus 26 anos (Figo só nesta fase começou a ter o reconhecimento internacional e só aos 29 arrecadou o prémio de melhor do Mundo) permitem-lhe ainda ir a tempo de consolidar o seu nome num patamar interessante em termos europeus e Mundiais (nunca será eleito um dos 5 melhores do Mundo, no entanto tem tudo para estar entre os 10/15 que mais se destacaram num Ano), mas para isso é imperial que abrace outro projecto o quanto antes. Por onde passa o futuro de Nani (o extremo do Man Utd só tem mais um ano de contrato)? Ainda pode chegar ao nível dos melhores do Mundo (tem condições físicas e técnicas para isso)? Ou será sempre uma promessa e nunca irá "explodir" de vez?

Observando os últimos dois anos da realidade leonina, mais concretamente do período que vai das eleições que levaram o engenheiro Godinho Lopes ao poder até ao momento atual, é possível constatar alguns factos importantes.

O Sporting está mais pobre em termos desportivos, financeiros e igualmente na vertente humana...

Os resultados desportivos estão à vista de todos.

Se é inquestionável que a realidade financeira na tomada de posse da atual presidência já se encontrava muito pouco confortável, mais inquestionável será reconhecer agora que ruiu, com salários de funcionários em atraso, a fazer relembrar os tempos caótico do presidente Jorge Gonçalves, com a dívida a assumir contornos surreais e com os compromissos da tesouraria a curto prazo a serem postos em causa, a que se juntam ameaças dos candidatos a avançarem processos judiciais como primeiro ato presidencial caso aqueles não se encontrem em dia.

Em termos eleitorais, se na eleição de Godinho Lopes havia 6 candidatos, algo considerado natural face à turbulência pelo que passava o clube, estranha-se agora que hajam apenas 3, até porque a situação é igualmente preocupante, e sem se encontrar entre eles um nome realmente excitante. Estarão as altas patentes e os mais capacitados receosos de encontrar um pântano? Não estarão interessados na possibilidade de ficarem associados ao fechar da porta de um dos maiores clubes nacionais, ou simplesmente revela falta de amor clubístico?

Olhando para Bruno, Couceiro e Severino, sabe a pouco, até porque nenhum deles encarna a estratégia nítida de enriquecer o plantel, antes estratégias pouco ambiciosas alicerçadas num conceito algo vago sobre investidores estrangeiros (quem, onde, como, porquê?) e aposta quase exclusiva na formação (não tanto como opção ou paixão mas mais pela ausência de outras hipóteses que sejam para eles viáveis).

Poder-se-á questionar se mais investimentos avultados no plantel não resultarão mais do mesmo e se haverá mais margem de manobra para “torrar” dinheiro que não existe? Poderemos igualmente questionar se em mais de 3 milhões de adeptos, alguns com títulos nobiliárquicos e cheios de dinheiro, não haverá uma única alminha disposta a assumir a figura de mecenas? Alguém acredita que Abramovich é do Chelsea desde pequenino ou que algum dia vai obter lucro com o avultado investimento? Com o paciente agarrado às máquinas estranha-se que entre tantos adeptos não haja um sequer que queira brincar ao FM em real mode, preferindo assobiar para o ar.

Qual a solução para o clube leonino? Um mecenas ao estilo Abramovich ou do Sheikh Mansour Al Nahyan? Será mais realista pedir batatinhas à banca e investir na formação (com tudo o que isso implica, paciência, imprevisibilidade, etc.) ou continuar a estratégia de partilha de passes de jogadores que facilitam a aquisição de atletas mas que amputam praticamente as hipóteses de fazer lucros avultados numa venda futura, mantendo assim o fosso com o Benfica e Porto que ano sim, ano sim, vendem jogadores por mais de 15 milhões de euros com uma facilidade impressionante?

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar no VM aqui!): Sérgio Tomás

24 de fevereiro de 2013

Omar Abdulrahman - O jovem dos Emirados Árabes Unidos diz ter recusado uma proposta do Benfica em Janeiro. O clube da Luz pretendia o empréstimo da promessa de 21 anos do Al Ain por uma temporada, mas o jogador preferiu continuar ao serviço do clube dos EAU. Omar Abdulrahman já fez testes no Manchester City, contudo, a sua licença de trabalho foi recusada pelas autoridades inglesas. Seria um bom reforço para o Benfica? Omar Abdulrahman poderá fazer carreira de sucesso na Europa?

