31 de Outubro de 2011

A equipa bávara, depois de uma temporada para esquecer, está a ter um arranque fortíssimo na competitiva Bundesliga, sendo actualmente, na nossa opinião a equipa que pratica o melhor futebol no Velho Continente (a dúvida era entre os alemães e o City, mas a LC desempatou a favor dos bávaros).

Depois de um ano onde tudo correu mal, o gigante alemão está determinado em apagar os erros do passado. Ribéry está de regresso à melhor forma física e também ao nível exibicional; Schweinsteiger (o melhor jogador do Mundo na opinião de um dos editores do VM) domina na zona do “miolo”, quer na companhia de Luiz Gustavo, quer de Toni Kroos (muitas vezes, até dos 2); Rafinha e Lahm dão profundidade nos corredores, e Badstuber e Boateng segurança no eixo da defesa; Na baliza, Manuel Neuer (o melhor guarda-redes do Mundo), a contratação mais sonante para a nova época, é o guardião menos batido em todas as ligas europeias (apenas 3 golos sofridos) e alcançou o feito notável de 1147 minutos sem consentir golos, superando o antigo recorde do clube que pertencia ao lendário Oliver Kahn. Enquanto que no ataque, a um perigoso, hábil, rápido e instintivo Muller se junta “Super” Mario Goméz (o melhor ponta-de-lança do Mundo. Já explicamos que não consideramos jogadores como Ibrahimovic, Torres, Higuain, Van Persie, Rooney ponta-de-lanças mas sim avançados). O alemão está em grande forma, e tem sido o verdadeiro “matador” da equipa alemã. Até ao momento, já leva 12 golos em 10 partidas, sendo o melhor marcador dos bávaros que contam com 30 golos a nível interno.

A frieza alemã, o desejo de vitória e a ambição do conjunto, fazem do Bayern de Munique um sério candidato à conquista, não só da Bundesliga, mas também a nível europeu, nomeadamente a Liga dos Campeões. A juntar a isso, a qualidade do plantel orientado por Juup Heynckes é inequívoca, e a forma com que os alemães se têm vindo a exibir, deixa antever que no final da temporada existirão motivos para sorrir, ainda para mais quando a todo este plantel quase perfeito (falta talvez um central, e um extremo para o banco) e todas estas estrelas falta aquela que brilha mais que todas as outras: RobbenConseguirá o Bayern de Munique manter este nível até ao final da temporada? A equipa terá uma palavra a dizer na Liga Milionária (prova onde na nossa opinião é uma das 5 favoritas)? A verdade é que o Bayern tem vindo a exibir-se a um nível que nenhuma outra equipa europeia ainda alcançou, superando Barcelona, Real Madrid ou Manchester City.


A. Mesquita

A vida difícil leva a posições extremistas. Como tantos outros destinos, o Chipre tornou-se local de eleição para muitos emigrantes portugueses. Conta quem por lá assentou arraiais que a vida que por lá se leva não é má de todo. Contrariamente a esta realidade, está o feudo em que ameaça tornar-se o estádio do Apoel de Nicósia, prometendo (agora sim) tarefa muito complicada para a equipa portuguesa que também tenta fazer pela vida nesta edição da Liga dos Campeões. Neste caso, o F.C. Porto. O conjunto cipriota já está no mapa europeu do futebol, e dificilmente voltará a ser olhado como um oponente somente de "paragens exóticas" e que está por lá para fazer número. Prova disso foi a vitória sobre o Zenit, o excelente empate com o Shakhtar, ao qual se seguiu outro com o F.C.Porto que só terá supreendido os mais desatentos. Pela incrível capacidade de fechar espaços deste Apoel, e pela relação conturbada dos dragões com as boas exibições, este encontro terá contornos decisivos para as aspirações dos azuis e brancos. Mas há forma de voltar a casar os portistas com as essas boas prestações. Para isso, como em tantas outras ocasiões, terá que despir o fato de gala e mostrar o porquê de tanto ter ganho nos últimos anos. A turma lusitana com a necessidade urgente de somar novos três pontos num grupo que muito dificilmente não será discutido até ao fim, deve amanhã obrigatoriamente alcançar a vitória. A história diz-nos que quando o fado do dragão é cerrar os dentes e vencer, o objectivo é alcançado. Mas a história também contava que no Chipre não havia futebol que desse pano para mangas. Cabe a este F.C. Porto decidir com que linhas se escreve novo capítulo no livro de viagens que é a melhor competição de futebol do mundo. Prognósticos? Qual será o 11 de Vítor Pereira (indicamos a nossa preferência na imagem. Nos últimos jogos os erros defensivos de Sapunaru e Rolando foram de tal maneira evidentes, que a entrada de Fucile e Otamendi é lógica)? Aílton irá merecer outra atenção? Jogo decisivo para as aspirações do Porto? 

A. Borges

PS - Pedimos aos leitores que ainda não o fizeram, para se inscreverem no nosso Fantasy da Liga dos Campeões (ver os códigos aqui).

Se em Espanha e Itália o equilíbrio é a nota dominante, já na Premier League e Bundesliga, Man City e Bayern lideram já de uma maneira algo confortável os respectivos campeonatos. Contudo, mais do que liderar as suas ligas, um novo tema entra em discussão: que equipa está a praticar o melhor futebol? Parece claro a todos, que neste capítulo, 4 clubes se tem destacado dos demais, curiosamente os 4 principais candidatos a vencer a Liga dos Campeões (juntamente com o Chelsea): Bayern, Man City, Real e Barça. Nesse sentido, lançamos a pergunta aos nossos leitores: A nível europeu que equipa pratica (e porquê) o melhor futebol neste momento?

Devido à insistência dos leitores, vamos elaborar a lista (aqueles que são na nossa opinião) das 15 maiores promessas da actualidade. Como para tudo, é essencial definir critérios, esta rubrica destina-se a jogadores nascidos em ou depois de 1991 (no nosso ponto de vista nomear jogadores com 23 como jovens promessas é absurdo), como tal (apesar do seu enorme valor e potencial e de estarem na fronteira do critério por nós definido), nomes como Balotelli, M'Vila, Jovetic, Schürrle, Douglas Costa, Andre Ayew, Kroos, Welbeck, Sturridge, Ramsey, Strootman ou Luuk de Jong, não serão mencionados. Os critérios de selecção são os feitos dos jogadores até ao momento, nomeadamente a importância na sua equipa, e principalmente o seu potencial e o nível (patamares em termos de projecção Mundial) que poderão atingir no futuro.

A recente exibição para a Champions League, onde foi um quebra-cabeças para a defensiva do Benfica, fez com que o seu nome andasse na órbita dos adeptos portugueses. Contudo, Xherdan Shaqiri há muito tempo vem demonstrando o seu valor, não só no Basileia, mas também na selecção suíça. Conta já com 14 internacionalizações e 4 golos marcados pelos helvéticos, nação que representa, apesar de ter nascido no Kosovo. Foi convocado para o Mundial 2010 com apenas 18 anos e, neste Verão, foi figura de proa do Europeu Sub-21 na Dinamarca, competição onde actuaram jogadores como Jeffrén e Capel, por exemplo, já com 23 anos. A Suíça chegou à final, sendo derrotada apenas pela congénere espanhola. O que é certo é que a sua agressividade, velocidade, drible curto e facilidade de remate, partindo da direita para o espaço central, são características que o transportarão para um campeonato bem mais competitivo do que o suíço, onde já conquistou 2 títulos. Apesar de ter apenas 1,70, o seu potencial futebolístico é bem maior que a sua altura. Clubes como o Manchester United, Inter de Milão ou Liverpool há muito seguem o talentoso esquerdino.

Até ao momento, ainda não encontramos a alcunha ideal para Kléber, Wolfswinkel e Witsel.

- No caso de Kléber o nick "Girafa", sendo o dele ou não, já é uma repetição da alcunha de Luisão. E o ideal seria evitar nicks repetidos.
- No caso de Wolfswinkel. Lobo, Golfswinkel, Rickygol, Van Basten de Alvalade, foram algumas das alcunhas mencionadas. Mas um nick (à excepção de por exemplo Capitão América) não pode ter duas palavras, a combinação de uma alcunha com o próprio nome também não é prática nos países latinos (tal como Golfswinkel) e Lobo não apreciamos. Utilizando o exemplo de Onyewu porque não uma personagem da Marvel?
- No caso de Witsel. Rallo, DJ, MC, Piaçaba, não se adequam à ideia "latina" (principalmente dos argentinos) de uma alcunha.
Podem sugerir alcunhas para estes e outros jogadores. O ideal é que sigam algumas das regras aqui sugeridas, e não repitam os nicks mencionados na caixa de comentários, pois nenhuma reúne os requisitos que definimos.

Ténis - Michelle de Brito conquistou o ITF de Bayamon (Porto Rico), depois de bater a tenista da casa, Monica Puig por 6-3 e 6-2. A tenista nacional conquistou o seu 2º torneio do ano e poderá ascender ao top-160 mundial. No WTA Tour Championships, a checa Petra Kvitova bateu a bielorrussa Victoria Azarenka (7-5, 4-6 e 6-3), terminando a temporada de 2011 em grande estilo.

Surf – Tiago Pires realizou uma das melhores prestações do ano, numa prova do Prime Event (2ª categoria a nível mundial), disputada nas praias de Santa Cruz, na Califórnia. O português conquistou um 2º lugar, perdendo apenas na final para o brasileiro Miguel Pupo (fez duas grandes pontuações na final, num total de 18.93), mas garantiu 5200 pontos para o ranking mundial, uma subida do 35º para 20º lugar nesse mesmo ranking e ficou próximo de assegurar a continuidade entre a elite mundial em 2012.

Liga ZON-Sagres
– Nacional, U. Leiria e Vit. Guimarães derrotaram Beira-Mar (2-1), Vit. Setúbal (2-0) e Rio Ave (2-1), respectivamente, e afastaram o cenário de crise que pairava sobre os seus conjuntos.

