1 de julho de 2016

Boa aposta? Na teoria é uma aquisição sem sentido. O argentino é um extremo poderoso fisicamente, rápido, mas que não é um fenómeno em termos técnicos e que esta época nem foi indiscutível. Além disso com a quantidade de opções que as águias tem para a sua posição a menos que venha um fenómeno tudo o resto é para encher os quadros, já de si bem preenchidos. Aliás esta contratação, ainda para mais na sequência da renovação de Salvio, parece mais um negócio de "favores", um pouco como aconteceu com Farina do que propriamente uma tentativa de melhorar o elenco, mesmo numa perspectiva de médio e longo prazo.

Óscar Benítez, extremo de 23 anos do Lanús, deve vincular-se nos próximos dias ao Benfica, foi o próprio empresário do argentino a confirmar a viagem do jogador para Portugal, de maneira a assinar pelo clube da Luz. Pelo negócio as águias vão pagar 3 milhões de euros, mas ainda não é certo que Benítez integre o plantel de Rui Vitória, já que, devido ao excesso de opções para as alas, há a hipótese de ser já emprestado, aparecendo o Boca Juniors como o destino mais provável. Benítez é um ala que explodiu em 2015, na altura até foi associado ao Sporting, mas que esta época perdeu preponderância, não sendo sequer um indiscutível no Lanús.

O mexicano esteve em destaque na equipa B e tinha nesta pré-época a 1.ª oportunidade para se exibir no conjunto principal - Omar Govea lesionou-se com gravidade no treino do FC Porto e deve ficar 2 meses afastado dos revlados. O médio mexicano fez uma fratura da base do quinto metatarsiano do pé esquerdo e já foi operado no Hospital de Santa Maria, no Porto.

Faltam Téo (ausente por motivos familiares), Bryan Ruiz, Slimani e os 4 portugueses que estão no Euro, o que faz com que este elenco ainda seja algo de uma filtragem, isto se não chegarem mais reforços (os leões estão no mercado por um avançado, alguém que faça a posição de Adrien e ainda vão avaliar a necessidade de mais um extremo). A única certeza é que Labyad, Heldon, Cissé e Slavchev não contam.

O Sporting, em dia de 110º aniversário do clube, apresentou hoje o plantel provisório para 2016-17. Ao todo foram 31 jogadores a subir ao relvado de Alvalade perante 2 mil adeptos sendo que o principal destaque foi a ausência de Téo. Elenco às ordens de Jorge Jesus:
Guarda-redes: Azbe Jug, Guilherme Oliveira, Stojkovic e Luís Maximiano;
Defesas: João Pereira, Ezequiel Schelotto, Ricardo Esgaio, André Geraldes, Paulo Oliveira, Coates, Naldo, Ewerton, Rúben Semedo, Marvin Zeegelaar e Jefferson;
Médios: Ryan Gauld, Wallysson, João Palhinha, Aquilani, Petrovic, Bruno Paulista, Bruno César e Federico Ruiz;
Avançados: Iuri Medeiros, Barcos, Alan Ruiz, Podence, Gelson, Spalvis, Matheus e Mané.

O melhor guarda-redes que passou pelo Futsal português - Juanjo, que defendeu a baliza da equipa de Futsal do Benfica nos últimos 2 anos, confirmou hoje a saída das águias. O guarda-redes espanhol, que nas duas épocas que esteve em Portugal venceu um Campeonato Nacional, uma Taça de Portugal e uma Supertaça, vai representar o Barcelona.

Últimas da NBA:
- Chandler Parsons deixou os Mavs e assinou pelos Grizzlies a troco de 94 Milhões de Dólares em 4 anos;
- Evan Turner nos Portland Trail Blazers (70 milhões em 4 anos);
- Evan Fournier renovou pelos Magic a troco de 85 milhões em 5 anos;
- Mirza Teletovic é reforço dos Bucks;
- Os 76ers garantiram Jerryd Bayless.

País de Gales 3-1 Bélgica (A. Williams 31', Robson-Kanu 55' e Vokes 86'; Nainggolan 13')

O País de Gales, que era apontado como umas das selecções mais limitadas neste Europeu, carimbou a passagem para as meias-finais ao bater a Bélgica com uma reviravolta. Um feito brilhante, histórico, ainda para mais na estreia em Europeus e logo frente à selecção europeia melhor posicionada no Ranking FIFA. Os galeses, que agora vão defrontar Portugal, conseguiram responder ao golaço de Nainggolan, voltaram a demonstrar uma boa coesão defensiva, e só ficam a lamentar o amarelo a Ramsey, que o tira do jogo das semi-finais, ele que até foi o melhor em campo (também Ben Davies vai ficar de fora). Já a geração fantástica dos Diabos Vermelhos, recheada de jogadores de topo, quase todos a jogarem nas melhores equipas da actualidade, volta a a desiludir e desta vez com mais culpas já que o caminho parecia livre até à final. 

