30 de Setembro de 2012

La Liga – O Real Madrid goleou o Deportivo da Corunha por 5-1, depois de estar a perder por 1-0. Riki abriu o activo aos 16´, mas Ronaldo (23´g.p.), Di Maria (38´) e novamente Ronaldo (44´) deram a volta antes do intervalo. Pepe (66´) e Ronaldo (84´) fecharam o marcador. O avançado português somou o 1º hat-trick da temporada, chegou aos 6 golos na Liga (os mesmos que Messi) e a felicidade regressou aos merengues (CR7 leva 156 golos em 153 jogos no Real e 119 golos em 107 jogos na Liga Espanhola). Nas restantes partidas, destaque para as goleadas do Valhadolid (6-1 ao Rayo Vallecano) e do Osasuna (4-0 ao Levante) e para a vitória do Granada sobre o Celta de Vigo (2-1).

Liga ZON-Sagres – A Académica entrou para o jogo da Madeira na 15ª posição e saiu no 4º lugar, depois de derrotar o Marítimo por 2-0 (Wilson Eduardo 11´e Marinho 43´). Em Barcelos houve jogo louco, com a vitória dos gilistas por 4-3 (tinham apenas 1 golo marcado e 2 sofridos) sobre o Moreirense (André Cunha 20´e 30´, Cláudio 45´g.p. e Halisson 78´; Ghilas 17´e 43´e Vinicius 34´). O Nacional venceu pela 1ª vez na Liga, na visita a Olhão. Rondon ofereceu a vitória no período de compensação (1-2 com golos de Abdi 56; Maurício 18´a.g. e Rondon 90´+1). O Beira-Mar continua sem ganhar, depois de empatar 1-1 frente ao Vit. Setúbal (Abel Camará 28´; Meyong 79´).

II Liga – Destaque para mais uma vitória de Belenenses e Sporting B, que aumentaram a vantagem na frente da II Liga. Os azuis do Restelo golearam o Tondela por 4-0, com golos de Diakité x2, Tiago Silva e Fernando Ferreira, enquanto os jovens leões foram ao reduto do Freamunde vencer por 2-0 (bis de Ricardo Esgaio, que é o melhor marcado da II Liga, com 7 golos), na estreia de Sunil Chhetri (entrou aos 88´). O Porto B, mesmo com os reforços Fabiano, Mangala, Abdoulaye, Kelvin e Iturbe, não foi além de um empate 1-1 frente ao Penafiel, com golos de Sergio Oliveira para os dragões (76´) e M´Bala (12´) para os visitantes. O Marítimo B continua imparável em casa (4 jogos, 4 vitórias e 7-0 em golos), depois de derrotar o Portimonense por 1-0 (Ricardo Alves aos 67´). O Benfica B empatou 0-0 na recepção ao Leixões, enquanto Sp. Braga B e Vit. Guimarães B não fizeram melhor que um 0-0 no derby minhoto. Restantes resultados: Santa Clara 1-1 Oliveirense (Platini 52´; Barry 56´); Feirense 3-1 U. Madeira (Oliveira 3´, Luciano 5´e Jorge Gonçalves 36´; Kiko 90´+2); Arouca 2-0 Atlético (Joeano 52´e Luis Pinto 76´); Trofense 1-1 Sp. Covilhã (Paulinho 40´; Tarcísio 66´); Naval 1-2 Desp. Aves (Toze Marreco 52´; João Paulo 41´e Vasco Rocha 80´).

Serie A – O Nápoles continua colado à Juventus, depois de bater a Sampdoria por 1-0 (golo de Cavani), enquanto a Lazio (2-1 ao Siena) e o Inter (2-1 à Fiorentina) também não desarmam. Contudo, o destaque do dia vai para Fabrizio Miccoli, que realizou um hat-trick, na 1ª vitória do Palermo na Liga (4-1 ao Chievo). O “pequeno bombardeiro” marcou o golaço do dia, a cerca de 45 metros da baliza (podem ver no facebook do VM). Udinese e Génova não saíram do 0-0, o Torino goleou a Atalanta por 5-1, fora de casa, o Pescara derrotou o Cagliari por 2-1 e o Bolonha goleou o Catania por 4-0 (bis de Gilardino).

Outros resultados – O Aston Villa não fez melhor que um empate 1-1 frente ao WBA, o Eintracht Frankfurt derrotou o Friburgo por 2-1 e segue a apenas 2 pontos do Bayern (o Wolfsburgo perdeu 2-0, em casa, frente ao Mainz) e o Ol. Marselha perdeu os primeiros pontos na Ligue 1, depois de ter sido goleado em Valenciennes (4-1, com um enorme erro de Mandanda, que podem ver no facebook do VM).

Sporting – Os sócios leoninos aprovaram por maioria (61.1%) o Relatório e Contas referente à temporada 2011-12, numa Assembleia Geral que se realizou hoje. Os nomes de João Rocha (futuro pavilhão) e Mário Moniz Pereira (Centro de Alto Rendimento do Atletismo) também foram escolhidos por unanimidade.

ModalidadesDani Pedrosa venceu o GP de Aragão, contudo, apenas recuperou 5 pontos para Jorge Lorenzo, que ficou na 2ª posição (têm uma diferença de 33 pontos). Dovizioso foi 3º e está a apenas 7 pontos de Casey Stoner, que ainda não competiu; Miguel Oliveira terminou a Moto 3 na 8ª posição, mantendo o 9º lugar na geral; António Félix da Costa voltou a fazer uma excelente corrida em França, no World Series 3.5 by Renault, terminando a 2ª corrida no 2º lugar (o 6º lugar está cimentado, enquanto o 4º lugar está a apenas 6 pontos, quando falta apenas o GP da Catalunha).

PS - Fantasy da Liga Zon Sagres (veja os códigos aqui) - Balanço da jornada? A equipa do Visão de Mercado fez 92 pontos.
PS2 - Fantasy da Premier League (veja os códigos aqui) - Balanço da jornada? A equipa do VM fez 42 pontos.

O Visão de Mercado não podia ficar indiferente ao clássico do próximo domingo, pelas 20h45, entre FC Porto e Sporting, e como tal, vai questionar os leitores sobre qual o melhor jogador em cada posição, confrontando aquele que é o melhor 11 disponível na nossa opinião, de ambas as equipas. Um jogo que se afigura decisivo para os leões, pois em caso de derrota, ficarão a 8 pontos do 1º classificado (fora da rota do título), sendo que mesmo o empate não servirá aos intentos leoninos (já que Benfica e Braga podem igualmente ganhar uma margem pontual considerável). Os dragões procuram continuar na senda da invencibilidade (para o campeonato já não perdem em casa desde 2008), mas acima de tudo, sair da jornada 6 na frente da Liga (nesta fase, com as águias coladas aos portistas e os gverreiros apenas a 1 ponto, um deslize poderá significar a queda para o 3º lugar). Começando pela baliza, dois guardiões com estilos e idades diferentes. De um lado o jovem internacional português (muito forte entre os postes e nas saídas, mas que peca no jogo de pés e visão de jogo) e do outro o já "trintão" brasileiro (um dos 5 melhores do Mundo em termos de jogo de pés e visão de jogo mas menos forte que o sportinguista ao nível das saídas). Melhor guarda-redes: Helton (FCP) ou Rui Patrício (SCP)?

29 de Setembro de 2012

Premier League – Tarde emotiva na liga inglesa, com duas grandes partidas em destaque. O Tottenham de André Villas-Boas viajou até Old Trafford para “matar um borrego” de 23 anos (vitória por 3-2). Vertonghen (2´) e Bale (32´) colocaram os spurs na frente, contudo, em 3 minutos loucos, o resultado passou para 2-3. Primeiro foi Nani a reduzir (51´), Dempsey (52´) voltou a colocar a diferença em dois golos e Kagawa fez o 2-3 final (54´). Os londrinos subiram ao 5º lugar, a 5 pontos do Chelsea. Precisamente o blues de Londres derrotaram o Arsenal por 2-1, no Emirates (1ª derrota dos gunners na liga). Fernando Torres fez o 0-1 aos 20´, Gervinho igualou aos 42´, mas Mata sentenciou a partida aos 53´. Ainda em Londres, o Manchester City suou para bater um Fulham combativo. Petric inaugurou o marcador de grande penalidade (10´), mas Aguero (44´) e Dzeko (87´) operaram a reviravolta (o bósnio tinha entrado um minuto antes). O Liverpool finalmente ganhou para a liga, e que vitória! Os reds deslocaram-se ao terreno do Norwich e venceram por 5-2, com Luis Suárez em destaque (hat-trick). O Everton aproveitou a veia goleadora de Jelavic (bisou) para subir ao 2º lugar na PL, depois da vitória por 3-1 sobre o Southampton. Reading e Newcastle empataram 2-2 (bis de Demba Ba), enquanto o Sunderland derrotou o Wigan por 1-0 e somou a 1ª vitória (Fletcher marcou todos os 5 golos dos black cats), tal como o Stoke City (2-0 ao Swansea, com bis de Peter Crouch). Campeonato ao rubro? Que balanço destas primeiras 6 jornadas?

Bundesliga – O Bayern Munique voltou a vencer na liga alemã e soma 6 vitórias em 6 jogos. Os bávaros sentiram dificuldades para marcar em Bremen, conseguindo isso apenas aos 81´e 84´, por Luiz Gustavo e Mandzukic. O Bor. Dortmund igualou o Schalke 04 (2-2 em Dusseldorf) no 3º lugar, depois de “despachar” o Bor. Moechengladbach por 5-0 (bis de Reus, Subotic, Gundogan e “Kuba”). O Estugarda venceu pela 1ª vez (2-0 em Nuremberga), o Hamburgo derrotou o Hannover 96 (1-0), o Bayer Leverkusen derrotou o Greuther Furth (2-0) e o Hoffenheim-Augsburgo terminou 0-0. 

Ligue 1 – O PSG derrotou o Sochaux por 2-0 e aproximou-se do Ol. Marselha (joga amanhã em Valenciennes). Kevin Gameiro estreou-se a titular em 2012-13 e, com golos aos 11´e 33´, foi o homem do jogo. Nas partidas já realizadas, destaque para mais um desaire do Lille (0-2 em Rennes) e para a vitória do Montpellier no terreno do Nancy (2-0). O Toulouse derrotou o Troyes por 2-0, o Ajaccio derrotou o Brest por 1-0, enquanto o Evian-Lorient terminou 1-1 e o Nice-Bastia terminou 2-2.

Serie A – A Juventus não foi de meias medidas e regressou às vitórias, numa partida frente à AS Roma (4-1). Os romanos não aguentaram a entrada forte da vecchia signora, que aos 19 minutos já vencia por 3-0 (Pirlo, Vidal e Matri). Osvaldo reduziu no segundo tempo e Giovinco fechou o marcador em cima do minuto 90. O AC Milan continua longe da melhor forma e empatou 1-1 no terreno do Parma.

