24 de julho de 2016

A saída é inevitável? O colombiano nunca demonstrou grande compromisso com o Sporting e nem se inibe de dizer publicamente que pretende deixar os leões.

O Rosario Central está tentar garantir o empréstimo de Teo Gutierrez por uma época. A ideia do clube argentino é pagar um milhão de euros pela cedência. Em junho do próximo ano, caso o Rosario pretenda adquirir em definitivo o passe do colombiano, pagará uma verba a rondar os cinco milhões. Foi o próprio empresário do colombiano a dar conta das negociações. "De momento estão a tentar chegar a um ponto de encontro. As negociações estão muito adiantadas, tanto de clube a clube, como do clube como para o jogador em termos de contrato. Estou otimista em que, nos próximos dias, possamos ter novidades", admitiu Alberto Fochi Moreno, em declarações à rádio Closs Continental. O "problema", segundo escrevem na Argentina, é a vontade de Teo de ingressar antes no River Plate, o que bloquear o seu ingresso no Rosario,

Chegou a ser falado para o Sporting quando saiu da Holanda e, neste defeso, foi fortemente pretendido pelo Valência, mas irá permanecer na Bundesliga. Investimento forte do Hamburgo, que quererá melhorar os desempenhos das últimas temporadas, num extremo irreverente, com um grande pé esquerdo e muita capacidade no cruzamento e nas bolas paradas. 

O Hamburgo garantiu a aquisição de Filip Kostic ao despromovido Estugarda, pela quantia de 15 milhões de euros. O extremo de 23 anos, que na última temporada fez 5 golos e 8 assistências, junta-se a Halilovic, Luca Waldschmidt e Bobby Wood nas novas caras do clube.

A França venceu pela 8.ª vez o Europeu sub-19 ao golear na final a Itália, por 4-0. Os gauleses, que estão agora apenas a 2 triunfos da recordista Espanha, entraram na partida praticamente a ganhar, com um golaço de Augustin, e aos 19 minutos já venciam por 2-0 (Blas apontou o 2.º). Tousart, aos 82 minutos, e Diop, já nos descontos, fizeram o resultado final.
Notas do VM:
- Chegaram à final a equipa que melhor ataca (França) e a que melhor defende (Itália), no entanto, a superioridade dos franceses foi clara, aliás apesar de terem perdido o 1.º jogo contra a Inglaterra logo aí (acabou o jogo por cima) demonstraram que eram o alvo a abater. Equipa com muita qualidade individual na frente;
- No aspecto individual também ficou a ideia que, apesar da Itália ter chegado à final, além da França os conjuntos que apresentaram mais nomes para o futuro foram a Inglaterra (2.ª equipa mais forte do torneio, mesmo não tendo contado com Rashford) e Portugal (Pedro Silva, os laterais Dalot e Yuri Ribeiro, os centrais Rúben Dias e Francisco Ferreira e os médios Pedro Rodrigues e João Carvalho devem marcar presença de maneira assídua na selecção pelo menos até aos sub-21);
MVP - Augustin foi o melhor marcador da prova, com 6 golos, mas o principal acabou por ser Mbappé. Os 2 contribuíram directamente para 11 golos, tendo ainda desequilibrado os adversários pela sua velocidade, potência e qualidade técnica). No entanto, o craque do Mónaco mostrou ser mais decisivo que Augustin, contribuído mais ao nível da criação (o avançado do PSG destacou-se mais na finalização), sendo um autêntico quebra-cabeças para os adversários (Dalot que o diga). E esta performance é ainda mais impressionante, não fosse o pupilo de Jardim ter apenas 17 anos (nasceu em Dezembro de 98). Limando algumas arestas ao nível do entendimento do jogo colectivo o jovem tem tudo para se afirmar a curto prazo, veremos se já em 2016-17 (apesar da idade já conta com alguns jogos pela equipa principal dos monegascos.
Melhor XI - Meret (Itália), Michelin (França), Romagna (Itália), Francisco Ferreira (Portugal), DiMarco (Itália), Pedro Rodrigues (Portugal), Harit (França), Henrichs (Alemanha), Mbappé (França, Augustin (França) e Brown (Inglaterra)

Grande reforço para os laziale, que parecem decididos a voltar aos lugares cimeiros depois de uma época menos positiva. Immobile é indiscutivelmente um excelente avançado, apesar de não ter estado brilhante nos anos anteriores, e tem aqui uma boa oportunidade para regressar ao nível que exibiu no Torino. 

Ciro Immobile é reforço da Lazio. O internacional italiano, que nas últimas épocas esteve no Dortmund e Torino chega ao emblema da capital italiana proveniente do Sevilha a troco de 8,5 milhões de euros. O avançado, de 26 anos, foi o melhor marcador da Série A em 2013-14.

Vai igualar Merckx ou Indurain?