No que diz respeito ao encontro, a Bélgica entrou melhor e nos primeiros minutos dispôs de uma tripla oportunidade no mesmo lance, mas Carrasco, Meunier e Hazard não conseguiram ultrapassar Hennessey e a muralha defensiva galesa. A formação britânica respondeu através da sua estrela, Bale, que numa transição disparou à malha lateral. Mas a Bélgica viria mesmo a chegar à vantagem num golaço de Naiggolan, que com um tiro de bem longe abriu o activo. A seguir ao golo, a turma belga recuou no terreno, dando a iniciativa ao País de Gales, que começou a jogar bem perto da área adversária. Já depois de Taylor (após excelente jogada de envolvimento) ter obrigado Courtois a uma excelente intervenção (o remate também não saiu muito colocado), conseguiram mesmo chegar à igualdade, com Ashley Williams a aparecer solto num canto (quase que nem teve de saltar) e a cabecear para o fundo das redes. Até ao intervalo, verificou-se equilíbrio, mas foi o País de Gales a única selecção a criar perigo, com Bale, em mais um contra-ataque sozinho contra o mundo, a testar o guardião belga. Na segunda parte a Bélgica voltou a entrar melhor e teve duas oportunidades para reassumir o comando da partida: primeiro foi Lukaku a cabecear ao lado (podia ter feito melhor) e depois foi Hazard, no seu movimento característico, a rematar perto do poste. No entanto, foram os britânicos a chegarem ao segundo golo, numa excelente jogada, com Bale a fazer um grande passe para Ramsey, com este a cruzar para Robson-Kanu, que enganou toda a gente com um grande movimento e não perdoou. Os belgas sentiram o golo, tendo muitas dificuldades para assumir o jogo (muitas bolas bombeadas para Fellaini), enquanto que os galeses jogavam como gostam, com espaço (Ashley Williams esteve perto de bisar num canto). Só a partir do minuto 70 se começou a sentir uma maior pressão por parte dos pupilos de Wilmots, com Fellaini a ter uma bela oportunidade para igualar, mas o seu cabeceamento saiu ao lado. Pouco depois, momento importante na competição (e para Portugal), com Ramsey a ver a amarelo, que o tira das meias-finais. Quando se esperava o último assédio por parte da Bélgica, foi o País de Gales a conseguir chegar ao 3-1, com Gunter a cruzar e Vokes, com um excelente gesto de cabeça, a colocar a bola fora do alcance de Courtois. Estava consumada a surpresa, com o País de Gales a marcar encontro com Portugal nas meias-finais.

País de Gales - Histórico. A campanha imaculada do conjunto de Chris Coleman continua, que neste desafio se conseguiu superiorizar à temida Bélgica, mesmo tendo começado a perder. A organização defensiva voltou a ser quase perfeita (algumas dificuldades no jogo aéreo ainda assim), sendo que o grande destaque vai para as três unidades mais avançadas. Joe Allen também esteve em destaque ao nível da circulação, mas foram Ramsey (jogo fantástico, coroado com duas assistências), Bale (sempre a querer assumir) e Robson-Kanu, no regresso ao 11, a destacarem-se, sendo que o avançado de 27 anos, que é um jogador livre, marcou um golaço e fez a cabeça em água à defensiva belga. Na próxima ronda os galeses não enfrentarão uma defesa tão macia e também terão o problema de não poderem contar com 2 dos 5 melhores jogadores da equipa (Davies e Ramsey), sendo que o médio é claramente uma baixa enorme para a meia-final diante de Portugal.

Bélgica - Nova desilusão. Os belgas, que já no Mundial tinham caído nos quartos-de-final, voltaram a estar aquém do que se exige a uma selecção com tanto talento. Wilmots não estará isento de responsabilidades, mas neste desafio sentiu-se claramente que o sector defensivo não estava rotinado e que não tinha a qualidade necessária para acompanhar o resto da equipa. Denayer e Jordan Lukaku foram as novidades (depois de Kompany e de Lombaerts terem ficado de fora por lesão antes do arranque da prova, o seleccionador belga também não pode contar com Vermaelen e Vertonghen) e fartaram-se de acumular erros, sendo quase todos sinónimo de golo do adversário. Por outro lado, Hazard tentou carregar a equipa, mas não teve acompanhamento, Meunier também se destacou pela profundidade que ofereceu e pela qualidade no cruzamento, mas o duelo perdeu-se a meio-campo, onde Witsel e Nainggolan (grande golo ainda assim) foram insuficientes para travar a qualidade na circulação de bola dos galeses. Wilmots ainda lançou Fellaini para ter superioridade nesse sector, mas, tirando a capacidade no jogo aéreo, o médio do Man Utd pouco acrescentou. Por fim, Lukaku esteve perdulário (falhou duas oportunidades claras, uma delas daria o 2-1 antes do tento de Kanu) e Kevin De Bruyne voltou a não acrescentar o exigido a um elemento com a sua qualidade. 

Vai manter a tradição? O sueco tem sido sempre campeão, logo na 1.ª época, pelos clubes por onde passou desde que saiu do Malmo.

"Chegou o momento de Zlatan!", foi desta forma que o Manchester United confirmou hoje a contratação do sueco Zlatan Ibrahimovic. O avançado, de 34 anos, chega à Premier League depois de passagens por PSG, AC Milan, FC Barcelona, Inter Milão, Juventus, Ajax e Malmo, tendo assinado um contrato de 1 ano.

Chegou a ser associado ao FC Porto e os vimaranenses também pretendiam a sua permanência por mais uma época - Henrique Dourado, avançado que na última época representou o Vit. Guimarães, é reforço do Fluminense, tendo como missão substituir Fred que saiu para o Atl. Mineiro. Em Portugal apontou 12 golos em 30 jogos.

Desde que foi contratado sempre ficou claro que não ia ser opção no plantel principal das águias - O Benfica emprestou Daniel Candeias ao Alanyaspor, clube recém-promovido ao principal escalão do futebol turco. O empréstimo é válido por uma temporada. O extremo, de 28 anos, desde que chegou à Luz proveniente do Nacional, foi cedido a três equipas nas duas últimas épocas: Granada, Nuremberga e Metz.

Na teoria para ser suplente, mas caso isso se verifique os Toffees necessitam de uma real mais-valia para esta posição já que Joel Robles também está longe de dar garantias - O guardião Martin Stekelenburg deixou o Fulham e assinou pelo Everton até 2019. O titular da Holanda no Mundial'2010 nos últimos anos esteve cedido ao Mónaco e Southamtpon, mas foi sempre o n.º 2.

Para ser o substituto de Rafa (ou apenas uma alternativa para o ataque)? O ex-Feirense, ao contrário do que seria expectável, continua vinculado aos minhotos e esta passagem pelo Euro até ao momento também não o valorizou. Já Horta, não sendo de topo, pode ser um elemento interessante para as alas ou até mesmo para 2.º avançado. Um jogador rápido, com golo e que regressa a Portugal já com 2 anos de La Liga (sendo que o 1.º ano até correu melhor que o 2.º).

