31 de Julho de 2012

Medalheiro - China e EUA levam grande vantagem para a concorrência, sendo que não devem fugir aos dois primeiros lugares. Já para o 3º lugar, a luta parece prometer. Em princípio, será a Rússia, mas a Grã-Bretanha, Alemanha, França, Austrália, Coreia do Sul e Japão (apesar de alguns falhanços no Judo) têm também uma palavra a dizer. Qual será o top-10 do medalheiro no final dos Jogos Olímpicos de Londres 2012?


JO Natação - Michael Phelps entrou para a história dos JO ao conquistar 19 medalhas, sendo importante na estafeta norte-americana de 4x200 metros (Ouro). A França levou a Prata, enquanto a China ficou com o Bronze. Antes, o norte-americano tinha sido surpreendido por Chad le Clos, na prova de 200 metros mariposa. O sul-africano levou o Ouro por 5 centésimos, Phelps a Prata e Matsuda (JAP) o Bronze. Nos 200 metros livres femininos, a norte-americana Allison Schmitt bateu o recorde olímpico e americano, terminando à frente de Muffat (FRA) e Barratt (AUS). A chinesa Ye Shiwen voltou a ser protagonista, desta vez, nos 200 metros estilos, ao bater o recorde olímpico e asiático, superando Coutts (AUS) e Leverenz (EUA).

JO portugueses - A Vela continua a grande ritmo. João Rodrigues fez a estreia na classe RS:X, terminando as duas primeiras regatas na 20ª e 16ª posição (encontra-se no 17º lugar). Na classe Laser, Gustavo Lima realizou as suas duas piores regatas (27º e 35º lugares), descendo até ao 29º lugar da geral. Na classe Star, Afonso Domingos e Frederico Melo realizaram as melhores prestações até ao momento, com um 9º e 10º lugares, mas continuam na última posição (16º). Na classe 49er, Bernardo Freitas e Francisco Andrade tiveram um dia pior, com um 9º e 10º lugares, contudo, permanecem num excelente 4º lugar na geral. No Laser Radial, Sara Carmo melhorou em relação ao dia anterior (17º e 20º lugares) e subiu ao 24º lugar da geral, numa prova comandada pela irlandesa Annalise Murphy (4 regatas sempre em 1º). Finalmente, na Match Racing, o trio português (Diana Neves, Mariana Lobato e Rita Gonçalves) continua só com derrotas (6), quando faltam 5 confrontos para terminar a fase de qualificação. Telma Santos foi eliminada no Badminton, depois de perder frente à tailandesa Ratchanok Intanon (12-21 e 6-21). Sara Oliveira falhou a melhor marca nacional nos 200 metros mariposa e terminou a prova na 24ª posição. Destaque negativo para a velejadora luso-brasileira, Carolina Mendelblatt, que enviou uma mensagem por e-mail referindo que não iria participar na sua prova por razões pessoais e médicas e viu a delegação portuguesa retirar-lhe as credenciais para os JO.

JO destaques - A China e os EUA continuam a coleccionar medalhas. Os chineses asseguraram o Ouro no Mergulho (sincronizado, plataforma a 10m F), com o México a ficar com a Prata e o Canadá, da luso-descendente Meaghan Benfeito, a ficar com o Bronze. O Florete Masculino (Esgrima) sorriu ao chinês Lei Sheng, numa final bastante disputada com o egípcio A. Abouelkassem (o Bronze foi para o sul-coreano Byung-Chul). O Halterofilismo continua a ser dominado pelos asiáticos. O chinês Lin Qingfeng superou o indonésio Tryatno e o romeno Razvan Martin, na categoria -69 kg, enquanto a cazaque Maneza levou o Ouro na categoria -63 kg F (a Prata foi para a russa Tsarukayeva e o Bronze para a canadiana Girard). O norte-americano Vincent Hancock bateu o recorde olímpico do Skeet e levou para casa o Ouro, na frente de Anders Golding da Dinamarca e do multifacetado, e vencedor do Rally Dakar em 2011, o qatari Nasser Al-Attiyah. Na Ginástica Feminina, concurso por equipas (geral), os EUA levaram o Ouro, pela primeira vez desde Atlanta 1996. Uma prova espectacular, com grandes momentos de alto nível. A Rússia ficou com a Prata e a Roménia levou o Bronze. O Judo continua num nível altíssimo. No dia de hoje, o sul-coreano Kim Jae-Bum derrotou o alemão Ole Bischof na final da categoria -81 kg, enquanto que a eslovena Urska Zolnir derrotou a chinesa Xu Lili na final da categora -63 kg. Na Canoagem, o francês Tony Estanguet foi mais rápido que o alemão Tasiadis e que o eslovaco Martikan, na prova de slalom individual (C-1). As primeiras medalhas do Hipismo premiaram a Alemanha (2 de Ouro e 1 de Bronze), Suécia (1 Prata), Grã-Bretanha (1 Prata) e Nova Zelândia (1 Bronze), no concurso completo por equipas e individual. No Ténis, Tsonga e Raonic protagonizaram o momento do dia, com um 3º set decidido ao fim de 3 horas, favorável ao francês, com 25-23 no placard (jogo de Ténis mais longo em JO).

JO Modalidades Colectivas - Terminou a fase de grupos do futebol feminino, com a vitória da Grã-Bretanha sobre o Brasil por 1-0. No mesmo grupo, a Nova Zelândia derrotou os Camarões por 3-1 e assegurou um dos 3ºs melhores classificados. No grupo F, o Japão empatou 0-0 com a África do Sul, enquanto Canadá e Suécia empataram a 2 golos. No grupo G, os EUA derrotaram a Coreia do Norte por 1-0 e França venceu a Colômbia pelo mesmo resultado. Quartos-de-final: Grã-Bretanha vs Canadá; EUA vs Nova Zelândia; Suécia vs França; Brasil vs Japão. No basquetebol masculino, os EUA massacraram a Tunísia (110-63), sendo a única equipa invicta do grupo A. A França surpreendeu a Argentina (71-64), enquanto a Lituânia derrotou a Nigéria por 72-53. No grupo B, as três equipas mais fortes continuam a somar vitórias. O Brasil teve mais dificuldades, mas bateu a Grã-Bretanha por 67-62 (os brasileiros fizeram um primeiro período de nível distrital com um parcial de 4-11), enquanto Espanha (82-70 à Austrália) e Rússia (73-54 à China) venceram por boa margem. No andebol, França, Suécia e Islândia somam vitórias nos 2 jogos realizados no grupo A, enquanto que Croácia (31-23 à Sérvia) e Dinamarca (24-23 à Espanha) também seguem invictos no perigoso grupo B.

David Simão - O médio encarnado foi confirmado por empréstimo no Marítimo, por uma temporada. Depois de passagens por Fátima, Paços de Ferreira e Académica, o jovem de 22 anos prossegue a sua carreira na Madeira. Boa opção para David Simão?


Ricardo Villarraga - Foi anunciado como o 7º reforço do Benfica para 2012-13, contudo, ficou a treinar na Luz durante apenas 1 mês. O colombiano regressou ao seu país e vai representar o America Cali. Quando foi cedido ao Benfica, o VM questionou o porquê da aquisição de mais um defesa esquerdo, tendo em conta que os encarnados já contavam com Luis Martins, Carole, Daniel Martins e Luisinho. Quais os motivos para a curta passagem de Villarraga pelo Benfica?


Argentina - Alejandro Sabella divulgou a lista de convocados da albiceleste para o confronto amigável frente a Alemanha, com destaque para a presença de Marcos Rojo, Ezequiel Garay e Eduardo Salvio entre os 18. 

Michael Phelps entrou hoje para a história dos Jogos Olímpicos, ao ultrapassar o recorde de Larisa Latynina, que datava de 1964. A ginasta da antiga União Soviética tinha o recorde de 18 medalhas conquistadas em JO (9 de Ouro, 5 de Prata e 4 de Bronze), mas viu-se ultrapassada pela "Bala de Baltimore" (ganhou a Prata nos 200 metros mariposa e Ouro nos 4x200 metros livres). O norte-americano poderá considerar-se, com toda a justiça, como o melhor atleta da história dos Jogos Olímpicos. Um percurso que começou em Sidney 2000, com o 5º lugar na final dos 200 metros mariposa (Phelps tinha apenas 15 anos). Em 2004, já com muitos recordes mundiais (13) e 5 medalhas de Ouro em Campeonatos do Mundo (mais 2 de Prata), o nadador de Baltimore ficou próximo do recorde de Mark Spitz (7 medalhas de Ouro em 1972), ao conquistar 6 medalhas de Ouro e 2 de Bronze. Em Atenas fechou-se um ciclo, mas começou o de Pequim. Entre os dois JO, Phelps conquistou 12 medalhas de Ouro em Campeonatos do Mundo (mais 1 de Prata) e bateu 11 recordes do mundo. Em Pequim 2008, Michael Phelps fez história. O recorde de Mark Spitz foi ultrapassado, com a "Bala de Baltimore" a conquistar 8 medalhas de Ouro, nas suas 8 provas de natação. Para além disso, foram 7 recordes do Mundo e 1 recorde Olímpico nessas 8 provas. Entre Pequim e Londres, o nadador conquistou 9 medalhas de Ouro em Campeonatos do Mundo (mais 3 de Prata e 1 de Bronze), para além de ter alcançado novos 7 máximos mundiais. 

Michael Phelps soma um impressionante currículo internacional, com 39 recordes mundiais (29 individuais e 10 em estafetas), 15 medalhas de Ouro, 2 medalha de Prata e 2 medalhas de Bronze em Jogos Olímpicos, 26 medalhas de Ouro, 6 medalhas de Prata e 1 medalhas de Bronze em Campeonatos do Mundo e 13 medalhas de Ouro e 3 de Prata nos Campeonatos Pan-Pacíficos de Natação.


Maior referência da história dos Jogos Olímpicos? Poderá alguém igualar as 19 medalhas olímpicas de Phelps?