Terminou hoje o Tour 2016, que consagrou pelo 2.º ano consecutivo Chris Froome como o rei do ciclismo mundial em provas de 3 semanas. Numa Grande Boucle morna, pouco frenética e acima de tudo previsível o britânico, apoiado por uma super-Sky (Poels esteve em destaque), venceu pela 3.ª vez a classificação geral, ultrapassando assim as duas vitórias de Contador e juntando o seu nome ao de Greg LeMond, Bobet e Thys (só Anquetil, Merckx, Hinault e Indurain, todos com 5, tem mais). Volta a França também histórica para Peter Sagan, que venceu pela 5.ª vez consecutiva a camisola verde e ficou apenas a um triunfo na classificação por pontos de igualar Erik Zabel. Aliás a Tinkoff acabou por ter uma prova em cheio, mesmo perdendo Contador logo abrir, juntando à camisola verde e 3 etapas do campeão do Mundo a da classificação da montanha por Rafal Majka e o top 10 de Roman Kreuziger. Dada a relativa previsibilidade dos ciclistas a quem a corrida francesa sorriu este ano, a maior surpresa acabou por ser o domínio espetacular de Mark Cavendish nos sprints. O britânico, descartado do trono de melhor sprinter do mundo desde a afirmação de Marcel Kittel, viu a sua decisão de dividir-se entre a sua carreira na estrada e o projeto olímpico no ciclismo de pista ser interpretada como uma espécie de desistência de reconquistar o estatuto que não exibia há já alguns anos. Pois, nada mais falso, e o britânico surgiu neste Tour a um nível elevadíssimo contra um Kittel e um Greipel (apesar da vitória, no último dia, nos Campos Elísios) que, esses sim, não demonstraram o à vontade de outras lutas. 4 etapas conquistadas é um excelente número, e Cav atinge em 2016 a marca das 30 etapas conquistadas em edições da Volta a França, apenas a 4 do recorde de Eddie Merckx. Já Tom Dumoulin foi outra das grandes figuras deste Tour vencendo duas etapas antes de ter de abandonar com um braço fraturado que o pode afastar do seu grande objetivo da época, o ouro na competição de contrarrelógio dos JO. Romain Bardet aproveitou a desilusão com a corrida de Nairo Quintana e Fabio Aru, os candidatos ao pódio depois do abandono de Contador, para conquistar uma classificação brilhante, o 2.º lugar, repetindo a façanha de J-C. Péraud em 2014 para a AG2R. De facto, Nairo Quintana exibiu-se muito longe do potencial do seu potentíssimo motor diesel, ousando apenas na etapa do Mont Ventoux, e com mau resultado, ultrapassar a barreira de esforço praticada pelo comboio da Sky, e Fabio Aru mostrou-se muito inconsistente nesta estreia na Grand Boucle, ficando mesmo fora do top 10 da Geral apesar de a Astana apresentar um conjunto quase do nível da Sky. Já Adam Yates (vencedor da camisola da juventude) acabou por dar algum alento em relação ao futuro do ciclismo, com o seu 4.º lugar, numa fase em que alguns dos principais protagonistas, como Contador, Purito ou Valverde estão a dar as últimas. Também Louis Meintjes, o 1.º africano no top 10, confirmou que é um talento a seguir. No que respeita aos portugueses, Rui Costa e Nélson Oliveira mostraram-se ativos mas com balanços diferentes. Costa acabou por falhar no grande objectivo de ganhar uma etapa - muito dificilmente alguém dá um palmo neste contexto, o que dificultou a missão do poveiro na medida em que também não havia neste Tour as etapas de transição de média montanha onde ele é mais forte. Já Oliveira com o 3.º lugar no CR da etapa 13, só batido por Dumoulin e Froome, deixou excelentes indicações para os JO.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar no VM aqui!): Luís Oliveira

Wolfsburg 0-2 Benfica (Mitroglou 63' e Jonas 90'+1)

O Benfica saiu por cima no teste mais complicado que teve até ao momento nesta pré-época, com uma vitória frente ao Wolfsburgo que até peca por escassa tal foi a superioridade. Perante um adversário que esteve nos quartos-de-final da Champions, os encarnados deixaram já, ao nível da pressão, capacidade de encurtar o campo, e velocidade no momento ofensivo, boas indicações, num jogo que fica marcado pelo regresso à competição de Júlio César, que não jogava desde 29 de Fevereiro. Guedes ganhou pontos a jogar a 2.º avançado, Grimaldo e Horta também se destacaram, Salvio voltou a entrar bem na 2.ª parte, e tanto Fejsa (encheu o campo) como Jardel parecem nem ter tido férias, tal é o nível competitivo que já apresentam.

No que respeita ao encontro, os encarnados iniciaram a partida a grande velocidade, com muita mobilidade na frente de ataque e já com um nível de entrosamento defensivo bastante considerável para esta para esta fase da temporada. O Wolfsburgo só por uma vez conseguiu criar perigo junto de Paulo Lopes, ainda nos primeiros 10 minutos, mas o guardião respondeu a grande nível. A partir de então o comando das operações esteve do lado do Benfica e foi com alguma naturalidade que surgiram algumas situações de perigo, ambas por Mitroglou (Guedes criou bastante) que Benaglio travou com várias defesas apertadas. A 2.ª parte, que teve como destaque a entrada de Júlio César no lugar de Paulo Lopes, começou logo com uma grande iniciativa de Salvio mas Mitroglou não conseguiu finalizar. O Benfica estava melhor e Mitroglou, que só teve de encostar, depois de uma assistência de Guedes, fez o 1-0 (Horta iniciou o lance com um grande passe). Até final as águias continuam a dominar, Grimaldo e Salvio deram espectáculo em acções individuais, mas só nos descontos voltaram a marcar, com Jonas a facturar numa recarga depois de ter oferecido o golo a Jiménez.