La Liga – O Levante finalmente caiu (0-2 frente ao Osasuna), permitindo a Real Madrid e Barcelona subirem aos primeiros lugares da Liga. Os merengues ganharam em San Sebastian por 1-0, com um golo de Higuain, enquanto que os catalães golearam o Maiorca por 5-0 (3 de Messi em 17 minutos, mais os golos de Cuenca e Dani Alves). Os dois conjuntos apresentam uma média de 3.2 golos por jogo na Liga Espanhola. Valencia (3-1 ao Getafe), Villarreal (2-0 ao Rayo) e Atl. Madrid (3-1 ao Saragoça, Postiga marcou o golo de honra dos visitantes) confirmaram o favoritimo, enquanto que o Racing Santander venceu pela 1ª vez, na recepção ao Bétis (1-0 e 6ª derrota consecutiva dos andaluzes). Resposta de Messi aos críticos? Até que ponto esta (sofrida) vitória do Real e o actual 1º lugar poderá ser decisivo nesta Liga?Conseguirá Postiga (vendido por 500 mil euros) superar Falcao (vendido por 40 milhões) na lista de marcadores? 

Premier League – Num emocionante derby londrino, o Arsenal vingou-se dos desaires de início de temporada e derrotou o Chelsea por históricos 5-3. Van Persie, com 3 golos, foi a figura da partida, onde as defesas estiveram num nível bastante fraco. O Tottenham derrotou o QPR por 3-1 e alcançou a equipa de Villas-Boas, apesar dos spurs terem menos uma partida. O Liverpool derrotou o WBA por 2-0 e aproximou-se da frente. No topo, o Manchester City deverá ter feito um dos melhores arranques da história da competição, somando a 9ª vitória em 10 jogos (apenas um empate no terreno do Fulham), na recepção ao Wolverhampton (3-1). O rival United também ganhou, por 1-0, na visita ao terreno do Everton. RVP demonstrou que é depois de Silva o jogador da Premier League em melhor momento? Poderá AVB estar a condicionar o seu futuro ao serviço do Chelsea (equipa que sofreu golos dignos dos infantis)? 

Serie A – A Juventus derrotou o irreconhecível Inter por 2-1, mantendo-se no topo da Liga Italiana, contudo, Udinese (1-0 ao Palermo), Lazio (3-0 em Cagliari) e AC Milan (3-2 no terreno da AS Roma) estão bastante perto da vecchia signora. O Catania está a fazer um campeonato interessante, enquanto que o Nápoles, que saiu derrotado da Sicília (1-2), continua bastante irregular (apesar do 6º lugar). Apesar do equilíbrio inicial, até que ponto a Série A será um duelo entre o Milan e a Juventus? 

Bundesliga – O Bayern Munique voltou a golear na Alemanha e aumentou a vantagem para o 2º classificado, que é agora o Schalke 04. Os bávaros venceram o Nuremberga por 4-0, enquanto que o Schalke derrotou o Hoffenheim por 3-1. Bor. Dortmund (1-1 em Estugarda), Werder Bremen (3-1 em Mainz) e Bor. Moechengladbach (2-1 ao Hannover), seguem na 3ª posição.

Ligue 1 – O PSG continua firme no 1º lugar, depois de bater o Caen por 4-2. Na perseguição segue o Montpellier, depois de bater o Nancy por 2-0. O Ol. Marselha venceu pela 3ª vez na Liga (3-2 em Dijon), subindo à primeira metade da tabela (9º lugar). Ol. Lyon (2-0 ao St-Etienne), Lille (0-0 em Valenciennes) e Toulouse (1-0 ao Rennes) seguem nos 3º, 4º e 5º lugares.

Roménia – O jogo Petrolul-Steaua Bucareste foi suspenso perto do intervalo, após cenas lamentáveis protagonizadas por adeptos da equipa da casa. Um jogador do Steaua foi agredido após invasão de campo, dois jogadores foram expulsos ao agredirem esse mesmo adepto e o guarda-redes da equipa de Bucareste foi vitima de um petardo e várias tochas (ver aqui).


Destaques do fim-de-semana futebolístico?

30 de Outubro de 2011

Feirense 0-2 Sporting (Wolfswinkel 64' g.p. , Schaars 76´)

O Sporting aproveitou o descontrolo emocional do Feirense e saiu de Aveiro com mais 3 pontos, apesar da exibição pouca conseguida (pelo menos em comparação com os últimos jogos). A partida fica marcada pela expulsão de Henrique (o central levou 2 amarelos no espaço de 1 minuto) e pelo penalti cometido pela turma de Santa Maria de Feira pouco depois, algo que permitiu aos leões desbloquearem o marcador e "controlarem as operações" até final.

No que diz respeito ao encontro, foi uma 1ª parte com bastante intensidade de parte a parte, com o Feirense a criar a melhor oportunidade de golo por intermédio de Varela na sequência de um pontapé de canto, e com os leões a responderem com 2 bons momentos individuais, 1º por Elias e já perto do intervalo por Wolfswinkel. O início do 2º tempo, foi quase a fotocópia do 1º, com Henrique novamente na sequência de um canto a falhar uma oportunidade flagrante. O clube leonino respondeu, demonstrou outro esclarecimento no ataque, mas o minuto 54 acabou por decidir a partida. Henrique foi expulso, o Feirense descontrolou-se, e pouco depois Cris faz penalti. Os leões aproveitaram, chegaram ao 1-0, e pouco depois fecharam o marcador por intermédio de Schaars. Em suma, uma vitória justa do Sporting (apesar das poucas oportunidades de golo) pelo que fez nos últimos 30´, e que penaliza um organizado e competente Feirense por 10´ de algum descontrolo emocional.

Destaques

Feirense - Uma equipa praticamente só com portugueses, todos jovens, e todos com qualidade. A turma orientada por Quim Machado voltou a demonstrar uma excelente organização, jogou o jogo pelo jogo, e até aos 55 minutos não estava a ser inferior ao Sporting. Destaque para a boa exibição de Henrique (até à expulsão), e para mais uma prova da qualidade de Fonseca.

Elias/Insúa - O brasileiro apesar de um pormenor individual na 1ª parte, foi uma unidade a menos; já o argentino esteve pouco acutilante na esquerda e tecnicamente não deu a melhor sequência aos lances no sector ofensivo.

Onyewu/Carriço - Exibição competente e sem erros da dupla leonina, inclusive com uma participação directa no 2º golo do Sporting. O português (principalmente na saída de bola no 1º tempo) foi mesmo dos melhores em campo e não será de todo improvável que faça parte da lista de Bento na próxima convocatória (não mudamos a nossa apreciação sobre o defesa, mas considerando a conjuntura não nos parece um cenário descabido).

Schaars - Estava a ser um dos piores em campo no 1º tempo, com vários passes errados e consequentes perdas de bola, no entanto, acabou por ser decisivo na 2ª parte, não só pelo golo, mas pela maior qualidade que imprimiu à posse de bola leonina.

Wolfswinkel - Juntou-se a Baba e Cardozo no topo dos melhores marcadores, e foi mesmo uma das unidades dos leões em destaque. Várias movimentações de bom nível e uma entrega ao jogo notável.

Capel/Jeffrén - O espanhol voltou a correr muito mas raramente deu a melhor a sequência aos lances; por sua vez o ex-Barça em poucos minutos demonstrou o porquê dos elogios do VM com vários pormenores técnicos de bom nível, principalmente ao nível do passe e visão de jogo.

João Pereira - O melhor jogador em campo. Competente nas acções defensivas, e o mais esclarecido no ataque.

Domingos - Mérito na maneira como definiu o 11 e o estilo de jogo deste Sporting, mas hoje com vários erros de análise ao encontro e a contrariar um pouco aquilo que construiu. Colocar Matias na direita é perder velocidade e intensidade nesse corredor, e ao mesmo tempo tirar à zona central alguém com uma capacidade de desequilíbrio acima da média (isso já tinha sido visível frente ao Gil Vicente). Por outro lado, foi notória a falta de intensidade deste Sporting e a escassa presença de elementos no ataque (Wolfswinkel esteve sempre muito sozinho e pouco apoiado).

Numa fase onde o equilíbrio no topo da tabela classificativa é a nota dominante, um novo tema entra em discussão: que equipa está a praticar o melhor futebol? Para treinadores pragmáticos como Mourinho, Villas-Boas ou Jaime Pacheco este seria um debate que os faria rir pois o que importa mesmo são os 3 pontos. No entanto, para os adeptos, comunicação social e os próprios técnicos das equipas da nossa Liga parece que nesta fase não importa só as vitórias como é igualmente importante saber quem joga melhor (como se isso desse pontos). Nesse sentido, lançamos a pergunta aos nossos leitores: A nível nacional que equipa pratica (e porquê) o melhor futebol neste momento? 


Não voltará haver alguém com o génio, talento e principalmente carisma de 'D10S'. Que saudades...

Já são conhecidos os 40 candidatos ao prémio Golden Boy 2011, galardão que premeia o melhor jogador da Europa Sub-21, atribuído pelo jornal italiano "Tuttosport". Nélson Oliveira, do Benfica, é o único representante português na lista, sucedendo a Bebé. Os portistas James Rodríguez e Mangala também estão na lista, bem como o espanhol Rodrigo (Benfica). Lista: Alaba (Bayern Munique), Álvaro (Espanyol), Ayew (Marselha), Borini (Roma), Campbell (Lorient), Canales (Valencia), Courtois (Atlético Madrid), Coutinho (Inter Milão), Dudu (Dínamo Kiev), Ebecilio (Ajax), El Shaarawy (Milan), Eriksen (Ajax), Mario Götze (Borussia Dortmund), Grenier (Lyon), Griezmann (Real Sociedad), Eden Hazard (Lille), Philip Jones (Manchester United), Kryvtsov (Shakhtar Donetsk), Lacazette (Lyon), Ljajic (Fiorentina), Lukaku (Chelsea), Mangala (FC Porto), Merkel (Génova), Muniain (Athletic Bilbao), Nélson Oliveira (Benfica), James Rodríguez (FC Porto), Rodrigo (Benfica), Obi (Inter Milão), Oxlade-Chamberlain (Arsenal), Pacheco (Rayo Vallecano), Rodwell (Everton), Romeu (Chelsea), Santon (Newcastle), Savic (Manchester City), Schennikov (CSKA Moscovo), Shaqiri (Basileia), Thiago Alcântara (Barcelona), Varane (Real Madrid), Wilshere (Arsenal), Xhaka (Basileia). Quem irá suceder a Balotelli (vencedor em 2010)? E qual será o pódio final? Na nossa opinião, pelo que fez em 2011 Hazard merecia o prémio.