Depois de (carregue nos nomes e conheça melhor os elementos) Derlis GonzalezDjaniny Hugo VieiraOla JohnLuisinhoMichelVillarraga Paulo LopesJoão Faria, DuarteErnesto Cornejo e Claudio Correa, Eduardo "Toto" Salvio, argentino de 22 anos, é o 13º reforço do Benfica. O argentino custou 11 milhões de euros por 80% do passe (os outros 20% já pertenciam aos encarnados)...o que dá um total de 13,5 milhões. E vai auferir 1,2 milhões por época (segundo a imprensa espanhola). VM - É o "trunfo" de Luís Filipe Vieira para as próximas eleições do clube encarnado, trazendo um jogador que brilhou na primeira passagem pela Luz (com a sua velocidade, técnica e capacidade de finalização) e que é bastante querido pelos adeptos. Um elemento que vai entrar directamente no 11 titular (fica claramente a ganhar, mas vai levar a que Enzo, Nolito e Bruno César se desvalorizem) e acrescentar qualidade terá de ser considerada uma boa aquisição. Contudo, considerando o excesso de opções para as alas, o elevado valor pago pelas águias e o que já tinha sido investido em Ola John, não nos parece que seja uma boa política de mercado. Com esta contratação, tendo em conta que Enzo, Nolito, Gaitán (se não for vendido), Bruno César e Melgarejo estão garantidos no plantel, Hugo Vieira e Djaló perdem claramente o seu espaço. Bom reforço? Todas as equipas podem ser melhoradas (até o Barcelona), e uma contratação (para o VM) que entre directamente no 11 terá de ser rotulada (pelo menos) de boa, mas justifica-se este investimento? Conseguirá mostrar a qualidade que exibiu aquando da primeira passagem? Esta contratação explica-se pela mais valia apenas em termos desportivos ou será o trunfo de Vieira para as próximas eleições? Este avultado investimento poderá significar que Witsel ou Gaitán estão de saída? Por onde passa o futuro de Hugo Vieira e Djaló?

30 de Julho de 2012

JO Portugueses - Alguns bons resultados da nossa comitiva, principalmente no badminton (Telma Santos conseguiu a primeira vitória de sempre de Portugal, Pedro Martins foi eliminado mas deu boa réplica ao nº5 mundial) e na vela (Bernardo Freitas e Francisco Andrade fizeram 7º e 2º lugares nas duas regatas da classe 49er e estão em 4º lugar em termos gerais). Ainda nesta modalidade, Gustavo Lima terminou o dia em 22º lugar em Laser Standard, Sara Carmo no 26º em Laser Radial, Afonso Domingos e Frederico Melo na 16ª posição em Star e as portuguesas Rita Gonçalves, Mariana Lobato e Diana Neves (Match-Racing) no 10º lugar de Elliott 6m. Em ténis de mesa, Marcos Freitas perdeu por 4-0 frente ao sul-coreano Sangeun (11º a nível mundial).

JO Natação - A grande sensação foi a vitória da lituana Ruta Meilutyte, de apenas 15 anos, na prova dos 100m bruços, batendo a favorita Rebecca Soni. Destaque também para a natação francesa e para Yannick Agnel, que foi o mais rápido nos 200m livres, à frente de Sun, Park (em igualdade no segundo posto) e de...Lochte, que ficou fora do pódio. Houve também lugar para os triunfos americanos, nos 100 m costas femininos, através de Missy Franklin (superou a australiana Seebohm que tinha batido o RO nas eliminatórias) e Matthew Grevers nos 100m costas masculinos (com RO), à frente do seu compatriota Thoman.

JO Judo - Apesar de o dia ter sido decepcionante para os portugueses, os combates foram de altíssimo nível. Hoje, finalmente o Japão a aparecer, conquistando a medalha de ouro por intermédio de Matsumoto (-57kg) e a de prata através de Nakaya, numa categoria (-73kg) vencida pelo russo Isaev (mereciam ambos vencer, pela entrega que colocaram no tatami) de forma absolutamente fantástica.

JO Modalidades Colectivas (fem) - No basquetebol, as favoritas venceram sem grandes problemas, com destaque para as vitórias de Rússia (69-59) sobre o Brasil, China (83-58) frente à Croácia e EUA sobre Angola; no voleibol, os EUA derrotaram o Brasil por 3-1 no encontro grande do dia (3-1), enquanto que a China e a Itália venceram os respectivos encontros; finalmente, no andebol, nota para a derrota de Angola perante a Croácia, para o triunfo da Noruega sobre a Suécia e da Coreia do Sul (que bem jogam estas asiáticas) frente à Dinamarca, pela margem mínima (25-24).

JO Outras modalidades - Na ginástica artística masculina, sem surpresas a equipa chinesa arrecadou o ouro, à frente de Japão e da surpreendente Grã-Bretanha (os EUA foram a grande desilusão); No halterofilismo (os asiáticos e os países de leste são especialistas), o norte-coreano Un-Guk Kim venceu a categoria de -62 kg, com um total de 327 kg (novo recorde do mundo). Já ontem, como curiosidade, Om Yun Chol, do mesmo país, levantou o triplo da sua massa corporal, estabelecendo novo recorde olímpico. Segundo o próprio, com ajuda do líder Kim Jong-Il, já falecido; nos saltos para a água (plataforma a 10 metros), nova vitória chinesa (o objectivo é vencer todas as provas), através da dupla composta por Cao Yuan e Zhang Yanquan.

Destaques do dia de hoje?

Nélson Oliveira (que renovou contrato com o Benfica até 2018) e Roderick Miranda vão representar o Dep. Corunha por 1 temporada, num negócio intermediado por Jorge Mendes. O Director de Comunicação do clube galego já confirmou que está à espera da chegada dos dois jogadores para concluir a cedência e realizarem os testes médicos. VM - À partida, parece ser uma boa solução para ambos, pois terão mais oportunidades de jogar (o central apenas poderia actuar na equipa B, enquanto que o avançado está tapado por Cardozo e Rodrigo, principalmente) e de mostrar o seu valor num campeonato competitivo. Serão emprestados a uma equipa que está recheada de portugueses (o Deportivo é um dos preferidos de Jorge Mendes), pelo que a adaptação não deverá ser problema. Destaque para o facto de o clube espanhol ser praticamente constituído por jovens valores lusos (André Santos, Salomão, Pizzi, Bruno Gama...). Boa opção do Benfica? A saída do ponta de lança poderá abrir uma vaga para Mora, que está em grande nesta  pré-época? Após este ano de empréstimo, poderão integrar a equipa principal na próxima temporada? O que farão os galegos com o plantel que estão a formar? 

Batis Candé - O jovem avançado nascido em Bissau e formado no Sporting, foi transferido para o Manchester City. Com apenas 17 anos e a entrar para o 1º ano de júnior, aquele que foi o melhor jogador dos juvenis dos leões na última (e melhor marcador), rumou a Manchester desconhecendo-se os valores e os moldes do negócio. Curiosamente os sub-18 dos Citizens defrontam amanhã o clube leonino depois de terem sido derrotados pelo Benfica no domingo.

Matias Fernández - A Sporting SAD confirmou a venda do chileno à Fiorentina por 3.1 milhões de euros. Os leões poderão ainda receber mais 1.5 milhões de euros. Comunicado: "Nos termos e para efeitos do cumprimento da obrigação de informação que decorre do disposto no artigo 248º, nº1 al. a) do Código dos Valores Mobiliários, informa ter chegado a acordo com o ACF Fiorentina S.p.A., para a venda dos direitos desportivos do jogador Matias Fernandez pelo montante fixo de 3.136.842,00 euros, e variável de 1.500.000,00 euros, dependendo da participação do clube italiano na Fase de Grupos da Liga dos Campeões e da Liga Europa", refere o comunicado." VM - Em termos desportivos, a sua saída era óbvia e fazia todo o sentido, mas os valores envolvidos são algo absurdos, como referimos aqui. O Sporting compra bem e tem visão de mercado, mas vende tão mal.


Renato Neto - O empresário do brasileiro confirmou o empréstimo do seu jogador ao Videoton da Hungria. Renato Neto vai jogar no país magiar por um ano por empréstimo dos leões. Boa opção?

Numa fase em que os clubes portugueses se vêem obrigados a reduzir os gastos, o número de reforços para a Liga Zon-Sagres é reduzido e visa principalmente jogadores a custo zero ou em situações particulares. Ainda assim, já estão confirmados alguns elementos que acrescentarão qualidade ao nosso campeonato (em termos globais registo para o bom trabalho de emblemas como a Académica e o Rio Ave). Neste sentido, como tem sido apanágio no Visão de Mercado, indicamos aquelas que são as 10 melhores contratações a nível nacional até ao momento, fazendo nova actualização (ler aqui o post de 13 de Julho):