Inglaterra - Tarde histórica para o Swansea City, que derrotou o Bradford por 5-0 e conquistou a Taça da Liga (1º troféu da sua história, contado apenas aqueles onde participam equipas do I escalão do futebol inglês). A equipa de Michael Laudrup não cometeu os erros que alguns adversários fizeram perante uma equipa da League Two, e conquistou um triunfo fácil (Dyer e De Guzman bisaram, e Michu marcou o outro golo). O momento caricato apareceu durante a marcação de uma grande penalidade, com Nathan Dyer a querer completar o hat-trick, mas De Guzman e outros jogadores não deixaram o pequeno jogador fazer história. Destaque para o forte apoio dos adeptos do Bradford, que não desanimaram com o avolumar do marcador. Na Premier League, o Manchester City derrotou o Chelsea por 2-0 (grande domínio das equipas de Manchester), com golos de Yaya Toure (63´) e Tevez (85´), enquanto o Newcastle afastou-se dos lugares de despromoção, após derrotar o Southampton por 4-2. Quem vai conseguir segurar o 3º lugar na PL?

Serie A - O derby de Milão resultou num empate entre Inter e AC Milan (1-1), numa divisão de pontos que não agradou a nenhum dos conjuntos. El Shaarawy colocou os rossoneri em vantagem (21´), mas Ezequiel Schelotto igualou aos 71 minutos. A Juventus derrotou o Siena por 3-0 e colocou pressão sobre o Nápoles, enquanto o Catania (2-1 em Parma) e a AS Roma (3-2 no terreno da Atalanta) aproximaram-se dos lugares europeus. Palermo e Génova empataram 0-0, o Cagliari derrotou o Torino por 4-3 e a Sampdoria venceu o Chievo por 2-0. Principais destaques?

Ligue 1 - A luta pelo título francês ficou reduzida a apenas duas equipas, depois do PSG ter derrotado o Ol. Marselha por 2-0. N´Koulou marcou na própria baliza aos 11 minutos e Ibrahimovic fechou o marcador aos 90´+1, na estreia de David Beckham pelos parisienses. A equipa do sul de França teve boas oportunidades para marcar, dominou a partida, mas esbarrou sempre em Sirigu (grande exibição). O Ol. Lyon mantém os 3 pontos de atraso para o PSG, tendo ganho ao Lorient por 3-1. O Bordéus, adversário do Benfica na LE, foi surpreendido em casa pelo Brest (0-2) e desceu para o 10º lugar do campeonato.

La Liga - O Atl. Madrid derrotou o Espanyol por 1-0 (Falcao 38´g.p.) e mantém os 4 pontos de vantagem para o Real Madrid, enquanto o Bétis derrotou o Málaga por 3-0 e só está a 3 pontos do rival andaluz (Valencia e Real Sociedad ainda estão pelo meio). O Celta de Vigo venceu o Granada por 2-1 e recuperou terreno na tabela, enquanto o Valhadolid foi vencer ao terreno do Rayo Vallecano também por 2-1. Com os 3 primeiros lugares definidos, quem vai assegurar a última vaga para a LC?

Bundesliga - Já são 17 os pontos de vantagem do Bayern Munique para o Borussia Dortmund. O bicampeão alemão não foi além de um empate 1-1 no terreno do Bor. Moechengladbach, enquanto o Bayer Leverkusen não fez melhor no terreno do lanterna vermelha (0-0 frente ao Greuther Furth).

Liga ZON-Sagres - O Nacional derrotou o Olhanense por 3-1 e subiu ao 9º lugar do campeonato, afastando-se ao mesmo tempo dos lugares perigosos da liga portuguesa. Rondon inaugurou o marcador aos 11 minutos, André Micael ainda empatou para os algarvios (68´), mas Moreno (72´) e Revson (84´g.p.) confirmaram o triunfo madeirense. Na outra partida da tarde, Moreirense e Gil Vicente empataram 0-0.