PS - Devido à insistência dos leitores, vamos elaborar a lista das 15 jovens promessas da actualidade, contudo, e como, em tudo é necessário critério (é absurdo nomear alguém com 23 anos como uma jovem promessa), vamos adoptar o sistema que nos parece mais justo, curiosamente semelhante ao do "Tuttosport", ou seja nomear apenas jogadores que nasceram em ou depois de 1991. Nesse sentido, apelamos aos nossos leitores que indiquem (além da devida análise a este Golden Boy’2011) por ordem o vosso top15.

29 de Outubro de 2011

Benfica 2-1 Olhanense (Rodrigo 1' e 12'; W. Eduardo 46')


O Benfica conseguiu mais 3 pontos (tal como no jogo frente ao Beira-Mar sem entusiasmar) e voltou a juntar-se ao Porto na liderança da Liga. O encontro foi pobre, quase sem oportunidades de golo, e apesar da melhoria do Olhanense (parecia satisfeito com a derrota tal era o tempo que o seu guardião demorava a repor a bola em jogo) no 2º tempo, ficou praticamente decidido aos 15 minutos depois de uma entrada forte dos encarnados.

No que diz respeito à partida, o Benfica começou o encontro praticamente a ganhar, com Rodrigo a inaugurar o marcador logo aos 25 segundos, pouco depois o espanhol bisou, e o encontro parecia não só decidido como perspectivava uma vitória expressiva dos encarnados (isto, apesar do clube da Luz ter feito 2 golos em apenas 2 remates). Contudo, a partir dos 30´ a turma orientada por Jesus foi desaparecendo do encontro, perdeu intensidade e o jogo perdeu qualidade. No inicio do 2º tempo, o Olhanense reduziu (a defesa do Benfica ficou a "dormir"), voltou a entrar no encontro, mas a verdade é que apesar de ter melhorado em termos defensivos e de posicionamento à excepção de um lance no último minuto, praticamente não atacou, por sua vez, o Benfica que continuava adormecido apenas aparecia nos lances de bola parada. Em suma, um resultado justo, que penaliza a passividade do Olhanense no 1º tempo e valoriza os bons 30 minutos iniciais do Benfica.

Destaques

Rodrigo - Foi a figura da partida pelo seu bis (o 1º golo é de elevada qualidade técnica), mas a verdade é que à semelhança dos seus companheiros de ataque, pouco ou nada apareceu no 2º tempo.

Gaitán - Os melhores minutos dos encarnados coincidiram com a melhor fase do argentino, à medida que o esquerdino foi perdendo intensidade e desaparecendo do encontro o clube da Luz perdeu qualidade ofensiva. Este Benfica vale cada vez mais por aquilo que produz o seu melhor jogador.

Garay/Luisão - Apesar do golo do Olhanense, mais uma exibição segura e sem erros da dupla de centrais encarnada.

Cardozo/Aimar - Duas nulidades, não surpreendeu a saída do argentino ao intervalo, nem o facto do paraguaio ter terminado o encontro apenas com 1 remate.

Olhanense - Entrou no encontro "em modo de passeio", principalmente Ismaily sofreu muito na esquerda, mas com o passar dos minutos foi melhorando e alguns jogadores voltaram a demonstrar alguma qualidade. Cauê com as suas recuperações de bola foi a melhor unidade dos algarvios, Wilson Eduardo marcou, Agra entrou bem e deu a velocidade e agressividade que faltava, e Fernando Alexandre continua a demonstrar que na posição de pivot defensivo em Portugal poucos anulam o médio organizador da equipa contrária como ele. Contudo, destaque para o facto de os algarvios ficaram contentes com a derrota, a prova disso foi o modo como Fabiano mesmo a perder demorava a repor a bola em jogo e mesmo no último minuto recusou ir à área contrária atacar um pontapé de canto.

Emerson - Mais um encontro em que deu zero em termos de profundidade ofensiva e que fruto de ter dado espaço permitiu o golo do Olhanense.

Maxi/Matic - O lateral regressou em grande, e no 1º tempo foi mesmo das melhores unidades. Já o médio deu alguma qualidade ao nível do passe na posição de pivot defensivo e acabou por cumprir.

Benfica - Mais uma exibição pobre, mas novamente a alcançar os 3 pontos, ao contrário da época passada, em que os encarnados nem sempre conseguiam juntar ao caudal ofensivo os ditos resultados. Será estrelinha?  O que parece certo, é que encontro da próxima jornada frente ao Braga, terá de ser abordado com outra atitude por parte dos encarnados.

Académica 0 - 0 Sp. Braga

Académica e Braga proporcionaram esta tarde um jogo dividido e interessante em alguns momentos, mas a fraca qualidade no último terço de terreno impediu que o nulo do marcador se alterasse. A Académica continua a demonstrar uma boa época realizada em Coimbra, enquanto o Braga evidencia novamente as dificuldades que sente a jogar fora de portas, onde ainda conta com apenas uma vitória na Liga.

No primeiro tempo, um Braga muito pressionante e subido no terreno, impediu que a Académica pudesse ter bola, e ia dominando a partida, sem no entanto conseguir criar ocasiões flagrantes de golo. Lima mesmo antes do intervalo desperdiçou a melhor ocasião. A Académica muito apagada apenas de longe conseguiu incomodar Quim. Já no segundo tempo tudo mudou, com os estudantes a conseguirem controlar os comandos do jogo, com mais posse de bola e no terreno adversário, começaram a criar situações de golo. Éder desperdiçou a melhor delas, quando atirou a bola à barra da baliza dos minhotos. O Braga apenas tentou responder em ataques rápidos mas os melhores lances foram mesmo protagonizados por Hugo Viana, de longe.

Destaques

Braga - A equipa continua a demonstrar muitas dificuldades quando joga fora do Axa, e se não inverter esta tendência, fica claro que o objectivo mais alto que pode ambicionar nesta competição é mesmo a luta pelos lugares europeus, nomeadamente o 4º lugar. Jogando com um esquema de ataque, e controlando grande parte dos encontros (neste caso foi a primeira parte), a falta de ocasiões de golo e o desperdício das que ocorrem são um problema que Jardim terá de resolver.

Académica - Com uma primeira parte muito apagada, valeu a coesão defensiva demonstrada pela equipa de Pedro Emanuel. Os centrais João Real e Abdoulaye estiveram em bom plano, e os laterais restringidos a tarefas defensivas, cumpriram. No segundo tempo, o trio de ataque composto por Éder, Sissoko e o rápido Marinho causaram muitos problemas à defesa minhota, e com um meio campo coeso liderado por Adrien, e dois laterais muito interventivos no ataque, a segunda parte poderia ter resultado na conquista dos três pontos pelos estudantes.

Hugo Viana - O melhor elemento em campo na primeira parte, está com a confiança em alta, e mesmo sem o apoio do terceiro médio no esquema táctico, conseguiu abrir linhas de passe para as alas, desmarcações, mudanças de flanco e inúmeras recuperações de bola. Esteve mais discreto no segundo tempo, mas mesmo assim foi o mais perigoso dos gverreiros.

Cédric - Com uma primeira parte quase só com tarefas defensivas, não deu grandes espaços a Hélder Barbosa, tendo cumprido. Ainda testou a atenção de Quim, de longe. Na segunda parte com a sua equipa mais atacante, demonstrou ser capaz de fazer todo o corredor, participando em vários lances de ataque onde surgiu na linha para cruzar, tendo ainda anulado qualquer tentativa de ataque pela sua ala. O melhor da Académica, hoje.

Paulo Vinícius - O brasileiro está a fazer um início de temporada irrepreensível, hoje efectuou inúmeros desarmes por antecipação, jogo aéreo, sendo um dos principais responsáveis pelos poucos golos sofridos pelo Braga na Liga, apenas três.

Adrien - Pedra importante no meio campo da Académica, foi um dos melhores do jogo, apoiando bem Habib nas tarefas defensivas e a servir como distribuidor de jogo esteve em destaque, sobretudo na segunda parte, onde inclusivé poderia ter marcado na cara de Quim.

Já se sabia que era o maior orçamento da história do Porto, mas os dados agora apresentados no Relatório e Contas confirmam que os azuis e brancos cometeram autênticas loucuras no último defeso. 

Danilo (jogador que só reforça o Porto em Janeiro) custou 16,1 milhões (13 pelo passe e mais 3,1 milhões em serviços de intermediação), Alex Sandro, ficou em 10 milhões e 300 mil euros (9,6 milhões pelo passe, 700 mil euros para os intermediários), Iturbe foi adquirido por 4,050 milhões (apenas 60% do passe) mais 200 mil euros por encargos adicionais, Kléber foi contratado ao At. Mineiro por 3.560 milhões de euros (mais 250 mil euros de serviços de intermediação), e Kelvin por 3.032 milhões de euros. O Porto gastou ainda 2,5 milhões pela metade dos direitos económicos de Sapunaru que ainda estava na posse do Rapid Bucareste, 16,5 milhões de euros em 40% do passe de Hulk e 13 milhões na aquisição de Mangala e Defour. A juntar a isto, Pinto da Costa, Adelino Caldeira, Angelino Ferreira e Reinaldo Teles receberam, em 2010/11, um total de 3 milhões e 80 mil euros. Exagero? Ou devido à idade e margem de evolução dos jogadores uma aposta com retorno garantido? Depois de todo este investimento (algo histórico e sem paralelo no futebol português), caso o Porto não conquiste as 3 competições do futebol português é um descalabro? 

Benfica vs Olhanense (hoje, às 20:30, na TVI) - O regresso de Maxi e a ausência de Javi por lesão, são as novidades de Jesus na lista de convocados. Prognósticos? Qual será o 11 de Jesus (indicamos a nossa preferência na imagem)?


F1 - Sebastian Vettel (Red Bull) alcançou este sábado a 13ª pole position da temporada, no GP da Índia. O alemão está a uma de igualar o recorde de Nigel Mansell em 1992. Por sua vez, a  Red Bull fez a 16ª pole num ano, e estabeleceu um record absoluto na F1.