António Salvador anunciou hoje que o plantel do Sp. Braga vai ficar fechado com as contratações do médio argentino Tomás Martínez, do central sérvio Lazar Rosic e do extremo português Ricardo Horta. "Tomás Martínez está fechado, chega hoje. Vai chegar também um central, o Lazar Rosic, estamos a fechar o Ricardo Horta e, em princípio, o plantel fica fechado com essas aquisições", afirmou o líder dos gverreiros. Recordamos que Martínez é um internacional sub-20 pela Argentina que estava vinculado ao River Plate, Lazar Rosic é um defesa central sérvio de 23 anos e chega do Vojvodina, já Ricardo Horta, internacional português de 21 anos, é um extremo no Vitória de Setúbal que vai representar os minhotos por empréstimo do Málaga.

Surpreende que uma equipa como os Hornets tenham recusado mais 75 ME pela sua dupla atacante, já que à partida as ambições do clube passam apenas pela permanência, mas também é por esta capacidade financeira que a Premier League é diferente das outras ligas - Troy Deeney renovou contrato com o Watford por mais 5 anos. O avançado, que marcou 15 golos na última época, estava na mira do Leicester, que estava disponível para oferecer 35 ME pelo seu passe, mas vai continuar na equipa de Mazzarri. Quem também se juntou aos Hornets foi Christian Kabasele, defesa-central que chegou do Gent a troco de 7 milhões de euros. A imprensa inglesa adianta ainda que o Watford rejeitou uma proposta de 42 ME do Shanghai SIPG (novo clube de Hulk) pelo concurso do nigeriano, e parceiro de ataque de Denney, Odion Ighalo.

Últimas da NBA:
- Jeremy Lin assinou pelos Brooklyn Nets a troco de 36 milhões de dólares em 3 anos;
- Bradley Beal vai continuar nos Wizards, depois de ter recebido um contrato máximo de 128 milhões em 5 anos;
- Al Jefferson reforça os Pacers, onde vai receber 30 milhões de dólares nos 3 anos em que vai representar a equipa de Indiana.

Haverá poucos portugueses que se importariam de ganhar o Europeu só com empates. Todas as críticas cairão em esquecimento se Portugal conquistar pela primeira vez uma grande competição. Esses críticos passarão a ser simplesmente "traidores" da pátria.

"Se ganhou, é porque mereceu". Não é raro ouvir-se esta afirmação no mundo do futebol, sobretudo em Portugal, mas é apenas um sinal da cultura de resultados que continua a prevalecer.

Sim, é importante ganhar títulos. Num país que nunca ganhou nada, tem importância redobrada. Mas o futebol nem sempre guarda lugar para os campeões. A Holanda de 74 e o Brasil de 82, sem troféu, ainda hoje são vistas como duas das melhores selecções de sempre. Por outro lado, à excepção dos portugueses ninguém se vai lembrar de três jogadores da Grécia que foram campeões europeus em 2004.

É preciso perceber o que este percurso significa. Desde logo, a permanência de Fernando Santos. Talvez os santos continuem a abençoar Portugal e não seja necessário ganhar jogos para fazer boas campanhas nas grandes competições. Talvez as individualidades cheguem para resolver jogos. Se todos os talvez nos sorrirem, é possível.

Tem sido assim neste Europeu. As circunstâncias do acaso - e como elas contam no futebol actual - permitiram que Portugal chegasse a esta fase. Mais do que um mérito muito superior ao de outras selecções, foi a aleatoriedade do jogo a determinar que a equipa de Fernando Santos estivesse nas meias-finais sem ganhar um jogo nos 90 minutos.

Mais do que jogar este ou aquele jogador, importa definir o rumo que se quer para o futebol em Portugal. Não será certamente uma selecção que abdica de procurar a vitória contra uma modesta Hungria. Não será, definitivamente, uma equipa que vê a bola como um objecto que queima os pés; que sacrifica quase todos os talentos que tem à disposição. Pergunte-se ao engenheiro para que levou Rafa. Já agora, questione-se a opção de retirar João Mário e Renato do corredor central.

Uma esmagadora maioria não sabe o que quer, porque apenas quer vitórias. Mas é preciso ter a noção de que, assim, Portugal tão rápido é campeão europeu como volta a ser eliminado na fase de grupos do Mundial.

O futebol é mesmo assim. Todos os que odiaram a Grécia por nos roubar o título daquela maneira estão a delirar com a possibilidade de chegar ao título europeu. A alegria do momento vai toldar a capacidade de ver mais além.

Já pensando no futuro, fica o pedido: devolvam a equipa que "joga à bola" em vez de "jogar futebol". Isto não é o nosso futebol.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar com o VM aqui!): T. Cunha

O grande reforço de Capucho até ao momento, numa fase em que os vilacondenses estão a ver sair unidades que foram importantes nos últimos anos como Lionn, Edimar ou Ukra.

O Rio Ave anunciou a contratação do médio Rúben Ribeiro, que regressa assim ao clube que representou na época 2013/2014. O jogador de 28 anos, que na última época esteve em destaque no Boavista, assinou até 2019.

Uma espécie de reforço bomba para Carvalhal, que assim garante, a custo-zero, um avançado que garante golos, agitador, e que por norma massacra as defensivas contrárias. O escocês há 4 anos custou mais de 15 ME ao Sunderland, mas no nordeste de Inglaterra não conseguiu brilhar como tinha feito no Wolves, sendo que no último ano até foi emprestado ao Marselha. No entanto, numa II liga o seu contributo deve ser maior, sendo que tem tudo para deixar a sua marca e guiar o conjunto de Carlos Carvalhal a mais um playoff de subida - Steven Fletcher é a mais recente aquisição do Sheffield Wednesday, treinado por Carlos Carvalhal. O avançado escocês tinha chegado ao fim do seu contrato com o Sunderland e vai assim ligar-se aos Owls por 4 anos.

Há dois anos brilhou no Championship com 15 golos e 17 assistências - O Newcastle anunciou a contratação de Matt Ritchie, proveniente do Bournemouth, por uma verba a rondar os 12 ME. O extremo escocês que dá nas vistas pelo seu pontapé e pela maneira como consegue assistir, seja em passe, ou em cruzamento, assinou por 5 anos e é a terceira contratação dos Magpies depois de Matz Sels e Dwight Gayle. Na última época, Ritchie fez 4 golos e 6 assistências em 42 jogos.