Benfica - Naquele que foi o mais duro teste da pré-época a resposta dos encarnados não podia ter sido melhor. Rui Vitória voltou a dar minutos na posição 8 a André Horta, deu continuidade a Guedes como segundo avançado, tendo voltado a rodar vários elementos com o decorrer da partida. As principais notas colectivas do jogo vão para a qualidade defensiva demonstrada em toda a partida (Paulo Lopes raramente foi chamado a intervir, Júlio César ainda menos), com uma grande coordenação da última linha (os homens do Wolfsburgo foram quase sempre apanhados na armadilha do fora de jogo) que beneficia ainda do efeito multiplicador de Fejsa que cobre uma grande área do terreno com uma disponibilidade física anormal. Os avançados são também importantes na organização, algo que é mais visível com Guedes na posição, ele que é bastante empenhado nessas tarefas e agressivo na pressão (já o mostrava na temporada passada embora noutra posição). Ofensivamente, e hoje com um lateral direito menos propenso ao ataque, a equipa não se ressentiu e viveu da enorme mobilidade de Guedes, Cervi e Pizzi, para além da qualidade técnica de Horta (vários passes de grande qualidade) e da profundidade oferecida por Grimaldo. Sendo assim, a nível individual, os maiores destaques vão para Fejsa (o melhor em campo, absolutamente decisivo na posição 6) e Jardel (o patrão da defesa e com as suas capacidades intactas ao nível da velocidade e agilidade), havendo ainda Guedes a grande nível, Grimaldo a ganhar pontos e Horta com uma exibição bem melhor do que no último jogo frente ao Sheffield.

Imagem: Squawka
Chega para dar luta ao Bayern? O vice-campeão da Bundesliga, que perdeu Hummels, Gundogan e  Mkhitaryan neste Defeso, contratou Ousmane Dembele, Merino, Marc Bartra, Raphaël Guerreiro, Sebastian Rode, Enre Mor, André Schürrle e Mario Götze.

O Borussia Dortmund deu por terminado o mercado no que diz respeito às entradas. Depois de ter investido 120 milhões na contratação de 8 jogadores, o vice-campeão da Bundesliga, apesar de ainda faltar mais de 1 mês para terminar o Defeso, de acordo com o presidente Hans-Joachim Watzke tem o plantel fechado. "Não haverá mais reforços até ao fim da janela de mercado, ao nível das entradas podemos dizer que o plantel está fechado. Temos muitos jogadores neste momento", disse o dirigente do Dortmund.

Já tinha trabalhado com Brendan Rodgers em Liverpool - Kolo Touré é oficialmente reforço do Celtic, tendo assinado por uma temporada. O costa-marfinense estava tapado nos Reds e, após não renovar contrato, optou por prosseguir a carreira na Escócia, tendo manifestado o seu contentamento por voltar a encontrar um técnico que bem conhece.

Imagem: Mundo Deportivo
À partida será mais um passeio interno, mas este ano só será bem sucedido se houver outra capacidade de conseguir resultados europeus. O plantel é um luxo, os reforços são os que Emery pediu e o PSG parece mesmo candidato, apesar da saída de Ibra, que algum dia teria de acontecer e que dará finalmente outro protagonismo a Cavani. É de realçar a estabilidade que os parisienses têm conseguido nos últimos anos, mantendo a maioria das peças fulcrais e adicionando qualidade. Emery ainda quererá duas aquisições, uma para o meio campo e outra para o ataque, sendo que caso Lacazette chegue ao Parque dos Príncipes o fosso para o rival vai certamente aumentar. Até ao fecho do mercado será também importante perceber se nomes como Pastore ou Lucas não vão sair, já que nem sempre têm tido os minutos de jogo e o protagonismo que a sua qualidade mereceria. Matuidi, por outros motivos, também não tem permanência garantida. 

O Mundo Deportivo desenhou um esboço do plantel que o PSG terá na época que se avizinha, sendo que a saída de Ibra e a chegada de Meunier, Krychowiak e Ben Arfa são, para já, os principais destaques. Os franceses, que terão Unay Emery como substituto de Laurent Blanc no banco, partem com os objectivos de sempre, sendo que elevar o nível na Liga dos Campeões é obrigatório. Ainda se esperam mexidas, tanto a nível de saídas como de entradas. Weigl e Lacazette ou Lucas Pérez são os alvos dos campeões franceses.

Boa opção para o ex-Sporting? A chegada ao PSV poderia dar finalmente condições para a explosão do extremo, que, apesar de bons momentos no Gala e na Real Sociedad, ainda não atingiu a consistência necessária para justificar o que prometeu (esperava-se que já estivesse noutro patamar). Num campeonato como holandês, as suas características facilmente podiam sobressair. 

Bruma tem brilhado na pré-época do Galatasaray, mas vê com bons olhos uma possível saída do emblema de Istambul. De acordo com a imprensa turca, o PSV Eindhoven ofereceu 8 milhões para contratar o extremo, mas o Gala não está satisfeito e vai tentando evitar a saída do português, que já manifestou vontade de rumar a outras paragens. "O PSV é uma oportunidade muito boa para mim", disse Bruma, em declarações ao AMK Spor. Acrescentando que a instabilidade que se vive no país, motivou a sua decisão de sair.

Hamilton conquista quinta vitória na Hungria, passa Schumacher historicamente e já é líder na geral (192 contra 186) -
Ao fim de 11 corridas, o campeão Lewis Hamilton, em Mercedes, finalmente assumiu o primeiro lugar do Mundial ao vencer o GP da Hungria em F1. O britânico ultrapassou Rosberg logo na partida e conquistou uma vitória categórica em mais uma dobradinha para a Mercedes. Daniel Ricciardo, em Red Bull, fechou o pódio. 