Gaitán - De acordo com o Daily Mail, o Man Utd continua interessado no argentino, e está disposto a pagar a cláusula de rescisão de 45 milhões de euros imposta pelo Benfica para garantir o esquerdino. VM - Há 7/8 meses que mencionamos que Gaitán é o melhor jogador do Benfica, contudo, não nos parece que nesta fase tenha um valor de mercado na ordem dos 45 milhões (vale entre 20 a 25 milhões) e muito menos que o Man Utd esteja interessado no argentino, pois fez um forte investimento em A. Young no Verão e ainda continua com Nani, Park, Valencia e o próprio Welbeck nas alas. Os Red Devils precisam isso sim, de um médio centro, no entanto também fique claro que fica "mais barato" ao Man Utd dar 40 milhões por Gaitán do que 25 por Sneijder (pode fazer confusão aos menos conhecedores deste mundo do mercado de jogadores, mas a matemática no futebol é complicada).

Nacional - Pedro Caixinha vai substituir Ivo Vieira no comando técnico dos madeirenses a partir da próxima segunda-feira. Boa opção?
Feirense vs Sporting (amanhã, às 20:15, SportTV) - Num encontro em que os leões vão tentar a 10ª vitória consecutiva, o regresso de Jeffrén (o espanhol que é na nossa opinião um dos 3 melhores jogadores deste Sporting, não actua desde 28 de Agosto) e a ausência de Polga devido a lesão, são as notas de destaque da convocatória de Domingos. Prognósticos? Qual será o 11 de Domingos (indicamos a nossa preferência na imagem, tal como o técnico leonino fez em Guimarães quando Rinaudo foi expulso, apostamos no recuo de Schaars e a continuidade de Matias).

Porto - O Standard de Liège confirmou, em declarações à Agência Lusa, que os azuis e brancos pagaram a primeira tranche de Defour, mas não a de Mangala, que é a mais elevada. Parece claro que todo este processo acaba por denegrir a imagem do Porto a nível internacional, e que inclusive no futuro poderá complicar algumas aquisições.

Angola vs Sporting - O clube leonino vai receber 800 mil dólares (cerca de 565 mil euros) da Federação Angolana de Futebol para disputar o jogo particular com a selecção daquele país, em Luanda, no próximo dia 10 de Novembro. Há 32 anos que o Sporting não actuava em Angola.

Já são conhecidos os 16 treinadores (daqui a uns dias a lista será reduzida a 10) nomeados para o troféu de melhor do mundo, distinção que foi entregue a José Mourinho nem 2010, a saber:

Pep Guardiola, José Mourinho, Vicente del Bosque, André Villas-Boas (Chelsea), Roberto Mancini (Manchester City), Massimiliano Allegri (Milan), Sir Alex Ferguson (Manchester United), Arsène Wenger (Arsenal), Oscar Washington Tabarez (Uruguai), Joachim Löw (Alemanha), Bert van Marwijk (Holanda) Guus Hiddink (Turquía), Laurent Blanc (França), Giovanni Trapattoni (Irlanda), Fabio Capello (Inglaterra) e Cesare Prandelli (Italia). Qual será o pódio? Quem irá suceder a Mourinho? O próprio, Ferguson, del Bosque, Guardiola, Tabarez, Guardiola ou AVB? Por aquilo que conseguiu em 2011, Guardiola foi e é na nossa opinião, o melhor treinador do Mundo, Ferguson pela conquista da Premier League e a final da LC merecia o 2º lugar, e Tabarez o 3º.

28 de Outubro de 2011

De acordo com a imprensa brasileira, Cauê, médio de 22 anos e 1m86 que esta época reforçou o Olhanense (clube onde tem sido titular indiscutível) está na mira de Porto e Benfica. VM - Um médio interessante, com uma larga margem de progressão, que se destaca pela sua polivalência, capacidade de encher o campo e por ser muito forte fisicamente. Está a ter no clube algarvio um trajecto semelhante a Vinicius (as características de ambos até são semelhantes), jogador que passado meia época reforçou o Braga, contudo, não nos parece reunir (nesta fase) qualidade suficiente para ser uma solução no Porto ou Benfica a curto prazo.

FC Porto 3-0 P. Ferreira (Melgarejo 45'+1 (p.b.), Kléber 64' e J. Moutinho 84')

O FC Porto conquistou mais uma vitória na Liga ZON-Sagres, apesar de uma primeira parte bastante fraca, facto que provocou assobios na bancada. Nem mesmo a vantagem no marcador demoveu os adeptos portistas, que tiveram uma segunda parte bem mais tranquila.

Nos primeiros 45 minutos, os castores estiveram bem sobre o terreno de jogo, incomodaram o lento meio campo dos dragões e podiam ter inaugurado o marcador por dois ocasiões (William e Melgarejo falharam na cara de Helton). O FC Porto teve um bom período, onde pressionaram a defesa pacense (Varela rematou à barra e Belluschi falhou frente a Cassio), mas foi de curta duração. Quando se pensava que a partida ia 0-0 para o intervalo, uma intervenção infeliz de Luisinho e Melgarejo, acabou por resultar no 1º golo portista, que trouxe tranquilidade aos dragões.

Na segunda parte, com Moutinho, James e Kleber em campo, o futebol dos dragões ganhou mais velocidade e intensidade, enquanto que os pacenses pareceram ficar afectados com os acontecimentos do minuto 45. As oportunidades de golo para os dragões foram surgindo, sempre com os três "suplentes" em destaque. Kleber marcou após remate ao poste de James e Moutinho fez o seu 2º golo na Liga. Resultado que premeia Vitor Pereira (teve coragem para retirar Hulk aos 58 minutos) e que coloca os dragões com uma média de 2.78 golos por jogo na Liga.

Destaques:

João Moutinho/Kleber/James - O trio que saltou do banco de suplentes do FC Porto teve papel decisivo na 2ª parte, altura onde os dragões praticaram melhor futebol e impediram os "castores" de sonhar com um outro resultado. O português foi o melhor em campo, recuperou a bola no 2º golo e marcou o 3º. O brasileiro trouxe mobilidade ao ataque dos dragões, enquanto que James trouxe a irreverência do seu futebol.

Mangala - O central francês está a ganhar pontos no duelo com Rolando e Otamendi, sendo o elemento mais tranquilo da defesa portista esta noite.

Álvaro Pereira - Fez a sua melhor partida da temporada ao oferecer grande profundidade ao flanco esquerdo dos dragões. Trouxe velocidade ao jogo portista e realizou os cruzamentos para o 1º e 3º golo do FC Porto.

Varela - Não fez uma das melhores exibições desde que chegou ao FC Porto, mas, tendo em conta o que ainda não fez esta temporada, esteve num nível bastante aceitável e com grande disponibilidade física.

Hulk - O brasileiro fez uma partida péssima, onde raramente conseguiu fintar um adversário ou colocar a bola com precisão nos seus colegas. Perdeu a bola demasiadas vezes e saiu bem mais cedo que estava à espera. Foi directamente para os balneários e levou uma forte assobiadela da bancada.

Walter - Não mostrou a eficácia de outros jogos (falhou duas excelentes oportunidades para marcar) e esteve bastante preso entre os centrais pacenses.

Defour/Belluschi - O belga esteve bastante lento, sem qualidade de passe e passou completamente ao lado do jogo, enquanto que o argentino melhorou após ao intervalo, tal como o futebol dos dragões.

Paços de Ferreira - Os "castores" realizaram uma primeira parte quase perfeita (não fosse o golo sofrido e as falhas de finalização e o resultado poderia ter sorrido aos pacenses), anulando completamente o jogo portista. Luisinho, apesar da infelicidade do 1º golo, não deu hipóteses a Hulk, André Leão, Josué e Manuel José apresentaram grande rigor táctico, Cássio esteve insuperável na baliza, enquanto que Melgarejo e William deram muito trabalho à defesa portista. Depois de um período onde os resultados não apareceram e Luis Miguel foi bastante contestado, o Paços mostrou que pode fazer muito melhor que os 7 pontos em 9 jogos no campeonato.

Fundado em 1909, o Levante UD é já um clube centenário, embora tenha apenas sete participações no principal escalão do futebol espanhol. Depois de na temporada passada ter terminado a La Liga na 14ª posição e garantido a manutenção bem perto do fim da prova, a equipa oriunda da região de Valência está a surpreender o futebol espanhol, mas também o europeu. Ao fim de nove jornadas, o Levante lidera a liga espanhola somando um total de 23 pontos, e ainda sem conhecer o sabor da derrota (7 vitórias e 2 empates). Se esta situação já é espantosa, o facto de já ter defrontado equipas como o Espanyol, Málaga ou Villarreal e principalmente José Mourinho e o “seu” Real Madrid, vencendo por 1-0 esse jogo - única derrota dos “merengues” até ao momento.

A comandar a equipa está o técnico Juan Ignacio Martinez, que trocou o secundário Cartagena pelo Levante, e na sua primeira experiência na liga principal de Espanha está a realizar um autêntico “milagre”, embora o próprio já tenha vindo a público acalmar os ânimos e dizer “ter os pés no chão”. Contudo, os elogios são mais que merecidos. Estamos perante uma equipa sem estrelas, faz do seu colectivo a sua grande arma, e no total tem apenas 24 jogadores para enfrentar uma longa e dura temporada, onde os castigos e lesões irão aparecer mais tarde. Com um onze base que tem uma média de idades a rondar os 31,5 anos, apenas Iborra e A. Koné têm menos de 30 anos (23 e 27, respectivamente). O costa-marfinense é mesmo o jogador mais mediático e a principal referência ofensiva da equipa, apoiado de perto pelos municiadores, Barkero, Valdo e Juanlu (ele que tem sido o grande craque do elenco). No “miolo” a experiência de Farinós é preponderante, assim como a dos laterais, Javi Venta e Juanfran e do central Sergio Ballesteros (aos 36 anos lidera a defensiva e impõe respeito). Múnua na baliza, tem feito alguns milagres, e o Levante é neste momento a 2ª defesa menos batida da Liga.