Renovação essencial para o futuro dos Heat - O poste Hassan Whiteside, que era Free-Agent este ano, vai voltar a assinar pelos Miami Heat. O jogador natural da Carolina do Norte tinha propostas concretas de outras equipas como os Lakers (que foi prontamente rejeitada) e dos Mavs, mas vai continuar na Florida. A máquina dos triplos-duplos com blocos justificou a sua escolha: "Joguei em 8 equipas diferentes desde a universidade, até na China, e não está preparado para jogar numa 9.ª. Decidi voltar a assinar por Miami. Apenas quero dizer aos fãs o quanto eles significam para a equipa e para mim. Não vejo a hora de regressar ao trabalho e tentar trazer outro campeonato para Miami".

O equivalente a Maxi quando trocou o Benfica pelo FC Porto - Gökhan Gönül é reforço do Beşiktaş depois do seu contrato com o Fenerbahçe de Vítor Pereira ter chegado ao fim. O lateral direito de 31 anos, titular na Seleção, é a segunda contratação das Águias depois de Marcelo (Hannover) e não deverá ter dificuldades em roubar o lugar a Beck.

A direcção dos leões está a tentar resolver a questão dos excedentários com mais brevidade que em defesos anteriores, o que é de elogiar. Quanto a Domingos, estava já "fora do prazo" para seguir na II Liga e terá uma oportunidade para mostrar o que vale num patamar competitivo superior; ao passo que Rosell dificilmente fugirá ao rótulo de flop, ele que nunca foi opção em Alvalade e mesmo em Guimarães chegou a alinhar na equipa B.

O Sporting anunciou em comunicado no seu site oficial as cedências de Oriol Rosell e Domingos Duarte ao Belenenses. Ambos os jogadores rumam ao Restelo num empréstimo com a duração de uma temporada, sem opção de compra. O espanhol Rosell chegou a Alvalade em 2014, mas nunca conseguiu ser opção na primeira equipa (na época passada esteve cedido meia época no Vitória de Guimarães), ao passo que Domingos, aos 21 anos, tem alinhado nas últimas épocas na equipa B dos leões.

A passagem do antigo técnico do Real Madrid por La Roja teve claramente 2 fases distintas, e com resultados diametralmente opostos: entre 2008 e 2012 deu continuidade ao processo iniciado por Luís Aragones e com o grupo criado e consolidado pelo seu sucessor (e potenciado pela existência de uma larga base do melhor Barça da história) teve um sucesso tremendo, conquistando 1 Mundial e 1 Europeu; depois, quando a geração de Casillas, Puyol, Xabi, Xavi ou Villa começou a entrar em declínio e urgiu uma renovação (ainda que apoiada em elementos que seguiam na plenitude como Busquets, Iniesta, Ramos ou Piqué) foi um autêntico fiasco, com um Mundial'2014 para esquecer e uma participação no Euro'2016 que terminou com 2 derrotas seguidas, chegando a eliminação num encontro que foi um autêntico "banho de bola" frente à Itália. Ainda assim, apesar da má imagem com que sai, ficam para a história os títulos e a imagem de desportivismo e comportamento honrado, ainda que por vezes tenha exagerado na necessidade de querer "agradar a gregos e troianos", não  tendo coragem para tomar certas decisões.

Está confirmado. Vicente Del Bosque diz adeus à selecção espanhola de futebol, tendo sido o próprio a confirmar esse abandono à Rádio Nacional de Espanha: "sem qualquer dúvida, não tenho intenção de continuar no cargo. É um assunto que estamos a tratar há algum tempo, uma decisão que tomámos.", revelou Del Bosque, que foi o responsável por La Roja entre 2008 e 2016, período em que venceu o Mundial'2010 e o Euro'2012. Joaquín Caparrós deve ser o senhor que se segue.

Os Eagles resolvem um dos problemas que tinham (Wayne Hennessey e Julián Speroni estavam longe de dar garantias); Já o Marselha em 2 anos ficou sem uma equipa que podia ser de topo - O guarda-redes Steve Mandanda foi oficializado como reforço do Crystal Palace. O guardião, de 31 anos, que está no Euro'2016 ao serviço da França, pertencia aos quadros do Marselha desde 2007, tendo sido eleito o melhor da sua posição na Ligue 1 por 4 ocasiões ( 2007–08, 2010–11, 2014–15 e 2015–16).

O Olympiacos este ano deve ter mais concorrência - Víctor Ibarbo vai jogar esta época no Panathinaikos, O poderoso extremo colombiano, de 26 anos, chega à Grécia por empréstimo do Cagliari, depois de experiências pouco conseguidas na Roma e Watford.

Uma das principais referências do Sporting no Século XXI (futebol incluído) e quando, em Portugal, um jogador de uma modalidade que não o desporto rei consegue este estatuto está tudo dito quanto à sua importância. Benedito deixou anos de grande carisma e personalidade na baliza do Sporting e da seleção, para lá de ter pautado sempre pela promoção dos melhores valores do desporto (fazem falta mais assim em Portugal). Não foi um super-guardião (quando o nível aumentava a nível internacional via-se que estava abaixo dos melhores) mas ainda assim fica para a história do futsal português. Diga-se no entanto que este abandono é um pouco surpreendente, já que o jogador por várias vezes havia revelado o seu desejo em jogar no novo pavilhão dos leões, mas provavelmente as suas capacidades actuais não lhe permitiam continuar mais na elite (ainda para mais quando o Sporting quer elevar o nível para atacar a UEFA Futsal Cup).

João Benedito anunciou, através da sua página oficial no Facebook, que terminou a sua ligação ao Sporting e a sua carreira desportiva. "Serei sempre um felizardo pois representei o meu Clube como atleta profissional. É impossível descrever as sensações vividas, os momentos e as conquistas", escreveu o agora ex-guardião. João Benedito fez mais de 500 jogos ao serviço da equipa de Futsal do Sporting (clube pelo qual só não actuou na época 2005/2006, quando representou os espanhóis do Playas Castellón), vencendo 9 ligas de futsal, 6 supertaças, 4 taças e 1 taça da liga: Já ao serviço da selecção nacional, realizou 163 partidas, alinhando em 4 mundiais e 6 europeus.