1º Zakaria Labyad - Numa perspectiva de custo mais potencial é o melhor reforço para a Liga Zon-Sagres até ao momento. Mérito dos leões por terem assegurado a custo zero um jovem de apenas 19 anos que era pretendido por equipas como o Barcelona, Arsenal e Benfica, e que tem tudo para "explodir" em Portugal. O talento, criatividade e velocidade que apresenta (principalmente na posição 10) prometem  fazer do jovem marroquino uma das sensações do nosso campeonato.
2º Jackson Martínez - Está colmatada a principal lacuna do plantel dos dragões. O colombiano vem para ser titular, veremos se consegue adaptar-se e afirmar-se como um substituto à altura do seu compatriota Falcao. Vindo do Jaguares por 8,8 milhões, é bastante forte fisicamente e tem instinto matador.
3º Pranjic - Uma contratação excelente do Sporting (se o croata vier empenhado, claro), a custo zero. Jogador experiente (com rodagem em grandes ligas europeias), competitivo, polivalente (pode jogar na ala esquerda ou no meio campo) e com uma capacidade de decisão e qualidade técnica acima da média. 
4º Rúben Micael - É mais um internacional português que reforça o plantel bracarense, numa posição onde Mossoró (até pode sair) precisava de um concorrente à altura. Recordamos que o médio ofensivo já foi indiscutível no Porto, mostrou ser uma mais valia na nossa liga e pode ser uma das figuras dos minhotos, com a sua qualidade táctica e capacidade de finalização.
5º Ola John - Mais um reforço vindo da Holanda. O ala esquerdo, que faz da velocidade a sua principal arma, encantou os encarnados (adeptos incluídos) na pré-eliminatória da Champions e foi um desejo pessoal de Jorge Jesus. O jovem de 20 anos, que para já custou 9 milhões ao Benfica (pode chegar aos 12), promete ser um quebra-cabeças para os laterais da nossa liga.
6º Rojo - Depois da experiência falhada na Rússia, o jovem internacional argentino é a aposta dos leões para acrescentar qualidade à zona central da defensiva (uma presença assídua numa das melhores selecções do Mundo representa sempre um acréscimo de qualidade à nossa Liga). Podendo também jogar a lateral esquerdo, é um jogador com uma boa capacidade de antecipação e saída de bola acima da média, sendo também eficaz nas bolas paradas. 
7º Rodríguez - O Rio Ave tem sido uma das equipas que melhor se reforçou. Contratar um internacional peruano a um dos grandes, que a 100% é um dos melhores centrais da nossa liga, é fantástico para o emblema vilacondense. Veremos se consegue mostrar a qualidade que já evidenciou.
8º Boulahrouz - Internacional holandês, bastante experiente, que chega a custo zero a Alvalade e que pode jogar a central e a lateral direito. Esteve presente no Mundial 06 e 2010, e nos Europeus de 2008 e 2012, o que por si só já justifica a presença neste Top. Forte na marcação, é um jogador extremamente competente, que dará maior maturidade e qualidade à defensiva leonina.
9 Éder - Apesar de não ter jogado na segunda metade da época, o avançado de 24 anos e 1,88m, pelo que tinha mostrado, mereceu o salto para o Braga. Um jogador que, embora não seja de top, trabalha bastante na frente, ganha muitas bolas e que melhorou consideravelmente em termos de movimentação e finalização. Tem tudo para ser titular no habitual 4-4-2 de Peseiro.
10º Beto - Tal como Micael, o internacional AA, que já foi um dos melhores guarda redes da nossa liga, regressa a Portugal para reforçar o Braga. Em princípio será titular (não é certo, Quim dará luta) e é claramente um guardião seguro, forte entre os postes e especialista em grandes penalidades.

Critérios: Resposta às necessidades do plantel, potencial, provas dadas, relação qualidade/preço, potencialização da transferência para empolgar os adeptos. Qual a melhor contratação até ao momento? E o respectivo top 10?

JO Judo - Dia negro para o Judo português, com as eliminações de Telma Monteiro e João Pina logo na 1ª ronda. Telma Monteiro foi eliminada logo no 1º combate da competição, depois de ceder no "golden score" (prolongamento) perante a norte-americana Marti Malloy. A judoca portuguesa não apresentou a agressividade habitual, mostrou nervosismo, atacou pouco e foi surpreendida na fase decisiva. Não servindo de desculpa, com as ausências de Nelson Évora e Naide Gomes, Telma Monteiro era a grande esperança portuguesa para arrecadar uma medalha olímpica. O facto de ter toda a pressão em cima dela, ser inclusive a porta-estandarte, não deverá ter jogado em favor da judoca. Foi a 3ª presença de Telma em Jogos Olímpicos, os seus segundos como favorita a chegar às medalhas, contudo, uma das atletas mais medalhadas da história de Portugal (3 medalhas de Prata e 1 de Bronze em Mundiais e 4 medalhas de Ouro, 2 de Prata e 2 de Bronze em Europeus) ainda não conseguiu chegar longe nos Jogos Olímpicos. João Pina começou bem o combate frente a Volodymyr Soroka, esteve em vantagem, mas cedeu a 30 segundos do fim. O atleta ucraniano ganhou por waza-ari, depois do português ter ganho vantagem (Soroka foi penalizado por duas vezes e João Pina por uma vez) e mostrado mais agressividade (não conseguiu finalizar os golpes).

Outros portugueses - Pedro Oliveira apresentou-se em bom nível na prova de 200 metros Mariposa, terminando com um tempo de 1:58.45 (melhor marca do ano para Portugal). O nadador português falhou a qualificação para as meias finais, mas melhorou a classificação de Pequim (ficou na 22ª posição). 

Taça da Liga - Começou mais uma edição da Taça da Liga, com as 16 equipas da Liga de Honra (as equipas B não podem competir) em acção. Resultados: grupo A - Belenenses 1-1 Oliveirense e Freamunde 1-1 U. Madeira; grupo B - Sp. Covilhã 4-2 Arouca e Naval 3-1 Atlético; grupo C - Feirense 2-1 Penafiel e Portimonense 1-1 Leixões; grupo D - Desp. Aves 5-1 Trofense e Tondela 0-1 Santa Clara.

Mossoró - O jogador do Sp. Braga quer rumar à Grécia, para se juntar ao seu antigo treinador nos minhotos, Leonardo Jardim. O brasileiro assume o interesse dos gregos na sua contratação, mas o Olympiacos terá de chegar a acordo com o Sp. Braga (a cláusula de rescisão é de 8 milhões de euros). 

29 de Julho de 2012

A Espanha está fora dos Jogos Olímpicos, depois de perder pela segunda vez na competição, com a modesta selecção das Honduras por 1-0, num jogo recheado de incidências. O golo da selecção centro-americana foi obtido aos 7', por intermédio de Bengtson (é o melhor marcador, com 3 golos). A partir daqui, foi um massacre da selecção ibérica (principalmente na etapa complementar, visto que nos 45' iniciais ainda demonstraram alguma apatia). Apenas os postes (destaque para Rodrigo, que atirou à barra praticamente de baliza aberta e ainda falhou outras oportunidades) por várias vezes, e o guardião Mendoza evitaram o empate, com defesas absolutamente inacreditáveis. Com muito espírito de sacrifício, sorte à mistura e alguma complacência do árbitro com as perdas de tempo (muitas "falsas" lesões, que deixaram os espanhóis de cabeça perdida e a quase agredirem o juiz da partida), os hondurenhos ficam em excelente posição para seguir para os quartos, juntamente com o Japão (já apurado), que bateu Marrocos por 1-0. Uma prestação decepcionante da turma de Milla (não tanto nesta partida, porque faltou claramente a estrelinha), mas essencialmente pelo pouco futebol mostrado frente aos nipónicos. Nas outras partidas, destaque para a derrota do Uruguai frente ao Senegal (2-0), para a vitória da Grã-Bretanha (3-1 antes os EAU, com um golo de Giggs) e para o triunfo de sul-coreanos sobre os vice-campeões europeus, a Suíça (2-1). Destaques até ao momento? Quem poderá chegar à final?

JO Breves - A França venceu a estafeta 4x100m livres, derrotando os EUA (em 2 provas, Phelps ainda só venceu a medalha de Prata) no último percurso (com Ryan Lochte a nadar). Antes, Dana Vollmer tinha batido o recorde do mundo nos 100 m mariposa, bem como o sul-africano Cameron Van der Burgh nos 100m bruços. Camille Muffat venceu os 400m livres femininos; no primeiro dia da competição de andebol masculino, o melhor encontro foi protagonizado por Espanha e Sérvia. Os espanhóis estavam a perder ao intervalo, mas conseguiram a reviravolta no segundo tempo (26-21), graças a uma grande exibição do seu guarda-redes. Nas restantes partidas, não houve surpresas, com vitórias de Islândia, Croácia, Suécia e França; no voleibol, nota para os triunfos de EUA sobre a Sérvia (3-0) e da Polónia sobre a Itália (3-1); no ténis, Goerges eliminou a nº2 mundial, a polaca Radwanska. Destaques do dia de hoje?

Futebol de Praia - Portugal conquistou a 17ª edição do Mundialito (contou também com China e Alemanha), ao derrotar a selecção espanhola por 6-4. Madjer foi a grande figura da partida.

JO Natação - Para já, 1-0 para Ryan Lochte. O norte-americano venceu os 400 metros estilos e conquistou a primeira medalha de ouro, enquanto que o seu grande rival, Michael Phelps, desiludiu e nem sequer chegou ao pódio. Nas outras finais, destaque para a chinesa Ye Shiwen (apenas 16 anos), que bateu o recorde do mundo nos 400 metros estilos. A nível de portugueses, um pouco decepcionante esta prestação até ao momento. Diogo Carvalho, Sara Oliveira, Carlos Almeida, Tiago Venâncio e Ana Rodrigues foram todos eliminados (não seria de esperar melhor), mas em termos de marcas ficou aquém do esperado (o objectivo seria tentar bater os recordes nacionais).


JO Basquetebol - Os EUA derrotaram a França por 98-71, numa partida controlada pelos norte-americanos a partir do 2º período. A França ainda deu luta nos primeiros 10 minutos (22-21 para os EUA), mas não conseguiram resistir à nova "Dream Team". Kevin Durant, com 22 pontos, foi o melhor marcador dos EUA. Nas outras partidas, a Nigéria derrotou a Tunísia por 60-56, enquanto que o Brasil passou por dificuldades perante a Austrália (75-71).

JO Futebol - A selecção brasileira voltou a ganhar no grupo C, novamente com algumas dificuldades. A canarinha derrotou a Bielorrússia por 3-1, com Neymar (grande golo e assistência para o último golo) e Oscar a decidirem na segunda parte (65´ e 90´+3). Bressan (brasileiro naturalizado bielorrusso), inaugurou o marcador aos 8 minutos, enquanto Alexandre Pato igualou aos 15 minutos. Hulk deu lugar a Danilo a 5 minutos do fim. México 2-0 Gabão (Giovani dos Santos 63´e 90´+2); Egipto 1-1 Nova Zelândia (Mohamed Salah 40´; Chris Wood 17´). No quadro feminino, o Brasil (1-0 à Nova Zelândia) e a Grã-Bretanha (3-0 aos Camarões) já garantiram a passagem aos quartos-de-final. No grupo F, Japão e Suécia empataram 0-0 e também asseguraram duas vagas nos quartos-de-final, enquanto que o Canadá (3-0 à África do Sul) terá que esperar pela última jornada. No grupo G, os EUA derrotaram a Colômbia por 3-0 e garantiram a passagem à fase seguinte, enquanto França (5-0 à Coreia do Norte) e as norte-coreanas terão mais um jogo para decidir.


