25 de abril de 2015

No dicionário do futebol actual, Colômbia é sinónimo de avançados. São muitos, e bons, os goleadores que têm saído do país sul-americano para fazer furor nos campeonatos europeus. De Falcao a Bacca, passando pelo incrível Jackson Martínez, um dos melhores a actuar em Portugal, e sem esquecer nomes como Teo Gutiérrez (que está a ser fortemente apontado ao Sevilha), Ibarbo, Muriel, Zapata, entre outros. Esta moda despertou a atenção dos clubes do Velho Continente para os jovens que vão aparecendo no campeonato local. Sempre que há uma promessa a despontar, surge de imediato associada a diversos emblemas. 

Rafael Borré é a nova coqueluche do futebol colombiano. O avançado do Deportivo Cali (onde também brilha Harold Preciado, outro avançado a ter em conta), que liderou a tabela da liga na fase inicial da temporada, ganhou o lugar na equipa principal e tem sido uma das figuras do campeonato, somando 7 golos. Com apenas 19 anos, Borré deu nas vistas no último Sudamericano sub-20, numa equipa onde Jeison Lucumí, extremo rápido e virtuoso, foi a grande estrela, e está a dar continuidade ao serviço do clube. As suas exibições não têm passado despercebidas, tendo já merecido a chamada de José Pekerman à selecção princioal. Para além disso, e como não podia deixar de ser, já está a ser cobiçado por vários emblemas europeus, sobretudo do futebol espanhol. O Atlético, o Valência e o Espanhol já têm o versátil avançado (pode jogar como referência ofensiva ou sobre as alas, adaptando-se facilmente) debaixo de olho. Um avançado à boa maneira sul-americana, com uma capacidade técnica interessante e muita agressividade nas zonas de finalização, tendo grande facilidade em descobrir espaços para o remate. Ainda tem muito para evoluir se quiser chegar aos calcanhares de nomes como Jackson, Falcao ou Bacca, mas, para já, Borré está a assumir-se como um candidato sério a ser mais um "cafetero" a brilhar no ataque às redes.

T. Cunha

Melhores goleadores franceses na La Liga:
Griezmann (2014-15) - 22 golos
Benzema (2011-12) - 21 golos
Thierry Henry (2008-09) - 19 golos

Griezmann continua em grande no Atlético e com o bis no triunfo por 3-0 frente ao Elche (Raul Garcia apontou o outro golo) chegou aos 22 golos na La Liga, marca que faz do ex-Real Sociedad o melhor marcador francês na história de uma edição da La Liga. O avançado, que apontou o seu 3.º bis consecutivo para o campeonato, assumiu igualmente o 3.º lugar na corrida pela Bota de Ouro (à frente de Aguero e Kane e apenas superado por Messi e Ronaldo). Nos outros jogos destaque para o nulo entre a Real Sociedad e o Villarreal (0-0) e para a vitória do Levante, por 1-0, no terreno do Getafe.

Apesar da grande época de Coquelin, que teve um impacto brutal no conjunto de Wenger em 2015, os Gunners estão no mercado por um médio (William Carvalho também já foi dado como certo nos londrinos) - Victor Wanyama, médio do Southampton, tem sido fortemente apontado ao Arsenal, numa transferência avaliada em 25 milhões de euros, mas Koeman desmentiu essa possibilidade. Wanyama até teria dito publicamente, entretanto já desmentiu, que Wenger o queria contratar. Mas o alvo n.º 1 do Arsenal continua a ser Morgan Schneiderlin.

No dia que o Watford consumou a subida à Premier League - O Man City, com muita dificuldade, bateu o Aston Villa, por 3-2, e deve ter garantido de vez um lugar no Top 4. Os citizens, que subiram, à condição, ao 2.º lugar (com mais 9 pontos que o 5.º classificado Liverpool), chegaram ao 1-0 por intermédio de Aguero (erro incrível do guarda-redes Guzan), já na 2.ª parte Kolarov de livre ampliou, mas o Aston Villa, com golos de Cleverley e Sanchez ainda empatou. No entanto, em cima dos 90, Fernandinho fez o 3-2 final.

Vilacondenses continuam a falhar o assalto ao 6.º lugar - Empate a 1 entre Rio Ave e o Vit. Guimarães. Os vimaranenses adiantaram-se no marcador aos 26 minutos por Álvez, na conversão de uma grande penalidade, mas a equipa vila-condense ainda conseguiu igualar aos 82 minutos, por Bressan. Com esta igualdade, o conjunto de Rui Vitória continua em 5.º com mais 4 pontos que o Belenenses, já o Rio Ave está em 7.º a 4 pontos dos Azuis do Restelo.

Foi a primeira derrota dos açorianos no campeonato - O Benfica igualou a final do campeonato de voleibol, ao vencer em casa a Fonte do Bastardo por 3-0, no segundo jogo da eliminatória decisiva. Os encarnados venceram os açorianos com os parciais de 25-23, 25-22 e 25-17.


Também era pretendido pelo Dortmund, Schalke 04, Wolfsburgo, Inter, Liverpool e Swansea. E pode ocupar a vaga que devia ser de Iturbe. 

O L'Equipe garante que André Ayew, extremo/médio ofensivo que está em fim de contrato com o Marselha, já se comprometeu com a Roma para a próxima época. O internacional pelo Gana tinha muitas propostas mas acredita que na Série A tem mais hipóteses de se destacar. No entanto, em Itália adiantam que o acordo com a equipa de Rudi Garcia só será válido caso os romanos consigam garantir o apuramento para a Liga dos Campeões. Curiosamente, hoje a Roma complicou esse objectivo ao perder por 2-1 na deslocação ao terreno do Inter. Hernanes inaugurou o marcador, Nainggolan ainda empatou mas o inevitável Icardi, perto dos 90, garantiu os 3 pontos para os nerazzurri. Com este resultado, a equipa da capital pode ver o Nápoles aproximar-se, já o conjunto de Mancini subiu, à condição, ao 7.º lugar. No outro jogo do dia na Série A o Milan perdeu igualmente por 2-1 no campo da Udinese.

Leões venceram o troféu em 83/84 - O Sporting apurou-se para a final da Taça CERS em hóquei em patins, ao vencer os espanhóis do Igualada por 3-2, após prolongamento. Ricardo Figueira apontou o golo de "ouro", depois de João Pinto e Tiago Losna terem marcado no tempo regulamentar. Na final, agendada para domingo, o clube leonino vai medir forças com os também espanhóis do Reus, que derrotaram o Óquei de Barcelos por 6-1.

Equipa de Pedro Miguel podia ter pressionado os 2 da frente - O Feirense, actual 3.º classificado da II Liga, complicou o acesso à Liga, ao perder, em casa, por 2-1, frente ao Beira-Mar. Nadson, com um bis, foi a figura da partida. No outro jogo do dia, o Freamunde venceu o Benfica B, por 2-0 e ficou, à condição, a 2 pontos do 2.º lugar.

Segunda equipa a garantir o apuramento para a 2ª ronda - Depois dos Anaheim Ducks (que “varreram” os Jets), os New York Rangers garantiram um lugar na fase seguinte, depois de terem vencido por 2-1 (após prolongamento) os Pittsburgh Penguins (na série ficou 4-1). O encontro foi equilibrado, mas Carl Hagelin foi o herói do conjunto nova-iorquino ao apontar o golo da vitória. Nos outros jogos da noite, duas vitórias dos visitantes. No duelo canadiano, os Ottawa Senators estão em recuperação (estavam a perder por 3-0, venceram dois encontros e no próximo jogam em casa), depois de terem derrotado fora os Montreal Canadiens por 5-1, num encontro o seu guarda-redes, Craig Anderson, esteve em grande. Na outra partida, os Minnesota Wild foram a St. Louis vencer por 4-1 e lideram a série por 3-2, tendo a oportunidade de a fechar no próximo jogo no seu pavilhão.