Nem sempre tem a melhor atitude competitiva, mas se Pardew conseguir motivar o jogador pode ter aqui uma estrela para a equipa. O inglês, apesar de ter algumas lacunas ao nível da decisão, é um extremo com uma capacidade de explosão fantástica e as suas diagonais da direita para o meio são um perigo para os adversários. Veremos se é desta que volta ao nível que exibiu no Tottenham - O Crystal Palace garantiu oficialmente a contratação de Andros Townsend, internacional inglês de 24 anos, por uma verba a rondar os 15 milhões de euros. O extremo actuou na última temporada no Newcastle, mas a descida dos magpies facilitou a transferência para outro clube da Premier League.

Boas opções para os clubes nacionais? - O Metz, clube francês que subiu à Ligue 1, anunciou as saídas dos ex-Sporting Nuno Reis e André Santos. Tanto o central como o médio passam a ser jogadores livres.


Para ser titular? Vai ter a concorrência de Navas, Sterling, Silva e Kevin de Bruyne. O ex-Benfica acrescenta quase sempre números mas não conseguiu ser uma mais-valia no Europeu, tem a particularidade de só conseguir render na esquerda e em Outubro completa 30 anos. 

Nolito é oficialmente jogador do Manchester City, juntando-se a Aaron Mooy e Gundogan nas caras novas ao serviço de Guardiola. Pela transferência do ex-Benfica o Celta de Vigo recebeu 18 milhões de euros. Já Nolito, que completa 30 anos em Outubro, assinou um contrato de 3 épocas com os Citizens com mais uma de opção. Recordamos que o internacional espanhol, que foi titular nos 4 jogos do Europeu, nas 3 temporadas que esteve no Celta apontou 39 golos.

Chegou a ser associado ao Benfica mas vai ter mais oportunidades da Ligue 1, um campeonato onde os jovens lusos se tem dado bem nos últimos anos - O Rennes anunciou a contratação de Afonso Figueiredo, lateral esquerdo de 23 anos que estava no Boavista. O defesa chega a França a custo zero, depois do vínculo que o ligava aos axadrezados ter chegado ao fim, e jogará ao lado do compatriota Pedro Mendes.

Últimas da NBA:
- Timofey Mozgov, que estava nos Cavs, assinou um contrato de 65 milhões de dólares, por 4 anos, com os Lakers; A equipa da LA também garantiu a permanência de Jordan Clarkson (50 M em 4 anos);
- Nicolas Batum vai continuar nos Hornets a troco de 120 milhões em 5 anos;
- D.J. Augustin é o 3.º reforço dos Magic depois de Ibaka e Meeks;
- Ish Smith juntou-se aos Pistons;
- Demar DeRozan deve continuar nos Raptors com um contrato de 139 milhões de dólares em 5 anos.

O futebol é sempre imprevisível (nunca se sabe quando um jogador pode entrar subitamente em declínio), mas à partida esta impunha-se como uma renovação "obrigatória" para os Blaugrana. Neymar tem tido um super-rendimento, tem muitos anos pela frente (está com 24 anos) e a resposta que deu quando Messi esteve lesionado pode levar a crer que se algum dia tiver de haver uma passagem de testemunho na liderança futebolística do Barça o brasileiro estará preparado. A grande questão prende-se com a possibilidade de vencer a Bola de Ouro (com Messi na mesma equipa será sempre muito difícil), mas talvez Ney tenha chegado à conclusão que nos próximos 2/3 anos, estando onde estiver, a conquista desse prémio será muito difícil (pela existência do duelo, até mediaticamente alimentado, Messi/Cristiano), preferindo aguardar num contexto onde estará sempre muito perto de ganhar títulos colectivos para depois lutar pela máxima distinção a nível individual.

Ponto final numa das maiores novelas nos últimos meses. Josep Maria Bartomeu, o presidente do Barcelona, em declarações proferidas hoje, e Neymar, através das redes sociais, anunciaram a renovação do contrato do brasileiro até 2021. Neymar terminava vínculo com os Culés em 2018, e o arrastar da assinatura estava a gerar muitas especulações, com equipas como o Manchester City, o United, o PSG ou o próprio Real Madrid a serem constantemente apontadas como querendo contratar o avançado. Com esta renovação, a sua cláusula de rescisão passa de 190 milhões para cerca de 220 milhões, tendo também o seu salário subido, passando de 9,18 milhões de euros para 15 milhões de euros por época.

Onde é que deve ser utilizado (frente à Polónia, jogou na direita, esquerda e no meio)? O médio do Bayern, que já foi eleito duas vezes o melhor em campo, está com tudo para ser o 1.º jogador na história a vencer o prémio de melhor jovem do Europeu.

Um papa-recordes. Renato Sanches, com o golo frente à Polónia, passou a ser o jogador mais jovem de sempre a marcar em fases a eliminar de campeonatos da Europa, com 18 anos e 316 dias. O futuro jogador do Bayern também superou Ronaldo como o português mais jovem de sempre a marcar em fases finais de grandes competições internacionais: CR7 tinha facturado no Euro'2004 com 19 anos e 141 dias. Recordamos que Sanches também já tinha batido o recorde de jogador português mais jovem de sempre a marcar presença numa fase final e com a titularidade de hoje também vai ficar na história deste Euro'2016 ao ser o mais novo a entrar de inicio.




30 de junho de 2016

Danilo ou um duplo pivot com Moutinho e Adrien? WC, que até começou o torneio como suplente, nos últimos jogos ganhou o estatuto de indiscutível, mas mesmo sem a situação do amarelo já se notava um desgaste que provavelmente o iria tirar do 11. E não é o único, já que outros elementos estão a começar a acusar o cansaço.

William Carvalho vai falhar a meia-final do Europeu 2016 frente à Bélgica ou País de Gales. O médio defensivo viu cartão amarelo no jogo desta quinta-feira de Portugal contra a Polónia e por isso cumprirá castigo no próximo encontro.