La Liga - O Barcelona continua imbatível na frente da liga espanhola, depois de operar uma remontada em Sevilha. Os catalães estiveram a perder por 2-0, mas deram a volta no período de compensações (2-3). A partida ficou marcada pela polémica. Trochowski (26´) e Negredo (48´) colocaram os andaluzes na frente do marcador, enquanto Fàbregas reduziu aos 53´. Contudo, aos 72´, o médio ofensivo espanhol "fez fita" e acabou por ver Medel expulso por uma suposta agressão (que não existiu). Aos 89´, Messi encontrou Fàbregas na área, que rematou para o 2-2 (lance irregular, pois segundos antes, Thiago recuperou a bola ao Sevilha com o braço) e David Villa consumou a reviravolta aos 93´. Durante a tarde, o Málaga derrotou o Betis por 4-0, a Real Sociedad bateu o rival Ath. Bilbao por 2-0 e o Valencia derrotou o Saragoça também por 2-0.

Modalidades - António Félix da Costa venceu a 1ª corrida do GP de França na World Series 3.5 by Renault e subiu ao 6º lugar da geral. O português tem feito uma trajectória interessante nos últimos 2 meses (2 vitórias, um 2º lugar, um 4º lugar e um 5º lugar) e sonha com a chegada à F1; O Benfica conquistou a Supertaça de Hóquei em Patins (9-5 à Oliveirense); Marcos Freitas falhou o apuramento para os quartos-de-final da Taça do Mundo de Ténis de Mesa, depois de ter cedido perante o bielorrusso Samsonov , nº14 do ranking mundial (2-4). O português tinha perdido 4-0 contra o chinês Xu Xin (nº 3) e derrotado o britânico Liam Pitchford (4-1); "Purito" Rodriguez foi o mais rápido no Giro de Lombardia (1º espanhol a vencer a clássica) e subiu ao 1º lugar do ranking de 2012 (Samuel Sanchez foi 2º e Rigoberto Uran 3º). 

PS - Fantasy da Liga Zon Sagres (veja os códigos aqui) - Balanço da jornada? A equipa do Visão de Mercado fez 92 pontos.

PS2 - Fantasy da Premier League (veja os códigos aqui) - Balanço da jornada? A equipa do VM fez 35 pontos.

Rio Ave 2-2 FC Porto (Tarantini 78' e 85'; Miguel Lopes 33' e Jackson 90')

Os azuis e brancos tiveram o pássaro na mão, mas saíram de Vila do Conde apenas com um empate tremido (Jackson evitou a derrota dos dragões no minuto 90). O conjunto de Vítor Pereira (apesar de realizar apenas uma exibição q.b.) parecia ter a partida dominada, mas (talvez devido ao encontro da Liga dos Campeões frente ao PSG) adormeceu e um erro de Maicon (foi infantil na saída de bola) permitiu ao Rio Ave entrar no jogo. Os vilacondenses passaram mesmo para a frente do marcador já perto do fim (noite de sonho de Tarantini), mas o Porto respondeu bem e conseguiu ainda chegar ao empate. Este resultado deixa o FC Porto e Benfica no topo da tabela, em igualdade pontual, com o Braga apenas a 1 ponto. O campeonato está ao rubro.

Destaques

FC Porto - Dominou a partida até ao minuto 70. Miguel Lopes na sequência de um livre na 1ª parte fez o 1-0, e os azuis e brancos, mesmo sem carregar no acelerador foram sempre superiores. No 2º tempo James podia ter feito o 2-0 (belo remate à barra), Vítor Pereira colocou Varela e Fernando, mas a equipa aos poucos ia adormecendo. Maicon não ajudou com o erro defensivo que teve, e Jackson acabou por salvar os dragões com um excelente cabeceamento já no final. Veremos que impacto vai ter este empate no desafio frente ao PSG e no clássico da próxima jornada diante do Sporting.

Rio Ave - Voltou a tirar pontos a um "grande". Soube aproveitar o adormecimento portista e mesmo antes do erro de Maicon, já tinha por intermédio de Edimar e Tarantini tido alguns bons envolvimentos ofensivos. Uma equipa com bons valores individuais que acabou por ser premiada pela boa 2ª parte que fez.

Tarantini - A grande figura do jogo. Bisou: muito mérito no 1º golo e um remate espectacular no 2º, e juntou a isso uma exibição esclarecida e importante no meio campo (Lucho e Moutinho pouco deram ao jogo em termos ofensivos).

Miguel Lopes - Um golo e uma assistência. Continua a justificar o porquê de sentar no banco Danilo o senhor "17,8 milhões de euros" (a quantia que custou ao Porto). Foi (até pelo envolvimento ofensivo) a melhor unidade dos azuis e brancos.

Edimar/Braga - Duas boas exibições. O brasileiro é um dos melhores laterais esquerdos a actuar em Portugal (esteve seguro defensivamente e ainda tentou a sua sorte no ataque); enquanto que o ala ao lado do lento João Tomás e do precipitado Esmael deu outra qualidade ao nível da decisão no ataque.

Maicon - Um erro que custou 2 pontos. A displicência na saída de bola é um pouco fruto do próprio adormecimento colectivo, mas essa perda de bola numa zona proibida mancha claramente este seu bom inicio de época.

James - Foi o melhor elemento ofensivo do Porto. O que mais criou, e o que mais participou. Participação directa no 1º golo, um remate à barra e bem mais esclarecido que Moutinho e Lucho: os 2 médios acrescentaram pouca qualidade, o português continua a jogar lento e a decidir mal no último terço (na parte final da partida optou sempre mal, lateralizou demasiado quando se pediam passes de ruptura).

Sporting 2-2 Estoril (Anderson Luís 75' p.b. e Wolfswinkel 83'; Steven Vitória 45' g.p.e Luís Leal 57')

O Sporting já entrava para esta Liga com "armas" inferiores a Benfica e FC Porto (a nível de individualidades as diferenças são gritantes) e até no que diz respeito ao Braga (os minhotos são mais regulares e tem uma maturidade competitiva muito superior), não conseguindo fazer pelo menos 13 pontos nas 5 primeiras jornadas (encontros acessíveis) ia condicionar em muito as suas ambições ao título. Ora, o clube leonino não só não conseguiu fazer 15/13 pontos como nesta fase só tem 6 pontos. Hoje os leões não foram além de um empate em Alvalade frente ao Estoril. Resultado que valoriza a boa exibição dos recém-promovidos à I Liga e que penaliza mais uma 1ª parte miserável do emblema leonino. O Sporting (tem sido assim nos últimos jogos) voltou a correr atrás do marcador depois de um erro individual (Cédric voltou a facilitar), Vagner com várias defesas de enorme qualidade evitou a vitória dos leões, mas a verdade, é que à excepção de Viola e Izmailov o restante conjunto leonino (a falta de regularidade de Rinaudo, Capel, Carrillo, etc, é incrível, o que penaliza em muito a equipa) pouco fez por merecer outro resultado. Este empate deixa Sá Pinto no "fio da navalha", apesar de o Sporting manter intactos os 2 objectivos para esta época: conquistar um dos 4 troféus que disputa (o que já não consegue há 4 anos) e garantir a presença na próxima edição da Liga dos Campeões.

No que diz respeito à partida, Sá Pinto apostou no 4-2-3-1, mas os leões pouco produziram em termos ofensivos na 1ª parte. Já o Estoril personalizado e perigoso nas transições, no último minuto chegou à vantagem. Steven Vitória converteu o penalty que Cedric fez de maneira infantil sobre Luís Leal. No 2º tempo a equipa da Linha novamente numa transição ofensiva chegou mesmo ao 2-0, Gerso aproveitou o desequilíbrio leonino depois de um pontapé de canto, conduziu a bola e isolou Luís Leal, que não teve problemas em bater Patrício. No minuto seguinte Gonçalo Santos é expulso, Sá Pinto mexe na equipa e o Sporting começa a criar mais perigo. Izmailov apareceu em grande, criou muitos desequilíbrios e os leões chegaram mesmo ao empate. Primeiro um auto-golo de Anderson depois de uma cabeceamento de Viola e depois por Wolfswinkel que desviou bem um remate de André Martins. Nos últimos 10m o clube leonino dispôs de várias oportunidades para fazer o 3-2, mas Vagner foi o herói do Estoril e evitou sempre o golo do Sporting. 

Destaques

Sporting - Apenas 6 pontos em 5 jornadas é muito pouco para um candidato ao título. Os leões não conseguem um ciclo de vitórias (precisavam desse reforço anímico), vão voltar a sofrer com a pressão externa (e é um clube que lida tão mal com isso...veremos como será a Assembleia Geral do clube leonino), e chegam ao Dragão com uma diferença pontual considerável. Nota para a utilização de Betinho (a ligação dos "grandes" com a equipa B é sempre positiva).

Sá Pinto - Equipa lenta, sem chama, e pouco dinâmica. O treinador leonino continua a ser traído pelos jogadores. Xandão e Cédric tem cometido erros individuais que prejudicam a equipa e que deixam um Sporting (já tremido) sempre a correr atrás do marcador, Rinaudo, Capel, Carrillo, grande parte do elenco, são demasiados irregulares (oscilam entre boas exibições e nulidades), o que condiciona e muito a estratégia (por norma os técnicos dão continuidade aos bons momentos dos jogadores, mas o problema é que no Sporting poucos fazem 2 jogos seguidos a bom nível). No entanto, os leões tinham a obrigação de fazer mais e melhor.

Cédric - Como o VM tinha referido anteriormente, o lateral português não apresenta, nesta fase, qualidade para ser titular numa equipa como o Sporting (muitos disseram que era um craque, o melhor da liga na sua posição, entre outras coisas). Já há vários jogos que tem cometido erros decisivos e, apesar da assistência para Viola, não é suficiente (colocá-lo a bater livres também não se percebe). A despromoção de Árias para a equipa B faz cada vez menos sentido.

Viola/Wolfswinkel - Duas das poucas exibições positivas dos leões. O argentino foi decisivo no 1-2, mostrou ter capacidade para desequilibrar nos dois flancos e exibiu-se em excelente nível. Já o holandês, somou o terceiro jogo consecutivo a marcar para a liga, recuperou inúmeras bolas (que Capel perdeu ou desperdiçou) e foi assertivo em termos de decisão.

Capel/Carrillo - Estes dois jogadores explicam grande parte da diferença do Sporting para os outros grandes. Exibições muito fracas. O espanhol não dá sequência a uma jogada - hoje podia ter colocado a bola no espaço central por diversas vezes e optou por rematar sem ângulo, no caso mais flagrante demorou uma eternidade e acabou por fazer um passe ao guarda-redes -, enquanto que o peruano esteve pouco concentrado e muito lento (já começa a ser assobiado pelos impacientes adeptos leoninos).

Izmailov - De longe o jogador com mais qualidade neste Sporting, até se deve sentir mal quando vê Capel e Carrillo tomarem tantas decisões erradas ao longo do encontro. Sabe sempre o que fazer com a bola.