Concorda? Messi, apesar de ser o melhor jogador do Mundo na última década, ainda é alvo de alguma desconfiança por nunca ter fugido do seu "porto de abrigo". Fica a ideia de que só será consensual quando exibir o mesmo nível noutro clube/campeonato (mas estando na equipa que tem dominado o futebol Mundial esse cenário é pouco provável).

Sir Alex Ferguson, em declarações à BBC, voltou a sublinhar a superioridade de Cristiano Ronaldo em relação a Messi, argumentando que o argentino é apenas jogador para o Barcelona. "Quando se pergunta quem é o melhor futebolista, muita gente escolhe Messi e não há que rebater essa opinião. No entanto, Cristiano Ronaldo podia jogar no Millwall, no Queens Park Rangers ou até no Doncaster que faria um hat-trick. Já Messi não tenho a certeza", confessou o escocês. Para Ferguson o facto de astro argentino nunca ter deixado a Catalunha continua a ser factor determinante para a sua preferência. "Ronaldo joga com os dois pés, é rápido e muito bom no jogo aéreo. Na minha opinião, Messi é jogador apenas para o Barcelona", afirmou o ex-treinador do Man Utd.

Os bávaros podem festejar já neste domingo, no ‘sofá’, o tri-campeonato, mas para isso é preciso que o Wolfsburgo, segundo classificado a 15 pontos, não vença no domingo na difícil visita ao Borussia Moenchengladbach (4.º classificado) - Um tento solitário de Bastian Schweinsteiger foi suficiente para dar a vitória ao Bayern Munique sobre o Hertha Berlim, num encontro difícil (Neuer fez mais uma defesa estrondosa) onde Pep Guardiola voltou a ter muitas baixas (Rode, Gaudino e Weiser foram titulares). Com este triunfo, os bávaros, que lideram com 15 pontos de vantagem, tem praticamente uma mão no título, resta saber se o agarram já amanhã ou apenas na próxima ronda.

Os gilistas estão agora a 2 pontos do antepenúltimo e a 4 da Briosa o problema é que na próxima jornada recebem o Benfica e na seguinte vão ao Dragão - Jogo só com penáltis. A Académica ainda esteve a ganhar com um golo de Rui Pedro, de grande penalidade, mas a equipa de Viterbo acabaria por voltar a perder, com o Gil Vicente a dar a volta ao marcador (2-1). Ruben Ribeiro e Cadu, ambos também de penálti, deram a vitória aos gilistas (continuam no penúltimo lugar), antes de um período complicado para o conjunto de José Mota. No outro jogo da tarde, o Marítimo conseguiu empatar no Estoril, com Marega, aos 85', a anular o golo de Fernandinho, que tinha colocado a equipa de Fabiano/Hugo Leal na frente do marcador. Os canarinhos encontram-se agora no 12.º lugar, enquanto que os insulares fixaram-se no 10.º posto.

Colectivo portista voltou a fazer a diferença; Encarnados, que deixaram os melhores jogadores de fora (já estão na equipa B), tiveram no guardião (ainda com idade de juvenil) Fábio Duarte o principal destaque pela negativa.

Parece ser apenas uma questão de tempo até os jovens dragões festejarem o título. O FC Porto voltou a bater o Benfica, desta vez por 3-0, na fase final do apuramento de campeão de Juniores, e afastou em definitivo as águias da luta pelo 1.º lugar. Os dragões, que continuam com mais 5 pontos que o Gil Vicente, abriram o marcador aos 10 minutos por intermédio de Sérgio Ribeiro, que na sequência de um livre bateu Fábio Duarte (ficou a ideia que o jovem guardião das águias podia ter feito melhor). E perto do intervalo Leonardo Ruiz (em outro lance em que o guarda-redes dos encarnados esteve mal) fez o 2-0. Na 2.ª parte, Chidozie logo a abrir, de cabeça, fez o 3-0 final. Resultado que traduz a superioridade dos azuis e brancos, uma equipa muito mais consistente e que até podia ter aproveitado algumas transições (sempre com Rubén Macedo, à semelhança do que tem acontecido este ano, em evidência) para juntar mais uns golos aos marcador. Já as águias, que tiveram um juvenil na baliza e outro no ataque (José Gomes), criaram muito pouco (e até demonstraram mais dificuldades em lidar com o vento). Buta ainda tentou mas não o suficiente para incomodar Gudino.

Campeão pressiona o Lyon - O PSG respondeu com estilo à eliminação na Champions ao golear o Lille, por 6-1. Os parisienses marcaram logo aos 25 segundos, por intermédio de Maxwell, e ao intervalo já venciam por 4-0. Na 2.ª parte os visitantes, que contaram com Rony Lopes apenas nos primeiros 45 minutos, ainda reduziram por Basa, mas Cavani (que bisou na partida) e Lavezzi (que fez um hattrick) ampliaram o marcador. Com este resultado, o PSG fica com mais 3 pontos que o Lyon, que amanhã joga em casa do Stade de Reims.

O quadro final ficou algo mais fraco com as desistências nos últimos dias, mas a 1.ª ronda vai ter um Coric vs Chardy e um duelo entre Kyrgios e Albert Ramos - João Sousa e Rui Machado vão enfrentar-se na primeira ronda do Estoril Open, ditou hoje o sorteio realizado no Clube de Ténis do Estoril. Gastão Elias, 134.º jogador mundial e segundo tenista nacional, irá medir forças com um jogador oriundo da fase de qualificação. Já Frederico Silva viu sair-lhe a ‘ficha’ de Gilles Muller, 42.º do ‘ranking’. 

Tello fora dos convocados do FC Porto, Salvio é o "truque" de JJ (há sempre uma incógnita nas águias antes de um clássico). Técnico dos encarnados foi um pouco vago em relação à táctica (só Jonas ou Lima na frente, como no Dragão?).

Lopetegui e Jorge Jesus não acrescentaram muito na antevisão ao jogo que pode decidir o campeonato. O treinador do FC Porto tentou passar a mensagem que o conjunto vai dar uma boa resposta à goleada sofrida em Munique. «Vamos estar no clássico com ambição e ilusão para ganhar. Se é o momento ideal para defrontar o Benfica? Um das vantagens de jogar os quartos de final da Champions é que temos de enfrentar este tipo de situações. É a realidade, não a podemos mudar e não temos vontade de a mudar. Vamos dar a resposta que temos de dar». Jorge Jesus, que anunciou a convocatória de Salvio, também tentou desvalorizar o que aconteceu aos azuis e brancos na Champions, e justificou o facto de ter dito antes que não tinha visto o Bayern Munique-FC Porto: «O Bayern-FC Porto já vi. Ficou tudo muito ofendido por ter dito que não tinha visto o FC Porto-Bayern. Tinha era de ver o Belenenses. Agora com as novas tecnologias, não precisas ver os jogos em direto. Esta semana tive tempo para ver esse jogo. Vamos encontrar um FC Porto forte, uma grande equipa. O Benfica vai bater-se por uma vitória e espero que o Benfica seja melhor que o Porto».