II Liga - Belenenses e Sporting B (1º e 2º) aplicaram duas goleadas por 5-1 (os azuis do Restelo em Tondela, e os jovens leões na recepção ao Freamunde), enquanto o empate do Arouca no terreno do Atlético (1-1), foi bem aproveitado por Leixões (1-0 ao Benfica B) e Desp. Aves (1-0 à Naval). Santa Clara (3-2 no terreno da Oliveirense), Penafiel (2-0 ao FC Porto B) e Portimonense (2-1 ao Marítimo B) também aproveitaram o empate do Arouca e estão a 7 pontos do último lugar de acesso à Liga ZON-Sagres (existem apenas 10 pontos de diferença entre o 3º classificado e o 13º classificado). U. Madeira derrotou o Feirense por 3-0, enquanto num duelo de aflitos, Sp. Covilhã e Trofense empataram 1-1. Principais destaques? 

NBA - Os LA Lakers estão cada vez mais perto do 8º lugar da Conferência Oeste, depois de terem ganho em Dallas por 103-99. Kobe Bryant voltou a ser enorme (especialmente no 4º período), ao anotar 38 pts, 12 reb e 7 ast. Com este resultado, e com as derrotas dos Utah Jazz e Houston Rockets no dia de ontem, a equipa de LA está a apenas 3 vitórias dos texanos (ou 2.5 jogos) e da equipa de Salt Lake City (3.5 jogos). Os Lakers ainda vão chegar aos playoffs? Caso o consigam, serão uma equipa a ter em conta (a fase regular não interessa para nada na fase decisiva)?

Cinema - Coincidência, ou talvez não, os 6 principais prémios dos Óscares foram repartidos pelos 6 filmes mais badalados do Ano. Numa edição sem um vencedor claro, apesar de "Argo" com o prémio de melhor filme se ter destacado, "Lincoln" acabou por ser o principal derrotado da noite. O filme de Spielberg estava nomeado para 11 categorias, mas só venceu duas, uma óbvia a de Daniel Day-Lewis de melhor actor (o britânico fez história e é o único com 3 Óscares de melhor actor principal) e outra secundária. Surpresas (ou nem por isso) foi o Óscar de Jennifer Lawrence de melhor actriz principal (na nossa opinião merecido) e o de melhor realizador para Ang Lee (o "Vida de Pi" foi igualmente o filme mais galardoado, com 4 estatuetas). Já Christoph Waltz e Anne Hathaway confirmaram o favoritismo e venceram os prémios de melhor actor e actriz secundária, respectivamente. Por último, e seguindo uma lógica óbvia, "Amour" arrecadou o prémio de melhor filme estrangeiro". Prémios justos?

Os principais vencedores da 85ª edição dos Óscares: 
Melhor Filme: "Argo"; Melhor Realizador; Ang Lee ("Vida de Pi);  Melhor Actor: Daniel Day-Lewis (Lincoln); Melhor Actriz: Jennifer Lawrence ("Guia para um final feliz"); Melhor Actor Secundário: Christoph Waltz ("Django Libertado"); Melhor Actriz Secundária: Anne Hathaway ("Os Miseráveis"; Melhor filme estrangeiro: "Amour"; Melhor filme de animação: "Brave - Indomável".


Benfica 3-0 Paços de Ferreira (Enzo Pérez 8´, Cardozo 47´ e Salvio 84´)

O Benfica derrotou o Paços de Ferreira por 3-0 e voltou a colar-se ao FC Porto no topo da Liga ZON-Sagres (os dragões têm uma diferença de golos de 39, contra 36 do Benfica). Os encarnados marcaram em momentos decisivos, não precisaram de colocar mais intensidade na pressão e no ataque, perante um Paços que pouco fez para justificar o 3º lugar na tabela classificativa (o Sp. Braga já está a 1 ponto).