Estoril - Excelente. Tem qualidade para realizar um campeonato tranquilo e ficar a meio da tabela. O móvel trio de ataque composto por Luís Leal, Gerso e Licá mostrou ter bastante potencial (velocidade e capacidade de desequilíbrio), o médio ofensivo Carlos Eduardo tem bom toque de bola e foi o elo de ligação entre o meio campo e os homens da frente. Em termos defensivos, os dois centrais S.Vitória e Nascimento foram imperiais (mais dificuldades para os laterais). 

Recém promovido à Bundesliga, o Eintracht Frankfurt é por esta altura a grande sensação do imprevisível campeonato alemão. Com 5 jogos disputados, o emblema da capital financeira da Alemanha segue na segunda posição, fruto de 4 vitórias e um empate (frente ao Dortmund). O técnico Armin Veh formou um conjunto sólido e competitivo, sem grandes estrelas. O líder da defesa é o peruano Zambrano, enquanto que o austríaco Hoffer tem estado bem na finalização. A revelação da equipa tem sido, no entanto, o japonês Takashi Inui. No Japão representava o Cerezo Osaka (tal como Kagawa ou Kiyotake, que também vai brilhando em Nuremberga), foi contratado ao Bochum e tem mostrado toda a sua qualidade (leva já 3 golos e 2 assistências). Actua preferencialmente sobre o lado esquerdo, conjugando movimentos verticais com diagonais interiores (o seu futebol cresce, foi assim que marcou os seus 3 golos). Nesta fase, praticamente todos os clubes alemães têm um jogador nipónico. São contratados a preços baixos, adaptam-se facilmente, rendem desportivamente e dão projecção ao emblema pela Ásia. É apostar clubes portugueses, é apostar... Até onde pode chegar o Frankfurt? Pode Inui ser o novo "Kagawa" (pelo preço e pelo facto de estar a revolucionar a qualidade da equipa)? O que falta para os clubes portugueses apostarem no mercado nipónico (Hulk chegou a Portugal proveniente dessa Liga com os resultados que se conhecem)? 

A NBA regressa em Outubro e voltamos a ter uma época regular normal. O ano passado, com a falta de entendimento entre jogador e liga, tivemos uma época regular altamente adulterada cujo efeito foi claro. As equipas tiveram durante a temporada um número anormal de lesões, houve poupanças de jogadores e quebras de rendimento devido ao ridiculamente intenso calendário de jogos. Este ano voltamos às longas distâncias e deixamos os sprints. Precisamente devido à longa época regular e ao facto das séries nos playoff serem à maior de 7 jogos, a NBA é mais fácil de prever que, por exemplo, a NFL. Há sempre surpresas, equipas que encaixam melhor do que uma pessoa espera, jogadores que surgem com um nível que ninguém antecipava. Esquecendo surpresas, apresentamos as equipas mais fortes da liga. Num 1º patamar de favoritismo temos 3 equipas que são claramente as melhores equipas da NBA. Podem ter uma série horrível algures nos playoff, pode haver lesões e apesar das estatísticas serem boas os aviões ainda caiem. Mas fora qualquer desastre, 2 destas vão estar na final da NBA.

Miami Heat
Tem o título do ano passado, têm o melhor jogador da liga. Não é mau currículo. Mais que isso, melhoraram a equipa. As adições de Rashard Lewis e de Ray Allen dão mais profundidade ao plantel. Talvez Miami ainda procure mais ajuda para a posição de poste. É claramente o seu ponto mais fraco, mas com o 5 que Miami tem usado nas alturas importantes, Lebron a 4 (PF) e Bosh a 5 (C), e com os excelentes resultado que têm conseguido talvez não seja mesmo necessário. Ray Allen junta-se a Mike Miller como armas ofensivas de banco, Rashard Lewis pode perfeitamente jogar a 4 e, se a atitude dele for a melhor e mentalmente estiver bem, é uma óptima adição. Um bom jogador que é versátil, com óptima percentagem de lançamento, capaz de a mostrar de qualquer lado do campo e que está finalmente a ganhar aquilo que devia. Lebron vai voltar ainda melhor e Miami já vai para o 3º ano com o mesmo núcleo forte. Se a intensidade do final da época estiver lá, com certeza que estarão na final.

Los Angeles Lakers
Nash, Kobe, Gasol, Howard. Qualquer que seja o outro jogador deste 5 inicial, ele vai acabar por pedir uns autógrafos no balneário. Os Lakers estão de volta à elite, consequência de um conjunto fantástico de decisões na offseason. A média de idade deste grupo não faz com que este seja um grupo apostado em criar uma dinastia. Os Lakers só pensam em ganhar já. Agora. Bola ao ar, ganhar. Gasol está na realidade na fase descendente da carreira, mas com Howard ao lado será se calhar a melhor fase descendente de sempre. Defensivamente o espanhol vai ter muito menos trabalho este ano, o que lhe permite estar muito mais forte no ataque. E com um jogo interior como este, e Kobe cá fora à espera dos 2 para 1, esta equipa é assustadora. Nash terá a batuta da orquestra, e assim Kobe e ele encaixem bem, esta é a equipa a bater em Oeste. E não se se distraiam com o Fab Four, os Lakers trabalharam para ter opções válidas para completar e para rodar estes veteranos. Artest (Metta World Peace), provavelmente o jogador que irá mais vezes completar o 5 inicial, Chris Duhon, Steve Blake, Antwan Jamison, Jordan Hill e principalmente Jordan Meeks são um grupo interessante que completa a, provavelmente, melhor unidade titular da liga. Vamos ver se Mike Brown tem qualidade para estar à altura do 5 que tem. Se Phil Jackson treinasse…Mais vale não pensar.

Oklahoma City Thunder
Toda a gente gosta de OKC. São jovens, têm postura e têm humildade. Kevin Durant tem a unanimidade popular que Lebron ou Kobe nunca tiveram. E se calhar é esse o problema. Durant precisava de explodir. Não em termos de qualidade, que isso não lhe falta. É discutivelmente o 2º melhor jogador da liga. Mas a atitude não é de campeão ainda. Porque para ser campeão não é preciso ser popular, ou simpático, ou humilde. É preciso ser, por vezes, arrogante, manhoso e odiado. Esta equipa é um pouco assim. Todos gostam dela. E com razão. Têm um basquetebol vivo, rápido e espectacular. Têm talento que nunca mais acaba no trio Durant/Westbrook/Harden. Tem a figura simpática de Ibaka, que passou por imensas dificuldades até chegar à NBA, e que agora é um dos jovens mais promissores da liga. Até tem a hilariante barba de Harden que é mais uma característica apelativa desta equipa. Mas isso não chega. A adição de Perkins foi a primeira noutro sentido. No sentido de tornar esta equipa menos bonita e mais vencedora. Já com experiência de final, depende agora deste miúdos, porque ainda são, tirando Perkins, todos miúdos, de apresentarem uma atitude de campeões e não de gajos porreiros. O front office draftou muitíssimo bem Perry Jones III. Perry Jones era projectado como escolha de draft top 5 no início do ano, mas um potencial problema no joelho assustou muitas equipas. Pode eventualmente ser o “roubo” deste draft, e encaixará que nem uma luva nestes Thunder. Mas à excepção disso, não houve mais movimentações para melhorar a equipa. Miami, que lhes ganhou na final no ano passado, melhorou. Lakers renovaram-se e melhoraram muito. OKC, à excepção de um rookie que pode ou não ter sucesso na NBA, não acrescentou qualidade ou profundidade à equipa. Mas estão aqui porque o salto que OKC tem de fazer não está em acrescentar pessoal mas sim em melhorar quem está lá. Esta é a equipa do futuro da NBA. Veremos se o futuro é já este ano.

Vão conseguir os Heat revalidar o título? Allen e Rashard Lewis (2 dos melhores triplistas da história da NBA) são adições importantes? Ou os Lakers agora com um Fab Four são o principal candidato ao anel (Jamison poderá ser igualmente decisivo neste conjunto)? E por último, conseguirão os OKC, já mais maduros, contrariar esta bipolaridade (que já se verifica em termos de mediatismo, algo que irá durar até final da época), e derrotar Heat e Lakers? 

A SAD do Sporting aprovou o Relatório e Contas relativo ao exercício de 2011/12, com 348.241 votos a favor, 126 contra e duas abstenções, em assembleia-geral que aprovou, ainda, um voto de solidariedade a Luís Duque.

No que diz respeito ao futebol profissional, segundo a Agência Lusa, um accionista questionou Godinho Lopes acerca da reduzida percentagem que o Sporting detém dos principais jogadores susceptíveis de valorização, nomeadamente Carrilo (30 por cento), André Martins (35 por cento), Cédric (30 por cento), Insua (35 por cento), Rinaudo (35 por cento) e Ricky van Wolfswinkel (35 por cento). O presidente leonino revelou ter recebido uma proposta de 14 milhões por Ricky van Wolfswinkel, 12 milhões de euros por Carrilo, outra de seis milhões por Insua, mas não respondeu à questão de como iria dar a volta à situação financeira com uma parte significativa dos activos desportivos alienados. Fez bem Godinho em recusar as 3 propostas? VM - Voltamos a referir que o Sporting é um clube que vende mal (valores muito inferiores à concorrência), apresenta dificuldades em colocar excedentários, escolhe mal o timing das vendas e que por norma tem a tendência de desvalorizar activos que numa 1ª fase ganham muito mercado (Vukcevic, Djaló, Moutinho, Veloso, etc). No entanto, só o futuro dirá se esta foi ou não uma boa decisão. Recordamos que apenas Nani saiu de Alvalade por uma quantia superior a 16 milhões de euros. Analisando individualmente, todos na teoria tem condições para sair por valores mais interessantes. Wolfswinkel este ano deve marcar pelo menos 30 golos o que aliado ao facto de haver poucos avançados no mercado, irá certamente valorizar o seu passe; Carrillo é um diamante (juntamente com James, Salvio e Gaitán é o elemento mais entusiasmante da liga portuguesa), e por ser um jogador raro (técnica, velocidade e capacidade de desequilíbrio) pode perfeitamente constituir o maior encaixe de sempre do Sporting. O problema é que nem sempre os adeptos leoninos tem paciência para jogadores como o peruano (Figo, Quaresma, Nani, etc, foram assobiados em Alvalade), algo que por norma os desvaloriza; E Insúa goza da certeza de o futebol actual apresentar uma enorme escassez em relação à posição de lateral esquerdo. No entanto, lesões, ausência de títulos, mau momento colectivo (algo que em Alvalade já dura há 4 anos), erros em jogos importantes, podem contrariar toda esta teoria.