Numa semana em que o futuro do jogador ligado ao Benfica foi falado, Oliveira marca pela primeira vez. Rodgers continua a má fase, enquanto que no fundo da tabela o Burnley poderá ter assinado hoje a sua sentença (está já a 5 pontos da salvação quando faltam apenas 4 partidas) - Nélson Oliveira marcou pela primeira vez na Premier League, fazendo de cabeça o primeiro golo do Swansea na vitória em St.James’s Park frente ao Newcastle por 3-2. Os Magpies até abriram o marcador aos  minutos, por 20 minutos por Ayoze Pérez, mas o avançado emprestado pelo Benfica empatou em cima do intervalo, tendo a reviravolta sido operado na segunda parte através de Sigurdsson e de Cork, de nada valendo o tento tardio de De Jong. Já o Liverpool continua a baquear e, após a eliminação da Taça, não foi além do empate contra o West Brom, não conseguindo tirar partido do empate no duelo entre Southampton e Tottenham para ganhar vantagem na luta pela Europa. No St.Mary's, a equipa de José Fonte começou a ganhar com um golo de Pellè mas Lamela empatou aos 43 minutos. No segundo tempo, o Avançado Italiano voltou a adiantar os locais mas Chadli estabeleceu o empate final. Nas partidas a envolver os "aflitos", o grande derrotado do dia foi o Burnley, já que, ao ser derrotado em casa pelo Leicester (golo de Vardy), vê-se a 5 pontos da permanência, com o conjunto de Pearson a colocar-se acima da Linha de água. O Hull somou 3 crucias pontos no terreno do Crystal Palace (2 golos na segunda parte de N'Doye), ao passo que QPR e West Ham empataram a zero (Austin falhou uma grande penalidade e a vida está difícil em Loftus Road). Finalmente, Stoke e Sunderland empataram a 1 golo (marcaram Adam e Wickham), num resultado que coloca o Sunderland abaixo da Linha de Água.

Primeira parte soberba do Barça (Luis Enrique já a classificou como a melhor da época), com uma pressão asfixiante (o Espanhol não fazia 5 passes seguidos), uma circulação rápida e precisa e o trio da frente em destaque (Suárez esteve nos dois golos, Neymar voltou a marcar e Messi foi Messi, voltando a distinguir-se pela intensidade e qualidade na pressão, algo que contagia os companheiros) - O Barcelona deu um passo fundamental para o título (até final da temporada, na teoria, só a deslocação ao terreno do Atlético de Madrid é perigosa) ao vencer o Derby da Cidade Condal por 2-0. Os Culés fizeram um grande primeiro tempo e, aos 17 minutos, Messi fez uma grande abertura para Alba, que cruzou para Suárez deixar a bola passar para que Neymar abrisse o marcador, tendo La Pulga adiantado os Blaugrana aos 25 minutos após assistência do Uruguaio. Na segunda parte, as coisas ainda se podiam ter complicado com a expulsão de Alba (o lateral é incapaz de se afastar das confusões e protestos ao árbitro), mas o Espanhol foi incapaz de marcar (Bravo deu sempre uma segurança enorme).

Dois rumores que vão ganhando cada vez mais força. A muito provável saída de Pogba no final da temporada, e o facto de a Juve já ter escolhido o substituto: Axel Witsel. 

O médio belga tem sido apontado à Juventus de forma insistente. Witsel, que esta temporada fez 37 jogos e 5 golos ao serviço do Zenit de André Villas-Boas, está há 3 anos na Rússia e o seu pai e agente diz que é altura de dar o salto: "Axel nunca se arrependeu de se transferir do Benfica para o Zenit, mas 3 anos são suficientes. Esperemos que seja um adeus em grande, com o título", afirmou, embora sem garantir uma mudança para Itália. "A Juventus é uma opção, mas não é a única. Ainda não decidimos".

A Liga Europa ainda é possível para o Dortmund; Hamburgo é o vencedor do dia - A equipa que ainda é de Klopp somou a segunda vitória depois do anúncio da saída do técnico. No Signal Iduna Park, Aubameyang, de penalty, e Kagawa, resolveram a partida com o Frankfurt ainda na primeira parte. O Dortmund está em sétimo lugar à condição, estando a apenas 3 pontos do quinto classificado. Na luta pela manutenção, o Hamburgo não podia ter pedido um dia melhor. A vitória sobre um Augsburgo em queda livre, por 3-2 (Lasogga bisou), tirou a equipa do último lugar, fruto do empate entre Estugarda e Friburgo (2-2, com golos de Ginczek e Harnik para os da casa e um bis de Nils Petersen para os forasteiros). O Hannover, o último clube acima da linha de água, também perdeu (com o Hoffenheim, em casa, por 2-1) e complicou as contas. 

Jogar com Felton e Jefferson no 5 é complicado; Duncan e Parker nem precisaram de suar; Lowry novamente em destaque pela negativa (apenas 5 lançamentos concretizados em 22) - Da noite de ontem da NBA resultaram duas eliminatórias praticamente decididas. Houston, depois de ter vencido os dois primeiros encontros em casa, foi a Dallas vencer por 130-128 e arrumou com as aspirações da equipa de Mark Cuban. Num jogo com pouca defesa, o equilíbrio foi a nota dominante, mas os Mavericks, que devido às lesões foram forçados a utilizar Felton e Jefferson no 5 inicial, não conseguiram nos derradeiros momentos garantir o triunfo (Ellis teve a oportunidade de empatar). James Harden fez máximo de carreira nos playoffs (42 pontos, aos quais juntou 9 assistências), Howard dominou por completo nas tabelas (26 ressaltos), enquanto que Josh Smith foi mais uma vez preponderante vindo do banco, acrescentando 18 pontos. Do lado da formação da casa, Nowitzki e Ellis, ambos com 34 pontos, foram os destaques. Em Washington, nova vitória para os Wizards (106-99 frente a Toronto), que em princípio também deram uma “machadada” final na eliminatória. Os Raptors até começaram melhor, mas a equipa da capital fez os ajustes necessários ao longo do encontro e alcançaram o 3º triunfo. DeRozan conseguiu 32 pontos, mas Lowry (5-22 de lançamentos de campo) e Lou Williams (apenas 7 pontos) estiveram aquém das expectativas. Do lado dos Wizards, Gortat fez um duplo-duplo (24 pontos e 13 ressaltos), enquanto que Wall acrescentou 19 pontos e 15 assistências. No entanto, foram os triplos de Otto Porter Jr e Paul Pierce (talhado para estes momentos) que fizeram a diferença nos últimos minutos. Na última partida da noite assistiu-se a uma vitória fácil por parte dos Spurs, que derrotaram os Clippers por 100-73. Um resultado que espelha bem o que se passou em campo e os campeões lideram agora a eliminatória por 2-1. Na formação de LA praticamente não houve destaques positivos (Crawford e Chris Paul tiveram jogos para esquecer), enquanto que do lado de San Antonio Leonard coroou o prémio de melhor defensor do ano com 32 pontos. 

Amanhã terá lugar o encontro do ano em Portugal. Se o Benfica vencer mete uma mão no título, mas caso seja o Porto a ganhar na Luz o campeonato ainda não ficará decidido. Os encarnados têm demonstrado muito poder em casa nos últimos encontros, contando com um super Jonas. Já os azuis e brancos vêm de uma derrota pesada na Alemanha, apesar de terem demonstrado toda a sua qualidade na partida da primeira mão. Jackson, em grande forma, promete ser a principal ameaça para as ambições encarnadas. Veremos como irá ser a abordagem das duas equipas, sendo certo que é o Porto quem precisa de vencer e que, por isso, terá de assumir a iniciativa. 