JO Judo - Tem sido a competição mais aberta até ao momento, com grandes surpresas nas quatros provas já realizadas. O Japão tem desiludido (apenas 1 medalhas de Prata e Bronze no sector masculino, quando nas duas provas femininas, as nipónicas eram as grandes favoritas), enquanto Rússia (-60 kg M), Geórgia (-66 kg M), Brasil (-48 kg F) e Coreia do Norte (-52 kg F) conquistaram as 4 medalhas de Ouro. 

Outros Portugueses - No remo, Nuno Mendes/Pedro Fraga (LM2x) garantiram o passaporte para as meias finais; Na ginástica, Manuel Campos foi eliminado (tal como Zoi Lima no feminino) nas qualificações (35º lugar), mas conseguiu o melhor resultado de sempre de um português; no tiro (a 10m pistola de ar comprimido), depois da excelente participação de João Costa, Joana Castelão ficou no 15º lugar e não se apurou para a final; no judo, Joana Ramos foi derrotada na segunda ronda; finalmente, no ténis de mesa, depois da eliminação de Lei Mendes (esteve a vencer por 2-0), hoje foi a vez de João Pedro Monteiro sucumbir perante um atleta australiano (2-4). Marcos Freitas bateu o dominicano Ju Lin (4-0) e vai defrontar um sul-coreano na 3ª ronda.

Amigáveis - Tottenham empata a zero com o Liverpool; PSG não foi além de uma igualdade a 1 com o DC United, na estreia de Ibra a marcar; Barcelona goleia o Raja (8-0), com hat-trick de Messi; Milan vence Chelsea por 1-0, com golo de Emanuelson.

28 de Julho de 2012

Valencia 1-1 (2-0 g.p.) FC Porto (Jonas 63´; Lucho 57´)

O FC Porto cedeu em Valencia, nas grandes penalidades, no teste mais complicado até ao momento. Os dragões entraram mal na partida, foram equilibrando até ao intervalo, com o Valencia a superiorizar-se novamente na parte final do encontro. Nas grandes penalidades, Kléber (defesa), Iturbe (ao lado), Kelvin (defesa) e Moutinho (poste) desperdiçaram, enquanto que o valencianos marcaram por duas vezes. Vítor Pereira fez alinhar de início Helton, Miguel Lopes, Otamendi, Maicon, Sereno, Fernando, Lucho, Defour, Atsu, James e Jackson Martinez. 

O Valencia controlou a partida durante os primeiros 25 minutos, período onde desperdiçaram duas claras oportunidades de golo (Feghouli e Soldado isolados). Com o passar do tempo, o meio campo dos dragões ia pegando no jogo e a bola chegava com maior facilidade à área de Diego Alves. A 10 minutos do intervalo, Otamendi, numa excelente incursão no ataque, rematou com estrondo à trave da baliza do brasileiro, na única situação de golo dos dragões. No início do segundo tempo, surgiu a resposta do Valencia, com Ricardo Costa a cabecear ao poste. Pouco tempo depois, o momento do jogo. Canto para os dragões, Otamendi falha o pontapé de bicicleta e, Lucho, à entrada da área, dispara com força e colocado (ao ângulo) para um grande golo. Atsu podia ter feito o 2-0 logo de seguida, mas quem havia de marcar era o Valencia. Jonas apareceu no centro da área, sem marcação, e cabeceou para o 1-1. Vítor Pereira aproveitou para trocar mais de metade da equipa e o jogo perdeu de qualidade até final. Djalma ainda podia ter oferecido a vitória ao FC Porto (falhou na cara de Diego Alves), enquanto que o Valencia teve maior volume de jogo e remates (Helton esteve seguro).

Os dragões realizaram a exibição menos conseguida da pré-temporada, perante um adversário forte e com outros argumentos que o FC Porto ainda não tinha encontrado. Destaques para a boa exibição de Lucho (coroado com um grande golo) e James Rodríguez (bons apontamentos). Jackson Martínez posicionou-se bem, apareceu várias vezes em boa posição, mas decidiu sempre mal; Atsu teve menos oportunidades para desequilibrar e Defour continua a ser o elo mais fraco do meio campo portista. Principais destaques?

Braga 1 - 2 Newcastle (R. Amorim 68'; Demba Ba 64', Ryan Taylor 73')

O Sporting de Braga perdeu esta noite com os ingleses do Newcastle, e falharam assim a conquista do Torneio do Guadiana (os portugueses precisavam de uma vitória). Com uma equipa que se pode considerar de segunda linha, apenas dois jogadores repetiram a titularidade desde o jogo com o Olympiakos: os centrais Douglão e Paulo Vinícius, pelo que se deduz que os centrais titulares para a nova temporada estão encontrados. O onze dos gverreiros foi o seguinte: Beto; Baiano, Douglão, Paulo Vinícius, Ismaily; Luis Alberto, Djamal, Rúben Amorim, Paulo César; Carlão e Manoel, jogando em 4-4-2, muito testado por José Peseiro nesta pré-temporada.

O Braga entrou melhor na partida, com mais posse de bola e pressão alta, no entanto revelava-se ineficaz quando tentava chegar perto da área adversária, onde faltou criatividade e qualidade de passe. Apenas a partir dos 30 minutos surgiram alguns lances de golo, os mais perigosos para o Newcastle, através da dupla de ataque Cissé e Demba Ba. Paulo Vinícius de cabeça, e Rúben Amorim num remate fora da área protagonizaram as melhores ocasiões para os minhotos, sem no entanto serem claros lances de golo. Na segunda parte, numa fase menos interessante do jogo, Sylvain Marveaux tem uma boa arrancada dentro da área do Braga, e é travado em falta por Douglão. Beto defende o penalti marcado por Ba, mas na recarga o avançado senegalês abre o marcador. Minutos depois, numa boa jogada de entendimento entre Luis Alberto, Rúben Amorim e Éder, o médio emprestado pelo Benfica empata a partida. Até ao final, tempo para um grande golo de livre directo, marcado por Ryan Taylor, que deixou Beto estático na baliza, a expulsão por acumulação de amarelos de Douglão (segundo amarelo infantil) e uma bela jogada de Zé Luis que depois de passar pelo defesa Coloccini, atirou ao poste da baliza inglesa.

Individualmente, Beto mostrou-se confiante entre os postes, defendendo um penalti, e mostrando agilidade noutras duas defesas de bom nível. Ismaily mostrou-se algo limitado na esquerda, facilmente batido pelo jovem Sammy Ameobi, e não acrescentando nada ao ataque. Aliás, toda a ala esquerda não funcionou hoje, contando também com Paulo César, que passou ao lado do jogo. Rúben Amorim e Carlão foram as melhores unidades da primeira parte, com o brasileiro a mostrar bons pormenores técnicos. Porém, mais objectivos foram os dois avançados da segunda parte, Zé Luis e Éder, que mostraram muito mais trabalho de área, e ambos estiveram perto do golo. Com as entradas de Hugo Viana e Custódio o futebol dos gverreiros melhorou substancialmente, pelo que Luis Alberto e Djamal se mostraram completamente incapazes de construir ou segurar jogo na zona central do terreno. Do lado do Newcastle, Demba Ba, Papiss Cissé e Sammy Ameobi foram as melhores unidades em campo.

Gil Vicente 2-5 Benfica (Cláudio 40' g.p. e Pedro Pereira 52'; Mora 14', 18' e 35',  Miguel Vítor 18´e Michel 67')

O Benfica (com jogadores na sua maioria que em 2012-13 vão alternar entre o banco e a equipa B) derrotou o Gil Vicente de maneira expressiva, no encontro de apresentação da formação minhota. Os encarnados pelo segundo dia consecutivo venceram por 5-2 (o mesmo resultado que tinham conseguido frente ao Real Madrid), tiveram Mora em destaque (um hat-trick e uma assistência) e deu inclusive para Jesus acabar a partida com 7 portugueses (vários da formação como Cancelo e André Gomes). Nota para a eficácia apresentada (aos 35m as águias já venciam por 4-0), e para as exibições de Miguel Vítor, Enzo, Mora e Luisinho (demonstraram que pelo menos a nível interno são soluções mais do que suficientes para a próxima época). Jesus alinhou com: Paulo Lopes; João Cancelo, Jardel, Miguel Vítor e Luisinho; Roderick, Bruno César e Enzo Pérez; Mora, Nelson Oliveira e Hugo Vieira. E ainda utilizou:  Mika, Ola John, Alan Kardec, André Almeida, Michel e André Gomes. Destaques?