Principal candidato à conquista da Premier League? Os Citizens já tinham o melhor plantel, agora tem igualmente o melhor treinador, mas estão a ver os rivais a investir de maneira estratosférica.

Fabian Delph, jogador Manchester City, parece maravilhado com Pep Guardiola. O internacional inglês, de 26 anos, foi orientado por Martin O’Neil, Paul Lambert ou Manuel Pellegrini, mas, numa entrevista à BBC, não fez por menos e disse que: "aprendi mais em 3 semanas com Guardiola do em em toda a minha carreira". "Está a ser incrível. A forma como quer jogar, simplifica as coisas, é brutal", disse o ex-Aston Villa sobre Pep. Acrescentando que: "Tem sido fantástico desde o 1.º dia. Os sistemas que pretende adoptar são inimagináveis. A intensidade que trouxe ao grupo é aterradora. Quer que continuemos a ser uma equipa ofensiva, mas está a ensinar-nos como devemos responder no momento defensivo", rematou.

Concorda?

José Mourinho, numa entrevista ao Expresso, abordou as criticas ao estilo de jogo da Seleção Nacional no decorrer do Euro'2016, preferindo destacar a forma pragmática como Fernando Santos encarou a competição, montando uma equipa compacta em torno de Cristiano Ronaldo. Um elogio que trouxe também uma observação crítica ao capitão da selecção, que acabou por estar na origem desta transformação da postura de Portugal, devido ao seu menor compromisso defensivo. "O sistema foi feito um bocadinho a pensar que ele ia ser mais um atacante, e um atacante central, do que um jogador de corredor. O treinador decidiu que Portugal ia jogar com praticamente duas linhas de quatro, deixando o Ronaldo numa posição mais central, não o tentando trazer para missões defensivas, que muitas vezes não são do seu agrado", disse o treinador do Man Utd. "Sou um pragmático e estou habituado a criticas como essas [feitas ao estilo de jogo de Portugal]. Nos últimos anos entrou-se numa dinâmica onde se confunde uma equipa defensiva e defender bem. Equipas defensivas e que sofrem golos e uma equipa que não é muito defensiva, mas que defende bem", reforçou o Special One.

Ficou tapado com a aquisição de Digne - O Besiktas comunicou que está a fechar a contratação do lateral esquerdo Adriano, que estava no Barcelona. O brasileiro, de 31 anos, que foi dado como certo em várias equipas italianas, vai vincular-se ao campeão turco por duas ou três temporadas a troco de 2,4 milhões de euros por ano.


23 de julho de 2016

Não têm lugar no elenco portista? O holandês, que até chegou a ser capitão dos portistas, custou 8 milhões de euros mas nunca demonstrou ser uma mais-valia; já o médio ofensivo, que obrigou a um investimento superior a 10 ME, tem talento para fazer a diferença mas não apresenta o nível competitivo necessário. 

Nuno Espírito deu hoje a entender, depois da vitória do FC Porto na  Fox Sports Cup, que o central Martins Indi e o médio Juan Quintero não vão integrar o elenco azul e branco na próxima época. "Faz tudo parte do processo. São opções e decisões que temos de tomar", respondeu, quando questionado sobre a ausência do duo nos jogos de preparação.

Em Espanha admitem que poderá estar parado até aos jogos de qualificação para o Mundia'2018 em Setembro - Cristiano Ronaldo confirmou hoje que não estar presente na Supertaça Europeia frente ao Sevilha. «Estou a recuperar bem mas é uma lesão importante. Espero voltar o mais depressa possível. Mas não vou conseguir jogar a Supertaça Europeia. Isso está descartado», disse o avançado, que só deve voltar ao Real a 10 de Agosto um dia depois do embate entre os merengues e o vencedor da Liga Europa. Sobre a época e corrida à Bola de Ouro, admitiu que está bem colocado. «Foi a melhor e mais importante época da minha carreira. Mas a Bola de Ouro não depende de mim. Como já disse muitas vezes, os troféus individuais vêm sempre de uma forma natural. Não estou obcecado com isso. Sei que estou bem colocado depois de ganhar a Liga dos Campeões e o Europeu, o que também é importante.»


Lucescu entra a ganhar na Rússia - Na Supertaça da Rússia, o Zenit levou a melhor sobre o campeão CSKA de Moscovo, vencedo por 1-0. Maurício, que poderá aproveitar a provável saída de Witsel para se afirmar definitivamente, fez o único golo do encontro aos 22 minutos, respondendo da melhor maneira a um cruzamento de Smolnikov. Quanto ao encontro, o Zenit foi sempre uma equipa mais consistente (Javi Garcia e Maurício muito fortes à frente da defesa), sendo que a visão de Shatov e a capacidade física de Dzyuba causaram problemas aos moscovitas. Neto cumpriu os 90 minutos, mas teve alguns problemas com Lacina Traoré, um avançado que tem a missão de fazer esquecer Doumbia e Musa e que foi a unidade em maior destaque no conjunto de Slutsky.

Ainda só tem 19 anos mas já vai para a 4.ª época como profissional - O jovem avançado Enes Ünal foi emprestado pelo Man City ao Twente até final da época. O já internacional AA pela Turquia, que se destacou no Bursaspor, vai para o 3.º empréstimo seguido, depois de ter sido colocado pelos Citizens no Genk e NAC Breda.