O Hoffenheim vai-se reforçando nos rivais da descida na última temporada, mas o objectivo para a próxima época é conseguir uma posição mais tranquila na tabela (quem sabe se será possível lutar pelas competições europeias) - Duas contratações num dia. O Hoffenheim adquiriu o avançado Sandro Wagner ao Darmstadt (15 golos na última época) e o médio Lukas Rupp, que era um dos jogadores mais interessantes do plantel do Estugarda.

Polónia 1-1 (3-5 nas g.p.) Portugal (Lewandowsk 2'; Renato Sanches 33')

À portuguesa! Sofrido, só resolvido nas penalidades, mas a selecção nacional já está nas meias-finais do Euro. O jogo voltou a ser pobre, e até receoso, mas Portugal, perante uma Polónia que também mais do que ganhar nunca quis perder, desta vez teve mais iniciativa e não fosse o desperdício de Ronaldo (3 falhanços absurdos) até podia ter despachado o encontro, pela 1.ª vez,  nos 90 minutos. Falhou CR7 mas Patrício assumiu o papel de herói nos penaltis e carimbou a passagem. Já antes Pepe tinha feito por merecer esta sorte, com uma exibição impressionante (valeu por 3 na defesa). Também Renato Sanches, que se estreou a titular, esteve em destaque. Já João Mário continua muito longe do nível que apresentou na I Liga.

Quanto ao encontro, este não podia ter começado pior. Logo no segundo minuto, erro colossal de Cédric e Grosicki aproveita para cruzar rasteiro para Lewandowski que, sozinho dentro de área (William errou no ajuntamento aos centrais), não perdoou e colocou a Polónia na frente. Portugal demorou a reagir, tendo o remate de Ronaldo sido bloqueado. Lewandowski e Grosicki tiveram oportunidade para aumentar para 2-0, mas seria Portugal a empatar, já depois de a Equipa das Quinas ter reclamado grande penalidade. Renato Sanches arranca no meio-campo, toca em Nani que devolve de calcanhar e o ‘Bulo’ empata o jogo com um grande pontapé de pé esquerdo. Na segunda parte Portugal arrancou muito melhor e Ronaldo teve dupla oportunidade para desfazer o empate, mas falhou em ambas. Cédric tentou resolver do meio da rua, mas também não acertou na baliza, sendo que do outro lado foi Milik a levar muito perigo. Já perto do final, José Fonte (de cabeça após canto) esteve perto de marcar, mas seria Jedrzejczyk quase a fazer auto-golo no minuto seguinte. Ronaldo, aos 83’, após um grande passe de Moutinho voltou a não acertar na bola quando estava isolado e terminariam assim os 90 minutos. No prolongamento, CR7, aos 95’, falhou mais uma oportunidade já na pequena área, sendo que as restantes oportunidades dos 15 minutos se deveram a ações de Nani (Milik ainda levou perigo com um remate à entrada da área). Os segundos 15 minutos de prolongamento não viram oportunidades, tendo em Pepe e na sua exibição imperial o grande motivo de destaque. Nota ainda para um adepto que invadiu o terreno de jogo aos 110 minutos. Já nos penaltis Patrício travou o tiro de Blaszczykowski e Quaresma consumou a passagem ao fazer o 5-3 (os lusos marcaram os 5 penaltis, algo que não costuma ser regra).

Portugal - Um jogo sem chama, à semelhança do que tem sido o Euro 2016 para a selecção nacional, mas que voltou a sorrir a Fernando Santos. Cinco jogos, nenhuma vitória no tempo regulamentar, alguma felicidade, mas que no jogo de hoje podia ter sido evitada caso Cristiano tivesse concretizado as várias chances que teve. A equipa teve uma entrada para esquecer, logo com um golo sofrido, mas soube reagir à adversidade, procurando o golo, subindo linhas, tendo sido recompensada com o remate certeiro de Renato. Porém, fica novamente a sensação de que colectivamente, e sem bola, as dificuldades continuam, uma vez que os vários sectores ficam demasiado distantes, resultando em muito espaço para aproveitar pelos adversários, especialmente entre a última linha e o meio-campo. No jogo de hoje, e com os vários movimentos contrários da dupla de avançados da Polónia (Lewandowski e Milik a variar pedidos no espaço e no pé, o que baralha marcações e a coordenação entre centrais e médio defensivo) isso foi ainda mais notório, tendo Pepe assumido um papel fulcral para antecipar inúmeros lances. A nível ofensivo, destaque para a integração de Renato Sanches e pelos benefícios que isso traz ao jogo da selecção nacional, particularmente no rasgo que traz, na velocidade e na meia-distância que não é frequente nos médios que habitualmente são titulares. Por fim, referência à transição ofensiva de Portugal que hoje não foi tão eficaz, provavelmente pelo facto de elas terem surgido no prolongamento, já numa fase em que os velocistas estavam de rastos e as substituições esgotadas.

Cédric/Eliseu - Péssimo jogo do lateral do Southampton com uma entrada em campo que esteve na origem do golo da Polónia. Depois disso, somou maus cruzamentos, abordagens deficientes sobre Grosicki e uma insegurança sempre que a bola se encontrava no seu corredor. Do outro lado, o lateral do Benfica não esteve brilhante, mas não comprometeu e fez valer a sua experiência para segurar o forte flanco direito Polaco.

Pepe - Grande exibição do central, mais uma depois do excelente jogo que fez frente a Croácia. Embora seja muito temperamental, siga muito a bola e pouco o adversário/espaço, consegue ter sucesso em grande parte das acções, especialmente quando envolve duelos. Rápido, agressivo e muito concentrado foi o melhor do seu sector e um autêntico bombeiro a intervir em todas as zonas do campo. Se alguém merecia esta passagem era o português.

Fonte/William/Adrien - Exibições discretas dos 3 elementos, sendo que Adrien praticamente não se viu. Demasiada inércia a pressionar, incapacidade com bola e a conceder, juntamente com William, demasiado espaço entre linhas. Já Fonte voltou a cumprir, apesar de no momento de construir continuar a tomar decisões que prejudicam o interesse colectivo.