Sporting 3-1 St. Étienne (Carrillo 34' e 58', Wolfswinkel 71' g.p.; Sako 74')

Um Sporting (novamente dominador mas com outra qualidade em termos de posse de bola e dinâmica ofensiva) bateu de maneira convincente o St. Étienne, no encontro que serviu para apresentar os jogadores aos adeptos leoninos. Resultado claro, justo e que até peca por escasso (Martins e Carriço falharam golos fáceis), naquela que foi a melhor partida dos comandados de Sá Pinto nesta pré-época 2012-13 (os leões só disputam mais 3 jogos até ao encontro frente ao Vit. Guimarães). O treinador leonino alinhou de inicio com: Patrício; Cédric, Boulahrouz, Rojo e Pranjić; Elias, Schaars e André Martins; Carrillo, Capel e Van Wolfswinkel. Nota para os bons 50m dos leões (entre o minuto 20 e 70), para os centrais leoninos (Rojo e Boulahrouz parecem levar vantagem, mas a altura de Xandão pode ser importante...o clube leonino continua com uma equipa baixa. Já Carriço voltou a demonstrar que é a unidade mais fraca) e para as exibições de Carrillo (bisou, demonstrou que está melhor em termos físicos, e promete com a sua técnica e capacidade de desequilíbrio ser uma das figuras deste Sporting em 2012-13), Wolfswinkel (juntou às movimentações ofensivas e espírito de sacrifício em termos de pressão, um golo e uma assistência), Elias (voltou a encher o campo na 1ª parte e a demonstrar que é o melhor médio leonino), Cédric (boa leitura de jogo em termos defensivos e ofensivos), Capel (apesar de nem sempre ter decidido bem, desequilibrou em algumas situações, ganhou um penalti e fez uma assistência), André Martins (voltou a estar "apagado", não conseguiu construir e ainda falhou um golo fácil), Rinaudo (muito lento, reagiu tarde no 1º golo, decidiu mal e nesta fase é o médio do Sporting em pior momento), Pranjić (menos envolvente que em outras partidas, mas muito melhor que Insua nesta partida. O croata juntamente com Izmailov e Elias, parecem ser as unidades do Sporting que melhor decidem) e Adrien (decisivo no 2º golo dos leões, e a 10 foi superior a A. Martins). Destaques?

JO Ciclismo - Alexander Vinokourov despediu-se em grande da carreira de ciclista, com a conquista do Ouro Olímpico em Londres. Depois da medalha de Prata em Sidney e das infrutíferas tentativas de ganhar uma etapa do Tour de France 2012, o ciclista do Cazaquistão fecha assim a sua carreira com a subida ao "Olimpo". A corrida foi animada, com várias tentativas de fuga e com um grupo numeroso a  chegar ao final na frente. Os britânicos bem tentaram controlar a corrida, mas o dia não era para Cavendish.  Vinokourov e Rigoberto Uran (excelente 2º lugar) escaparam aos restantes 25 elementos da fuga e decidiram nos últimos metros. O grupo chegou passados 8 segundos, com Alexander Kristoff (Noruega) a ser o mais rápido e a levar o Bronze. Rui Costa chegou integrado na fuga e terminou a prova num brilhante 13º lugar, enquanto Manuel Cardoso (49º) e Nelson Oliveira (69º) chegaram com o pelotão.

JO Tiro - João Costa voltou a repetir o 7º lugar de Sidney, depois de ter realizado uma excelente prestação no tiro de pistola de ar a 10 metros. O atirador português terminou a qualificação no 8º lugar (1 ponto à frente de 3 outros atiradores) e foi o 5º melhor durante a final. Contudo, na final contam os pontos obtidos na qualificação (60 tiros), mais os pontos dos 10 tiros da final. O sul-coreano Jin Jong-oh ganhou o Ouro, o italiano Luca Tesconi ficou com a Prata e o sérvio Andrija Zlatic ficou com o Bronze.

Breves - Pedrosa (1º com recorde da pista), Lorenzo (2º) e Stoner (3º), os três mais rápidos dos treinos livres em Laguna Seca; Lewis Hamilton garante pole-position na Hungria (Grosjean em 2º e Vettel em 3º); Andy Schleck vai falhar a Vuelta, abrindo espaço para Tiago Machado (o português vai ser líder, juntamente com Monfort); A equipa B do Benfica venceu, este sábado, no Caixa Futebol Campus, o Carregado por 3-0. Golos de Luis Martins, Derlis e Cornejo; Já os leões bateram em Alcochete o Farense pelo mesmo resultado (Neto, Chaby e Betinho apontaram os golos). Por sua vez o Porto B derrotou o Chaves por 3-2 (bis de Sebá);  Arsenal oferece 23 milhões por Cazorla e quer também Sahin.

Matías Fernandez - "A Fiorentina bateu a concorrência de vários clubes, entre os quais o Benfica, que na noite de quarta-feira fez uma abordagem pelo jogador", revelou o empresário do chileno ao Corriere dello Sport. Encaixa "El Crá" no elenco de Jesus? Estaria o Sporting disponível para vender o médio a um rival?

Ewerton - Segundo a Lusa, o defesa do Sp. Braga, vai jogar no Anzhi, da Rússia. O clube russo irá pagar cerca de 4,5 milhões de euros aos detentores da maioria do passe do jogador, o Corinthians Alagoano e o Banco de Minas Gerais, sendo que o clube português deve encaixar uma verba a rondar os 600 mil euros. Deverá o Braga adquirir mais um central? Ou Haas, Aderlan, NAC, Vinicius e Douglão (teria sido mais problemática a saída deste último) são suficientes? Não estava Ewerton já comprometido com o FC Porto, segundo alguns jornais?

Muitos afirmam que a única meta a que o Brasil se propôs alcançar este verão é a medalha de ouro olímpica. Nem lá perto. O Brasileirão bate-se para entrar na categoria dos cinco campeonatos mais mediáticos do mundo, e para isso muito contribuiu a chegada de Forlan e Seedorf, que vem engrossar o filão aberto por Deco, Love, Juninho Pernambucano, Luís Fabiano, Ronaldinho. Apesar da idade já avançada, o povo brasileiro não se coibiu de lhes oferecer uma recepção, no aeroporto, digna de uma estrela de cinema, com gritos de histerismo à mistura. A juntar ao holandês e uruguaio, outros nomes cotados em termos europeus e sul-americanos como Juan, Paolo Guerrero, "Patito" Rodríguez e "Burrito" Martínez se juntaram ao já forte campeonato brasileiro (apresenta o actual campeão da Libertadores: Corinthians), o que demonstra que mesmo em território americano o Brasil é já o expoente máximo (o próprio Riquelme demonstrou interesse em rumar a Terras de Vera Cruz).

A verdade é que a economia brasileira aproveitou o seu 'boom' financeiro, estendendo os seus efeitos até ao futebol. Resultado: os europeus já não compram talento com duas cantigas. Neymar, Lucas, Ganso e Damião são disso exemplo, aguentando a sua estadia no país de origem por mais tempo que o esperado (Óscar saiu mas permitiu o maior encaixe da história do Brasileirão), e mais de metade da Diáspora que há dez anos havia cruzado o oceano atlântico, voltou a casa para jogar nos maiores emblemas canarinhos. A este cenário, temos ainda o ingresso de nomes fortes em termos sul-americanos no Brasileirão. 

Os clubes brasileiros estão, indiscutivelmente, mais ricos. Mas é uma riqueza que ainda vem sendo utilizada para amortizar os passivos monstruosos que, ao longo dos anos, foram sendo acumulados. Isso, e para pagar os dispendiosos salários das novas estrelas, aumentando a disparidade salarial em comparação com atletas saídos das academias. O progresso é lento, mas é uma realidade. Depois de muitos estádios estarem concluídos para o Mundial brasileiro, talvez assistamos a uma aproximação ainda maior do Brasileirão aos principais campeonatos europeus. Para já, fica claro que em termos económicos há muito que o Brasileirão superou a liga portuguesa ou holandesa. Contudo, no campo desportivo dificilmente o Corinthians, com um elenco cheio de jogadores "velhos" e onde nenhum jogador tinha lugar nos nossos "grandes" e pouco valor de mercado (Paulinho é a excepção), conseguiria superar Porto, Benfica e Sporting. Veremos se a curto prazo juntam ao factor financeiro, mediático e a competitividade da Liga (o vencedor é sempre imprevisível) o rótulo de um dos 5 melhores campeonatos do Mundo (juntando a estas estrelas com ordenados incríveis muitas vezes suportados por empresas, outros elementos de qualidade), ou se as dívidas dos clubes vão fazer deste momento apenas algo passageiro.

A. Borges

...é preciso:
Benfica - Os adeptos encarnados há muito desesperam por um defesa esquerdo demonstrando mesmo alguma indignação por esta questão ainda não estar resolvida. O problema é que analisando a actualidade o único lateral esquerdo acima da média que está no mercado neste momento dá pelo nome de: Alvaro Pereira (que como é óbvio não irá rumar à Luz). Todos os outros apresentam virtudes, mas igualmente muitas objecções. A verdade é que o futebol passa por uma fase onde escasseiam os bons laterais (o FC Porto, que é a equipa que melhor compra e vende em Portugal - apesar de ter perdido o dom de comprar barato -  na época passada para reforçar este sector teve de investir 10,3 milhões em Alex Sandro). E neste momento os clubes (devido às dificuldades financeiras) tem de ser precisos quando abordam o mercado, não se podem dar ao luxo de ser precipitados. Ainda no campo da precipitação, recordamos aos que agora criticam o investimento em Ola John que Di Maria na 1ª época no Benfica foi titular em 13 jogos para a Liga, na 2ª em apenas 12, e na 3ª "explodiu" e saiu de imediato para o Real Madrid (onde é figura). O holandês foi uma aquisição em antecipação (facilmente teria rumado à Premier League ou Bundesliga caso as águias não se tivessem antecipado), e um jogador com as suas características fazia todo o sentido no elenco encarnado (não é por haver uma lacuna evidente que o resto dos sectores terá de ficar como está).

Sporting - Os sportinguistas pedem um goleador, um avançado com créditos firmados (mas em que mundo virtual vivem estes adeptos? Falam de Gomez, Ibrahimovic, Falcao e Van Persie, é que são os únicos que correspondem a essas características). Todos os clubes do Mundo querem bons avançados o problema é encontrá-los (o FC Porto para ter um investiu 9 milhões em Jackson). Na América do Sul, mercado preferencial das equipas portuguesas. Por exemplo no Brasil os melhores são Damião e os que já passaram pela Europa (todos inacessíveis), já na Argentina Tanque Silva (trintão que nada fez na Europa mas que deixa no banco Viatri e Blandi, os 2 mais velhos e mais fracos que Viola) e Teo Gutierrez (tem claros problemas mentais) batem a concorrência (nenhum dos 2 por razões diferentes era um bom alvo). Em termos de Europa. Na Holanda os 2 melhores saíram para a Bundesliga por valores inacessíveis, sobra Bendtner (está no mercado, mas aufere 2,5 milhões por ano - o tecto salarial do Sporting é de 1 milhão - e é demasiado adepto da vida nocturna), e pouco mais (nas próximas semanas alguns vão ficar mais acessíveis devido à dinâmica do mercado e podem proporcionar algum bom negócio). Já os falados Liedson (já pouco acrescentou na sua última época de Sporting e no último semestre nada fez), Cavenaghi (perdeu a competitividade para o futebol europeu), e Rosenberg (tecnicamente é limitado e quer auferir mais que o tecto salarial do Sporting) não são claramente boas soluções para um candidato ao título. Posto isto, o que fica claro é que Wolfswinkel (que custou 5 milhões e marcou 25 golos) foi um "achado". Viola (apesar de ir oferecer ao jogo leonino outro tipo de características) também o poderá ser (e dar 4 milhões pelo argentino fica muito mais "barato" do que dar 2 milhões pelo Bendtner, aliás praticamente por todos os citados).