Num 11 combinado entre as duas equipas, não há grandes dúvidas em relação ao titular na baliza. Júlio César, que, mesmo com alguns problemas físicos, é bastante mais seguro do que Fabiano, que, nos jogos grandes, tem tendência a comprometer (veja-se o jogo com o Benfica da primeira volta ou a segunda mão com o Bayern). No quarteto defensivo, laterais portistas, centrais benfiquistas. Não há dúvidas de que Danilo e Alex Sandro são os melhores nas respectivas posições, apesar de Maxi estar a realizar uma boa temporada. No eixo defensivo, Luisão continua a ser o central mais eficaz em Portugal, formando uma dupla excelente com Jardel, que cresceu bastante e que tem marcado golos importantes. No Porto, nenhum central se tem destacado por aí além, apesar de Marcano e Indi estarem a fazer temporadas consistentes.

No meio campo, mais uma vez empate técnico. Como médio mais recuado, Casemiro tem crescido a olhos vistos durante a temporada e é, neste momento, um dos jogadores mais influentes na manobra portista. À sua frente, Óliver, o pequeno génio, que espalhou classe nesta temporada. Nas alas, os dois argentinos levam a melhor sobre Quaresma e Brahimi. Gaitán tem um peso tremendo no jogo encarnado, decide um jogo de um momento para o outro, e tem sido superior ao argelino, que, depois de um grande início, perdeu protagonismo. Do outro lado, apesar das recentes boas exibições do português, Salvio continua a apresentar um rendimento mais constante (e nas tarefas defensivas a diferença é abismal). 

O ataque fica entregue a dois dos melhores jogadores do campeonato. É impossível, pelo que têm feito, escolher um e deixar o outro de fora. Jonas chegou, viu e venceu. Para além do que joga, tem decidido com golos. Jackson é um dos melhores pontas-de-lança do mundo na actualidade, e também está longe de se resumir aos golos. Joga e faz jogar. 


24 de abril de 2015

Olhando para as estatísticas, seríamos tentados a dizer que Di María não está a fazer uma época assim tão negativa. É o segundo melhor assistente da Premier League, com 10 passes para golo, apenas atrás de Fàbregas e por exemplo muito à frente de Coutinho, que está nomeado para melhor do ano e tem apenas 4 assistências e 4 golos (mais 1 que Angelito). Mas, para além dos números, o argentino pouco deu ao Manchester. De candidato a Bola de Ouro a suplente de Mata e Young, é este o resumo da época de um jogador que foi figura no campeão europeu e que custou 75 milhões de euros. 

Há casos muito estranhos no futebol, quase sem explicação. Di María foi um dos melhores jogadores da época passada, assumindo um protagonismo notável num Real Madrid repleto de figuras. Apesar de ter sido decisivo na conquista do título europeu, a chegada de James ameaçou o seu estatuto na equipa de Ancelotti e a opção foi sair para outro clube. O United chegou-se à frente, pagando 75 milhões de euros para contar com o craque argentino. Mesmo num clube que tinha feito uma temporada claramente negativa, Di María tinha condições para ser uma das estrelas da companhia, num campeonato que, em teoria, beneficiaria o seu futebol. Contudo, a adaptação não correu bem. É certo que a máquina montada por Van Gaal demorou a funcionar correctamente, mas seria de esperar que o argentino tivesse outro impacto na equipa. É curioso que, quando o argentino saiu do 11, após ter sido expulso contra o Arsenal, o United tenha atingido um dos melhores momentos da época. Di María foi suplente nos últimos 4 jogos, e a verdade é que os Red Devils não têm sentido a sua falta. O extremo está muito longe do que mostrou no último ano, e não é apenas por questões futebolísticas; mesmo a nível de confiança parece claramente abalado, sem se conseguir integrar na equipa inglesa. É cedo para dizer o que vai acontecer neste caso, até porque é o primeiro ano no clube, mas não seria a primeira vez que um jogador de topo se eclipsava sem explicação aparente. Veja-se os exemplos de Torres e Kaká.  

T.Cunha

Os adeptos disseram presente (grande ambiente no Meo Arena). Leões foram fortes naquilo que tinham de ser: organização (apesar da falha no 1-2), esquemas tácticos; Mas o Barça individualmente é claramente superior e justificou a passagem. Ferrao, Bateria, Wilde e Dyego criaram várias situações de desequilíbrio, ao contrário dos jogadores leoninos, que raramente desequilibraram nas acções individuais.

Ainda não vai ser este ano que o Sporting vai colocar o título europeu de Futsal no museu. O clube leonino perdeu nas meias-finais da UEFA Futsal Cup frente ao Barcelona, por 5-3, e ficou fora da final. Os leões acabaram por "morrer na praia", depois de um jogo em que estiveram na frente, golo de Diogo, permitiram a reviravolta (Dyego e bis de Wilde), com golos de João Matos e Caio Japa ainda empataram mas no último minuto Bateria com muita classe fez o 4-3 e no último segundo o guardião Paco Sedano fechou o marcador. Resultado que penaliza a excelente recuperação do Sporting mas que acaba por ser justo. O Barça além dos golos criou mais oportunidades e não fosse um super-Cristiano, que substitui o lesionado Benedito na 1.ª parte, provavelmente a incerteza não tinha durado tanto. Do lado dos leões, uma equipa individualmente menos forte que em anos anteriores (em 2011 devia ter ganho ao Montesilvano), Alex, talvez o melhor jogador da história do Sporting, voltou a ser a unidade mais. Na final os catalães, vão defender o título frente ao Kairat, equipa de Divanei e Marcão, que bateu o Dina Moscovo por 7-4, num encontro que só foi decidido no prolongamento (Leo com póquer foi a grande figura da partida).

Arsenalistas terminaram a partida com 9 elementos - Sporting de Braga e Belenenses empataram 1-1, no encontro que inaugurou a 30.ª jornada da I Liga. Pelé, aos 15 minutos, colocou os `azuis´ do Restelo em vantagem, mas aos 86, numa fase em que os gverreiros já estavam reduzidos a 10 (por expulsão de Pedro Santos) Tiba, que também foi expulso nos descontos, fez o 1-1 final. Com este resultado, o Belenenses, que teve Pelé em destaque, consolida o 6.º lugar ficando, à condição, com mais 4 pontos que o Paços de Ferreira.

Não está fácil para Bielsa e Di Matteo - O Marselha voltou a escorregar, desta vez em casa, ao perder frente ao Lorient, por 5-3. Os anfitriões estiveram a perder por 0-2 e 1-3 chegaram ao 3-3 mas acabaram derrotados (Jordan Ayew, com um bis, tramou a antiga equipa). Com este resultado a equipa de Bielsa corre o risco de terminar a jornada a 5 pontos dos lugares da Champions, caso o Mónaco cumpra frente ao Lens; Quem está definitivamente fora da LC é o Schalke 04. Os mineiros perderam por 2-0 na deslocação ao terreno do Mainz e continuam assim a 12 pontos (que podem ser 15) do Top 4 da Bundesliga.

Mais vale tarde do que nunca. É caso para dizer que finalmente a federação deu conta da especificidade da posição de guarda-redes e da consequente necessidade de um tratamento diferente. Não será de admirar a ausência de uma referência nacional indiscutível e que actue num clube de top europeu, à semelhança do que acontece noutras posições. De facto, não se vislumbra, nem mesmo nas selecções jovens, um guarda-redes que tenha a capacidade para se impor com facilidade no panorama internacional. A única excepção será o jovem Joel Pereira - internacional sub19 - que actua na equipa de reservas do Manchester United, ao qual a FPF não poderá chamar qualquer mérito, uma vez que o guardião fez toda a formação em clubes Suíços.