O trabalho árduo tem dado os seus frutos, e apesar de ser uma situação sazonal, a verdade é que o emblema espanhol, a continuar assim, poderá superar a sua melhor classificação de sempre na Liga Espanhola (10º em 63/64), bastando para isso terminar nos nove primeiros lugares da tabela. Com uma equipa montada para a luta da manutenção e armada através do encaixe financeiro recebido com a venda de Caicedo (7,5 M€ - Lokomotiv Moscovo), a equipa espanhola está em grande forma e tem demonstrado isso a cada jornada, colocando de parte a ideia que tudo isto é obra do acaso.

Como se explica que uma das equipas com um dos orçamentos mais baixos da La Liga seja actualmente o líder da prova? Será mérito de Ignacio Martinez e dos seus jogadores? Ou demérito de clubes como Málaga, Villarreal, Sevilha ou Atl. Madrid que, apesar de não serem candidatos ao título, possuem orçamentos muito superiores e um leque de opções muito mais vasto e com qualidade de sobra? O que poderá alcançar este Levante?


A. Mesquita

Os encarnados anunciaram em comunicado no seu site que não tem intenção de contratar qualquer jogador, durante o mercado em Janeiro, desmentindo igualmente os nomes avançados pela imprensa como "Pato" Rodríguez, Dedé e Ansaldi: "O Sport Lisboa e Benfica não tem qualquer expectativa de contratar algum jogador na janela de transferências de Janeiro. O Sport Lisboa e Benfica está satisfeito com o seu plantel, acredita no seu valor e na capacidade de todos aqueles que actualmente o integram." Num claro ataque à comunicação social, que tem vindo a lançar nomes para o plantel da Luz, o comunicado reafirma os actuais tempos de crise: "Como todos já entenderam os tempos que vivemos e aqueles que iremos viver são extremamente exigentes do ponto de vista económico, pelo que apontar o SL Benfica como clube interessado em jogadores de 6, 7 ou mais milhões é não ter a noção do tempo em que vivemos." VM - A verdade é que os encarnados têm investido bastante dinheiro na contratação de jogadores, quer no Verão, quer no Inverno e, tendo em conta o actual plantel, atacar a 2ª fase da temporada sem um 3º central de nível, correndo o risco de caso Garay ou Luisão tenham uma lesão não ter uma alternativa que dê garantias, e com Emerson a lateral esquerdo, principalmente na LC, não nos parece uma boa abordagem. Apesar deste comunicado, o VM acredita que o Benfica irá contratar pelo menos 1 defesa em Janeiro (talvez até 2) e quem sabe um extremo/médio ofensivo. Tal como aconteceu no passado com Di Maria, Coentrão, jogadores que só saíam pela cláusula de rescisão, entre tantas outras situações nos encarnados do género "o que hoje é verdade amanhã são mentira", estaremos perante mais um caso semelhante? Ou o Benfica irá manter este elenco (em Janeiro Capdevila vai sair e um ou dois elementos vão ser emprestados) até final da temporada?

O comunicado também parece "atacar" indirectamente o FC Porto, tendo em conta a dificuldade dos dragões em pagar Defour e Mangala ao Standard Liège: "Garantidamente, não estamos disponíveis para passar a aparecer na imprensa como Clube incumpridor, razão pela qual se torna ridículo falar dos números que alguns jornais têm vindo a falar."

Há muita coisa a correr mal em Guimarães. Alinhavada para capital europeia da cultura em 2012, o entretenimento não tem sido um dos pratos principais servidos no D. Afonso Henriques. Há matéria-prima para inverter a situação? Há. Talvez até em demasia. Talvez a qualidade existente necessite de ser reconfigurada, ajustada. O plantel é rico, fruto da elevada facturação da última época. A título de exemplo, o clube transferiu Bebé para o Manchester United pela inacreditável soma superior a 5 milhões de euros. O que dificulta a compreensão quando se denota, agora, um abismal aumento do passivo da instituição. Contas de outro rosário. O que está a falhar neste Guimarães? Os nomes são sonantes (recorde-se Nuno Assis e Pedro Mendes), mas as limitações na velocidade emprestada ao jogo pelos seus intérpretes deixa um bocado a desejar. Adoua ou Olímpio emprestam pujança física, são possantes, mas dinamizam pouco o jogo vitoriano. As peças são valiosas, mas dá a impressão que não jogam sob uma estratégia montada colectivamente. É por aí que passa o grande desafio do Guimarães: unir as pontas soltas. Faouzi e Targino são bons jogadores, óptimos na altura de criar desiquilíbrios quando a isso o jogo obriga. Mas do Guimarães quer-se que se aproxime do comportamento de um grande, não pode viver de lampejos. Parece que neste Guimarães, cada um tem a preocupação de cumprir e fazer o seu, deixando um pouco de parte a dimensão colectiva que sempre foi imagem de marca do bastião que é aquele estádio. Edgar é um ponta-de-lança de números, mas que limita (e muito), as variantes e soluções da equipa na hora de empurrar a bola para o fundo das redes. Escreve-se e diz-se, à boca pequena, que o plantel sofrerá um emagrecimento em Janeiro. Não sei se será o que procura Rui Vitória, mas a quadra natalícia tem esse efeito. Pelo menos mental. Um milagre ajuda, quando, de forma inacreditável, se está na última posição de uma tabela que compreende clubes com possibilidades financeiras bem menores às do Guimarães. Em suma, um plantel com nível para ficar nos 4 primeiros lugares está neste momento na última posição da tabela classificativa.

A. Borges

Porto - O FC Porto recebe hoje à noite (às 20:15, Sport TV) o Paços de Ferreira, no encontro inaugural da 9ª jornada. Um confronto peculiar, já que Vítor Pereira é cunhado de Luís Miguel (treinador dos castores). Prognósticos? Qual será o 11 de Vítor Pereira (indicamos a nossa preferência na imagem)? 

Benfica - Segundo o jornal "OJOGO", Airton, Felipe Menezes, Fellipe Bastos, Éder Luís e Kardec já não voltam à Luz no final dos respectivos empréstimos e o destino já está traçado: venda, de preferência com lucro. Vieira espera receber 27 milhões de euros pela cedência definitiva destes jogadores. A confirmar-se a expectativa do mais alto dirigente do Benfica e retirando a fatia pertencente ao Benfica Stars Fund (ver caixa), 6,5 milhões de euros, entrarão nos cofres do clube 20,5 milhões de euros. Conseguirá Vieira alcançar os seus objectivos? Recordamos que Éder Luís na nossa opinião tem sido dos melhores jogadores do presente Brasileirão, mesmo Kardec tem estado a bom nível no Santos (curiosamente a jogar numa posição diferente), contudo, Airton desvalorizou no Flamengo.

"Pato Rodríguez" - Ontem, o diário Ole (algo que hoje foi copiado pelo jornal desportivo habitual) anunciou que o Independiente pretende vender o craque argentino em Dezembro. O Benfica é desde o Verão (algo que o VM deu conta na altura) um dos principais interessados, e a imprensa argentina acredita que 6 milhões (no último defeso eram 10, mas o jogador teve uma lesão grave e o seu valor de mercado baixou) são suficientes para adquirir o versátil jogador. Entra "Patito" em Janeiro, sai Aimar em Junho? Também Julián Velázquez, um defesa muito interessante e com largo futuro, pode sair do Independiente. Não seria de todo surpreendente que fosse alvo ou associado a um clube português.

Dybala - Apontado ao Benfica nos últimos dias, segundo a imprensa internacional, também o Porto, Tottenham e Palermo estão na corrida pelo avançado de 17 anos.

Resultados - O Belenenses bateu o Gil Vicente por 2-1 na Taça da Liga; Bilbao derrotou o Atl. Madrid por 3-0 (recordamos, para revolta de muitos, que no princípio da época defendemos que os colchoneros muito dificilmente ficavam nos 6 primeiros no final da Liga, mesmo com Falcao, elemento que para nós nunca foi um fenómeno e muito menos vale 40 milhões. E o colombiano nem se pode queixar de falta de municiadores, já que o Atlético conta com jogadores como Reyes, Turan, Diego, Salvio e Pizzi).

Fernando - O empresário do médio voltou a referir que o brasileiro quer deixar os azuis e brancos já em Janeiro. Um dado que não é novo, já que o "polvo" afirmou publicamente que queria sair no último Verão, algo que acabou por não acontecer, pois nenhum clube chegou aos valores pretendidos pelo Porto. 

Selecções - Gaitán é o único "português" nos eleitos da Argentina; A. Pereira, Fucile e A. Pereira na selecção do Uruguai; Matias convocado pelo Chile, A. Rodríguez pelo Perú e Schaars pré-convocado pela Holanda.  

27 de Outubro de 2011

Aproveitando o tema selecção do Brasil e o facto dos 23 nomeados pela FIFA/France Football para melhor jogador do Mundo ser já no próximo dia 1 de Novembro, interrogamos os nossos leitores sobre quais os 50 melhores futebolistas da actualidade.

Pedimos aos leitores para não nomearem o Zidane, Garrincha, Van Basten ou Maradona, pois ao referir Kaká como um dos melhores da actualidade, mais não é que parar no tempo, já que o jogador do Real Madrid praticamente não jogou nos últimos 2 anos. Por outro lado, considerar jogadores como o Pato que apesar do seu enorme potencial está quase sempre lesionado, Maicon que no último ano e meio tem estado muito aquém do que pode e sabe, ou mesmo Robinho que nem sequer é titular no Milan, é uma ofensa semelhante às convocatórias de Paulo Bento na selecção (carregadas de jogadores suplentes). Voltamos a referir, na nossa opinião, no que diz respeito à selecção do Brasil,  apenas Hulk, Neymar, Marcelo, Dani Alves e porque não Thiago Silva podem ser considerados, algo que contraria inclusive a FIFA que apenas nomeou Dani Alves e Neymar.