Que reforços necessita o clube leonino? Esta posição de JJ, que é esperada tendo em conta o pouco nível que o elenco leonino apresentou, contraria a posição que vinha a ser assumida por Bruno de Carvalho. Por outro lado, se chegarem mais jogadores é natural que alguns elementos que eram dados como certos no plantel sejam dispensados.

Jorge Jesus assumiu, no final da derrota frente ao Lyon, que o emblema de Alvalade está no mercado e vai juntar mais alguns jogadores ao plantel, tendo mesmo dito que: "Como é óbvio, o Sporting do ano passado não é este Sporting. Do onze que tenho na cabeça, jogou um ou dois". Questionado se um dos reforços será Van Persie, do Fenerbahçe, o técnico leonino admitiu que gostava de contar com o internacional holandês mas que é um nome irreal já que aufere um salário que "obrigava a vender o estádio". "O Van Persie interessa a qualquer equipa, claro. Agora, eu também queria o Messi… se soubessem o que o Van Persie ganha num ano… É um sonho impossível para o Sporting e para muitas equipas", disse o técnico leonino, acrescentando: "Se gostava de o ter? Claro, mas para isso o Sporting tinha de vender o estádio. Estamos a brincar ou quê".

Imagem: Facebook Sporting
Sporting 0-1 Lyon (Lacazette 53')

Uma pré-época de derrotas frente a equipas de Champions. Depois de desaires frente ao PSV e Zenit o Sporting foi derrotado no jogo de apresentação aos sócios pelo Lyon. Um resultado que traduz o que foi o encontro, com o conjunto gaulês a demonstrar mais qualidade de jogo (o meio campo fez a diferença) e a nível individual. Os leões ainda tentaram equilibrar, tiveram mesmo lances para empatar, principalmente depois da entrada de Slimani, que fez dupla com Podence, mas as melhores oportunidades foram do vice-campeão francês. Mesmo assim foi notório que o conjunto de Jesus, que alinhou com Azbe Jug, Schelotto, Semedo, Coates, Zeegelaar, Petrovic, Bryan Ruiz, Gelson, Bruno César, Alan Ruiz e Barcos, esteve melhor defensivamente tendo como comparação os últimos jogos.

Em relação ao jogo, o Lyon entrou melhor na partida, fazendo uso da sua elevada qualidade na circulação de bola. No entanto, as duas primeiras ocasiões de perigo pertenceram aos leões. Barcos esteve perto de facturar o seu primeiro golo em Alvalade aos 8 minutos, mas acertou no poste, enquanto que pouco depois, Schelotto, após dominar bem um passe de Bruno César, entrou na área e viu Gorgelin negar-lhe o golo. O Lyon continuava a dominar o encontro, sendo que Gonalons testou a atenção de Jug num remate de meia distância (o esloveno agarrou à segunda). Os leões tentavam equilibrar a partida, mas, apesar do tiro de Alan Ruiz ter passado perto do poste direito, foi Lacazette a contar com a melhor oportunidade até ao final do primeiro tempo, tendo cabeceado ao lado, no coração da área, uma bola proveniente de um cruzamento de Rafael. No 2.º tempo, Jorge Jesus lançou Rui Patrício, Palhinha e Podence, mas, apesar da primeira oportunidade ter pertencido a Alan Ruiz (remate ao lado, depois de boa combinação com Podence), foi o Lyon a marcar. Rafael fugiu à marcação de Semedo e voltou a cruzar bem para a cabeça de Lacazette, que desta vez não perdoou. O Sporting acusou o golo e Fekir e o mesmo Lacazette estiveram perto do 2-0. As alterações sucederam-se e Naldo teve na cabeça a oportunidade de igualar a partida num livre lateral (excelente execução de Iuri), mas acertou no poste. Até final as equipas partiram-se e os leões tentaram o empate, mas raramente executaram bem no último terço.

Sporting - Na primeira partida em Alvalade, os leões melhoraram em relação aos desafios anteriores de pré-temporada, mas voltaram a conceder muitas oportunidades ao adversário e tiveram dificuldades em lidar com a elevada qualidade na circulação de bola do Lyon. Individualmente, os guarda-redes não tiveram muito trabalho; os centrais estiveram a um melhor nível, mas nunca lidaram bem com as movimentações do Lacazette; Schelotto foi a melhor unidade da defesa, oferecendo grande profundidade e estando muito comprometido defensivamente mesmo em inferioridade física, enquanto que Zeegelaar, João Pereira e Jefferson voltaram a revelar as suas limitações. No meio-campo, Petrovic e Palhinha revelaram alguma lentidão e Bryan Ruiz a 8, apesar da qualidade que oferece na saida de bola, não consegue pressionar com efectividade. Nos flancos, Bruno César e Gelson apresentaram qualidade a espaços, enquanto que Matheus e Iuri executaram quase sempre mal. Na frente, Podence (acrescenta criatividade) e Alan Ruiz foram duas das unidades mais esclarecidas, embora o argentino demore a decidir algumas vezes. Por fim, Barcos atirou ao poste, mas fez muitos passes errados e deu-se muito à marcação, enquanto que Slimani, apesar de só ter jogado cerca de meia hora e de ainda não estar no seu máximo a nível físico, deu trabalho aos defesas franceses.