Posto isto, a equipa de Fernando Gomes tomou a iniciativa de, numa era do futebol em que o guarda-redes ganha cada vez mais protagonismo técnico-tático e influência no desenrolar de uma partida de futebol, avançar para um projecto específico e inovador na captação de guarda-redes. O intitulado "Projecto 1 - Escola de Guarda Redes" - aplicado há alguns anos em países como a Alemanha, França ou Espanha - que tem como objectivos: Identificar os melhores guarda-redes portugueses dos 14 aos 17 anos e projetar o seu desenvolvimento; Abrir as convocatórias a mais três guarda-redes por estágio nas seleções sub-15, sub-16, sub-17 e sub-18; Observar guarda-redes, treinadores de guarda-redes e outros elementos, em treino e jogo; Elaborar proposta metodológica para operacionalização dos conteúdos de treino de guarda-redes; Proporcionar apoio técnico específico aos clubes a que pertencem potenciais guarda-redes de excelência; Convidar treinadores de guarda-redes dos clubes para acompanhar estágios das seleções e envolver coordenadores técnicos distritais e treinadores das seleções distritais.

Esta panóplia de propósitos será articulada com algumas acções de médio prazo em que surgirão licenças específicas para treino de guarda-redes - algo que sempre foi deixado de lado, uma vez que qualquer um podia ser treinador de guarda redes - e pela sensibilização da importância do guarda-redes no futebol que, em articulação com o ministério da educação/desporto escolar, tentará espoletar uma maior procura pela posição. Este projecto estará em comunhão com a grande meta do mandato da FPF em que a criação da Cidade do Futebol assume notória importância. Este será, por sua vez, o espaço de todas as selecções nacionais, com a presença de um centro de alto rendimento e de vários campos que serão utilizados como base para a preparação do próximo europeu 2016.

E, inevitavelmente, o grande obreiro deste programa será Vítor Baía - não fosse ele o melhor guarda redes Português dos últimos anos-, que em conjunto com uma equipa multidisciplinar, ficará encarregue de alavancar a produção de novos talentos.

Para concluir, podemos afirmar que os resultados só poderão ser positivos, já que o ponto de partida é manifestamente nivelado por baixo.

Scouting: João Magalhães e Rui Valente

Melhor que Cuadrado? O internacional espanhol tem golo, é um jogador tecnicamente evoluído e muito forte no trabalho sem bola. 

O Chelsea está interessado na contratação de Pedro Rodríguez, extremo dos catalães que perdeu espaço com o trio MSN. De acordo com o jornal Marca, o internacional de 27 anos, já com muita experiência, tem características que agradam a José Mourinho, podendo actuar nos dois flancos e sendo bastante disponível para a pressão em zonas adiantadas. Habitual suplente com Luis Enrique, é, ainda assim, um elemento que os blaugrana não querem perder, pelo que o Chelsea, à semelhança do que fez com Cesc, terá de pagar bem para que o Barça o liberte. No entanto, o facto de Pedrito querer sair e terminar contrato em 2016 pode facilitar o negócio.

Com as saídas de Óliver e Casemiro, apesar de ser um elemento com características diferentes até podia ter espaço no conjunto de Lopetegui mas o objectivo (ainda para mais com o mercado que ganhou) passa por realizar um encaixe com a sua venda - Carlos Eduardo não quer regressar ao Dragão no fim da época. O médio brasileiro, que está emprestado pelo FC Porto ao Nice, afirmou que pretende continuar mais um ano no clube francês. "Julgo que tenho feito progressos, mas ainda tenho muito para evoluir porque tenho apenas 25 anos e, para continuar a crescer, seria óptimo ficar aqui mais um ano. Gostava de ficar no Nice e o clube sabe disso", disse o ex-Estoril.

O inexperiente Timothée Kolodziejczak deve ocupar a vaga do argentino, o que é uma vantagem para os rivais - Nico Pareja, central do Sevilha, sofreu uma grave lesão no joelho e vai ficar seis a sete meses afastado dos relvados, anunciou hoje o clube espanhol. O internacional argentino, que tem sido indiscutível para Eméry, fez uma rotura do ligamento cruzado e uma entorse no ligamento lateral do joelho direito durante o encontro de quinta-feira frente ao Zenit de São Petersburgo, dos quartos de final da Liga Europa, e que terminou com a passagem do Sevilha à próxima fase.

O jogo que opõe Benfica e FC Porto este Domingo pode perfeitamente decidir o título nacional. Uma vitória encarnada coloca um ponto final no campeonato, pois cavava uma distância de 6 pontos (mais 1 pela vantagem no confronto directo) ficando apenas 12 em disputa. O empate deixa tudo na mesma, embora na prática o Benfica aumentasse a diferença pontual para 4. Já uma vitória portista deixaria os rivais empatados, estando depois tudo resumido ao confronto directo (relembre-se que mesmo a derrota por um golo beneficia o Benfica) ou então, à diferença de golos, o que seria um cenário bem divertido, com todos os penalties, foras-de-jogo e golos com a mão a contar para o totobola. De qualquer modo, é quase como que de uma final se tratasse, um pouco à imagem do que aconteceu no Dragão há dois anos, e o perfeito final de temporada para uma Liga tudo menos emocionante, mas que por azares da sorte acaba por, mais uma vez, ter no final o confronto directo entre os dois únicos candidatos ao título por esta altura. Voltando atrás, o facto é que o Benfica sai na frente, pois não só tem vantagem pontual, como na prática três resultados lhe servem, e ainda tem o factor casa a seu favor. No início do ano, tendo em conta os movimentos de mercado, muitos pensariam que o cenário fosse o inverso, mas a verdade é que é o FC Porto que tem de recuperar. Seguem-se alguns tópicos que podem ajudar a explicar o porquê da actual classificação, na qual o Benfica tem todas as condições para se sagrar bi-campeão.

CORRER À FRENTE
Os encarnados lideram desde a 5ª jornada, o que não querendo dizer muito, significa que quem corre atrás vê a sua margem de erro diminuir a cada semana que passa, e aumenta a confiança de quem vai à frente. Verdade seja dita, o Porto teve a culpa de não ter corrigido (na sua perspectiva) essa situação, quando perdeu no Dragão frente ao Benfica, e posteriormente ao falhar na Choupana a aproximação. Mas o facto é que a liderança dá sempre confiança, e as jogadas de jogadores confiantes têm sempre a tendência a sair melhor. O Benfica também conseguiu manter-se na frente durante o período de menor fulgor, em que teve dificuldades em assegurar vitórias, o que deu o empurrão necessário para que não fosse preciso correr atrás do prejuízo posteriormente.

EUROPA/CALENDÁRIO
Jesus afirmou-o sem pudores desde o início: este Benfica não aguentaria jogar em várias frentes. Daí que não tenha espantado a abordagem a alguns jogos, como em Leverkusen, em que a equipa não jogou na sua máxima força. No plano oposto, o Porto sempre levou a Liga dos Campeões muito a sério, preferindo Lopetegui fazer poupanças na Liga Portuguesa, facto que lhe trouxe alguns dissabores. O Porto teve um calendário mais composto, e maior desgaste, não somente de jogos a meio da semana (o que logo perturba todo o processo de treino), mas também contando com deslocações e com a natural ansiedade de um jogador que tem os pés no Comendador Manuel Violas, mas já tem a cabeça no Allianz Arena. Certamente que veteranos como Jonas não chegariam tão fresquinhos a esta altura da temporada, fossem obrigados a outra sobrecarga de jogos, e mesmo homens como Gaitan ou Sálvio seriam sujeitos a outro desgaste. A prematura saída da cena europeia permitiu a Jesus criar um onze base, que ajuda a suprimir a falta de alternativas em algumas posições, e também a cimentar mecanismos vários.