Ronaldo - O capitão da selecção nacional somou mais uma performance que não condiz com o seu estatuto, mostrando-se útil apenas para servir de referência no jogo longo ou para tabelar com os companheiros. Nas várias situações de finalização que dispôs não conseguiu encontrar o caminho da baliza, revelando mesmo deficiências técnicas gritantes no momento de rematar e assumir o jogo.

João Mário/Nani/Quaresma - O jogador do Sporting voltou a não conseguir ter impacto no jogo. Demasiado relaxado, sem procurar a bola e o jogo, deu lugar a Quaresma que também não trouxe o que se pedia: desequilíbrio e velocidade. Já Nani, embora não tenha feito um bom jogo, voltou a estar no momento do golo, para além de colaborar defensivamente.

Renato Sanches - Depois de Pepe foi a grande figura da selecção, não só pelo golo, como pelo que aporta em várias fases do jogo. Defensivamente soma imensas recuperações, impede a progressão dos adversários, chegando mesmo a intimidar só pela sua presença junto dos adversários. Ofensivamente mostra uma disponibilidade física que, aliada à criatividade e drible, lhe permite romper linhas, combinar com os avançados , tanto pela ala como por dentro. Acabou a partida esgotado.

Patrício - Raramente foi chamado a intervir, não tendo culpas no golo sofrido. Tem sido um campeonato da europa tranquilo para o guardião, mas hoje foi herói ao defender uma grande penalidade.

Moutinho/Danilo - Substituiu um apagado Adrien e aparentemente trouxe maior capacidade de pressão. Fora isso, pouco acrescentou. Por outro lado, o médio do Porto entrou depois de William ficar amarelado, não tendo tempo para revolucionar o jogo.

Polónia - Depois de ter entrado a vencer acomodou-se ao que Portugal fez, repartiu o domínio do jogo em vários fases, mas as situações de perigo sucederam quase todas de remates exteriores ou de cruzamentos interceptados. A nível individual, destaque para a dupla de avançados que levou a vários calafrios, para Krychowiak que impôs o seu poder físico, por oposição ao antigo flanco direito do Dortmund (Błaszczykowski e Piszczek) que não conseguiu gerar os mesmos desequilíbrios do flanco contrário.

Wilmots, que já não pode contar com o castigado Vermaelen, vai ser obrigado a apostar numa defesa com  Meunier, Alderweireld, Denayer e JordanLukaku frente ao País de Gales; Já o Tottenham apesar de ter Dier (com Wanyama pode jogar mais a central) e Wimmer pode ser obrigado a reforçar o sector defensivo.

Jan Verthongen, titular nos quatro jogos da Bélgica até ao momento, vai falhar o resto do Euro'2016. O central/lateral do Tottenham lesionou-se no treino na véspera dos diabos vermelhos defrontarem o País de Gales nos quartos de final do Europeu, e Wilmots que já confirmou que vai parar pelo menos 2 meses, sendo que a imprensa adianta que o período de paragem pode ser de 4 a 6 meses.

Um dos jogadores sub-21 mais promissores da actualidade - O Granada anunciou que o extremo nigeriano Isaac Success vai jogar no Watford na próxima época. O jovem, de 20 anos, na última época apontou 6 golos e fez 5 assistências.

Há 4 anos aproveitou a expulsão de Wojciech Szczęsny para ser o titular da Polónia no Euro'2012 - Przemysław Tytoń, guardião polaco, de 29 anos, foi hoje anunciado como reforço do Deportivo da Corunha. O guarda-redes na última época representou o Estugarda, depois de ter passado pelo Elche e PSV.

O dia fica marcado pela eliminação da espanhola Muguruza, finalista do ano passado e actual campeã de Roland Garros, frente à eslovaca Jana Cepelova (apenas 124 do Mundo) - João Sousa garantiu uma histórica passagem à 3.ª ronda de Wimbledon ao derrotar o norte-americano Dennis Novikov, 145.º ATP, por 6-4, 6-4, 3-6 e 6-4. Na próxima vai defrontar o vencedor do duelo entre Dominic Thiem (uma besta negra para o português) e Jiri Vesely.

Golos (foram 50 na última época), experiência, impacto mediático (para um clube que está meio adormecido) e qualidade, ou seja tudo o que os Red Devils precisavam. Mou consegue um super-reforço, e a Premier League, que já tem os 2 melhores treinadores do Mundo, também ganha uma novo interesse com a presença do sueco (o campeonato, apesar de todo o dinheiro que movimenta, está carente de grandes figuras). E sendo certo que fica a dúvida do que pode acrescentar com esta idade (a PL é diferente da Ligue 1 e já faz 35 em Outubro), e se a sua chegada não vai impedir a afirmação de Rashford ou Martial, apesar dos 2 jovens terem capacidade para actuarem na ala, a verdade é que o gigante inglês precisava disto e não se pode ignorar que Man Utd foi um dos piores ataques do Top 11 da PL em 2015-16.

Agora está confirmado! Zlatan Ibrahimovic revelou através das redes sociais que vai jogar no Manchester United na próxima época. O avançado sueco, de 34 anos, que era um jogador livre depois do vínculo que o ligava ao PSG ter chegado ao fim, de acordo com a imprensa inglesa assinou por uma temporada com mais uma opção a troco de 380 mil euros por semana. Ibrahimovic volta assim a reencontrar José Mourinho após terem trabalhado juntos no Inter de Milão. O Man Utd é o 8.º clube na carreira de Ibra depois de ter passado pelo Malmo, Ajax, Juventus, Inter, Barcelona, Milan e PSG.


Boa aposta? Vem de uma excelente temporada no Nice (com o 4.º lugar a apenas 2 pontos do Mónaco) e em 2010 levou o Lyon às meias-finais da Champions, mas tem a dificil missão de fazer igual ou melhor que Pochettino e Koeman, treinadores que conseguiram boas prestações nos Saints nas últimas épocas.