Lyon - Muita capacidade na circulação de bola, pressão intensa sobre o portador de bola adversário, muitas trocas posicionais e qualidade no aproveitamento do espaço nas costas da defensiva contrária. Gonalons e Darder dão muita qualidade de passe ao meio-campo, Fekir e Lacazette desequilibraram com facilidade, enquanto que os laterais criaram muitos problemas no último terço de terreno (Rafael muito forte no cruzamento). 

A ausência de João Mário foi o principal destaque na apresentação do plantel às ordens de Jorge Jesus aos adeptos do Sporting. Ao contrário de William, Adrien e Rui Patrício o 10 de Portugal não marcou presença na cerimónia que serviu para apresentar os jogadores aos sócios leoninos, apesar do seu nome ter sido anunciado. Já Ewerton, Iuri Medeiros e Palhinha, contrariando o que foi apontado por alguma comunicação social, marcaram presença.

O presidente da República não vai ter mãos a medir para tantas condecorações - A dupla portuguesa constituída pelos irmãos Pedro e Diogo Costa sagrou-se este campeã do Mundo de vela na classe de 420, na competição realizada em San Remo, Itália. Uma vitória alcançada na última regata, depois de ontem terem subido ao segundo lugar, atrás de uma dupla francesa.

Vitesse 1 - 2 Porto (Lewis 17'; Corona 79' e André Silva g.p 83')

No 3.º jogo de pré-temporada, o segundo em território Holandês, os dragões conseguiram bater o Vitesse por 1-2, depois de um início de jogo pouco prometedor. Os erros defensivos individuais e colectivos marcaram uma exibição enfadonha e que só depois da entrada de vários elementos ganhou algum fôlego. A última meia hora da partida acabou por ser decisiva, com Corona, André Silva, João Carlos Teixeira, Bueno, Otávio e Herrera a trazerem outra dinâmica, presença na área e agressividade no último terço. NES alinhou com Casillas, Varela, Chidozie, Reyes e Layún; Rúben Neves, André André e Josué; Hernâni, Brahimi e Aboubakar e os principais destaques individuais estiveram em Corona, André Silva e Bueno, ao passo que a dupla de centrais desiludiu (Chidozie acumulou vários erros de posicionamento) e o guardião Espanhol não transmitiu segurança no momento de sair dos postes.

Quanto ao encontro, os portistas voltaram a dar uma pobre imagem, desta vez sem o domínio territorial que mostraram frente ao PSV. A equipa mostrou limitações sem bola e o Vitesse aproveitou para se adiantar na partida logo aos 17', depois de Lewis aproveitar o espaço concedido pela última linha dos dragões, em face de uma entrada fora de tempo de Chidozie. Até ao final da primeira parte o melhor lance acabou por resultar num pedido de grande penalidade de Aboubakar, ele que tentou finalizar a melhor jogada do Porto nos primeiros 45 minutos. E se no segundo tempo a bola esteve do lado dos azuis e brancos, o mesmo não se pode dizer daquilo que foi feito na fase de criação. As melhores oportunidades estiveram do lado da equipa da casa, inclusive uma bola na trave, a segunda (após um mau controlo de cruzamento de Casillas), e as melhores oportunidades surgiram de remates exteriores de Brahimi ou Varela. Até final da partida, e já num contexto de várias alterações, Corona apontou o golo da igualdade na sequência de uma segunda bola que surgiu após um pontapé de canto. Os dragões continuaram a perseguir a vitória e viriam a ser recompensados com uma grande penalidade, já nos últimos 10 minutos, exemplarmente convertida por André Silva que selou o resultado final.

FC Porto - Em mais um jogo no ritmo de pré-época, os dragões mostraram duas caras, uma com o 11 inicial e outra já depois das várias alterações que Nuno promoveu. Ainda assim, é preocupante o estado em que a equipa se encontra, levando em linha de conta o facto de começar a temporada mais cedo em virtude da importante eliminatória que terá para a liga dos campeões. Colectivamente, o alarme soa na ligação entre sectores que não é visível, o que expõe em demasia um quarteto defensivo que por si só está debilitado individualmente e com demasiada instabilidade. Resultado disso foi a má exibição da dupla de centrais com Chidozie em evidência negativa, ligado ao golo do Vitesse, para além de ter abordagens demasiado infantis neste contexto. Para além do Nigeriano, Varela não convence a lateral (parece apenas um remendo nesta fase), Layún não esteve ao nível habitual e, no meio campo, todos os elementos acabaram por não ter um impacto positivo no jogo. Com a entrada de Bueno as melhorias foram notórias, aproximando-se mais de Aboubakar e ajudando a ligar a equipa por via da sua colocação entre-linhas, o que aliado a João Carlos, Corona e Otávio permitiu um jogo completamente diferente daquele que se viu numa primeira fase. Por fim, destaque negativo para Casillas que somou indecisões na saída a cruzamentos e custou alguns calafrios.

Vitória que limpa um pouco a imagem da Movistar, numa etapa onde se esperavam muitas movimentações, algo que não se veio a concretizar - Na 20ª etapa do Tour, Ion Izaguirre (Movistar) venceu na chegada a Morzine-Avoriaz e garantiu o primeiro triunfo da equipa na prova, bem como o primeiro de um espanhol nesta edição, chegando isolado à meta depois de uma excelente descida. Atrás de si chegaram Jarlinson Pantano (IAM) e Nibali (Astana), que faziam igualmente parte da fuga que animou a jornada. Na geral, a Sky controlou completamente as operações (Nieve e Poels nem entraram ao trabalho) e como tal Froome segurou o 1º posto sem incidentes. Rodríguez (Katusha) foi o único a mexer, ascendendo ao top-10 (é 7º na geral individual), enquanto que Kreuziger (Tinkoff), que também esteve na fuga, carimbou presença no 10º lugar, beneficiando da quebra de Bauke Mollema (Trek). Já Aru voltou igualmente a ceder, de nada valendo o trabalho da Astana na etapa, enquanto que Sagan foi eleito o ciclista mais combativo desta edição.