EXPERIÊNCIA
Mesmo com todas as saídas, o Benfica conseguiu manter um núcleo de jogadores muito experientes, com muitos anos de Liga Portuguesa, e perfeitamente adaptados aos métodos e ideias do seu treinador. Já o Porto, criou uma equipa quase que se raíz, e muitos jogadores precisaram de se adaptar à nova realidade. Homens como Luisão ou Lima, têm muitos anos disto em cima, e fazem uso dessa experiência acumulada dentro de campo. O Benfica é a melhor equipa portuguesa a fazer aquilo a que se chama temporizar o jogo: sabem quando jogar depressa, quando parar as partidas, acelerar, queimar tempo, ter bola ou dar a posse ao adversário. Têm também um conhecimento único dos adversários, sabem como eles se comportam e reagem. os jogadores do Porto não têm na sua maioria essa capacidade; Oliver é demasiado jovem, Tello e Brahimi aparecem e desaparecem com facilidade, Quaresma continua a cometer erros de principiante. De referir ainda que não pode ser coincidência que, os dois melhores reforços do Benfica sejam dois trintões.

ESTRUTURA
Em certos aspectos o tempo não volta para trás, e a célebre estrutura do Porto não é o que foi. Numa altura em que o Benfica foi bafejado pela... vamos chamar sorte, o Porto manteve-se estranhamente calado. Em outros tempos, seriam entrevistas, declarações iradas, recados variados, a estrutura portista tentaria colocar pressão sobre árbitros, Liga, Justiça, Nações Unidas, tudo o que lhes pudesse dar vantagem. Já a estrutura benfiquista foi gerindo alguns dossiers, como a situação contratual de Jesus, com bastante perícia. Mas voltando ao Porto, as críticas aos supostos favores vieram tarde, e pela boca do treinador a quem, por ainda ser novato, as pessoas dão pouca atenção e credibilidade. O timing das queixas também deixou algo a desejar, pois falar de favorecimentos que aconteceram há semanas, ou meses, após uma derrota comprometedora e numa altura em que o Benfica atropelava oponentes, tem o mesmo resultado que pedalar em seco.

TREINADOR
Ambos os técnicos têm em comum o facto de não dominarem na perfeição a língua portuguesa, mas as semelhanças ficam-se por aqui. Lopetegui não é o Lopatego que muitos quiseram fazer crer, mas peca ainda em vários aspectos. A falta de experiência a este nível pesa em alguns momentos (a abordagem em Munique é um bom exemplo), e a sua adaptação ao futebol português também não está totalmente consolidada. No entanto, o espanhol tem os seus méritos, e conseguiu implementar algumas ideias de jogo interessantes. Porém, em termos práticos está muito, mas muito atrás de Jorge Jesus. O português conhece o campeonato nacional como poucos (ajuda entender a filosofia das equipas, os esquemas dentro, e também fora de campo), está ambientado ao futebol luso, no relvado e fora dele, usa de uma matreirice na abordagem a certas partidas com a qual o espanhol ainda só pode sonhar. Lopetegui cometeu alguns erros cruciais, como no empate caseiro com o Boavista, em que rodou toda a equipa, que prejudicaram o percurso do Porto, enquanto que Jesus, com mérito, sorte, ou ambos não tem vacilado. O modo como o Benfica alterna excelentes exibições caseiras com espectáculos medíocres, mas eficazes, nas deslocações, não são certamente obra do acaso.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar com o VM aqui!): Nuno Ranito

Concorda? O problema são os 25 milhões de euros que custou, por norma as equipas pagam esse tipo de valores por jogadores que marcam muitos golos, desequilibram, decidem jogos, e o médio português, que na época passada foi considerado um dos flops da Ligue 1, não tem tem esse perfil.

Jean-Luc Ettori, um histórico do Monaco, em entrevista à France Football, criticou o desempenho de João Moutinho, após a eliminação na Liga dos Campeões, frente à Juventus. Na opinião do antigo guarda-redes o internacional português é um jogador simples que não faz nada de transcendente. "Kondogbia não pode fazer tudo. Moutinho? Penso que não está à altura da sua reputação. Não traz grande coisa à equipa. Mesmo nada de especial... Não compromete mas também não faz nada de transcendente. Quando tem a bola não assusta ninguém", afirmou Ettori à "France Football".

Quase nas meias mas tiveram de suar - A noite da NBA trouxe três jogos equilibrados e emocionantes, mas que terminaram com as vitórias dos favoritos Cleveland, Chicago e Golden State, que agora comandam as suas respectivas séries por 3-0. Cleveland foi o que teve a vida mais facilitada, batendo Boston por 103-95, com James (31pt, 11rb, 4st) e Love (23pt, 6-10 de 3pt) a colmatarem a noite menos acertada de Irving. New Orleans esteve a um passo de vergar Golden State, mas desperdiçou uma vantagem de 20 pontos à entrada do último período, cedendo depois no prolongamento por 119-123. Os 40pt de Curry (incluindo um triplo, com dois defesas em cima, que levou o jogo para OT) foram decisivos na recuperação, mas o factor determinante foi Draymon Green, que conquistou importantes ressaltos ofensivos que permitiram à sua equipa segundas oportunidades no ataque. Anthony Davis teve mais uma grande noite (29pt, 15rb), ajudado por Ryan Anderson (26pt). Já Chicago venceu em Milwakee por 113-106, após 2 OT. Os Bucks falharam dois lançamentos no final do 4º período e 1º OT, e os Bulls não perdoaram no segundo prolongamento. Destaque para os 34pt de Derrick Rose, e 17pt e 14rb de Pau Gasol. Antetokounmpo (25pt) e Middleton (18pt, alguns em momentos cruciais) bem tentaram, mas a falta de experiência revelou-se fatal.

Um dos melhores ciclistas da actualidade - Alexander Kristoff prolongou o contrato que o liga à Katusha até 2016. O norueguês, que este ano se tem fartado de somar vitórias, com principal destaque para a Volta à Flandres, estava a ser muito cobiçado (é dos ciclistas da actualidade que garante mais triunfos) mas a equipa russa, que tem como um dos directores desportivos o português José Azevedo, conseguiu segurá-lo por pelo menos mais um ano. E, à partida, é o casamento perfeito. A Etixx já tem muitas figuras, a Tinkoff vai ter de confiar em Sagan, Sky (Thomas), BMC (Van Avermaet e Gilbert) e Lotto (Greipel e vários jovens a quererem se afirmar) também estão bem servidas, e sem ser a Astana, que continua numa situação delicada, nenhuma equipa lhe dava as mesmas garantias da Katusha.

Grande sorteio... para o Real Madrid. Mas este duelo entre Barcelona e Bayern de Munique tinha de ter lugar na história do futebol. Guardiola tinha de regressar a Camp Nou, onde deixou um "monstro", e merece fazê-lo com uma super-equipa. Os jogos da primeira mão são a 5 e 6 de maio e a segunda mão a 12 e 13 de maio. Sendo que muito provavelmente alguns destes semi-finalistas já vão chegar a esta fase com o campeonato "no bolso".