28 de Setembro de 2012

Vit. Guimarães 0-2 Sp. Braga (Éder 54' e Hugo Viana 85')

Derby sem intensidade, pouco emotivo e algo incaracterístico (houve menos equilíbrio que é habitual e principalmente menos "agressividade" positiva), mas com um vencedor justo. O Braga foi superior, voltou a demonstrar que é uma equipa com muita maturidade competitiva e derrotou um Guimarães que à excepção de uma cabeçada de Ricardo (ainda na 1ª parte) e uma bola ao poste já em cima do minuto 90 quando o resultado estava em 0-2, não teve uma verdadeira oportunidade de golo (aliás, apesar de jogar em casa nunca demonstrou argumentos para conseguir alterar o rumo da partida).

No que diz respeito à partida, o 1º tempo teve poucos motivos de interesse. O Guimarães tentou desequilibrar nas transições ofensivas, Ricardo ainda fez um remate de cabeça com algum perigo, mas foi sempre muito curto. O próprio Braga à excepção de um lance onde Hélder Barbosa (rematou de pé direito) podia ter feito melhor e outro em que Éder ia aproveitando um deslize do guardião Douglas, pouco ou nada fez. Na 2ª parte tudo mudou, Alan e Éder fabricaram o 1-0 logo a começar, boa jogada individual do brasileiro e o português a ter só de encostar. Com o golo os gverreiros controlaram a partida com relativa facilidade. Em termos defensivos nunca foram testados, fizeram uma posse de bola inteligente e Micael (completamente endiabrado em termos ofensivos) permitiu ao Braga ter sempre bola em zonas de segurança. O Vitória praticamente nem conseguiu reagir ao resultado. Já perto do fim, Viana fez o 0-2 e fechou o encontro.

Destaques

Vit. Guimarães - Apesar da vontade do conjunto a verdade é que um elenco com pouca qualidade. A equipa tem muitas limitações, vive um pouco dos desequilíbrios de Ricardo e hoje, as alterações em vez acrescentarem algo tiveram um efeito contrário, tal é a falta de profundidade no banco. N'Diaye continua a ser desconcentrado em termos defensivos, o meio campo não tem dinâmica (surpreende a ausência de Barrientos), e a nível ofensivo Soudani exagera no individualismo. Nota apenas para a boa exibição de Addy. Esteve seguro na defesa e tentou dar alguma profundidade ao seu corredor.

Sp. Braga - Exibição q.b. mas com muita maturidade. Para a história fica o quebrar de um jejum (os gverreiros não venciam em Guimarães desde a época 2005-06). Éder continua a dar cartas (3 golos nos últimos 2 jogos. Nem sempre joga bem com os apoios, mas hoje foi decisivo); Alan voltou a desequilibrar (excelente a maneira como driblou João Gonçalves no 1-0 e assistiu Éder); Custódio é cada vez mais o patrão da equipa (mais uma exibição em cheio); Douglão e Vinicius estiveram seguros defensivamente;  Baiano e Elderson acrescentaram pouco em termos ofensivos; Hélder Barbosa foi importante na maneira como soube gerir os tempos de jogo (ganhou faltas e deu profundidade); Viana apontou um golo e no 2º tempo foi importante na circulação de bola inteligente do Braga; E Micael foi decisivo (entrou bem na partida, participou no 2-0, e conseguiu ter sempre bola em espaços importantes). 

Paços de Ferreira 1-2 Benfica (Cícero 7´; Lima 8´e 71´)


Os encarnados somaram a 3ª vitória no campeonato, depois de uma partida complicada na Mata Real. O Paços começou melhor, conseguiu equilibrar a partida durante os primeiros 45 minutos, mas não resistiu a erros defensivos, bem aproveitados por Lima. O avançado brasileiro marcou pela 3ª vez em apenas dois encontros oficiais ao serviço do Benfica. 

O jogo começou e foi logo interrompido, após falha geral de luz em Paços de Ferreira. Após o recomeço, o Paços chegou ao golo, na melhor jogada de todo o encontro. Hurtado serviu Diogo Figueiras de calcanhar, que cruzou para o desvio certeiro de Cícero. Um golo que podia ter trazido intranquilidade e nervosismo ao Benfica, não fosse Lima ter igualado na jogada seguinte. Livre para a área do Paços, cabeceamento de Jardel e erro de Cássio, que permitiu ao avançado brasileiro marcar pela 2ª vez na Liga 2012-13. Até ao intervalo, o jogo foi bastante disputado a meio campo, o Benfica ainda conquistou vários cantos, mas apenas por uma vez ficou perto do golo, quando Lima (defesa de Cássio) e Salvio (rematou ao lado, dentro da pequena área) desperdiçaram uma oportunidade clara.

Para o 2º tempo, Jorge Jesus colocou Gaitán no lugar de Nolito e o argentino quase marcava na sua primeira acção de jogo. Cássio voltou a falhar, mas a sua defesa incompleta levou a bola a embater na trave. Pouco tempo depois, foi Enzo Pérez a ficar perto do golo, mas o desvio sobre Cássio não levou a direcção da baliza. Foi com Carlos Martins em campo, que Lima voltou a marcar e ofereceu a vitória ao Benfica. Maxi Pereira aproveitou a cerimónia na defesa pacense e a bola sobrou para o remate certeiro do avançado brasileiro. Em desvantagem no marcador, Paulo Fonseca arriscou tudo no banco, mas foi o Benfica a ficar mais perto do 1-3. Lima (isolado, atirou por cima), Gaitán (rematou contra Cohene, em excelente posição) e Salvio (em posição privilegiada na área pacense) falharam ocasiões claras de golo, que ainda deram uma réstia de esperança ao Paços. A equipa da casa ainda chegou a assustar Artur, no período de compensações. Caetano rematou com perigo, perto do poste, enquanto Vítor tentou a sua sorte de livre directo (defesa de Artur). 

Destaques:

Benfica - Partida complicada para a equipa de Jorge Jesus, que voltou a mostrar dificuldades na transição ofensiva (após a entrada de Carlos Martins tudo ficou mais fácil) e a desperdiçar muitas oportunidades de golo. Jorge Jesus voltou a não ser feliz na aposta no extremo do lado esquerdo (Bruno César e Nolito estão a ter um início de temporada desastroso), enquanto Lima mostrou argumentos para ser a primeira opção ofensiva dos encarnados.

Paços de Ferreira - Excelente primeira parte dos pacenses, com uma atitude positiva e aguerrida nas partidas da Mata Real. À semelhança dos seus antecessores, Paulo Fonseca, construiu uma equipa bastante competente e que não "estaciona" um autocarro para tentar resolver no contra ataque. Contudo, esta noite, dois erros infantis custaram pontos à sua equipa e a 1ª derrota na Liga. Cássio mostrou algum nervosismo (erro no 1º golo e uma sorte enorme noutro lance na 2ª parte), Ricardo, Cohene e Tony falharam no lance do 2º golo, enquanto Luiz Carlos, André Leão e Vítor mostraram qualidade no meio campo e Cícero apresentou argumentos para ser um dos destaques do Paços de Ferreira na Liga (capacidade de finalização e uma compleição física impressionante).

Lima - Estreia a titular no Benfica, dois golos marcados e grande mérito na vitória do seu novo clube. O avançado brasileiro soube estar no sítio certo e aproveitar os deslizes adversários, mostrando argumentos para ser a principal unidade ofensiva dos encarnados. Podia ter chegado ao hat-trick, mas tentou um chapéu a Cássio, quando podia ter resolvido de outra forma.

Enzo Pérez - Boa exibição do médio argentino. Depois de uma primeira parte mais complicada e de muita luta a meio campo, o médio centro encarnado apareceu em excelente nível na segunda parte. No aspecto defensivo esteve insuperável (recuperou várias bolas, com a sua pressão), enquanto tentou levar a equipa para o ataque através da sua técnica (podia mesmo ter marcado, quando surgiu isolado perante Cássio).

Nolito/Gaitán - O espanhol fez 45 minutos de fraco nível, enquanto Gaitán teve influência no melhor rendimento do Benfica na segunda parte. Ficou perto do golo por duas ocasiões.

Maxi Pereira - O uruguaio está bastante longe das exibições do ano passado. Bastante lento e previsível no apoio ao ataque, alguns cruzamentos sem critério e dificuldades perante Hurtado. Mesmo assim, foi importante para o triunfo encarnado, pois fez a recuperação/assistência para o remate de Lima.

Melgarejo/Salvio - O lateral paraguaio não passou por dificuldades na defensiva, mas não conseguiu dar verdadeiro apoio a Nolito e Gaitán, enquanto Salvio, longe do que já mostrou este ano, ainda construiu alguns lances de golo, que foram desperdiçados.

Começo por fazer um agradecimento ao actual Presidente do Benfica, e ao seu antecessor e ao Sr. Mário Dias. Os senhores enriquecerem o património do Benfica! O Benfica tem hoje um estádio moderno e confortável. O Benfica tem um excelente centro de estágios. E o Benfica está a uns dias de inaugurar um museu que seguramente a todos nos orgulhará! Devo até dizer-lhe que muitas dessa operações de financiamento estavam até muito bem pensadas. Se tudo corresse como o previsto, o “project finance” do estádio previa que este estaria pago em 2012 e o centro de estágios era pago pelo naming da CGD.  No entanto, algures no percurso algo começou a correr mal. Algo começou a correr demasiado mal. O estádio em vez de estar pago em 2012 passou para 2024! O dinheiro começou a ser desviado para outras coisas.Para salários milionários, para comprar jogadores que nunca jogaram um só jogo oficial pelo Benfica. É claro que o passivo não pára de aumentar! A mania das grandezas, a megalomania tomou conta desta Direcção. Os custos dispararam. Hoje o Benfica tem tudo aquilo de que eu falei, mas só há um problema: nada está pago!

Depois de termos conhecido as contas consolidadas da SAD e depois de conhecermos as contas do Clube, apenas posso dizer uma coisa ao actual Presidente do Benfica: o senhor levou o Benfica a uma situação de falência técnica. Não me venham falar nas vendas de Javi Garcia e de Witsel, uma vez que nas contas também não estão reflectidas as compras e outros gastos avultados.  Mas uma coisa é certa, e ninguém o pode negar, nestas contas já estão as vendas do Ramires, do David Luís, do Di Maria, do Fábio Coentrão. A manter-se o ciclo dos últimos anos, no próximo ano o passivo crescerá e já estarão contabilizadas as vendas do Javi e do Witsel, mas dir-nos-ão que não estarão as vendas de outros jogadores quaisquer que obrigatoriamente o Benfica terá que vender porque o desespero assim o obrigará. E tudo isto para quê? O Benfica está em falência técnica para quê? Para perdermos 7 campeonatos em 9 anos?