Percebam a realidade dos clubes. Que as opções são escassas (poucos garantem que vão acrescentar algo) e o dinheiro não abunda. Já que não conseguimos (foi claro pelo pouco feedback nos posts dos JO) aumentar o ecletismo dos nossos leitores, ao menos que o VM sirva para os visitantes adquirirem outra consciência no que diz respeito ao mercado.

27 de Julho de 2012

Benfica 5-2 Real Madrid (Javi García 4', Witsel 22' , E. Pérez 53' e 85', Martins 58'; Callejón 18' e 20')

O Benfica goleou o Real Madrid por 5-2 e conquistou a 5ª edição da Taça Eusébio, num jogo em que Carlos Martins, Javi, Enzo Pérez e Witsel estiveram em plano de destaque. Um resultado expressivo que pode ser explicado pela melhor condição física dos encarnados (Mourinho afirmou que só começa a pré-época amanhã) e pelas ausências dos principais jogadores no conjunto merengue, mas justo. As águias foram superiores durante os 90m, voltaram a demonstrar que são a equipa portuguesa mais forte nas bolas paradas e em termos de pressão alta, e os golos foram aparecendo com naturalidade (o Real só por 3 vezes incomodou Artur, em duas delas e no espaço de 2 minutos, marcou). Nota para o 11 inicial de Mourinho (apenas Di Maria será titular indiscutível em 2012-13, mas não se pode menosprezar a presença de elementos como Lass, Granero, Varane, Higuain, Callejon e Kaká), para aquela que parece ser a equipa tipo de Jesus (Melgarejo a lateral esquerdo, e um meio campo com Javi, Witsel, Gaitán, Martins e Nolito), e para as exibições de Martins (um golo e três assistências), Witsel (um golo, uma assistência e mais um jogo de grande qualidade), Cardozo (falhou um golo incrível), Nolito (exibição apagada), Gaitán (parece estar a subir de forma, não foi feliz, mas começa a soltar a sua qualidade técnica), Melgarejo (excelente no plano ofensivo, na vertente defensiva foi mal batido no 1º golo do Real, mas Di Maria é um jogador de Top Mundial e foi a melhor unidade do Real), Enzo Pérez (2 golaços e uma participação activa no golo de Carlos Martins) e Javi Garcia (um dos melhores em campo. Juntou ao golo uma presente importante no meio campo ao nível da pressão e recuperação da bola). Destaques?

Declarações no final do encontro:
Jesus sobre Melgarejo: «Coentrão também não ia dar nada e deu 30 milhões». Lembro-me do primeiro jogo do Fábio Coentrão a lateral-esquerdo. Foi em Braga e perdemos 1-0. Diziam que eu era maluco, que nunca ia dar em nada. Só deu 30 milhões. O Melgarejo vai continuar mal nos momentos defensivos, sabemos que vai errar posicionalmente, sabemos que não é muito agressivo nas divididas, e há muitos pormenores a trabalhar... As pessoas olham para um jogador quando tem a bola, mas o futebol não é só isso. Em 90m um jogador só tem a bola durante 3, ou seja há 87 minutos em que não tem a bola, e isso é trabalho do treinador, compete-me ensiná-lo.»
José Mourinho: «Se para os espanhóis este resultado é uma desgraça, ou se para os portugueses é uma festa, para mim é normal. Tenho 19 títulos e não ganhei nenhum na pré-temporada.» Isto é também para os iluminados que pensam que os jovens da cantera já estão todos preparados para jogar a titular na equipa A.»

Valentín Viola deverá ser anunciado em breve como o 8º reforço do Sporting para 2012-13, junta-se a Labyad (ler aqui), Gelson Fernandes (ler aqui), Sunil Chettri (ler aqui), Lucas Patinho (ler aqui), Danijel Pranjić (ler aqui), Boulahrouz (ler aqui) e Rojo (ler aqui). O avançado do Racing vai custar ao clube leonino provavelmente 4 milhões de euros (por 90% do passe) mas (até pode vir a Lisboa assinar contrato por 5 épocas) ainda vai jogar a final da Copa Argentina frente ao Boca no dia 8 de Agosto (o 1º jogo oficial dos leões é no dia 19). VM - O Sporting vai adquirir um craque. É imprevisível perceber o impacto que Viola pode ter no futebol português (Buonanotte, Jara, entre dezenas de outros também eram e depois não se afirmaram na Europa), mas em termos de velocidade, capacidade no 1 contra 1, potência, versatilidade, talento, é um avançado (pode jogar no meio ou nas alas) com condições físicas e técnicas muito interessantes. Ainda necessita de evoluir (é muito jovem), marcou pouco na Argentina (Falcao nos 8 torneios que disputou pelo River apontou apenas 34 golos - ou seja uma média de 4 por torneio - depois no FC Porto em dois anos marcou 72), mas na nossa opinião apresenta o perfil que faltava ao elenco leonino (quando for oficial podemos desenvolver esta ideia). 

PS - Interessante esta política de contratações do Sporting. À excepção de Gelson Fernandes os outros reforços para a equipa principal apresentam em comum uma característica: a polivalência. Ora, considerando que Golas e Reis rumaram à equipa B, Sá Pinto dispõe neste momento de 25 jogadores (Viola será o 26º), mas ainda pode reduzir para 23 elementos (o número ideal para permitir uma ligação positiva entre a equipa principal e a B) tal é a variedade de opções para cada posição. Essa redução pode passar pelo fechar do plantel vendendo Carriço, um médio (Schaars ou Izmailov) e Wilson, ou de maneira a permitir a contratação de 2 jogadores (um lateral direito e um "pinheiro") juntando às vendas dos 3 citados a de Pereirinha e o empréstimo de Rubio. Plantel leonino (excluindo os 5 jogadores que são "transferíveis"): 
GR - Patrício e Boeck
Lat Dir - Cédric
DC - Boulahrouz (pode jogar a lateral direito), Xandão, Onyewu e Rojo (pode jogar a lateral esquerdo)
Lat Esq - Pranjić (pode jogar a 8, 10 ou na ala) e Insúa
Med - Elias, Rinaudo, Gelson, André Martins, Adrien, Izmailov e Labyad (pode jogar nas alas)
Ala - Capel, Jeffren e Carrillo
Ava - Wolfswinkel e Viola (caso se confirme o negócio...pode também jogar nas alas).

Irá o clube leonino reduzir o seu plantel de maneira a controlar os "egos" (não vai ser fácil deixar alguns destes elementos na bancada e com um plantel menor seria mais fácil gerir essa situação) e permitir a entrada na equipa principal dos elementos da B? Caso os leões optem por um elenco de 23 jogadores quem deveria sair?

Com as regras do torneio olímpico de futebol a impedir que as grandes estrelas participem na competição (apenas três jogadores com mais de 23 anos por selecção), fica para o basquetebol toda a atenção mediática em termos de desportos colectivos. Em Londres, estarão presentes 12 equipas, quase todas elas com jogadores estrelas na NBA (um total de 36 jogadores, mais uma dezena que já passou pela melhor liga do mundo). Os EUA voltam a trazer os melhores elementos, sendo o principal candidato a levar a medalha de Ouro. 

Grupo A – Argentina, França, Lituânia, EUA, Nigéria e Tunísia

Para os quartos-de-final, passam as 4 melhores equipas de cada grupo, pelo que a Argentina, França, Lituânia e EUA, são os principais candidatos neste grupo A. Contudo, a selecção nigeriana foi a grande surpresa da fase de qualificação, tendo eliminado a Grécia e ganho à própria Lituânia. Os EUA, com LeBron James, Kobe Bryant, Kevin Durant e Chris Paul, são claros favoritos ao 1º lugar do grupo, enquanto a Argentina (equipa veterana, mas com grande qualidade – Scola, Ginobili, Delfino e Prigioni) e França (um grande base e uma defesa agressiva - Tony Parker, Batum e Diaw) deverão lutar pelo 2º lugar. Em princípio, os lituanos vão ficar pela 4ª posição (Pocius, Kleiza, Valanciunas), enquanto Nigéria e Tunísia querem mostrar o perfume africano na competição (a Nigéria conta com Richard Oruche da Académica). 

Grupo B – Brasil, Espanha, Rússia, Austrália, China e Grã-Bretanha

O grupo B é mais aberto que o A, mas Espanha, Brasil e Rússia destacam-se das demais. Muitos afirmam que a selecção espanhola poderá ser a única a impedir o Ouro norte-americano (no último amigável, os espanhóis levaram uma tareia - 78-100), pois conta com excelentes jogadores (Navarro, Calderon, Pau e Marc Gasol, Ibaka e Rudy Fernandez). Brasil (com Marcelinho Huertas, Varejão, Nene, Splitter e Barbosa) e Rússia (com Kirilenko, Mozgov e Shved) têm bons argumentos para dar luta à Espanha. A luta pelo 4º lugar promete ser a três, com a anfitriã Grã-Bretanha (dependente de Loul Deng), China (selecção muito jovem) e Austrália (selecção com bastante experiência na Europa e Patrick Mills como craque). Poderá a Argentina e a Espanha evitar o mais que provável Ouro dos EUA? Que surpresas podemos esperar? Quem vai levar as medalhas? Quem vai ser o MVP?