Quadro das meias-finais da Liga dos Campeões:
Barcelona vs Bayern Munique - Um dos confrontos da década. O futebol não podia abster-se de assistir a um confronto entre os Culés e a equipa de Guardiola e a verdade é que esta será mesmo uma das eliminatórias mais aguardadas dos últimos anos. Muitas curiosidades à volta deste embate, nomeadamente o duelo de irmãos entre Rafinha e Thiago, o regresso dos duelos de Xabi Alonso frente à intermediária Catalã (ele que nos Clássicos em Espanha até costumava sofrer), e principalmente tentar perceber como é que Pep vai limitar as acções de Messi (veremos se tem alguma fórmula mágica). Será curioso ver que, muito provavelmente, serão os Alemães a assumirem o jogo, a ter mais posse, apostando Luis Enrique em massacrar a defesa Alemã com a velocidade e capacidade ofensiva do trio Neymar-Suárez-Messi, sendo que provavelmente Pep irá tentar controlar ao máximo o jogo pela posse, evitando perdas que exponham a sua defesa.  Resta saber com que armas chegará a equipa do Allianz Arena à partida dada a onda de lesões nos Bávaros. E ter Dante na defesa pode desequilibrar este duelo.

Juventus vs Real Madrid - Não há como escamotear, o Campeão Europeu é claramente favorito. Tem maior qualidade individual e nos últimos anos tem sido presença bem mais assídua nestas andanças que a Vecchia Signora (que há 12 anos que não estava nesta fase). No entanto, desengane-se quem possa pensar que os Merengues já estão na Final. A Juventus já tem o campeonato conquistado e poderá gerir o esforço tendo em vista esta eliminatória, ao passo que para  os homens de Madrid este confronto surge entre os jogos para La Liga frente a Sevilha e Valência, algo que poderá gerar um desgaste a explorar pelos Italianos (veremos se Bale e Benzema estarão aptos, já que Modric parece afastado). Além disto, o conjunto de Allegri não tem pressão e poderá tirar proveito de algum relaxe/sentimento de superioridade do rival, apostando na grande forma de Tévez e na velocidade de Morata (de regresso a Madrid) para surpreender os Blancos. Mas não deixaria de ser uma surpresa que Cristiano Ronaldo e companhia não estivessem pelo segundo ano consecutivo na final.

Encarnados continuam sem renovar com Maxi e se o uruguaio sair vão ter de investir nesta posição. Mas, e apesar de não ser fácil encontrar um bom lateral direito, o clube da Luz tem de investir em alguém que dê mais garantias. Para fazer número, já há André Almeida.

De acordo com a imprensa alemã, o Benfica tentou contratar o lateral direito Mitchell Weiser, mas a oferta não foi suficientemente atrativa para o internacional sub-20 pela Alemanha, que está em final de contrato com o Bayern Munique. O defesa/extremo, de 21 anos, que tem sido opção para Guardiola devido às muitas baixas nos bávaros, prefere continuar na Bundesliga, sendo que o Wolfsburgo, Leverkusen, Schalke e Augsburgo estão interessados na sua contratação.

Quadro das meias-finais da Liga Europa:
Nápoles vs Dnipro - Favoritismo para os homens do especialista em eliminatórias Rafa Benítez frente a um conjunto Ucraniano que se vê pela primeira vez nestas andanças. A equipa de Bruno Gama apostará forte no talento de Konoplyanka, mas o técnico Espanhol é um duro rival a eliminar e quererá somar o seu quarto troféu Europeu, o terceiro na segunda mais importante competição de clubes da UEFA.

Sevilha vs Fiorentina - Os Andaluzes são os detentores do título e prometem causar muitas dificuldades aos Italianos, cujo estilo de posse e de assumir a iniciativa do jogo pode encaixar na perfeição no jogo do conjunto de Emery, muito experiente, maduro e letal no contra-ataque. O meio-campo Krychowiak-M´Bia tentará sempre evitar que Salah, Matías e companhia façam estragos no último terço, havendo desde já a expectativa para ver Joaquín, um símbolo do Betis, actuar no Ramnon Sanchéz Pizjuán. Para passarem, os Viola não podem mostrar-se tão perdulários como se viu, por exemplo, na última eliminatória contra o Dynamo de Kiev. Mas, até pela história nesta competição, o Sevilha tem um ligeiro favoritismo.

Ings, Nainggolan, Pedro Rodriguez, Dybala, Walcott, Falcao, Lavezzi, William Carvalho, quase todos os jogadores, que supostamente estão no mercado, estão a ser associados aos Reds. Mas para Phil Thompson, antigo jogador e treinador do clube, só com elementos como Cavani, Jackson ou Higuain será possível ter sucesso.

A imprensa inglesa tem dado conta do interesse do Liverpool em Yannick Bolasie, talentoso extremo do Crystal Palace. O "The Sun" até avançou com a noticia que os Reds estavam dispostos a oferecer 12 milhões mais o avançado Rickie Lambert para conseguir o internacional pelo Congo, mas Alan Pardew, técnico dos Eagles, que está "em grande", diz que só está disponível para vender o craque por 56 milhões de euros. "Se quiserem negociar [pelo Bolasie] só por uma verba entre os 56 e os 84 milhões de euros", disse Pardew aos jornalistas, acrescentando que: "com essa receita ia fortalecer a equipa". O treinador do Crystal Palace no entanto não fecha a porta a uma venda. "Todos os jogadores tem um preço. Quando estava no Newcastle, numa equipa que estava perto da zona de despromoção, aceitei uma proposta de 42 ME por Andy Carroll no último dia de mercado", destacou.

Os "tais" negócios com os "mais objectivos" - Neuer chegou em 2011 ao Bayern proveniente do Schalke 04 a troco de 22 milhões de euros, mas a transferência já vai nos 30 milhões. De acordo com o Bild, o sucesso do campeão alemão tem aumentando todos os anos o valor total da transferência. A título de exemplo só a vitória dos bávaros frente ao FC Porto, e o respectivo acesso às meias-finais da Champions, permitiu ao Schalke 04 encaixar mais 2 milhões de euros. Ou seja quase metade do valor que o Bayern recebeu de prémio da UEFA.

Deve ser recorde - Pela 11ª vez esta temporada o Vitória vai jogar a uma sexta-feira, abrindo assim mais uma jornada da Liga de futebol. A recepção ao Estoril já está marcada, anunciou o clube na sua página oficial, e vai acontecer uma vez mais a uma sexta-feira: 1 de Maio. Neste caso, o facto de se tratar de um dia de feriado nacional, não é tão gravoso para os adeptos que terão mais disponibilidade para se deslocaram ao estádio do Rei. A partida com os 'canarinhos' marcará o arranque da 31ª ronda do campeonato. Será a terceira vez consecutiva que o Vitória jogará a uma sexta-feira no D. Afonso Henriques. Fonte: Guimarães Digital.

23 de abril de 2015

Qual o sorteio ideal? O Mundo do Futebol merecia um Bayern-Barcelona, seja nas meias ou na final. 

Karl-Heinz Rummenigge, presidente do conselho directivo do Bayern, não tem preferência em relação ao adversário das meias-finais da Champions mas não escondeu o regozijo com a eliminação do Atlético Madrid. O antigo avançado considera que os Colchoneros jogam tudo menos futebol. «O Atlético é a equipa que menos queria defrontar. O futebol é alegria e espetáculo e isso é algo que esse clube não defende», argumentou o histórico alemão, em declarações ao diário Bild. Sobre o Barça, Juventus e Real Madrid, apenas salientou: «Não desejo um adversário em particular, mas também não me parece que alguém queira jogar contra nós a todo o custo».