É certo que o Benfica construiu um estádio, um centro de estágios, um museu... mas não pagou nada. É como o país que andou a construir auto-estradas, mas não estão pagas. Até queríamos construir um aeroporto e um TGV.  Mandar fazer não é a parte difícil. A parte difícil é pagar. Temos que ser nós todos a pagar essas coisas agora com os nossos impostos, com os nossos salários, com os nossos subsídios ou até com as nossas pensões. O responsável por todo esse desvario foi viver para Paris. No Benfica também nada está pago. Também já tivemos um ex-Presidente que fugiu para Londres. Espero que essa situação nunca mais se repita no Benfica! Mas afinal qual é o rumo do Benfica? É que temos um Presidente que um dia diz que vamos ter um plantel que fará inveja à Europa e passados poucos dias diz que temos que vender jogadores. Temos um presidente que luta contra o apito dourado e depois apoia o Administrador da SAD do Porto, o Dr. Fernando Gomes para Presidente da FPF. Temos um Presidente que no sábado está bom para inaugurar casas do Benfica, mas no domingo já está doente para ir a um jogo em que ainda por cima, segundo o Dr. Rui Gomes da Silva, já estava avisado que íamos ser roubados.

Mas centremo-nos, então, nas contas. No Clube o passivo são 113 milhões e as dívidas ou responsabilidades são quase 100 milhões de euros maiores do que o seu Activo que é apenas de 15.8 milhões de euros, está com sérios problemas! A SAD tem um passivo de 426 milhões, mais 46 milhões do que no ano passado, e está em falência técnica, as dívidas são superiores aos bens possuídos, com a agravante que o passivo é todo para pagar e muito do activo não pode ser vendido sob pena de o Benfica acabar. Esta situação é insustentável e conduzirá a um único caminho possível se não for contrariada: ao fim do Benfica enquanto um clube que pertence aos seus sócios, senão mesmo ao seu fim. Todos os anos o Benfica vê o seu passivo crescer, ou seja, as suas dívidas a aumentarem. O que acontecerá no dia em que os nossos credores disserem que não nos emprestam mais? Esse dia não está longe! É preciso pôr fim a uma gestão megalómana e irresponsável. É preciso salvar o Benfica enquanto é tempo. É preciso chumbar estas contas! É que se não fizermos nada o actual Presidente do Benfica arrisca-se a entrar para a história como o último presidente do Sport Lisboa e Benfica! Eu não vou permitir isso! Custe o que custar!

Faz hoje 16 anos que Wenger assinou contrato com o Arsenal. Histórico, pouco habitual no futebol actual e apenas mais um marco na carreira do francês que revolucionou a Premier League com a sua filosofia, estilo de jogo, visão de mercado e métodos de treino. Muito do que é hoje o campeonato inglês se deve ao técnico de 62 anos que chegou a Londres no dia 28 de Setembro de 1996: menos rigidez táctica, menos futebol físico e mais espaço para os jogadores não-britânicos. Venceu 11 títulos nos Gunners, chegou à final da Liga dos Campeões (competição onde tem estado sempre presente mesmo com orçamentos inferiores aos rivais da Premier League), recusou o Real Madrid, Barcelona, PSG e a selecção francesa, não conquista qualquer troféu há 7 anos, mas em termos técnicos e classe que apresenta continua a ser um dos 5 melhores do Mundo.

Nos últimos 10/15 anos duas equipas superaram toda a concorrência em termos de qualidade futebolística, futebol atractivo, ofensivo, de posse, ou seja no fundo foram os que mais prenderam as atenções dos amantes deste desporto: o Barcelona e o Arsenal de Arsène Wenger. É inegável a actual situação dos Gunners e a realidade preocupante de vários anos consecutivos sem ganhar qualquer título (o dinheiro investido no Man Utd e Chelsea muito contribui para isso), no entanto a maneira como Wenger apresenta uma equipa com um futebol espectacular tendo como base jogadores jovens é notável. É preciso muita qualidade para o conseguir fazer com sucesso, e o francês é um dos melhores do mundo nesse departamento. Ao contrário de clubes como Manchester City, Chelsea e Man Utd que gastam ao desbarato, Wenger por opção ou por o Arsenal apresentar uma menor frescura financeira em relação aos rivais, apostou de maneira regular em contratações pouco sonantes, potenciando-as com o tempo. Exemplo disso foi Nicolas Anelka, que chegou a Highbury Park por 600 mil euros para, dois anos depois, ser vendido ao Real Madrid por 28,5 milhões de euros. E foi com transferências de jogadores pouco conceituados na altura, como Patrick Vieira, Cesc Fabregas, Van Persie ou Kolo Touré, que o francês de 62 anos conquistou, ao serviço do Arsenal, três Premier Leagues (incluindo uma época de sonho em 2003/2004, ao terminar sem qualquer derrota), quatro Taças de Inglaterra, enquanto disputou uma final da Liga dos Campeões e outra da Taça Uefa. Apresenta-se como um treinador defensor de investimentos a longo prazo e os frutos estão à vista, embora não sejam maiores devido ao "doping financeiro", que o próprio já referiu algumas vez, que tirou Nasri, Fabregas, Clichy, entre outros das fileiras do Arsenal. Mesmo com os poucos títulos que conquistou nos últimos anos, foi considerado o 2º melhor treinador deste século à frente de Mourinho (3º), Capello (4º) e Hiddink (5º), algo que certamente está relacionado com a sua inegável capacidade de potenciar jovens jogadores, dando-lhes espaço e possibilidade de se afirmarem como foi o   caso de Vieira, Henry e Weah no passado, Fabregas (o espanhol estreou-se no Arsenal aos 16 anos) Walcott e Wilshere no presente. Um treinador fortíssimo nos aspectos técnicos que alia a isso uma postura digna, correcta, que nos dias de hoje já é algo raro. As condicionantes do futebol actual (cada vez mais escravo do poder financeiro) parecem estar contra o francês, no entanto, e mesmo com orçamentos inferiores Wenger ano após ano tem demonstrado a sua valia interna e externamente (sempre prestações dignas na LC, aliás com a própria concorrência que tem na Premier League conseguir ficar sempre nos lugares de acesso à principal prova europeia já é notável). Conseguirá Wenger voltar a conquistar a Premier League ao serviço do Arsenal? Se ignorássemos o factor pontos/títulos e o que tivesse em conta fosse a qualidade futebolística é justo afirmar que Wenger é o melhor treinador do Mundo dos últimos 20 anos? Esta época com Carzola a 10, Podolski na frente e o regresso de Wilshere conseguirão os Gunners regressar aos títulos?

O Fortuna Dusseldorf é o 18º clube germânico com mais presenças na Bundesliga, contudo, o clube da capital do estado mais populoso da Alemanha atravessou uma seca de 15 anos (descida ao 4º escalão), até regressar nesta temporada ao convívio dos "grandes". Passadas 5 jornadas, e apesar dos "massacres" do Bayern e da "explosão" do também promovido Eintracht Frankfurt, o facto que salta à vista são os 0 (zero) golos sofridos pelo Fortuna Dusseldorf. A equipa comandada por Norbert Meier não sofreu qualquer golo nos 5 jogos disputados, tendo conquistado duas vitórias e três empates. A campanha do Fortuna começou com uma vitória no terreno do Augsburgo por 2-0, com um bis do suplente Dani Schahin. Depois seguiram-se três empates 0-0: o primeiro em casa, contra o Borussia Moechengladbach, o segundo no terreno do Estugarda e o terceiro na recepção ao Friburgo. A visita ao terreno do Greuther Furth trouxe novo sucesso ao Fortuna, que voltou a vencer por 2-0 (golos de Oliver Fink e Ken Ilso). Para além disso, o Fortuna cumpriu na 1ª eliminatória da Taça da Alemanha, derrotando o secundário Wacker Burghausen por 1-0, com mais 90 minutos sem sofrer golos. Ao todo, são já 540 minutos sem sofrer golos, o que diz bem do feito do recém-promovido, que apesar de se ter reforçado em quantidade (16), do 11 inicial, mantém 7 jogadores que vieram da II Divisão. Outro dado interessante é o facto da baliza do Fortuna já ter sido visada por 66 remates (13 remates por jogo), sem que algum jogador tenha conseguido introduzir a bola na baliza (o Fortuna conseguiu marcar os 4 golos em 42 remates)! A equipa de Dusseldorf segue na 5ª posição da Bundelisga e terá um duro teste no dia de amanhã, quando receber o Schalke 04, que marcou 10 golos nas 5 partidas. Poderá Fabian Giefer passar mais 90 minutos sem sofrer golos?

O relatório e contas do Benfica relativo ao exercício 2011/12 foi reprovado por mais de dois mil votos em Assembleia Geral Ordinária. Segundo números oficiais, 56,7 por cento dos sócios votaram contra, 40,2 a favor e 3,1 abstiveram-se. A direcção encarnada terá agora 15 dias para prestar esclarecimentos adicionais ao relatório e submetê-lo à apreciação dos sócios em nova Assembleia.

Um enorme revés para Luís Filipe Vieira, quando estamos a um mês das eleições, mas não foi o único. Durante a Assembleia Geral, chegou mesmo a rebentar um petardo dentro do pavilhão, o que levou à interrupção da reunião, e num clima hostil e onde a divisão era evidente, o presidente encarnado acabou por ter de abandonar o pavilhão sob escolta com os sócios do Benfica a pedir a sua demissão.


27 de Setembro de 2012

Sporting - Um dos representantes de Labyad, afirmou à RR, que o marroquino foi apanhado numa "guerra" entre Porto e Lisboa, devido ao árbitro e assistente, que expulsaram o jogador, serem daquela cidade do Norte e Labyad de um clube de Lisboa.

Ciclismo - Alberto Contador mostrou estar em grande forma, ao vencer a clássica Milão-Turim, uma das corridas mais antigas do mundo. O espanhol fez um ataque fulminante à entrada do último quilometro, que deixou "Purito" Rodriguez, Kessiakoff e Diego Ulissi sem resposta. O italiano da Lampre foi 2º (a 15´), Kessiakoff 3º (a 24´) e Rodríguez apenas 4º (a 36´). Foi a 1ª vitória em clássicas de 1 dia para Contador.

WRC - Sebastien Loeb está perto de conquistar o seu 9º título consecutivo, mas já decidiu que não vai lutar por um suposto 10º campeonato de Rallys em 2013. O francês anunciou que vai apenas participar em 3 ou 4 corridas no próximo ano, sendo que uma delas é em Monte Carlo. Até que ponto esta notícia será benéfica para o WRC? Quem será o principal candidato ao 1º lugar em 2013?

Serie A - Edinson Cavani foi a figura do dia de ontem, ao assinalar um hat-trick, na partida frente à Lazio (3-0). O avançado uruguaio marcou os 3 golos do Nápoles aos 19´, 31´e 64´, enquanto Miroslav Klose viu um golo seu ser anulado, após o próprio ter confirmado ao árbitro que foi com a mão. Os napolitanos seguem no topo da Serie A, em igualdade com a Juventus. Quem regressou às vitórias foi o Inter (2-0 no terreno do Chievo Verona, com golos de Álvaro Pereira e Cassano) e o AC Milan (2-0 ao Cagliari com bis de El Shaarawy), que subiram ao 4º e 10º lugares, respectivamente. A Sampdoria continua a realizar um excelente início de temporada e segue na 3ª posição, depois do empate 1-1 frente à AS Roma. 