Joan Capdevila foi hoje apresentado no Espanhol de Barcelona. O lateral esquerdo deixa o Benfica e assina por uma época pelos catalães. VM - O campeão do Mundo e da Europa representou um dos piores negócios da história do clube da Luz. Custou 2,8 milhões de euros (fora os avultados salários), rendeu zero em termos desportivos e a sua chegada ao Benfica impediu a contratação de outro elemento mais capaz para a posição (podia ter mudado a história da última época). A sua saída era inevitável. Quem irá substituir o espanhol? E por onde passa o futuro de "dispensados" como Sidnei, Julio César e Emerson? Passou pela aposta em Capdevila o insucesso dos encarnados na última época?

O Sporting confirmou a venda de Matías Fernández à Fiorentina, informou o clube leonino em comunicado enviado à CMVM. Os valores do negócio não são avançados na informação oficial dos leões, mas terão oscilado entre os 3 e os 4,5 milhões (é possível que o emblema de Alvalade que só detinha 75% do passe do chileno tenha ficado com uma percentagem numa futura venda). VM - Ignorando as verbas envolvidas (já discutidas aqui), do ponto de vista desportivo a saída de Matías do Sporting era inevitável (alguém tinha de sair e El Crá era um dos que reunia mais condições para tal). Para os adeptos que apreciam bom futebol é evidente que a liga portuguesa hoje ficou mais pobre, Matigol é um daqueles jogadores (cada vez mais) raros no futebol actual, com uma técnica, talento e capacidade de desequilíbrio que contagia. No entanto, não temos dúvidas que na posição 10, Pranjić, Labyad e Izmailov vão dar muito mais aos leões que o chileno (também não é complicado, pois à excepção da última época com Sá Pinto, El Crá nunca potenciou em Alvalade de maneira regular o seu enorme talento). Por outro lado, estava no último ano de contrato, a renovação implicava um aumento salarial acompanhado pelo respectivo prémio e considerando as boas opções que o clube leonino apresenta para o meio campo, o ex-14 era dos elementos à disposição de Sá Pinto que se podia subtrair com mais facilidade (a saída de Xandão pelos moldes que se falam seria menos compreensível). Saída inevitável? Quem irá substituir Matias no 11 leonino: Pranjić, Labyad, Izmailov, Adrien, André Martins ou Schaars (não será de todo surpreendente que numa 1ª fase Sá Pinto aposte no holandês ao lado de Elias e Rinaudo)? Última venda dos leões neste defeso? Ou outros elementos do plantel principal ainda podem ser vendidos (se sim, quem)?

É hoje oficialmente dado o pontapé de saída nos Jogos Olímpicos de 2012, com a cerimónia de abertura da competição. Durante os próximos 16 dias, a Grã-Bretanha vai parar e assistir ao desfilar dos melhores atletas do planeta. A 30ª edição dos Jogos Olímpicos de Verão terá palco em Londres, que recebe o evento pela 3ª vez (depois de 1908 e 1948). Na Grã-Bretanha estarão mais de 10 mil atletas de 204 nações de todo o mundo (pela primeira vez, todos os 204 comités olímpicos estão representados no sector masculino e feminino), que vão competir em 26 desportos, num total de 39 disciplinas. Trata-se do maior evento desportivo a nível mundial e a celebração da amizade, do fair-play e confraternização entre os intervenientes de cada nação. Sobre o lema “Citius, Altius e Fortius” (mais rápido, mais alto e mais forte) e os ideais de Pierre de Coubertin, em que o importante é lutar, dignificar e sair com o sentimento de dever cumprido, Londres prepara-se para receber os Jogos Olímpicos mais “verdes” da história. Foi feito um enorme investimento na sustentabilidade de tudo o que está ligado ao evento (infra-estruturas, equipamentos, transportes e zonas verdes), enquanto que a Aldeia Olímpica não vai ficar deixada ao abandono quando os Jogos terminarem (ao contrário do que aconteceu noutros eventos). A capital inglesa vai ter inúmeros locais para a competição dos Jogos, entres eles os courts do All England Lawn Tennis e Croquet Club (Wimbledon - ténis), Hyde Park (trialto e maratona de natação), o Estádio de Wembley (final do futebol), o Lord´s Cricket Ground (tiro com arco), o Earls Court Exhibition Centre (voleibol), o Horse Guards Parade (voleibol de praia), o Royal Artillery Barracks (tiro), o North Greenwich Arena (basquetebol e ginástica artística) e o ExCel London (boxe, esgrima, judo, ténis de mesa, taekwondo, luta e halterofilismo). Para além destes, também foram construídos o Estádio Olímpicos e outros equipamentos para as provas de natação, ciclismo de pista e pólo aquático, todos eles integrados na Aldeia Olímpica.

Portugal vai fazer-se representar por 77 atletas, onde faltam os medalhados Nelson Évora, Vanessa Fernandes, Francis Obikwelu e Rui Silva, para além de Naide Gomes. O Atletismo continua a ser a modalidade com mais participantes (24), seguido da Vela (13 – 8 equipas), Natação (8) e Canoagem (6 – 5 equipas). Badminton (2), Ciclismo (4), Hipismo (2), Ginástica (4), Judo (4), Remo (2 – 1 equipa), Tiro (2), Ténis de Mesa (4) e Triatlo (2), são as outras modalidades com portugueses em acção.

Quem vão ser os principais destaques destes Jogos Olímpicos? Poderá Portugal chegar às medalhas? Que modalidades é que vão seguir com mais atenção? Serão os melhores JO de sempre?

26 de Julho de 2012

Braga 1 - 1 Olympiakos (Lima 34'; Tatos 6')

No estádio do Algarve, naquele que foi o 1º encontro do torneio Guadiana 2012, o Sporting de Braga defrontou o adversário mais complicado até à data, nesta pré-época, os gregos do Olympiakos comandados pelo ex-técnico dos gverreiros, o madeirense Leonardo Jardim. No final um empate a uma bola (nas grandes penalidades as equipas empataram a 4), que penaliza a boa 2ª parte dos comandados de Peseiro (alinhou de inicio com uma versão 2011-12: Quim; Salino, Douglão, Paulo Vinícius, Elderson; Custódio, Hugo Viana, Mossoró; Alan, Hélder Barbosa e Lima).

No primeiro tempo, e logo na primeira situação numa das áreas, uma falha de organização da equipa portuguesa permitiu a que Tatos abrisse o marcador na cara de Quim. O Olympiakos tinha mais bola, e o Braga tentava a pressão alta, sem sucesso. Os gregos falharam duas boas ocasiões de ampliar a vantagem enquanto o Braga só criava perigo ma sequência de bolas paradas. Lima mudou o rumo do encontro, com um golo de livre directo, e com isso o Braga cresceu e podia ter marcado por mais duas ocasiões, desperdiçadas por Lima e H. Barbosa. Na segunda parte, a equipa grega acusou a fadiga e o cojunto minhoto controlou a partida. Com mais ocasiões de golo falhadas - e algumas delas claras, o Sporting de Braga de José Peseiro esteve mais perto do golo da vitória do que o adversário na recta final.

Destaques


Braga
- Falando no jogo colectivo, o Braga teve hoje um bom teste, demonstra bons pormenores de organização ofensiva, e como é normal nesta fase da época, denota também alguns aspectos que requerem trabalho, sobretudo nas transições defensivas. Este foi o sector que "tremeu" mais, sobretudo na primeira meia hora de jogo, onde algumas falhas individuais e colectivas permitiram o golo ao adversário e ainda causaram calafrios noutros dois lances.

Individualmente, Quim teve poucas oportunidades para intervir; Elderson com muitas falhas defensivas e muita indefinição no ataque demonstrou hoje mais uma vez que não tem lugar no onze de um candidato aos três primeiros lugares; Douglão a melhor unidade da defesa; Paulo Vinícius e Salino com uma ou outra falha defensiva, mas um pelo corredor e outro de cabeça na frente tentaram marcar; Custódio e Hugo Viana à procura da melhor condição física, cumpriram e mostraram bons pormenores; Mossoró fez um jogo razoável, sem motivos de destaque; Alan e Hélder Barbosa não conseguiram ser decisivos nas alas, mas o português podia ter marcado por duas ocasiões; Lima o melhor do Braga, marcou e viu a defesa contrária tirar-lhe dois golos fáceis; Éder, Rúben Amorim e Paulo César entraram bem e mexeram no jogo.

Olympiakos
- O próprio Leonardo Jardim admitiu estar numa fase de adaptação à equipa, onde pretende conhecer os seus jogadores e incutir-lhes a sua filosofia de jogo. Por isto mesmo, o dedo do português na equipa grega não foi muito visível hoje. Nos primeiros trinta minutos trocaram bem a bola e causaram perigo à baliza de Quim, mas baixaram consideravelmente o ritmo e o empate é um bom resultado. Tatos mostrou bons pormenores técnicos, o avançado Mitroglou deu algum trabalho à defesa bracarense, e o guarda-redes Megyeri, mal batido no golo, mostrou grandes reflexos num remate de Custódio, evitando a derrota no final.

Micael/Ewerton - António Salvador confirmou que o médio vai representar o Braga por empréstimo, já o central deve estar de saída. Os gverreiros não accionaram a opção de compra e a empresa proprietária do brasileiro já fez saber aos minhotos que tem uma proposta pelo defesa. Por onde passa o futuro de Ewerton?

.................................................................................

Breves - O Marítimo defronta o Asteras Tripolis na 3ª pré-eliminatória da Liga Europa; No Futsal o Benfica confirmou a aquisição de Nene (por sua vez Ricardo Fernandes por motivos familiares não vem já para a Luz);  Quaresma que está de saída do Besiktas iniciou a temporada 2012/13 a trabalhar na segunda formação do clube turco (o extremo português está indignado), também Manuel Fernandes pode abandonar a Turquia (é pretendido por Zaragoza e Atl. Madrid); A Liga Portuguesa de Futebol Profissional confirmou hoje a participação do Portimonense na Liga de Honra, na época de 2012/13; E nos Jogos Olímpicos o Brasil com Hulk a titular (fez uma assistência) bateu o Egipto por 3-2 (estiveram a ganhar por 3-0), já a Grã-Bretanha empatou a uma bola frente ao Senegal (Abdoulaye foi titular).