Vai ser difícil superar os 36 golos de Higuain mas o colombiano já provou que consegue atingir bons números e numa equipa como o Nápoles, muito forte ofensivamente, tem condições para ter sucesso. Bacca não tem a mesma qualidade de Pipita, mas não há dúvidas de que é um excelente avançado e tendo em conta as limitações do clube do sul de Itália (não tem capacidade para dar 50 ou 60 milhões por jogadores de topo) acaba por ser uma escolha acertada.

Está escolhido o sucessor de Higuain. O argentino está cada vez mais perto de reforçar a Juventus e Carlos Bacca é o eleito para substituir o Pipita. O Nápoles já fez uma proposta ao Milan de 20 milhões e o passe de El Kaddouri mas os rossoneri só aceitam vender o avançado colombiano de 29 anos por 30 milhões de euros. 


São conhecidas as boas relações entre os clubes - O Atlético de Madrid contratou o jovem guardião Axel Werner ao Atlético Rafaela, mas o jogador vai estrear-se na Europa ao serviço do Rio Ave. O argentino de 20 anos, que vai custar cerca de 1 milhão de euros, será emprestado aos vilacondenses por uma temporada.

Mais um lugar preenchido, sendo que estava escrito que o escocês mais dia menos dia iria regressar à Premier League. Todavia há ainda uma vaga no campeonato inglês, depois da saída de Steve Bruce do Hull. Posição que pode ser ocupada por Ryan Giggs.

David Moyes é o novo treinador do Sunderland, tendo assinado um contrato até 2020. O escocês, de 53 anos, que já orientou o Everton e Man Utd, substituiu no cargo Sam Allardyce, que assumiu a selecção inglesa. Moyes estava sem treinar desde que foi despedido em Novembro pela Real Sociedad.

Boa aposta? Com a chegada de André Gomes, que também era pretendido pela Juve, e Denis Suarez, e o regresso de Rafinha, é natural que ou Arda ou o croata deixem os blaugrana - Com a possível saída de Paul Pogba, a Juventus virou atenções para Ivan Rakitic, procurando aproveitar a maior concorrência que o croata enfrentará em Barcelona. Após ter chegado à Cidade Condal em 2014 por 20 milhões de euros, o médio de 28 anos tem sido peça chave no meio-campo blaugrana nas últimas duas temporadas, tendo uma cláusula fixada nos 100 milhões de euros. Deste modo, apesar do assédio da Vecchia Signora será sempre necessária uma elevada quantia para o antigo centrocampista do Sevilha abandonar Camp Nou, até porque desmentiu recentemente a vontade de abandonar o clube. 

Vem de uma grande época nos juniores e até estava a ser apontado como o sucessor de Diogo Jota; Os pacenses também já tinham "perdido" Edu Pinheiro para o Sporting, o que valoriza o bom trabalho da formação da Capital do Móvel.

Raúl Soares vai jogar até final da época no FC Porto cedido pelo FC Pacos de Ferreira, ficando os dragões com opção de compra do passe do atleta. O jovem extremo, de 18 anos, que irá actuar pela equipa B portista, na última época apontou 16 golos em 30 jogos pelos juniores. 

Qual o clube ideal para o ex-Benfica? O belga, que quando estava na Luz chegou a ser apontado ao Real Madrid e mostrava ter condições para ser figura numa equipa de topo, parece ter estagnado - Mircea Lucescu, o novo treinador do Zenit, revelou que Axel Witsel pediu para sair do clube. O técnico adiantou ainda que o emblema de São Petersburgo tem 4 propostas pelo médio, duas de Itália e duas da Premier League. Witsel, de 27 anos, que só tem contrato até 2017, está na Rússia há 4 anos, depois de ter saído do Benfica em 2012 a troco de 40 milhões de euros.

Na época passada fez 11 jogos com Van Gaal - O lateral direito Guillermo Varela vai jogar até final da época no Eintracht Frankfurt por empréstimo do Man Utd. Além do uruguaio o emblema da Bundesliga já tinha garantido Jesús Vallejo, Omar Mascarell, Branimir Hrgota e Ante Rebic.

22 de julho de 2016

O Defeso para o Sporting parece ainda só ir a meio, sendo natural que ainda venham a sair alguns elementos, visto que a pré-época destapou algumas das principais fragilidades do plantel. Chegaram Spalvis (que irá parar agora 6 meses), Petrovic e Alan Ruiz, Podence subiu à equipa principal e alguns elementos que estavam emprestados (Iuri Medeiros, Palhinha  e Wallyson) regressaram à casa mãe. No entanto, as primeiras partidas particulares revelaram que o elenco à disposição de Jorge Jesus ainda é curto para os objectivos elencados para a nova época. Além da conquista do título ser a missão principal dos verde e brancos, é necessário contar com a presença na Liga dos Campeões (além das Taças), algo que obrigará a um esforço consideravelmente superior em relação ao ano transacto. Desse modo, o VM apresenta algumas opções que poderiam ajudar a melhorar a qualidade do elenco, sendo claro que é urgente reforçar as posições de guarda-redes, médio centro, extremo, segundo avançado e ponta de lança.