Claude Puel é oficialmente o novo treinador do Southampton. O francês, de 54 anos, que na última época orientou o Nice, assinou um contrato de 3 anos substituindo no cargo Ronald Koeman, que optou por sair para o Everton. Os Saints são o 5.º clube que orienta depois do Mónaco, Lille, Lyon e Nice. No currículo conta com uma vitória na Ligue 1 ao serviço do Mónaco em 1999-2000.

O Chile, que derrotou a Argentina final, já garantiu a presença - A UEFA aceitou a proposta da Conmebol para um amigável entre os campeões da Copa América Centenário e do Euro'2016, anunciou o presidente da confederação sul-americana, Alejandro Domínguez. O duelo terá de encaixar no meio das eliminatórias para o Mundial'2018.

Mais um produto de uma das principais escolas do futebol francês - O Bournemouth garantiu a aquisição do avançado Lys Mousset, do Le Havre, por 7 milhões de euros. O jovem de 20 anos e 1m84, que também era cobiçado pelo Arsenal e Tottenham, na época passada apontou 14 golos em 28 jogos.


Do Mont-Saint-Michel a Paris, o Tour vai voltar a percorrer a França de 2 a 24 de Julho. Uma Volta essencialmente para os trepadores, o que deixa a corrida mais em aberto, com a chegada a Mont Ventoux à etapa 12, que acompanha mais outras 3 etapas de montanha com chegadas em alto e outras 4 etapas que terminam depois de uma descida. Ainda, um CRI sinuoso de 37.5Km, outro CRI essencialmente a subir de 17.5Km, uma chegada para puncheurs que decidirá a amarela à etapa 2 e oito oportunidades para sprinters compõem este Tour. Para prevenir o excessivo entusiasmo que normalmente leva a um também excessivo número de abandonos por queda nas primeiras etapas, a organização coloca duas etapas que ultrapassam os 200Km na primeira semana.

Em relação ao favoritismo, este reparte-se entre o campeão em título Chris Froome, Nairo Quintana (Movistar) e Alberto Contador (Tinkoff). Dado o peso da terceira semana da prova em termos de montanha consideramos o colombiano o principal favorito, prevendo-se no entanto uma corrida muito discutida entre este trio. 

Froome é um trepador de excelência mas o percurso torna difícil aquela que tem sido a sua abordagem e que consiste em entrar muito forte e tentar garantir uma boa vantagem na primeira chegada em alto, que este ano chega apenas à etapa 9 e dá-se em Andorra, território em que Contador e Quintana terão o público consigo. No entanto, Froome conta com uma equipa fortíssima, a melhor das presentes para atacar a amarela e que inclui contra as suas melhores expectativas um Mikel Landa fresco depois do abandono no Giro.

Contador volta em 2016 a considerar o Tour como o seu grande objetivo. O madrileno já venceu a Volta ao País Basco esta época e a sua preparação parece indicar um Contador ao seu melhor nível, mas a sua equipa em ano de despedida do idiossincrático patrocinador Oleg Tinkoff pode ser um pouco curta para a alta montanha, contando para este terreno apenas com Kiserlovski, Kreuziger e Majka.

Nairo Quintana tem uma corrida com um perfil à sua imagem e uma equipa muito forte que inclui o português Nélson Oliveira, Valverde, Dani Moreno e Ion Izaguirre. Dos favoritos tem tido a época mais bem sucedida e a pressão está muito do seu lado em 2016, já que tem tudo para ser o primeiro sul-americano a vencer a "Grand Boucle".

De resto, Fabio Aru (Astana) e Thibaut Pinot (FDJ) são dois corredores que têm qualidade para muitas vezes se intrometerem entre os três favoritos, sendo até perfeitamente defensável que Aru parta em igualdade de favoritismo com o trio. O italiano lidera a sempre forte Astana que este ano traz ainda o vencedor do Giro 2016 e do Tour 2014 Vincenzo Nibali. E dado que Nibali não dominou a corrida ilatiana de fio a pavio, decidindo a corrida apenas na última oportunidade, é de especular sobre com que forma conseguirá o siciliano chegar ao Tour. De facto, contamos com um Nibali a um nível muito bom. Outros nomes importantes para animar a corrida são a dupla da BMC Richie Porte e Van Garderen, Romain Bardet (AG2R), Alaphilippe (Etixx), P. Rolland (Cannondale), W. Barguil (Giant), J. Rodríguez (Katusha), Mollema (Trek),Valverde (Movistar) W. Kelderman (Lotto - Jumbo) ou Adam Yates (Orica). Enfim, um elenco à Tour!

Nos sprints conta-se com uma receita já vista: Peter Sagan (Tinkoff) a dominar a camisola verde da classificação por pontos, e Kittel (Etixx) a dominar as chegadas ao sprint. A. Greipel (Lotto) e A. Kristoff (Katusha) são as maiores ameaças a ambos depois de Nacer Bouhanni, um praticante amador de boxe, ser obrigado a desistir de alinhar à partida depois de ferir uma mão numa escaramuça com um hóspede mais barulhento no hotel em que pernoitou na véspera dos campeonatos de França. M. Matthews (Orica), J. Degenkolb (Giant), M. Cavendish (Dimension Data), B. Coquard (Direct Energie), Groenewegen (Lotto - Jumbo) e Sam Bennett (Bora) são outros nomes a ter em conta na discussão dos sprints, enquanto Matthews terá também uma palavra a dizer na luta pela camisola verde.

Quanto aos portugueses, Rui Costa (Lampre - Merida) desta vez não parte com o objetivo principal fixado na classificação geral voltando assim à abordagem que lhe trouxe maiores sucessos na corrida francesa, ou seja, procurando conquistar vitórias em etapas. Já Nélson Oliveira terá de trabalhar para Quintana, o que irá diminuir o seu espaço de manobra.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar no VM aqui!): Luís Oliveira

PS: Está disponível em www.velogames.com, um Fantasy Game do ciclismo, a já habitual liga privada do Visão de Mercado para o Tour. O objetivo é recolher o maior número de pontos com os 9 elementos escolhidos dentro do orçamento. Para tal é necessário antecipar quem terminará nos primeiros lugares na classificação geral, montanha, por pontos e também nas diferentes etapas. Os dados da liga são: League Name: Visão de Mercado;
League Code: 322116263017