Há 3 meses (ler aqui) que começou a ser falado, agora é oficial. Micael vai representar o Sp. Braga na próxima época, no entanto, não são conhecidos os moldes do negócio (os gverreiros incompreensivelmente não comunicam as contratações no seu site e com este trio Mendes-Atlético-Braga nada é totalmente claro...empréstimos que são vendas ou "ofertas em definitivo", supostas opções de compra, etc). VM - É um bom reforço. Demonstrou ao serviço do Nacional e na sua 1ª época no FC Porto que consegue ser uma mais-valia na nossa Liga e acaba por colmatar uma das lacunas deste Braga: faltava um médio que "desse luta" a Mossoró. Apesar de não ter a técnica de Mossoró, a sua qualidade táctica, finalização (marca com facilidade) e consistência física devem garantir-lhe a titularidade. Destaque para o aumentar do numero de portugueses às ordens de Peseiro (já é o 2º jogador que esteve no Euro 2012 contratado): Beto, Amorim, Custódio, Viana e Micael devem ser opções regulares; para a estranha carreira de Micael (vai fazer 26 anos daqui a 20 dias, mas regrediu. Passou de indiscutível no Porto, inclusive cobiçado por várias equipas, saiu por 5 milhões para o Atlético e foi opção intermitente no Zaragoza); e para o papel que poderá ter o médio na selecção Nacional, considerando que Viana que pouco ou nada conta para Bento, é figura no Braga (repetimos a pergunta de Maio, quando este cenário começou a ser montado: Continuará o médio a ter a mesma atenção por parte de Paulo Bento?). Bom reforço? Qual será o 11 tipo de Peseiro em 2012-13? Com um defesa esquerdo e um extremo o Braga fecha o plantel, ou ainda necessita de mais contratações? 

A imprensa francesa volta hoje a insistir no interesse do Bordéus em Sereno. O clube francês pretende o central do FC Porto para reforçar o sector defensivo (Ciani ou Henrique devem sair). Qual o valor de mercado do polivalente defesa? Deverá continuar no Dragão ou ser cedido (na época passada foi emprestado ao Colónia)?

Jogos Olímpicos - Honduras e Marrocos empataram 2 no jogo inaugural do torneio de futebol masculino. Labyad (considerado pelo VM a melhor contratação da Liga Zon-Sagres até ao momento, ler aqui) foi o MVP da partida com um excelente golo, uma assistência e várias acções individuais de bom nível. Por sua vez a Espanha (com Rodrigo a titular) perdeu frente ao Japão (0-1). Os nipónicos foram muito superiores (podiam mesmo ter goleado...desperdiçaram 6/7 oportunidades claras de golo) e vulgarizaram a La Roja (impressionante a técnica e velocidade dos jogadores japoneses. Em 2011 o VM já tinha destacado alguns, ler aqui). Otsu marcou o único golo, mas Sakai, Kiyotake, Higashi, Nagai, praticamente todos os elementos, apresentaram muito futebol (a pressão alta que fizeram desorientou por completo a Espanha. Aliás, fruto dessa intensidade nipónica os espanhóis perderam muitas bolas na sua zona defensiva e estiveram praticamente todo o encontro a sofrer, o ataque foi uma nulidade e o meio campo construi pouco. Em termos defensivos Dominguez e Íñigo Martínez demonstraram mesmo alguma banalidade). No outro encontro do dia, México e Coreia do Sul empataram a 0.

O Benfica depois de Ola John pode voltar a "pescar" no Twente. Segundo a imprensa holandesa, os encarnados apresentaram uma proposta de 8 milhões de euros por Leroy Fer, médio defensivo que joga igualmente a box-to-box de 22 anos e 1m88, e outra de 4,5 milhões pelo central Douglas  (24 anos e 1m92). O clube holandês terá recusado a 1ª abordagem por Fer (na época passada marcou 8 golos), enquanto que Douglas (pode ser chamado à selecção holandesa e termina contrato em 2013) não ficou satisfeito com o salário apresentado pelas águias. VM - Ignorando os nomes Fer e Douglas (por razões diferentes pelo menos nesta fase foram negados). Independentemente da continuidade ou não de Witsel, faz falta ao elenco encarnado um médio que jogue a 6 e 8 (só Javi, Matic, o belga e Martins é curto, ainda para mais se a táctica for um 4-2-3-1). No que diz respeito à posição de central, Vieira negou esta semana Burdisso, mas a verdade é que tanto Jardel como Miguel Vítor parecem não contar para Jesus (pelo menos na pré-época pouco jogaram), como tal, não será de todo descabido o reforço desse sector. Deverá o Benfica contratar um central e um médio defensivo/box-to-box? Ou o (suposto) interesse nos 2 jovens do Twente pode estar relacionado com a saída de alguns elementos do plantel encarnado?

O ciclismo será uma das modalidades que cativará mais a atenção do público londrino. É uma prova bastante imprevisível (pela dificuldades em controlar a corrida, não teremos uma "Sky"), mas onde os britânicos têm legítimas aspirações, quer na prova em linha (com Mark Cavendish e uma equipa fortíssima), quer no contra-relógio (Bradley Wiggins é um dos principais candidatos).

Na prova em linha, na nossa opinião, há 6 fortes candidatos à vitória, que podemos dividir em dois grupos (o dos sprinters e o dos roladores): Mark Cavendish, que é o sprinter mais forte, é campeão do mundo, tem um grande comboio (embora com poucos elementos) e actua em "casa" (não tem grande peso, até pode ser um obstáculo), Greipel, que está cheio de confiança após as vitórias no Tour e tem uma equipa de sprinters para o levar ao ouro e Sagan, um dos melhores ciclistas do ano e também um homem muito rápido; e com características diferentes, Cancellara, que se estiver empenhado (veremos qual será a sua abordagem, pois terá o contra-relógio) poderá lançar um daqueles ataques impossíveis de parar, Gilbert, num mau momento de forma, mas que poderá surpreender (aliás qualquer um dos belgas que vão estar em prova costuma se destacar neste tipo de competições) e, finalmente, Boasson-Hagen, um excelente finalizador. Como é óbvio, é impossível prever um vencedor, as equipas apresentam no máximo 5 elementos (vai ser difícil controlarem a prova...vão haver muitos ataques), e depois com um pelotão tão rico tudo pode acontecer (Cadel Evans provou isso em 2009 nos Mundiais). Veremos o que fazem Rui Costa (num grupo reduzido é muito forte e pode vencer qualquer ciclista) e Manuel Cardoso (caso o pelotão chegue com muitas unidades pode fazer um Top-10).

No contra-relógio, há 3 claros favoritos. O principal será mesmo Bradley Wiggins, que venceu todos os crono em que participou em 2012 e poderá dar uma medalha de ouro à Grã-Bretanha. Terá a oposição de Cancellara, que até abandonou o Tour mais cedo para se preparar convenientemente, e de Tony Martin, que está longe do seu melhor, mas ainda é o campeão do mundo da especialidade. Haverá seguramente outras boas prestações, como Phinney ou Luis Léon Sanchéz, sendo interessante perceber o que poderá fazer Nélson Oliveira. Quem serão os vencedores das provas? Que ciclistas poderão surpreender? O que poderão fazer os portugueses?

Se noutras provas, estão prometidos grandes duelos individuais, nos 110 metros barreiras, tudo poderá acontecer. À partida, será uma luta a quatro (já em 2008 foi uma das competições mais imprevisíveis e emocionantes). Arries Merritt (EUA), Jason Richardson (EUA), Dayron Robles (Cuba) e Liu Xiang (China), prometem uma corrida memorável, em que o recorde do Mundo poderá estar em jogo (Dayron Robles, com 12.87 segundos na Rep. Checa, em 2008). Arries Merritt é apontado como o principal favorito ao título, muito devido à sua mudança de técnica na abordagem à primeira barreira. Para a maioria, será um pormenor insignificante, contudo, numa prova de tão curta duração, qualquer melhoria de técnica poderá fazer a diferença. O norte-americano trocou a sua corrida de 8 passos para a 1ª barreira, por uma corrida de 7 passos, o que levou a bater o seu recorde pessoal (12.93) e liderança mundial no ano de 2012, já igualado por duas vezes neste mês de Julho. Jason Richardson, seu compatriota e campeão do mundo em 2011, também aspira à medalha de Ouro em Londres, depois dos 12.98 realizados nos campeonatos dos EUA (qualificação para os JO). O norte-americano quer provar também que a vitória nos mundiais de Daegu em 2011 não foram um acidente (Robles foi desqualificado por ter agarrado Liu Xiang). Campeão Olímpico em 2004 e uma estrela desde tenra idade, Liu Xiang volta aos Jogos, após a lesão que o impediu de correr no seu país em 2008 (ainda entrou na corrida, mas desistiu antes do tiro de partida). O atleta chinês tem como melhor marca do ano 12.97 (ainda igualou o recorde do mundo, mas com vento favorável acima do limite) e uma experiência inigualável por parte dos restantes favoritos. Dayron Robles fecha a lista dos grandes favoritos aos 110 metros barreiras. O atleta cubano é o recordista mundial, campeão Olímpico em 2008 e procura redimir-se na grave falha nos mundiais de Daegu. Londres 2012 será o local ideal para recuperar a glória internacional, pois a falta de fair-play demonstrada em 2011 custou-lhe muito caro (mesmo assim, continua a dizer que perdeu a medalha de Ouro por ser cubano). Quem levará a melhor nos 110 metros barreiras? Poderá algum atleta intrometer-se nesta luta a quatro? A prova dos 110 metros barreiras apresenta um nível de espectacularidade igual à dos 100 metros?