A equipa da casa entrou forte e chegou ao golo logo aos 8 minutos de jogo. A bola circulou pelo ataque do Benfica, com Salvio a assistir para a desmarcação de Enzo Pérez (apareceu no espaço e não falhou na cara de Cássio). Os encarnados continuaram a insistir no ataque, mas sem criar perigo (muitos cantos), enquanto o Paços não conseguia chegar à área de Artur. Maxi Pereira e Lima ainda obrigaram Cássio a defender, e no outro lado, André Leão fez o 1º remate perigoso dos castores, após erro de Luisinho (Artur defendeu para canto). Perto do intervalo, foi Cardozo a rematar ao poste, quando seguia isolado perante Cássio. A 2ª parte começou praticamente com o 2-0. Primeiro Cardozo obrigou Cássio a defender para canto, mas na sequência da mesma jogada, o paraguaio não falhou após um remate ao poste de Luisão. O Paços de Ferreira respondeu com dois remates sem perigo (Vítor e Josué), numa segunda parte bastante monótona (o Benfica trocava a bola com tranquilidade, enquanto o Paços não conseguia sair com perigo). O jogo terminou com mais um golo do Benfica, após jogada de Aimar. O argentino assistiu Lima, que cabeceou para o fundo da baliza, contudo, Ricardo ainda cortou a bola (já estava dentro) antes de Salvio confirmar o golo (resta saber a quem vai ser atribuído).

Destaques:

Benfica - Jogo controlado do início ao fim, sem grandes sustos e num ritmo tranquilo. A melhor noite possível após um jogo europeu e um duelo frente ao Sp. Braga, novamente a meio da semana. Jorge Jesus ainda conseguiu descansar Enzo Pérez (intervalo) e Cardozo (63´) para a partida da Taça da Liga, enquanto Luisinho voltou a mostrar pouca qualidade para jogar nos encarnados.

Paços de Ferreira - Péssima partida dos castores, talvez mesmo a pior da presente temporada. As saídas para o contra-ataque falharam sempre, e as únicas situações de perigo resultaram sempre após erros da defensiva do Benfica (pouca agressividade no meio campo e incapacidade em construir jogo ofensivo).

Salvio - Algumas perdas de bola (normal), mas muitos desequilíbrios causados na defensiva do Paços de Ferreira. O argentino fez bom uso da sua técnica e velocidade, e dos seus pés saíram muitas jogadas de perigo (ainda assistiu Enzo Pérez para o 1º golo e finalizou o 3º).

Lima/Cardozo - Os dois avançados deram bastante trabalho ao Paços de Ferreira, com o brasileiro a criar os desequilíbrios e o paraguaio a finalizar (ainda que tenha falhado na cara de Cássio).

Matic/Enzo Pérez - Jogo tranquilo e bem conseguido da dupla do meio campo encarnado. O argentino abriu o marcador e fez bons 45 minutos (saiu ao intervalo), enquanto o sérvio aplicou bem a sua técnica e capacidade de organizar jogo a meio campo.

Ola John/Maxi Pereira - Jogo q.b. do holandês e do uruguaio. Ola John iniciou a jogada do 1º golo e esteve assertivo no passe (ainda que não tenha feito muito uso da sua técnico), enquanto Maxi deu alguma profundidade ao seu flanco (apesar de não ter construído jogadas de perigo).

Luisinho -  Se o jogo dos encarnados foi tranquilo, já a exibição do lateral esquerdo deixou muito a desejar. Reencontrou a sua antiga equipa, mas apareceu nervoso, perdeu inúmeras bolas em zonas perigosas e não conseguiu dar profundidade ao ataque.

...O futebol português não pode caminhar para isto

O árbitro Hugo Pacheco recusou reatar o jogo entre Vitória de Guimarães B e Sporting de Braga B, interrompido aos oito minutos devido às cenas de violência entre os adeptos dos dois clubes da II Liga de futebol. Devido aos incidentes, várias pessoas ficaram feridas. VM - Um século, até ao momento, brilhante a todos os níveis para a modalidade, com as nossas equipas a brilhar no futebol europeu, a selecção a consolidar-se como uma das melhores do Mundo, e figuras que vão marcar para sempre a história deste desporto como Mourinho e Ronaldo, para agora de repente por acção de alguns indivíduos deitar tudo a perder é que não. Confrontação de ideias, gritar pelo clube, sim, violência gratuita, climas de terror, que só afastam as pessoas dos estádios (e já são poucas as que vão), é que não. Já não estamos nos anos 80/90, as pessoas evoluíram, ou pelo menos deviam ter evoluído.