La Liga - O Atl. Madrid foi a Sevilha derrotar o Betis por 4-2 e aproximou-se do Barcelona (2º lugar a 2 pontos dos catalães). Salvador Agra abriu o activo para os andaluzes, Falcao empatou, mas um auto-golo de Juanfran colocou de novo o Betis na frente antes do intervalo. Na segunda parte, Falcao bisou de grande penalidade (leva 7 golos e segue na liderança do Pichichi), Diego Costa fez o 2-3 aos 55 minutos e Raul Garcia fechou o marcador aos 90 minutos. Poderá o Atl. Madrid dar luta aos rivais Real e Barça? Falcao na luta com Messi e Ronaldo?

Inglaterra - Na 3ª ronda da Taça da Liga, o Man United derrotou o Newcastle por 2-1, enquanto o Liverpool (2-1 no terreno do WBA), Arsenal (6-1 ao Coventry), Tottenham (3-0 no terreno do Carlisle), Reading (3-2 no terreno do QPR) e Norwich (1-0 ao Doncaster) também avançaram para a 4ª ronda. Sorteio: Chelsea-Man United; Sunderland-Middlesbrough; Swindon Town-Aston Villa; Leeds United-Southampton; Norwich-Tottenham; Liverpool-Swansea; Reading-Arsenal; Wigan-Bradford City.

França - Yannick Djalo estreou-se a marcar pelo Toulouse e ofereceu o apuramento para os oitavos-de-final da Taça da Liga à sua equipa (1-0 no terreno do Caen). Sorteio: Montpellier-Bordéus; Bastia-Auxerre; Paris SG-Ol. Marselha; Monaco-Troyes; Lille-Toulouse; Rennes-Arles Avignon; Nice-Ol. Lyon; Sochaux-St-Etienne.

Andebol - O Benfica derrotou o FC Porto por 28-27 e segue invicto na liderança, tal como o Sporting, que venceu na deslocação à Madeira (34-25 sobre o Madeira SAD). Fafe, Avanca e Liceu Camões ainda estão  à procura dos primeiros pontos.

Newcastle - O rival do Marítimo na Liga Europa anunciou a renovação do contrato com Alan Pardew até... 2019/20! A renovação por mais 7 temporadas têm como objectivo "assegurar a estabilidade necessária para alcançar sucesso na Premier League e nas provas europeias". 

Vieira fez do Benfica uma monarquia à semelhança do que acontece com Pinto da Costa no FC Porto? O clube da Luz investiu como nunca, tem o maior passivo de sempre e nos últimos 20 anos só venceu 3 campeonatos, mesmo assim, e apesar do descontentamento evidente da massa adepta encarnada, a menos de um mês para as eleições não há uma alternativa a LFV. Cenário estranho, considerando a numerosa falange de benfiquistas e todas as críticas dos sócios e simpatizantes ao futebol encarnado nos últimos 2 anos (não só pela maneira como o último campeonato foi perdido, mas igualmente pelas humilhações no ano de AVB).

As eleições do Benfica realizam-se no próximo dia 26 de Outubro, contudo, parece que só vai haver um candidato à liderança do clube da Luz. Luis Filipe Vieira vai recandidatar-se a um 4º mandato (depois de 2003, 2006 e 2009). Mas onde estão as alternativas? No facebook surgiu o denominado "Grupo da Luz", presidido pelo candidato derrotado em 2009, Bruno Carvalho. Este grupo tinha como objectivo criar uma alternativa à actual direcção, mas não apresentou qualquer nome até ao momento. Moniz que no passado tentou ser oposição aparece agora como aliado; Fernando Seara continua com a sua postura de diz que faz mas nunca concretiza nada (já para a FPF foi igual); Até Rui Costa, completamente desautorizado no futebol encarnado poderia aproveitar este momento para se impor. Contudo, nada aconteceu.

Nos próximos dias ainda pode aparecer alguma candidatura, é certo que Vieira desde cedo com a alteração dos estatutos bloqueou determinadas alternativas, no entanto não deixa de ser estranho que em 6 milhões de adeptos ninguém ouse opor-se ao actual presidente do Benfica. Curiosamente, ainda nas últimas eleições do Sporting (clube que na última década venceu tantos títulos no futebol como o Benfica, sem as Taças da Liga o emblema de Alvalade até vencia esta corrida por larga vantagem) os leões apresentaram 6 candidatos à presidência. Vieira deve continuar no cargo? A que se deve esta ausência de alternativas (estarão os 6 milhões de adeptos satisfeitos com a presidência de LFC)? Qual o perfil que devia ter o próximo presidente do Benfica?

Visão do Leitor: Sérgio Ribeiro

O presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Castelo Branco, revelou que Carlos Xistra está perturbado com todas as críticas que lhe foram apontadas na sequência do seu trabalho no jogo do passado domingo entre Académica e Benfica. Na página da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol a profissão de Carlos Xistra é funcionário público. Ora isto significa que Carlos Xistra perpétua uma acção sem ser dela profissional. Acontece muito. Mas numa indústria em que os intervenientes principais são profissionais, a vida de treinadores e jogadores dependem de homens que não o são. Isto é estranho? Fica pior. Uma pessoa que não é profissional e que ganha não sei quantos milhares de euros por semana para correr 90 minutos a olhar para uma bola, porque na realidade ele não ganha pelas habilitações, que não tem, está triste porque depois de um péssimo trabalho lhe dizem que o trabalho foi péssimo. Não só isso como é o representante da associação dele, tipo chefe de grupo de amadores, que vem dizer que o árbitro Xistra está perturbado, provavelmente enquanto o funcionário público Xistra ganha outros não sei quantos milhares de euros a fazer a verdadeira actividade profissional dele.

Estranham? Ainda não acabou. Lembremo-nos por momentos do problema que houve recentemente na Liga de Futebol Americano. Os árbitros estiveram em greve até hoje/ontem e durante esse período foram amadores que dirigiram os jogos. Claro que a falta de competência rapidamente saltou à vista e um grande número de erros técnicos e fraudes desportivas foram cometidas. No entanto o que se discutia na América não era quem teria sido ou não beneficiado mas o mal que faziam ao desporto, aos adeptos e aos profissionais. Nós preferimos discutir a quem foram “roubados” pontos, quem beneficiou disso e se quem beneficiou terá ou não tido culpa no “roubo dos pontos”. Cada vez mais estranho? Ainda falta. Toda a gente sabe que o futebol tem muitas limitações do ponto de vista da inteligência, mas isso fica para outro artigo. De qualquer maneira só isso não justifica que um interveniente desportivo amador no futebol em Portugal ganhe em média 31.500 euros em média por ano, contando com 4.000 euros de subsídios de treino. É verdade, fui descobrir os não sei quantos milhares de euros que Xistra ganhou num fim de semana em que prestou um péssimo serviço à associação que lhe paga para correr 90 minutos a olhar para uma bola. Alguém tem uma camisola amarela da adidas e um apito? Se souberem assobiar com os dedos não precisam de apito.

Para concluir, e deixando claro como me parece que está que é indiferente para mim quem foi ou deixou de ser prejudicado, já que esse desequilíbrio será com certeza acertado durante a época, é muito estranho, mesmo muito, que Carlos Xistra esteja perturbado por ser criticado por fazer mal uma actividade pela qual ele recebe dinheiro e para a qual não pode ser devidamente responsabilizado. Imaginem que um professora de Ciências duma escola fica doente.  Nesta altura está mais frio e a D. Clara apanhou um corrente de ar. A escola, para substituir a D. Clara, chama um carpinteiro que passa as aulas de Ciências a cortar madeira. A determinada altura do ano os pais chateiam-se e dizem “Peço desculpa, mas o meu filho não está a aprender nada de Ciências nas aulas e agora só quer cortar madeira.” A escola fala com o carpinteiro e diz aos pais que este ficou muito perturbado com a indignação dos pais. O carpinteiro continua a dar aulas e a receber o dinheiro das propinas dos alunos. Percebem? O problema é que a Liga não tem ninguém doente. Na realidade do nosso futebol a D. Clara é o carpinteiro e não está a substituir ninguém.


Nota prévia: O Record foi o diário que mais desrespeitou o Sporting clube de Portugal nos últimos 5/6 anos, esse rótulo já ninguém tira ao jornal de Alexandre Pais. E pelo andar da carruagem irá manter-se nos próximos tempos.

Nos últimos 5/6 meses começou a ser evidente a campanha anti-Sporting do jornal O JOGO (não é caso único, Record, CM, DN, MaisFutebol, alguns programas na RTP, apenas com elementos de Benfica e FC Porto, também o fazem). Teve mais relevância pela maneira como este diário alimentou a suposta "novela" Adrien (tentou ao máximo que o médio fosse persona non grata em Alvalade, talvez para pressionar a sua saída para o FC Porto), mas não se ficou por aí. Várias capas falsas foram publicadas nos últimos tempos mas a de ontem "Godinho vai ser apertado" no conselho leonino e terá de esclarecer a situação de Sá Pinto, ultrapassou tudo o que é aceitável (como se sabe esse tema nem sequer foi abordado na reunião de ontem à noite). Uma noticia mentirosa que mais não é uma tentativa de continuar a condicionar o trabalho do técnico leonino. Já se sabe que os meios de comunicação cada vez tem menos acesso à informação, que 90% das noticias que publicam (principalmente as de capa) são falsas, mas fazer este tipo de pressões, alimentar falsos casos como tem feito em relação ao Sporting, é ter além da pouca ética uma nojice incrível. 

Posto isto. Uma palavra para os sportinguistas com responsabilidades: não é admissível que um presidente da Assembleia Geral sistematicamente critique o treinador do Sporting e os jogadores (quando diz que falta um avançado é dizer que os que temos são fracos); não é admissível que antigos jogadores como José Eduardo (ainda chateado por ter perdido o contrato de catering em Alvalade...levava balúrdios ao Sporting todos os meses), Venâncio e Carlos Xavier (estes 2 últimos há muito à procura de um "tacho" em Alcochete) venham para os meios de comunicação denegrir a imagem do clube leonino; não é admissível que os adeptos mesmo nas vitórias encontrem sempre maneiras de acusar a equipa (no último jogo até chegaram ao ponto de dizer que atacamos demais e o conjunto estava desequilibrado, só porque o Carlos Manuel, um dos piores treinadores que passou pelo Sporting, repetiu isso 50 vezes durante a transmissão da Sport-TV). Isto não acontece no Benfica e no Porto, e talvez por isso eles nos últimos anos tem ganho mais do que nós.