Considerando o que os jogadores fizeram no último ano e meio, o seu potencial, e aquilo que alcançaram a nível individual e colectivo, a lista teria de ter obrigatoriamente:
- Messi, Fabregas, Pique, Villa, A. Sanchez, Dani Alves, Busquets, Iniesta e Xavi
- Ronaldo, Ozil, Casillas e Marcelo
- Mario Gomez, Muller, Robben, Schweinsteiger, Ribery e Neuer
- Rooney, Vidic, Evra e Nani
- Silva, Aguero, Tevez (melhor marcador da Premier League), Yaya Touré e Nasri (melhor jogador da última Premier League)
- Falcao (não é um fenómeno mas foi o melhor marcador da Liga Europa) e Hulk
- Ibrahimovic, Luis Suárez, Cavani, Di Natale, Hazard (melhor jogador da última Ligue 1), Čech, Eto'o, Pastore, Bale e Neymar. 

A Serie A italiana está ao rubro! Considerado por muitos como uma liga onde a táctica se sobrepõe ao espectáculo, e a magia dá lugar a confrontos mais físicos. A verdade é que o campeonato italiano está cada vez mais competitivo e equilibrado. A cada jornada, a emoção e incerteza no resultado estão presentes nos diversos duelos, e aos poucos a “eterna” imagem de um campeonato monótono e demasiado táctico, dá lugar a jogos escaldantes, imprevisíveis e, acima de tudo, proporcionam aos seus seguidores um futebol de qualidade inequívoca e que vale a pena seguir. Resta saber se tudo isto mais não é que o nivelar por baixo (principalmente em comparação com a La Liga, Premier League e Bundesliga) da Série A. Na frente da competição, surge uma renovada Juventus e ainda invicta. Logo atrás, surge um dos destaques até ao momento: em Udine, a sensacional Udinese liderada pelo veterano “Toto” Di Natale (está em grande forma), tendo já comandado a prova. Se a equipa orientada por Francesco Guidolin é uma das surpresas, o Inter e o Milan também o são, mas neste caso pela negativa. As equipas de Milão entraram com o “pé esquerdo” e terão que modificar muita coisa para inverterem o rumo dos acontecimentos (Moratti já “despachou” Gasperini e fez sentar no banco Ranieri; o Milan está em ascensão, aproveitando o excelente momento de dois dos seus médios: Boateng e Nocerino). A Roma de Luís Enrique tem sido outra das desilusões neste arranque de temporada, sobretudo depois do investimento feito. Por seu turno, a Lazio e o Nápoles apresentam-se em busca da melhor forma, no entanto ocupam os lugares cimeiros da tabela. Génova, Fiorentina ou Palermo são equipas das quais se esperam bons resultados, mas até ao momento a irregularidade tem sido a imagem de marca destes conjuntos, enquanto o Cagliari e até mesmo o Catania estão nos dez primeiros classificados. Quem será o vencedor da Serie A 2011/12? Conseguirá o Milan revalidar o título? Ou equipas como Juventus, Nápoles e até mesmo a Udinese poderão conquistar a glória? Todo este equilíbrio está directamente relacionado com o poderio económico das equipas (a título de exemplo, a Atalanta que até começou com pontos negativos, adquiriu Denis e Maxi Moralez, a Lazio contratou Cissé e Klose, e jogadores como Frey e Birsa reforçaram o Génova)

A. Mesquita

"Os portugueses" Alex Sandro, Hulk, Kléber, do FC Porto, Luisão, Bruno César, do Benfica, e Elias, do Sporting, foram convocados por, Mano Menezes, para as partidas do Brasil frente ao Gabão, no dia 10 de Novembro, e Egipto, no dia 14. VM - Uma convocatória que só valoriza os nossos clubes, a nossa Liga e que poderá ser um tónico para que outros elementos de qualidade encarem o nosso campeonato como uma oportunidade de chegar à canarinha ou a outra selecção de Top. Contudo, parece claro que Alex Sandro (ainda só fez 1 jogo), Kléber (não demonstrou ser melhor que Walter e mesmo na nossa Liga tem tido menos importância que Lima) e Bruno César (apesar das boas exibições frente ao Otelul, Basileia e Portimonense ainda não é sequer um titular indiscutível no Benfica) ainda não justificam (não está em causa o seu valor, mas o que já demonstraram) uma chamada à selecção do Brasil. 

Lista de convocados:
Guarda-Redes: Neto (Fiorentina), Diego Alves (Valencia)
Laterais: Alex Sandro (Porto), Marcelo (Real Madrid), Daniel Alves (Barcelona), Adriano (Barcelona), Fabio (Manchester United)
Defesas: Thiago Silva (Milan), David Luiz (Chelsea), Luisão (Benfica)
Médios: Lucas (Liverpool), Luiz Gustavo (Bayern de Munique), Sandro (Tottenham), Fernandinho (Shakhtar), Elias (Sporting), Bruno César (Benfica), Hernanes (Lazio), Kaká (Real Madrid), Willian (Shakhtar), Dudu (Dínamo de Kiev)
Avançados: Hulk (Porto), Jonas (Valencia), Kléber (Porto)

Uma lista sem jogadores a actuar no Brasil, e com vários erros "à Paulo Bento", já que além dos "portugueses" mencionados, os 2 guarda-redes são suplentes nos seus clubes, Jonas igualmente e mesmo Sandro ainda não se conseguiu afirmar esta época. No entanto, esta convocatória (é certo que faltam Pato que não é indiscutível no Milan, Maicon que "perdeu gás" no último ano e meio, e Neymar) também é a prova de que neste momento o Brasil (à excepção de Hulk, Dani Alves e Marcelo) não apresenta jogadores de Top 50 no futebol Mundial.

O PSV está apostado em regressar às vitórias na Eredivisie e para tal apostou forte nesta temporada. Em Eindhoven, não se celebra um grande título desde a temporada 2007/08, altura em que o clube conquistou o seu último campeonato mas, mais que ausência de títulos, tem sido a perda de protagonismo no futebol holandês para o grande rival Ajax, e também para o AZ Alkmaar ou Twente. Para contrariar esta situação, a equipa que tem como casa o Philips Stadion reforçou o seu conjunto e fará os possíveis para devolver a alegria aos seus adeptos e seguidores.

Nas dez jornadas já disputadas, o emblema holandês ocupa a segunda posição a 4 pontos da liderança. Embora não esteja no lugar desejado, a verdade é o que o futebol praticado pela equipa comandada por Fred Rutten está a surpreender tudo e todos. Com uma mentalidade extremamente ofensiva, o onze base apresenta seis jogadores de características atacantes. A antiga estrela da equipa, o húngaro Dzsudzák, rumou ao milionário Anzhi, e apesar desse revés, o dinheiro encaixado permitiu ao PSV colmatar a saída do magiar, mas também adquirir jogadores com grande potencial, acrescentando qualidade à já existente. Na baliza, o sueco Isaksson é indiscutível, tendo à sua frente um quarteto formado pelos internacionais holandeses, Pieters e Wilfred Bouma, o búlgaro Manolev e o jovem Marcelo. Actuando mais como 8 do que como 6, surge Kevin Strootman (referenciado pelo VM para os grandes), que depois de ter realizado uma grande temporada ao serviço do Utrecht viajou para a Eindhoven juntamente com Mertens, numa operação avaliada em 13 M€. Para dar mais virtuosismo e polivalência ao meio-campo ofensivo da equipa, Wijnaldum trocou o Feyenoord pelo PSV, deixando diversos grandes da Europa de “mãos abanar”, pois o jovem holandês era cobiçado em diversos campeonatos europeus (o Sporting era um dos interessados e o jogador esteve com pé e meio em Alvalade). Na frente de ataque, a juntar a Ola Toivonen e Jeremain Lens, o esloveno Matavz chegou, depois de marcar golos atrás de golos ao serviço do Groningen, sendo um ponta de lança puro e com uma enorme margem de progressão (ler aqui).

Tudo somado, a “artilharia” ofensiva do PSV é tal, que os holandeses já facturaram por 27 vezes no campeonato, sendo o melhor ataque da prova (e um dos melhores da Europa), aliando a isso um futebol sustentado mas sempre com uma mentalidade atacante implementada. O potencial está lá, a vontade e ambição também, e se esta performance se venha manter será possível o clube reencontrar o caminho dos títulos.

Conseguirá o PSV levar de vencida a emocionante Eredivisie? O regresso à Liga dos Campeões já no próximo ano é possível? Que equipa se pode dar ao luxo de começar todos os encontros com Strootman (o jogador mais posicional, mas que é mais um 8 do que um 6), Wijnaldum e Toivonen (ele que é porventura o melhor avançado centro a actuar na Holanda) no meio campo, o endiabrado e talentoso Mertens, o perigoso Lens e o finalizador Matavz na frente? Estará o futebol a mudar? Recordamos que também o Barcelona, no princípio da época e contrariando um pouco a lógica, actuou vários jogos apenas com 3 defesas e 7 jogadores ofensivos.

A. Mesquita

26 de Outubro de 2011

Sporting - A Câmara Municipal de Lisboa aprovou, o Plano de Pormenor Alvalade XXI, que permite ao clube leonino avançar para a construção do pavilhão polidesportivo nos terrenos do antigo estádio de Alvalade.

Taça da Liga - Nos encontros da primeira mão da segunda fase da Taça da Liga, vitórias do Estoril frente à Olhanense (4-3), do Portimonense perante o Feirense (1-0), e do Setúbal fora no terreno da Naval (2-1). Moreirense e Beira-Mar empataram (2-2).

Jorge Costa - O jornal Gazeta Sporturilor (o DN deu conta disso em Portugal) avançou com a notícia de que a mulher, Isabel, terá sido agredida na madrugada de domingo pelo antigo internacional português, depois de ter chegado a casa embriagado. Depois de ter saído de uma maneira peculiar da Académica (na altura afirmou que ia deixar o futebol), o treinador do Cluj está desde ontem no centro de um escândalo na Roménia.

La Liga - Num jogo peculiar, o Levante bateu o Real Sociedad por 3-2 (o 3º golo foi já no último minuto de descontos) e continua a liderar o campeonato espanhol. Por sua vez, o Real cumpriu e venceu o Villarreal por 3-0 (aos 10´ já estava 2-0, mas a 2ª parte foi fraca, e ainda deu para Ronaldo amuar por não marcar e os próprios adeptos do Real assobiarem a equipa).