Pela sua qualidade técnica, táctica, a maneira como equilibra a equipa, a leitura de jogo que apresenta, Busquets é de longe o melhor médio defensivo da actualidade. O fosso para a concorrência é tal, que esta até é das poucas posições (sem ser a de extremo esquerdo, considerando que Ronaldo tem esse rótulo), onde poucas são as dúvidas. Pode-se não gostar do jogador, mas desvalorizar o seu talento é absurdo...além dos fundamentos defensivos, a sua recepção, a maneira como dá sempre uma linha de passe e presença, impressiona. A tudo isto, junta os títulos (e como titular indiscutível), principalmente as duas Ligas dos Campeões, o Mundial e os 2 europeus, inclusive, ainda recentemente tanto Guardiola como Del Bosque referiram que era o melhor médio do Mundo, algo que nos parece exagerado, mas o estatuto de melhor médio defensivo é indiscutível. Mas, como no futebol, cada um tem a sua visão, deixamos o desafio:  Qual é (e porquê?) o melhor médio defensivo da actualidade?

PS - Na nossa Yaya Touré é superior a Busquets. Mas quantas vezes jogou a médio defensivo nos últimos 3 anos? Poucas ou nenhuma (há muito que se fixou com um 8 quase nº 10), como tal, considerá-lo para  esta posição é injusto (inclusive no Barça era suplente do espanhol). É o mesmo que referir que Bale é o melhor lateral esquerdo do Mundo, só porque já efectuou (há uns bons anos) alguns jogos nessa posição.

Vítor Pereira - Cumpriu frente ao Rio Ave, o seu 50.º jogo no campeonato desde que assumiu o comando técnico do FC Porto. Até ao momento: 39 vitórias, 10 empates e apenas uma derrota (frente ao Gil Vicente, a 29 de janeiro de 2012). Um registo muito semelhante ao de Bobby Robson, o inglês nos primeiros 50 jogos conseguiu 40 vitórias, oito empates e duas derrotas. VM - Já fez por merecer outro crédito por parte dos adeptos, comunicação social e pessoas ligadas ao futebol em geral. O seu balanço é impressionante, e a desculpa de que é fácil ter este sucesso ao serviço do Porto já começa a ser um rótulo sem sentido. VP tem provado que em termos técnicos e tácticos não deve nada a nenhum treinador em Portugal (talvez até seja o mais competente, falta-lhe depois é outras valências, principalmente ao nível da capacidade de motivar os jogadores e ser uma presença forte e respeitada no banco), a maneira como tem anulado o Benfica de Jesus e o futebol que este Porto (sem Hulk) pratica, são prova disso (a equipa com mais golos marcados e menos sofridos na Liga). Na época passada perdeu Falcao no principio da época, apanhou um balneário recheado de jogadores contrariados, e nunca foi apoiado pelos portistas (muito pelo contrário), mas mesmo assim contrariando as expectativas, foi campeão. E a tudo isto tem juntado uma característica importante (algo que também é bastante ignorado), e que distingue os treinadores, o facto de ter potenciado vários elementos. Maicon passou de patinho feio ao estatuto de melhor central do Porto (mérito total de VP), o mesmo se passou com Mangala, e outros jogadores como Alex Sandro, Deffour, a evolução dos mesmos é notória. Veremos em termos de futuro como será a sua carreira (não é fácil dar continuidade a este sucesso e poucos são os clubes com a estrutura do Porto), mas até ao momento pouco se pode apontar. A curto prazo será interessante perceber se irá renovar ou não o seu contrato (termina daqui a 4 meses). O FC Porto deve renovar com VP? Como se explica que apresentando um balanço destes, o técnico portista continue a ser tão desvalorizado? 

Liga ZON-Sagres - O Vitória de Setúbal somou a 3ª vitória consecutiva e afastou-se da zona de despromoção. Miguel Lourenço (12´) marcou o único golo da partida, que marcou a estreia de Costinha como treinador do Beira-Mar.