Por último. E como hoje o "O JOGO" (sabe-se lá com que intenção) faz disso capa. O Sporting não é o clube que mais dinheiro investe na formação em Portugal, há pelo menos 3/4 anos que o Benfica tem um orçamento muito superior ao clube leonino. E isso já está a ter reflexos na selecção nacional (ainda na última convocatória dos sub-19 foi evidente o domínio encarnado). Os leões apresentam uma geração de 93/94 fantástica, mas se excluirmos esses elementos (muitos já estão na B), o clube da Luz neste momento é mais forte em Juniores, Juvenis e Iniciados, e o Sporting só irá contornar isso com jogadores estrangeiros. Como tal, antes (como defendem alguns nos jornais) de defenderam que o Sporting não devia contratar para a equipa principal porque temos muitas pérolas em Alcochete, analisem com cuidado a nossa situação e não se agarrem a rótulos mas sim a coisas práticas, aliás nos últimos 5 anos (salvo 3 ou 4 excepções, mas nenhuma do outro mundo) já não saiu nenhum elemento de Top da formação (se analisarmos com cuidado até percebemos que jogadores que foram "chorados" por o Sporting não os ter aproveitado como Iê, Cá, Renato Santos, Marco Matias, Mateus Fonseca, Renato Neto, etc, são suplentes nas equipas inferiores onde estão). 

Visão do Leitor (perceba melhor aqui!): Ricardo Teixeira

Com a saída do Boavista dos grandes palcos, e o resfriamento da rivalidade com o FC Porto, Vitória-Braga é nos dias de hoje, pela emoção, disputa, entusiasmo e paixão, o maior derby do Norte. Um duelo que tem origem fora dos relvados, e torna este jogo num dos mais escaldantes e apaixonantes do campeonato. Esta rivalidade remonta aos tempos da monarquia, quando o arcebispo D. Henrique se instalou em Guimarães e começou a dar regalias à cidade. O arcebispo de Braga não gostou da diferença de trato e escreveu ao Papa Inocêncio III a reclamar. Os vimaranenses queimaram tudo o que viram e os bracarenses correram com eles à pedrada. A partir deste momento, vimaranenses e bracarenses, passaram a não se poder ver. A rivalidade chegou com naturalidade ao mundo do futebol, começando a luta entre Vitória e Braga pelo título de melhor equipa do Minho e mais à frente pelo 4º grande Português. As alcunhas a seu tempo apareceram. Após um jogo que os Vitorianos se queixam de ter sido prejudicados frente ao Braga um adepto levou um cartaz para o jogo seguinte onde estava escrito "Para sermos tratados assim, mais vale sermos espanhóis". A partir de aí os braguistas passaram a apelidar os vitorianos de “espanhóis”, estes ripostaram imediatamente apelidando os braguistas de “marroquinos”.

Para o jogo de amanhã os clubes apresentam-se em situações distintas, enquanto o Vitória atravessa o pior momento da sua história o Braga atravessa a sua melhor fase de sempre. Ao nível do plantel os vimaranenses apresentam um elenco jovem sem grande experiencia, ao passo que os bracarenses uma equipa consolidada com vários jogadores internacionais. As principais dúvidas nas escolhas de Rui Vitória estão ao nível do meio campo (irá o treinador vitoriano apostar num meio campo com mais músculo optando por Olímpio, El Adoua e André, este como médio criativo, ou num meio campo mais ofensivo trocando Olímpio por Tiago Rodrigues colocando este a “número 10”), e na inclusão ou não de Toscano no “onze”. Já José Peseiro deverá fazer alinhar um Braga não muito diferente do que é habitual, uma espécie de camaleão táctico com quatro jogadores de meio campo, embora um deles (Ruben Amorim) descaia mais para uma das linhas, dando assim possibilidade de alternar entre o 4x4x2 e o 4x3x3, sendo que Hélder Barbosa/Alan pode alternar entra uma das linhas e jogar ao lado do ponta-de-lança que deverá ser Éder.

Ambas as equipas vêm moralizadas após vitórias sobre Moreirense e Rio Ave (Vitória e Braga respectivamente) e embora haja grandes diferenças entre as equipas, num derby estas evaporam-se assim que o árbitro apite. Prognósticos? Qual o clube com mais "peso" no Minho? É este o maior derby no Norte na actualidade?

Miguel Leão

26 de Setembro de 2012

James Naismith certamente não previa que a sua invenção para possibilitar aos seus alunos praticar exercício físico no Inverno tivesse tanto impacto mundial mais de 100 anos depois. O basquetebol é nos dias de hoje uma das modalidades mais apreciadas em todo o Mundo, no entanto, tal não tem reflexo no nosso país, levando à mediocridade de resultados da selecção das "quinas". Se nos podemos gabar de ter criado talentos como Carlos Lisboa ou José Alberto, a geração actual é rudimentar a nível técnico-táctico, mesmo com tanto estudo associado.

Exportar um jogador luso para a NBA sempre foi um objectivo da Federação Portuguesa de basquetebol, mas sem resultados até ao momento. Temos o caso do Augusto Sobrinho ou do Betinho Gomes que tentaram a sua sorte mas sem o sucesso que gostaríamos. Já na WNBA o caso muda de figura: Ticha Penincheiro, que agora se retirou, assumiu um papel preponderante na melhor/maior liga do Mundo. Contudo, com tanta esterilidade no basquetebol português, a notícia de que um luso-descendente vai jogar na NBA deve ser motivo de orgulho. Falo-vos de Nando de Colo.

Filho de pais portugueses, nasceu no norte de França, perto da cidade de Lens, começando a praticar basquetebol no clube da região, Cholet Basket. Transferiu-se para os espanhóis do Valência em 2009, onde durante três anos foi preponderante para a ascensão da equipa no panorama basquetebolístico espanhol, que culminou com a conquista da EuroCup em 2010 e a final em 2012, vencida pelos russos do Khimki de Moscovo. Fez também parte do elenco gaulês que esteve nos Jogos Olímpicos de Londres onde conquistou um "modesto" quarto lugar, era presença habitual no 5. Actua na posição "G" (guard) e é igualmente eficaz a "point guard" como "shooting guard". Apesar de ser internacional francês será interessante perceber se conseguirá agitar de alguma maneira o basquetebol nacional...temos de nos agarrar a alguma coisa, a modalidade não pode acabar. Conseguirá de Colo um lugar de relevo na formação dos Spurs (vai formar com Diaw e Parker um trio de franceses no conjunto de San Antonio)? Até que ponto a presença deste luso-descendente na NBA pode ajudar o basquetebol nacional? O que necessita de ser feito para a modalidade ganhar a força que tinha no principio da década de 90 (com a desistência de Porto e Barreirense, o cenário mais provável é que aos poucos o basquetebol nacional acabe por morrer), e principalmente o que é preciso para termos jogadores portugueses na NBA?

Visão do Leitor (perceba melhor aqui!)Yashin S.

Avançado; Algumas notas:
- Os escalões de formação em Portugal não tem produzido talento nesta posição (Betinho e Nélson Oliveira vão tentar ser excepções neste capítulo);
- O mercado apresenta cada vez menos opções de qualidade no que diz respeito ao ataque (dada essa raridade os melhores já se encontram nas principais equipas);
- É cada vez mais complicado encontrar um bom avançado a baixo custo; o Porto para resolver essa lacuna pagou 9 milhões por Jackson:
- Luuk de Jong e Bas Dost saíram da Holanda por valores já fora do contexto do mercado português;
- No Brasil, México e Argentina os melhores também já saem por preços exorbitantes;
- Devido a este conjunto de factores, os clubes portugueses tem de ser inteligentes e principalmente jogar na antecipação. Além da necessidade de encontrar potencial a baixo custo é cada vez mais importante encontrar elementos com salários adequados à nossa realidade. 

Nesse sentido a SAS-Ligaen apresenta neste momento 3 avançados muito interessantes: Aron Jóhannsson (islandês de 21 anos e 1m84 que milita no AGF Aarhus, actual melhor marcador do campeonato dinamarquês), Nicklas Helenius (avançado de 21 anos e 1m95 do Aalborg BK que também pode jogar nas alas. Destaca-se pela sua mobilidade, técnica aceitável e forte remate. Já foi associado ao Sporting) e Andreas Cornelius (que aos 19 anos, na sua 1ª época de sénior, tem impressionado pelo seu potencial. Titular no FC Copenhaga, melhor equipa dinamarquesa da actualidade, leva já 9 golos em 10 jogos para a Liga e inclusive já foi chamado para a selecção principal da Dinamarca. O jovem esquerdino de 1m93 renovou hoje o seu contrato até 2016). Boas soluções para os clubes portugueses? A realidade do mercado vai obrigar a que os "grandes" de Portugal explorem outros mercados quando necessitam de colmatar lacunas? À semelhança do que aconteceu com o talentoso Mats Magnusson (avançado sueco que jogou no Benfica no final da década de 80) é possível que as equipas nacionais voltem apostar no mercado nórdico, ou há talento (considerando a nossa realidade) em outros países? Que avançados deviam estar na mira dos nossos emblemas?


Formado no Feyenoord, Royston Ricky Drenthe foi e continua a ser um caso de incógnita no futebol mundial. Depois de duas épocas ao serviço do clube de Roterdão onde jogou vinte e nove jogos, o internacional holandês mereceu a confiança do selecionador de sub-21 e foi convocado para o europeu da respetiva categoria em 2007. Foi aí que despertou o interesse dos melhores clubes do mundo ao ter sido considerado o melhor jogador da competição, arrecadando ainda o título de campeão europeu. No entanto, a cobiça não durou muito pois apenas alguns dias após o término da competição o Real Madrid concretizaria a aquisição do esquerdino por 14 milhões de euros.

Apesar de ser considerado uma das maiores promessas do futebol mundial, o holandês nunca chegou a alcançar as enormes expetativas que dirigentes e equipa técnica  merengue depositaram nele, muita por culpa da enorme concorrência que tinha na sua posição mas também pela sua irregularidade. Com pouco espaço no Real começou a ser emprestado, e os casos de indisciplina sucederam-se. Basta recordar o incidente que teve enquanto estava ao serviço do Hércules, quando foi apanhado pela polícia a conduzir a mais de 250 km/h após não ter respeitado seis sinais vermelhos. Mais uma temporada e novamente sem espaço no plantel merengue, o processo repete-se mas desta feita para o Everton. Época semelhante à anterior e mais um caso de indisciplina, chegando a ser autorizada a sua ausência dos treinos por tempo indeterminado, o que ditou o fim da sua época em Goodison Park. Terminada a sua quinta época ao serviço do Real Madrid, o contrato do holandês expira e o esquerdino fica livre. Foi associado a Besiktas e PAOK, mas nada se concretizou. Apenas é sabido que o jogador se ofereceu para voltar ao Feyenoord, no entanto o seu elevado salário e passado recente impediram a transferência. Passaram-se três meses e o internacional holandês continua desempregado, ainda à espera que um clube do seu agrado e capaz de acolher um jogador com a sua atitude o resgate e o consiga levar até onde todos esperavam que ele já estivesse. Por onde passa o futuro do holandês? Conseguirá o esquerdino algum dia confirmar o potencial que demonstrou no Europeu de 2007 (sub-21)? Polivalente (pode jogar a lateral esquerdo, extremo ou a médio), talentoso, ainda fez 60 jogos nos 3 anos que esteve no Real mas com a chegada de José Mourinho perdeu o pouco espaço que tinha no plantel, tendo sido emprestado uma época ao Hércules e outra ao Everton, onde não foi particularmente feliz (irregularidade e muita indisciplina). Mesmo assim, em Novembro de 2010 o seleccionador holandês Bert van Marwijk surpreendeu ao colocar o seu nome na convocatória permitindo que a “velha promessa” pudesse finalmente estrear-se com a camisola da sua selecção num embate contra a Turquia.