Guarda-Redes: Gabriel (AC Milan) - O brasileiro está tapado no clube milanês pelo jovem Donnarumma e por Diego López, pelo que haverá abertura para o negociar, até porque nas últimas duas temporadas foi cedido ao Carpi, onde jogou muito, e ao Nápoles, onde actuou em apenas 4 quatro partidas. Titular no Brasil campeão do mundo sub-20 em 2011, diante de Portugal, é um guardião com grandes reflexos e forte entre os postes. Apontado desde muito cedo como o "novo Dida", não tem confirmado esse rótulo, apesar de já ter representado a selecção principal brasileira por duas ocasiões. Deste modo, aos 23 anos, é altura de dar um novo rumo à carreira. 

Médio Centro: Sebástian Pérez (Atlético Nacional) - Jorge Jesus quer um 6/8 e, após a transferência de Lucas Silva ter abortado, os leões poderiam voltar-se para o colombiano. Titular nas últimas duas partidas oficiais da Colômbia, o médio de 23 anos tem sido um dos destaques na grande campanha do seu clube na Libertadores, presente na final da competição. Um centrocampista inteligente e elegante, com qualidade na circulação de bola, com um excelente posicionamento e muito capaz na recuperação de bola. Em Alvalade poderia ser um concorrente tanto para William como para Adrien. 

Extremo: Lazar Markovic (Liverpool) - O desequilibrador que falta nos verde e brancos. Esteve apenas um ano em Portugal, mas deixou bem vincado o seu talento no relvado e nas finanças do rival Benfica. Assim, Jorge Jesus gostaria muito de contar novamente com o sérvio, que neste momento é uma carta fora do baralho para Klopp. Pretendido por diversos clubes, obrigaria certamente a um ataque incisivo da estrutura leonina, sendo que a boa relação com o treinador, o factor Champions e a possibilidade de voltar à ribalta por via do futebol português poderiam ser argumentos bastante válidos na mesa de negociações. Tecnicamente muito dotado, habilidoso, rápido e com um bom poder de finalização, o extremo, que também poderia actuar na frente de ataque, seria o "abre-latas" perfeito da equipa, sendo igualmente o elemento perfeito para igualar o debate na bancada depois da saída de Carrillo.

Segundo Avançado: Eduardo Vargas (Hoffenheim) - O melhor marcador da última edição da Copa América (seis golos) tem muita qualidade, mas estranhamente tem tido uma carreira irregular ao nível de clubes, tendo passado por cinco campeonatos nos últimos cinco anos. No ano passado voltou a não estar propriamente feliz, mas o triunfo do Chile na maior competição de selecções da América do Sul e o seu desempenho individual recolocaram-no debaixo dos holofotes. O seu anterior seleccionador, Jorge Sampaoli, deseja levá-lo consigo para Sevilha, mas pelos valores que se falam não seria um elemento inacessível aos leões. Rápido, muito móvel, bom tecnicamente e expedito no remate, seria uma alternativa muito válida para a frente de ataque leonina, sendo o substituto ideal para a eventual saída de Teo Gutiérrez. Jorge Jesus passaria a contar com o avançado explosivo que gosta de ter nas suas equipas e, além disso, um elemento que poderia combinar bem com qualquer outro dos avançados do plantel.

Ponta de Lança: Jonathas (Real Sociedad) - Um avançado com um estilo idêntico a Diego Costa. Tecnicamente não é muito dotado, mas é agressivo, forte fisicamente, potente e com bom remate (finaliza bem com qualquer um dos pés e de cabeça), sendo que a temporada na Real Sociedad ficou aquém das expectativas (ainda assim fez sete golos), uma vez que tinha prometido muito no Elche. Estando na lista de dispensas dos bascos, seria uma excelente oportunidade de negócio. Assim, aos 27 anos poderia encarar uma passagem pelo futebol português como uma forma de relançar a carreira, tornando-se claramente numa alternativa muito válida a Slimani.

Rodrigo Ferreira

Qual será o XI base de Klopp?
Guarda-redes: Karius, Manninger e Mignolet
Defesas: Clyne, Lovren, Klavan, Sakho, Joe Gomez, Matip e Alberto Moreno
Médios: Sadio Mané, Wijnaldum, Milner, Henderson, Lallana, Can, Coutinho, Grujic e Lucas
Avançados: Firmino, Ings, Benteke, Sturridge e Origi

Depois de  Loris Karius, Joel Matip, Marko Grujic, Sadio Mane, Ragnar Klavan e de Alex Manninger o Liverpool confirmou a contratação do médio Georginio Wijnaldum.  Os "reds" pagaram 30 milhões de euros pelo passe do internacional holandês que estava no Newcastle. Wijnaldum, de 25 anos, na época passada apontou 11 golos e fez 5 assistências na Premier League.

Menos um destino para Andrés Fernández, guardião do FC Porto que na última época esteve ao serviço dos Nazaríes - Guillermo Ochoa é oficialmente reforço do Granada. O guarda-redes mexicano, de 31 anos, chega ao clube de Paco Jémez cedido pelo Málaga. Ochoa ganhou muito hype no Mundial'2014 mas nas últimas duas épocas nunca conseguiu tirar o lugar a Kameni no Málaga, agora vai ter uma oportunidade para mostrar o que vale na La Liga.