La Liga - Vitórias complicadas de Barcelona e Real Madrid, ambas por 2-1. Os catalães estiveram a perder em casa perante o Sevilha (Botia 42´), mas deram a volta na 2ª parte, com golos de David Villa (52´) e Lionel Messi (60´). Os merengues também estiveram a perder no terreno do Deportivo (Riki 35´), o que obrigou José Mourinho a lançar Ronaldo (não era suplente desde setembro de 2011), Ozil e Khedira (57´). Kaká empatou aos 73´(golaço) e Higuain fechou o marcador aos 88´, após assistência de Ronaldo (Di Maria foi expulso aos 90 minutos, levou dois amarelos em 10 segundos). Em Saragoça, Apoño (5´g.p.) e Postiga (32´) colocaram a equipa da casa na frente, mas o brasileiro Jonas bisou para o Valencia (36´e 69´). Destaque ainda para a vitória da Real Sociedad no terreno do grande rival Ath. Bilbao (3-1) e para a vitória do Getafe em Maiorca, também por 3-1. Kaká ainda pode ter um papel importante no Real Madrid?

Premier League - O Manchester United colocou pressão sobre o rival City, depois de vencer por 2-0 no terreno do QPR. Rafael da Silva com um golaço (23´) e Ryan Giggs (80´) marcaram para os red devils, enquanto a equipa de Redknapp continua em situação delicada (7 pontos abaixo da linha de água). O Arsenal derrotou o Aston Villa por 2-1 e aproximou-se dos rivais citadinos (Chelsea e Tottenham). Santi Cazorla ofereceu o triunfo aos gunners, com golos aos 6´e 85´(Weimann marcou para os villans aos 68´). O Everton é que parece ter perdido a corrida por um lugar na Liga dos Campeões, depois de ceder por 2-1 no terreno do Norwich City. O WBA derrotou o Sunderland por 2-1, o Fulham venceu o Stoke City por 1-0 (golaço de Berbatov) e o Wigan venceu por 3-0 no terreno do Reading. QPR a demonstrar que o dinheiro não é tudo no futebol?

Bundesliga - Depois da vitória por 3-1 em Londres, o Bayern regressou ao "paraíso" da Liga Alemã, para esmagar o Werder Bremen por 6-1. Robben, Martinez, Mario Gomez (bis), Selassie (a.g.) e Ribery marcaram para os bávaros, enquanto a equipa de Bremen marcou por De Bruyne (Prodl foi expulso quando estava 2-0). Num duelo pelo 4º lugar, o Ein. Frankfurt empatou 0-0 no terreno do Friburgo, enquanto Hannover (5-1 ao Hamburgo) e Schalke 04 (2-1 ao Fortuna Dusseldorf) ainda perseguem a última vaga para a LC. Mainz e Wolfsburgo empataram 1-1, tal como o Nuremberga na visita a Estugarda, e o Augsburgo derrotou o Hoffenheim por 2-1 e saiu da zona de despromoção. Com o campeonato praticamente conquistado, a que marcas poderá chegar o Bayern (pontos e golos marcados/sofridos)? Quem vai assegurar o 4º lugar (LC)?

Ligue 1 - As principais equipas ainda não jogaram, no entanto, destaque para o Nice, que está a rubricar uma excelente campanha na liga francesa. A equipa do sul de França derrotou o Stade Reims por 2-0 e continua num excelente 4º lugar, a apenas 6 pontos do PSG (com mais 1 jogo). O St-Etienne está apenas a 1 ponto do Nice, depois de vencer em Nancy por 3-0, enquanto o Montpellier está a recuperar do péssimo início de campeonato (vitória por 1-0 no terreno do Evian). O Lille venceu em Ajaccio por 3-1 e tal como o actual campeão, promete uma fase final de campeonato interessante. Rennes e Sochaux empataram 2-2, enquanto o Troyes-Bastia e o Valenciennes-Toulouse terminaram 0-0. O que poderão fazer Nice e St-Etienne? Lille e Montpellier ainda vão a tempo de lutar com o Ol. Marselha pelo 3º lugar?