Nicolás Colazo - O médio do Boca Juniors é hoje associado ao Benfica, depois de no último Verão ter sido igualmente apontado ao futebol português. VM - Actua como extremo esquerdo ou médio interior, e apesar do seu potencial (tem apenas 21 anos) não é titular no Boca e a curto prazo não seria uma solução para um "grande".

Carling Cup - Chelsea, City e Liverpool garantiram esta quarta-feira o apuramento para os quartos-de-final da Taça da Liga inglesa, depois de venceram os respectivos jogos da 4.ª ronda. Destaque para a vitória do Chelsea no campo do Everton já no final do prolongamento e para mais uma goleada dos Citizens (5-2 ao Wolverhampton).

Vítor Gomes - O médio do Rio Ave é hoje apontado ao Chelsea. De acordo com a imprensa britânica o clube londrino acredita que o médio português pode ser uma boa alternativa a Bosingwa e está disposto a oferecer 6 milhões pela sua contratação. VM - Apesar da valia do polivalente jogador, e do seu empresário ser Jorge Mendes, a notícia faz pouco sentido.

Série A - A Juventus aproveitou a derrota da Udinese no terreno do Nápoles (2-0) e lidera agora o campeonato italiano. Por sua vez, o Milan bateu o Parma por 4-1 (Nocerino fez um hat-trick) e depois do mau começo está já a 2 pontos do 1º lugar. Destaque para a vitória do Génova (2-1 à Roma) e os empates de Inter e Lazio.

Os dirigentes dos grandes clube nacionais estão a estudar intensamente várias opções com vista a reforçar os seus plantéis em Janeiro. Jovens promessas e corrigir algumas lacunas são as prioridades, contudo, as boas oportunidades de negócio não serão rejeitadas e jogadores com valia, mas que por alguma razão (estarem tapados por jogadores de top Mundial, não se terem adaptado, ou estranhas ideias de alguns treinadores) não são titulares nas suas equipas e procuram em Janeiro dar outro rumo à sua vida profissional, são alvos a ter em conta. Nesse sentido, o Visão de Mercado apresenta alguns jogadores que devem sair dos respectivos clubes na reabertura do mercado de transferências, e que à semelhança do que aconteceu com Capel, Garay e Jeffrén (elementos de grande qualidade, mas que estavam tapados nos seus clubes), podem ser mais-valias na nossa Liga: 

Kléber (Palmeiras) - Entrou em conflito com Scolari, está de saída do Palmeiras, e depois de ter estado com um pé e meio no Porto, quem sabe se não é desta que chega a Portugal. Potencial tem de sobra.
Pavlyuchenko (Tottenham) - O avançado russo quer sair do clube inglês do Janeiro, pois está tapado por Adebayor e Defoe.
Berbatov (Man Utd) - O búlgaro não tem lugar na equipa de Sir Alex e deve abandonar Manchester, no entanto o seu salário torna quase impossivel uma mudança para Portugal.
Callejón (Real Madrid) - Foi uma das figuras da La Liga na última época, mas no Real tem sido pouco utilizado. Com a possível entrada de Neymar em Janeiro, será um elemento com uma utilização quase nula nos merengues.
Parejo (Valencia) - Médio de grande qualidade do Valencia, mas que está tapado pelo talentoso Canales (jogador que vai parar nos próximos meses devido a lesão). Está no mercado, mas poderá aproveitar a lesão do seu companheiro de equipa para se afirmar no conjunto espanhol.
Chamakh (Arsenal) - Foi recentemente apontado pela imprensa como moeda de troca na ida de Hulk para os gunners, não é opção no clube de Londres e deve sair no próximo defeso.
Drogbinha (Flamengo) - É suplente no clube brasileiro, já foi associado ao FC Porto e em Janeiro poderá chegar ao futebol europeu.
Marcus Berg (Hamburgo) - Já demonstrou potencial no passado, mas ainda não se conseguiu afirmar no clube alemão.
Gio dos Santos (Tottenham) - Tapado no Tottenham devido à concorrência de Modric e Van der Vaart, deve sair em Janeiro do clube inglês.
Onuoha (Man. City) - É a 5ª opção no clube inglês, mas a central ou a lateral direito já provou que é um defesa interessante. A época passada actuou no Sunderland e em Janeiro deverá procurar minutos noutro clube.
Bilyaletdinov (Everton) - Em tempos um titular indiscutível na selecção russa e um dos melhores jogadores actuar na Rússia, ainda não se afirmou em pleno na Premier League e esta época tem actuado pouco. Mas aos 26 anos, este talentoso esquerdino ainda tem muito futebol para apresentar e pode sair em Janeiro de modo a garantir a sua titularidade no Euro 2012.
Marco Motta (Juventus) -  Lateral direito competente, já internacional AA por Itália mas que está tapado por Lichtseiner (um dos 10 melhores laterais direitos do Mundo), e vai sair da Vechia Signora em Janeiro.
Elia (Juventus) - Ainda não jogou uma hora desde que chegou à Juventus, e caso queira ir ao Euro 2012 deve procurar minutos em Janeiro.
Coutinho (Inter) - Está no mercado. 

Qual destes jogadores tem mais possibilidades de ingressar num clube da Liga portuguesa? Que outros elementos devem sair dos respectivos clubes no ínicio do próximo ano e podem constituir boas oportunidades de negócio?

C. Soares

Por estes dias, nem só de buracos e derrapagens é feita a realidade madeirense. E se há um fosso no Marítimo, é de qualidade, cavado pelos insulares em relação às restantes equipas de gama média do nosso campeonato. O conjunto de Pedro Martins está a realizar uma prova notável. Finalmente faz jus ao facto público de ter um dos maiores orçamentos da referida gama. Isto mesmo após uma época em que perdeu alguns dos seus jogadores mais valiosos, como o eram Djalma e Kléber, agora ambos no F.C. Porto. Desde o jogo com o Sporting que este Marítimo ameaçava ser caso sério. Por mais que a nossa comunicação social insista em mascarar as virtudes destes pequenos gigantes, dando destaque aos feitos dos clubes que vendem jornais, ao invés de relatar o que merece ser noticiado. Este fim-de-semana a caminhada (que é feita com 5 vitórias, 2 empates e uma derrota), conheceu mais um capítulo, após novo triunfo, desta feita sobre o V.Setúbal. Com a assinatura do suspeito do costume: Babá. Começa a tornar-se um hábito esta apresentação ao mundo de profícuos goleadores: relembro Makukula, e o já citado Kléber. Por mais que se queira desviar atenções para outras latitudes do bom jogo dos madeirenses, a assinatura do senegalês é indissociável deste sucesso. Fenómeno? Não. O Marítimo desta temporada apresenta-se solidificado de processos como há muito não se via. Não se desnorteia, mesmo que se veja em inferioridade no marcador. À consistência defensiva junta-se a cultura da posição através de Olberdam, Roberto Souza e Rafael Miranda (outrora uma enorme promessa brasileira) no meio campo, que permite que o sector adiantado ganhe asas, onde Danilo Dias (juntamente com Baba um dos elementos mais influentes do Marítimo), explana as jogadas ofensivas da equipa, tornando as funções de Sami (ou Heldon) mais inteligíveis e acutilantes na hora de servir o artilheiro do campeonato. 

Pedro Martins é o mestre-de-obras deste Marítimo, e tudo leva a crer que esta caminhada não é apenas um erro de cálculo do seu treinador. Até onde poderá chegar este conjunto madeirense? Como se explica todo este sucesso, considerando a (quase) ausência de reforços? Estará Babá a provar que é jogador para um "grande"?

A.Borges

O Visão de Mercado comemora hoje 2 anos de actualizações diárias. Crónicas únicas, passatempos originais, notícias em 1ª mão, uma linha editorial própria e sempre uma visão pessoal, objectiva, imparcial e conhecedora são e continuarão a ser a nossa imagem de marca. Durante este período, o VM consolidou-se e cresceu, afirmando-se como o blog desportivo mais consultado em Portugal, com mais de 12 milhões de page-views e 9 milhões de visitas. No entanto, todo este percurso só é possível devido à confiança depositada pelos nossos leitores, visitantes e comentadores (estes em especial), bem como à dedicação, esforço e empenho dos nossos colaboradores: T. Cunha, C. Soares, M. Gonçalves, Filipa Nascimento, A. Mesquita, A. Borges, Rui Alves, E. Ribeiro, Nuno R., Diogo Miguel e Francisco Paiva.

A todos (leitores, comentadores, visitantes e colaboradores) o nosso sincero e grato Obrigado! 

No que diz respeito ao futuro, sabemos que neste momento há um claro movimento anti-VM nos fóruns, blogs, sites, dos três grandes (e não só), que nos tentam colar ao Sporting, Benfica ou Porto - patrocinado por pessoas com ódio e inveja ao nosso projecto - talvez motivado por frustrações pessoais ou por os locais onde descarregam algumas falsas barbaridares não terem o mínimo conhecimento de futebol. Contudo, e apesar das críticas que somos alvo, sempre fomos e vamos continuar a ser fiéis à linha que traçamos, assente numa isenção e imparcialidade sem igual. Aliás o sucesso da qualidade do nosso trabalho, está bem patente na blogosfera, jornais e sites, onde somos plagiados constantemente não só ao nível das noticias, como igualmente das ideias e maneira de fazer os posts e passar a nossa mensagem.

A nivel de metas. Somos ambiciosos, nunca o negamos, até um pouco arrogantes em relação aos nossos conhecimentos sobre futebol e o desporto em geral (aliás é devido a esse nosso vasto conhecimento que temos este número estrondoso de visitas, pois os nossos leitores sabem que ao consultar o VM estão absorver um conteúdo único, imparcial, rigoroso e assente num conhecimento da matéria sem igual em Portugal) e nunca omitimos a nossa legítima ambição de termos outra projecção e chegar a um nível cada mais alto, sabendo que isso só depende da maneira como atingimos os nossos objectivos.