Visão do Leitor (perceba melhor aqui!): David Lopes

25 de Setembro de 2012

Sporting - Labyad foi suspenso por uma partida, depois do cartão vermelho recebido na partida frente ao Gil Vicente. O médio ofensivo leonino vai falhar a partida frente ao Estoril-Praia. A jornada 4 foi rica em expulsões, por isso, Marçal (Nacional), Antunes (Paços de Ferreira), Babanco (Olhanense), Carlitos (Estoril), Augusto (Moreirense), Nivaldo (Rio Ave), Rúben Ferreira (Marítimo) e Rodrigo Galo (Académica) todos foram suspensos por 1 jogo.

Zenit - Denisov e Kerzhakov, dois dos jogadores mais importantes da manobra do Zenit e da selecção russa, foram relegados para a equipa B, depois do médio ter pedido um aumento salarial e ter revelado insatisfação com os salários elevados de Hulk e Witsel (Kerzhakov apoiou Denisov). Denisov só voltará a jogar na equipa principal do Zenit, quando pedir desculpa aos adeptos e ao clube. VM - Uma situação caricata e previsível (só não acontece nos outros clubes "novos ricos", porque a mentalidade dos jogadores é diferente) e que poderá ter consequências negativas para o Zenit e para a Rússia. Veremos qual será o impacto desta situação na próxima jornada de apuramento para o Mundial, que colocará Rússia e Portugal frente-a-frente, enquanto que o Zenit, sem os dois jogadores, vai ter dificuldades em chegar ao título e passar a fase de grupos da LC. Denisov é o melhor médio defensivo da equipa (defende melhor que Witsel, aliás o belga só tem hipótese no lugar do veterano Zyryanov já que numa posição mais ofensiva o ex-Benfica é inferior a Shirokov) e Kerzhakov não tem alternativa no centro do ataque (Bukharov é muito limitado). Entretanto, o clube de São Petersburgo derrotou o Baltika para a Taça da Rússia (2-1, com golos de Hulk e Bruno Alves). Estará a época do Zenit comprometida? Terá Denisov razão nas suas reinvindicações?

Bundesliga - O Bayern Munique continua imparável no topo da Liga Alemã. Os bávaros derrotaram o Wolfsburgo por 3-0 (Schweinsteiger e bis de Mandzukic, que já leva 5 golos da Liga) e seguem com 5 vitórias em 5 jogos, 17 golos marcados e apenas 2 sofridos. O Bayern ficou isolado no 1º lugar, pois o Eintracht Frankfurt empatou 3-3 com o actual campeão, o Bor. Dortmund (Piszczek e Reus fizeram o 0-2, Aigner e Inui empataram, Gotze voltou a colocar o Dortmund na frente, mas Anderson fez o resultado final). O Schalke 04 derrotou o Mainz por 3-0 (Farfan, Holtby e Pukki), enquanto o Fortuna Dusseldorf continua sem sofrer golos na Liga, ao fim de 5 jornadas (vitória por 2-0 no terreno do Greuther Furth).

Serie A - A Juventus cedeu os primeiros pontos na Liga Italiana, depois de empatar 0-0 no terreno da Fiorentina. Mesmo assim, a vecchia signora somou o 44º jogo seguido sem perder na Serie A.

Inglaterra - A 3ª ronda da Taça da Liga ficou marcada pela eliminação do Manchester City. Os citizens cederam em casa, perante o Aston Villa, por 4-2 (após prolongamento). O Chelsea derrotou o Wolverhampton por 6-0, enquanto o West Ham (1-4 frente ao Wigan) e o Everton (1-2 em Leeds) foram os primo-divisionários eliminados.

PS - Rinaudo foi considerado pelos leitores do VM no Facebook o melhor jogador da jornada 4 da Liga Zon-Sagres. James ficou na 2ª posição, Luís Leal completou o pódio. Concorda com este top?

Depois de Franco Baldini, director geral da Roma, e Txiki Begiristain, antigo director técnico do Barcelona, agora é Antero Henrique que está na mira do Tottenham. Os Spurs pretendem alguém que faça a ligação entre AVB e o presidente Daniel Levy, e vêem no actual nº 2 de Pinto da Costa o homem ideal para assumir o lugar de director desportivo. A ideia é repetir em Londres a dupla de sucesso que conduziu o FC Porto à brilhante campanha em 2010-11, ficando o transmontano responsável pela pasta de transferências (ocupação que agora é repartida entre o treinador português e o presidente dos londrinos). VM - Não é de todo provável que Pinto da Costa deixe sair o principal responsável pelo sucesso do FC Porto nas últimas épocas. É o actual diretor-geral da SAD que contrata, vende, se relaciona com os empresários (afastou alguns desde que chegou ao cargo e passou a lidar com outros, entre os quais, e um pouco obrigado, com o genro de Pinto da Costa), e tem um poder tal na estrutura do Porto, até mesmo pouco crível que fosse possível, aliás Reinaldo Teles nunca o teve (nem nenhum outro), que neste momento é Pinto da Costa que dá a cara, mas tem sido Antero Henrique (ele que em tempos foi acusado de ser benfiquista) o principal obreiro do actual conjunto azul e branco. Será possível a saída de Antero Henrique do Dragão? É o actual diretor-geral da SAD (apesar de discreto e pouco falado nos meios de comunicação), o principal activo dos azuis e brancos? Até que ponto, um pouco como aconteceu com Peter Kenyon, os clubes cada vez mais vão procurar reforçar primeiro a estrutura com bons directores desportivos e só depois atacar o mercado (assim evitam cometer erros e hoje em dia um bom dirigente vale tanto ou mais que 4/5 reforços)?

O defesa do Chelsea não foi de meias medidas e anunciou no último domingo que nunca mais irá representar a selecção inglesa de futebol: "Jogar pela seleção e ser capitão ao serviço de Inglaterra foi um sonho de criança que realizei. No entanto, a Federação (FA) deixou-me numa posição insustentável ao apontar-me o dedo e julgar-me quando já fui declarado inocente pela justiça comum."

John Terry foi internacional por 78 vezes (top 20 na Inglaterra) e marcou 6 golos, tendo sido capitão por 34 ocasiões. Foi, sem dúvida, um dos melhores centrais da selecção inglesa, mas os casos extra-futebol nos últimos 2 anos acabaram por marcar a sua carreira. Primeiro, o caso extra-conjugal com a namorada do seu antigo colega de equipa (Wayne Bridge), obrigou Fabio Capello a retirar a braçadeira de capitão da selecção em Fevereiro de 2010 (passado algum tempo acabou por ser readmitido), e depois, foi o caso de racismo com Anton Ferdinand, que levou a nova perda da braçadeira (Fevereiro de 2012) à demissão de Fabio Capello (o italiano não gostou de ver a FA passar por cima das suas competências) e várias capas de jornais (uma novela interminável). O facto é que John Terry foi ilibado pela justiça comum, algo que não serviu para a FA, que continuou a punir o jogador. O central do Chelsea não aguentou esta posição e optou por retirar-se da selecção ( foi o jogador mais perseguido pela imprensa nos últimos 2 anos e mesmo pela Federação Inglesa, que não hesitou em retirar a braçadeira de capitão ao jogador por duas ocasiões). Seria possível acontecer tal situação a um jogador da selecção nacional (casos fora do âmbito da equipa das quinas terem uma consequência na selecção portuguesa)? Será Terry um mártir, em todo este caso, ou foi exemplarmente punido pelo seu comportamento extra-futebol? No ranking dos melhores centrais ingleses em que lugar está o capitão do Chelsea? A imprensa inglesa é um das razões para a Inglaterra não ganhar nada desde 1966 (ficou mais uma vez provado neste caso que tem uma influência enorme na pressão que exerce)?

Nota prévia: Qual é o melhor jogador português, considerando apenas os que nasceram em 1992 (se conseguir indique o Top5)?

A selecção portuguesa falhou o acesso à fase final do Euro 2013 (sub-21). Até aqui nada de novo, nos últimos anos não temos conseguido passar a fase de qualificação, e esta geração (que nasceu em 1990 e 1991) pagou a factura desta nova política do futebol português: a aposta em massa no jogador estrangeiro. Dos elementos que eram habitualmente convocados por Rui Jorge (seleccionador que nada fez por justificar este cargo), apenas 5/6 jogavam de maneira assídua em clubes da I Liga. Mas e agora? Como é que vai ser na fase de qualificação para o Euro 2015 da categoria (competição que vai decidir igualmente quem estará presente nos JO do Brasil)? Na teoria devia ser a geração que nasceu em 1992 (em 2013 quando se iniciar a qualificação vão ter 21 anos) a base da próxima selecção (um pouco como aconteceu com o último apuramento, apesar dos jogadores de 1991 terem mais talento, principalmente numa fase inicial, o 11 titular era na sua maioria composto por jogadores que nasceram em 1990). No entanto, agora temos um 2º problema, além da falta de aposta no jogador nacional pela 1ª vez (considerando apenas as últimas duas décadas) Portugal depara-se com uma geração que apresenta uma tremenda falta de qualidade (nenhum jogador português que nasceu em 1992 actua regularmente numa equipa de Top, aliás nenhum demonstrou qualidade para chegar a esse patamar a curto prazo). Algo estranho, ainda para mais, quando Neymar, Lucas, Gotze, Muniain, Wilshere, Jones, Alaba, Eriksen, Courtois, Papadopoulos, Isco, Verratti, ter Stegen, etc, elementos que em 2016 vão ser figuras no Mundial provam (todos nasceram em 1992) que até foi uma boa colheita em termos internacionais. Uma realidade caricata, estranha, que pode ser atenuada pela excelente fornada de 1993 e 1994 (João Mário, Tiago Ferreira, Esgaio, André Gomes, Bruma, Tobias Figueiredo, Cancelo, etc), mas que não deixa de ser preocupante. Como se explica este hiato? Até que ponto poderá ter influência na próxima qualificação para o Europeu de sub-21? Considerando a ausência de qualidade na geração de 1992 (veremos se aparece alguém em França, na Alemanha ou mais algum guineense como o Francisco Júnior em Inglaterra que se possa juntar a Luiz Gustavo e Sérgio Oliveira), será a fornada de 1993 e 1994 (que no próximo ano vão estar no Mundial sub-20), a base dos sub-21 (veremos é se o facto de em 2013 só terem 19 e 20 anos não vai pesar ao nível da experiência)?