Para sempre? Aos 77 anos de idade, está perto de bater a marca de Santiago Bernabéu, que comandou o Real Madrid durante 35 anos - No dia em que se assinala o 33.º aniversário da tomada de posse de Pinto da Costa, a comissão de apoio à sua recandidatura voltou a apelar a um 14.º mandato consecutivo, válido para o quadriénio 2016-2020. O próprio líder dos dragões, apesar de não confirmar que vai avançar para mais um mandato, reconheceu que ainda não pensa na reforma. "Quando uma pessoa não pretende fazer mais, seja em que profissão for, deve reformar-se. Já tenho idade para me reformar e fá-lo-ei quando não sentir vontade de fazer mais. Enquanto sentir isso, esqueço-me do bilhete de identidade e encaro o dia-a-dia como mais um dia de trabalho e em que tenho obrigação de servir o FC Porto. Enquanto sentir esse espírito, servirei sempre o FC Porto com o espírito de missão", afirmou Pinto da Costa, em declarações ao Porto Canal.

Um clássico - O Japão vai organizar este ano, entre 10 e 20 de dezembro, e em 2016 o Mundial de clubes de futebol, anunciou hoje a FIFA em comunicado. Os asiáticos já tinham recebido a prova em seis ocasiões (2005, 2006, 2007, 2008, 2011 e 2012). E quando era Taça Intercontinental foram sempre os anfitriões desde 1980.

Noite para esquecer para os portugueses (Beto esteve desastrado, Neto comprometeu e Antunes foi massacrado, embora Carriço tenha feito história, ao passar a ser o jogador com mais jogos na LE), mas ficou provado que esta é uma competição talismã para o Sevilha. Este quadro das meias-finais da LE acaba por ajudar a UEFA, que assim pode realizar um sorteio sem limitações, algo que seria complicado se o Zenit tivesse carimbado a passagem (teriam de condicionar e corriam o risco de ter um duelo entre russos e ucranianos na Polónia).

Zenit 2-2 Sevilha (Rondon 48' e Hulk 72'; Bacca g.p 6' e Gameiro 85') -  Jogo recheado de incidências e com incerteza na eliminatória até ao final. Desta feita foi a vez dos espanhóis defenderem e dos russos correrem atrás da desvantagem. O Zenit de André Villas-Boas foi eliminado da Liga Europa aos pés do Sevilha, com um empate em São Petersburgo por 2-2. Um penálti assinalado por falta do português Neto deu ainda mais vantagem aos elementos de Emery, numa péssima 1.ª parte dos russos. Os elementos de Villas-Boas regressaram com outra atitude após o intervalo e apoiados em Hulk e Danny, com uma ajuda enorme de um azarado Beto, poderiam ter operado a "remontada", mas Gameiro fechou a passagem no final. Quanto à partida, Neto entrou desastrado e proporcionou a Bacca, de penálti, colocar o Sevilha ainda mais confortável. Os elementos de AVB a partir daí tentaram reduzir a desvantagem (Danny ainda teve duas boas oportunidades), mas a equipa da casa esteve muito mal. Lentidão de processos, muita distância entre sectores e pouca capacidade para desequilibrar. Na 2.ª parte foi tudo diferente. Houve mais rapidez na circulação, mais apoios ofensivos e a reviravolta esteve perto, muito por culpa de Beto. O guardião ofereceu o empate a Rondón com uma péssima intervenção e Hulk forçou o erro do português num remate de muito longe. Os russos, após a igualdade na eliminatória, carregaram rumo à "remontada" (Hulk, Danny e Rondon estiveram perto), mas quem acabou por resolver foi Kevin Gameiro, num contra-ataque, revelando que o Sevilha tem "queda" para esta prova. Individualmente, Neto e Beto estiveram desastrados (o central tremeu muito na 1.ª parte, o guardião teve uma 2.ª parte para esquecer), enquanto que Danny e Hulk foram dos mais activos. Mbia fez uma exibição sólida, enquanto que Banega mostrou a sua classe no critério que teve ao conduzir as transições andaluzes. Carriço esteve competente e acabou por fazer história: o defesa é agora o elemento com mais jogos na LE (45 partidas), batendo Cardozo.

Fiorentina 2-0 D. Kiev (Gómez 43' e Vargas 90'+4) - Massacre total. Depois do 1-1 na primeira mão, a Fiorentina recebeu o Dínamo de Kiev no Artemio Franchi e venceu por 2-0. O encontro foi de superioridade total do conjunto viola que fez 24 remates no total, podia ter feito 6/7 golos, mas só resolveu no último minuto. Foi aproveitando o Dínamo, que ainda viu Lens ser expulsão por duplo amarelo no final da primeira parte devido a uma simulação, e apostou tudo nos últimos 5 minutos quando ainda estava 1-0. No entanto, os ucranianos acabaram o jogo com apenas com 3 remates feitos e consentiram o segundo golo já nos descontos, com um forte remate de Vargas, que tinha acabado de entrar. Joaquín e Salah (que venceu quase sempre nos duelos com Antunes) semearam o terror na defesa adversária e também eles podiam ter feito o gosto ao pé várias vezes, principalmente o egípcio que ainda acertou no poste depois de um remate desviado. Gómez foi um dos mais perdulários, mas acabou por fazer o 1.º golo da partida, numa recepção mal feita a um passe de Joaquín (a bola foi ter ao fundo da baliza), assim como Valero e Joaquín que emprestaram sempre muito critério ao meio campo, mas também podiam ter feito melhor na hora de finalizar. Na defesa, Marcos Alonso fez uma excelente partida (à semelhança do que tem acontecido este ano), até acertou com estrondo na trave no 1.º tempo, mas do outro lado, Tomovic não ofereceu tanta qualidade no processo ofensivo. Do lado do Dínamo, poucos são os destaques positivos, no entanto o guarda-redes Shovkovskiy evitou várias vezes o golo dos viola.

Nápoles 2-2 Wolfsburgo (Callejón 50' e Mertens 65'; Klose 71' e Perisic 73') - Depois dos 4-1 na Alemanha, o Nápoles recebeu, no San Paolo, o Wolfsburgo e empatou a duas bolas, garantindo assim o acesso às meias-finais. Sem Vieirinha, Knoche, De Bruyne, Schürrle e Bas Dost no 11, os alemães começaram melhor, com Caligiuri em evidência, mas nunca conseguiram ultrapassar Andújar. O tónico do primeiro tempo foi um Wolfsburgo por cima do encontro com os napolitanos a fazerem apenas 1 remate. No entanto, na segunda parte a equipa de Rafa Benítez entrou decidida a resolver a eliminatória e em duas grandes ações de Higuaín (isolou Callejón e serviu de bandeja Mertens - que só marcou na recarga), chegou ao 2-0. A resposta surgiu depois, e logo de rajada. O central Timm Klose marcou aos 71’ e Perisic (o melhor em campo), dois minutos depois, empatou a contenda. Até final, a equipa de Hecking ainda ameaçou fazer o terceiro, mas o resultado estava feito, e a eliminatória, essa, já tinha ficado resolvida na 1.ª mão.

Dnipro 1-0 Club Brugge (Shakhov 82') - Fim do sonho. O Club Brugge levava para a segunda mão a vantagem de não ter sofrido golos em casa, mas nos últimos 10 minutos sofreu o golo que os tirou fora da competição. O triunfo dos ucranianos é mais do que justo, os belgas quase não criaram oportunidades (muito por culpa do duplo pivot do Dnipro), mas a equipa de Bruno Gama (que entrou nos descontos) precisa de apresentar muito mais para ter alguma hipótese nas meias finais. Mesmo jogando em casa, não dominaram o suficiente e tiveram de sofrer para se apurarem. Rotan encheu o meio campo e ainda assistiu, Shakhov entrou a tempo de decidir o encontro, mas na falta de Konoplyanka, que hoje esteve pouco inspirado, foi Luchkevich a desequilibrar na frente.