PS - Em relação ao último post, falta corrigir o design (voltamos a referir que os leitores que dominarem essa área, podem sempre enviar para o nosso e-mail as vossas ideias), e a interacção com os visitantes (acreditamos que com o post "Dúvidas/Observações" melhoramos nesse pormenor, mas vamos tentar ser ainda mais assíduos nesse capítulo). Por outro lado, voltamos a referir que apreciamos a exigência dos leitores (nem aos jornais e sites que tem jornalistas pagos exigem tanto como ao VM), mas pedimos que compreendam que o nosso tempo pessoal e profissional é limitado e nem sempre tempos disponibilidade para abordar todos os assuntos que queriamos (muitas vezes a frustração também contribui para isso, pois fazer posts sobre a Liga Orangina, NBA, Voleibol, Surf, etc, e os mesmos terem 0 ao nível de feedback acaba por ser frustrante).

FC Porto, Benfica, Sporting, Sp. Braga e Marítimo, com maior ou menor dificuldade, venceram as suas partidas, estando já cavado um fosso entre os 5 primeiros e as restantes equipas da Liga. O Vitória de Guimarães desceu para a última posição, enquanto que o Rio Ave venceu pela 1ª vez no campeonato. No que diz respeito aos destaques individuais, Belluschi (FC Porto) voltou a exibir-se a bom nível, Witsel (Benfica) segurou o meio campo dos encarnados, Hugo Viana (Sp. Braga) continua a mostrar-se em grande forma, enquanto que Capel (Sporting) "explodiu" na partida de segunda-feira. Baba (Marítimo), Vitor Gomes (Rio Ave), Fabiano Freitas (Olhanense) e Manuel José (Paços de Ferreira) também estiveram num nível superior aos demais. Contudo, isto no futebol não há 8 melhores, e a capacidade de definição do melhor faz parte deste fenómeno, sendo que nesse sentido interrogamos os nossos leitores sobre qual o melhor jogador da jornada, o melhor 11, maior falhanço e o golo da semana.

25 de Outubro de 2011

Benfica - Tal como o Visão de Mercado anunciou ontem em 1ª mão, o Sp. Braga não é o único clube português interessado nos jovens Paolo Hurtado e Jorge Bazán. Hoje, a imprensa do Perú avança que o Benfica está interessado nas promessas do Alianza Lima. Hurtado é um médio ofensivo, internacional pela selecção AA do Perú, enquanto que Bazán (extremo esquerdo) é um dos jovens mais cotados no seu país. Teremos mais dois peruanos no futebol português? A norte ou a sul?

Gaitán – O extremo encarnado renovou com o Benfica por mais uma temporada (até 2016), mantendo a cláusula de rescisão de 45 milhões de euros. O argentino viu melhorada a sua folha salarial.

FC Porto – Emídio Rafael, lateral esquerdo dos dragões, foi novamente operado ao perónio esquerdo, estando previsto que regresse à competição apenas na temporada 2012-2013.

Carlos Tévez - O avançado do Manchester City vai ter de pagar uma multa correspondente a 4 semanas do seu salário, depois do incidente protagonizado no jogo frente ao Bayern Munique. O jogador já tinha sido castigado por duas semanas pelo clube (já cumpriu).

Carling Cup – Manchester United (3-0 ao Aldershot), Arsenal (2-1 ao Bolton), Cardiff City (1-0 ao Burnley) e Crystal Palace (2-0 ao Southampton) apuraram-se para os quartos-de-final da Taça da Liga Inglesa.

Serie A - A Juventus subiu à liderança da Liga Italiana (à condição), depois de bater a Fiorentina por 2-1. Bonucci abriu o marcador (13´), Jovetic empatou para os forasteiros (58´), mas o inevitável Matri fez o resultado final aos 65´.

La Liga – O Barcelona venceu esta noite no terreno do Granada por 1-0, com um golo de Xavi, através da marcação de um livre directo. Os catalães apresentaram um futebol bastante pobre e voltaram a falhar na finalização, mesmo depois de jogar quase toda a 2ª parte com mais um elemento em campo.

Ol. Lyon - O clube francês não passa por um bom momento em termos financeiros e o seu presidente, Jean Michel Aulas, já revelou que vai ter que vender jogadores e reduzir salários.

Mercado - Palermo também pretende Dybala; Empresário de Maxwell afirma que o brasileiro não quer jogar no Benfica. 

Terminou um grande campeonato do mundo que certamente irá deixar saudades a todos os que tiveram a oportunidade e o prazer de acompanhar ao longo do último mês e meio, com a Nova Zelândia a ser consagrada campeã do Mundo, no seu próprio reduto como grande parte dos adeptos de rugby esperavam. O que certamente não se esperava era as dificuldades que atravessariam os All Blacks para ultrapassar a França que desde cedo entrou determinada em mostrar que esta final não eram favas contadas como muitos especulavam, algo que ficou bem patente na forma como Les Bleus responderam ao arrepiante haka antes do inicio da partida, enfrentando os neozelandeses olhos nos olhos, como iriam tentar fazer dentro das quatro linhas. Havia motivos para isso, jogava-se o jogo de uma vida! Para a história fica então o segundo título mundial da Nova Zelândia, após um campeonato em que foram os justos vencedores. A Austrália completa o pódio após ter batido Gales no jogo de atribuição do 3º e 4º lugar.

Final - Nova Zelândia vs França
Vinte e quatro anos depois, a maior potência mundial de rugby voltou a atingir o céu e a colocar-se no patamar mais elevado que se pode atingir desportivamente, tanto a nível coletivo como individual. Após os falhanços nos últimos campeonatos do mundo, onde entravam sempre como grandes favoritos a levar a Webb Ellis para casa, e acabavam por ser eliminados, os All Blacks viram-se este ano completamente proibidos de falhar tal objectivo. O único resultado admitido pelos seus adeptos e comunicação social era a vitória de maneira a que o troféu ficasse em casa. Foi precisamente isso que aconteceu, os anfitriões venceram a sua besta negra do passado por um apertado 8-7 e brindaram assim os seus adeptos com uma vitória numa partida com emoção até ao fim e com um herói bastante improvável, Stephen Donald, abertura suplente que não tinha sequer realizado uma única partida, nem um único minuto neste RWC, mas que teve que entrar ainda antes do descanso para substituir o lesionado Aaron Cruden e colocar assim o seu nome na história desta conquista. 

Após Piri Weepu ter desperdiçado 8 pontos, os neozelandeses venciam apenas por 5, devido ao ensaio cedo concretizado pelo pilar Tony Woodcock, vantagem que viria a ser aumentada três preciosos pontos, após a penalidade convertida ao minuto 46 pelo estreante Donald, que na altura de assumir as responsabilidades de colocar a bola no meio dos postes não tremeu e aumentou assim a vantagem dos neozelandeses, fixando o resultado em 8-0.
Pensava-se então que os All Blacks iriam embalar para uma vitória mais folgada, mas não foi nada disso que aconteceu, pois após Donald ter aumentado a vantagem, a França reduziu através do ensaio de Thierry Dusautoir convertido por François Trinh-Duc com o resultado a fixar-se num emocionante 8-7, que já não se alteraria até final. A partir de ai, França tomou o controlo do jogo, ou pelo menos da iniciativa atacante com constantes pontapés para as costas da defensiva black e pressão alta na busca pelo ensaio ou uma falta. Foi nesta fase da partida que a Nova Zelândia mostrou o porquê de serem os melhores, pois aguentaram a pressão com poderosas placagens, espírito de equipa e de sacrifício e não deixaram fugir a vitória para êxtase de todos os presentes no Eden Park. O facto de os neozelandeses não terem consentido nenhuma penalidade na fase final da partida, após várias tentativas, demonstra bem o nível mental que esta equipa tem, pois imagine-se como estaria o coração daqueles homens, com a hipótese de perderam esta final perante todo o seu país. Os All Blacks são assim os novos campeões do mundo sucedendo a África do Sul. A vitória é totalmente justa.

3º e 4º lugar – Austrália vs País de Gales
A Austrália venceu o País de Gales na partida que decidiria quem ocuparia o último lugar no pódio por 21-18, após uma partida interessante de se seguir. A Austrália apresentou-se com uma equipa bastante remodelada e menos abatida com a derrota que a afastou da decisiva final do que os seus rivais galeses que por diversas vezes falharam no jogo à mão e cometeram algumas faltas. Berrick Barnes foi decisivo do lado dos australianos pois esteve bastante acertado no jogo ao pé e foi decisivo nesta vitória. Os Wallabies vão para casa com o bronze, enquanto os galeses levam a menção honrosa por terem sido a equipa que mais adeptos de rugby conquistou pelo mundo fora durante o último mês e meio.

Durante estes últimos tempos assistimos a rugby ao mais alto nível, pena os horários serem tão diferentes ou em Portugal poderia ter-se dado mais uma vez a febre do rugby como em 2007. Este campeonato merece de facto destaque pelo magnífico espectáculo que proporcionou a todos, dentro e fora das quatro linhas, pois viveram-se dias de grande fair-play, bom ambiente, sem qualquer tipo de distúrbios e a famosa “terceira” parte, ou seja, o convívio, após a partida, que voltou a dar mais uma vez um grande exemplo a outros desportos. Destaque ainda para a performance das seleções mais “fracas”, que evoluíram bastante em relação ao último mundial e conseguiram sair de cabeça erguida. São esses os casos da Geórgia, Samoa, Canadá e especialmente de Tonga que conseguiu bater a França, que foi finalista vencida. Por outro lado e com uma nota de grande destaque positivo, a participação do País de Gales e dos seu grandes guerreiros que caíram na meia-final de forma bastante inglória. De seguida deixamos o melhor quinze do mundial, na nossa opinião, e agradecemos a todos aqueles que contribuíram de forma positiva durante a competição e ajudaram a desenvolver o nosso projecto em mais uma etapa desportiva.

15 ideal: 1- Tony Woodcock (NZ) 2- H.Bennet (WAL) 3- Getin Jenkins (WAL) 4- Alun.W.Jones (WAL) 5- James Orwel (AUS) 6- Jerome Kaino (NZ) 7- D.Pocock (AUS) 8- Faletaw (WAL) 9- Piri Weepu (NZ) 10- Morgan Parra (FRA) 11- George North (WAL) 12- Tuilagi (ENG) 13- Richard Kahui (NZ) 14- Vincent Clerc (FRA) 15- Israel Dagg (NZ)

Melhor jogador: Jerome Kaino (NZ)

Balanço da competição? Qual o melhor quinze e melhor jogador?

Francisco Paiva